terça-feira, 24 de abril de 2012

Um prato de beterrabas para dois

Não faltaram saladas e pratos rápidos na hora do almoço nesse blog, nos últimos anos. E se antes eu não podia ficar enrolando em preparos complicados para a refeição do meio-dia, agora preciso descomplicar o que já era simples. Pois na era pré-filho, qualquer pão com ovo era almoço. Na era pós-filho pão com ovo não pode passar por almoço todo dia.

Quando se abre a geladeira forrada de legumes e verduras mas o tempo é curto e não se aguenta mais fritatta, o que fazer? Macarrão de novo? Abrem-se os armários e todos os maravilhosos grãos de cozimento rápido e sem supervisão (quinua e arroz integral) acabaram. Há feijão no freezer, mas nenhuma vontade de combiná-lo com os legumes disponíveis. E o pequeno gerador de caos quer comer sozinho, com mãozinhas e garfinho, e tentar fazê-lo comer qualquer coisa que precise de uma colher ou assistência materna é pedir pela balbúrdia e destruição.

O que fazer?

Apanhar as beterrabas assadas e preparar um gratinado de cinco minutos enquanto o pequeno esfomeado batuca no cadeirão.

Noutro dia, transformando a quinua com legumes da noite anterior em um timbale para o almoço (misturada com queijo caseiro e ovo), aproveitei o forno já ligado, apanhei as beterrabas pequenas da geladeira, lavei-as, sem descascá-las, temperei-as com sal, pimenta-do-reino, azeite e tomilho, embrulhei-as em papel alumínio, coloquei-as em uma assadeira e as larguei no forno por uma hora, até que estivessem macias e espalhando seu perfume pela cozinha. Retirei-as do forno (e meti nele um bolo de laranja rapidíssimo, mais uma vez aproveitando o forno já ligado) e deixei o embrulho fechado ainda na assadeira, sobre a bancada. E ficou lá, enquanto eu colocava o pequeno para tirar uma soneca e corria ao computador para trabalhar enlouquecidamente. Quando o embrulho ficou frio, simplesmente transferi todo o conjunto para a geladeira. Não sabia exatamente o que fazer com as beterrabas, uma vez que já tinha planos para o jantar, mas sabia que se não as assasse logo, elas murchariam e estragariam na gaveta (pecado grave!)

No dia seguinte, aquelas lindas beterrabas assadas me esperavam, para serem picadas ou fatiadas numa salada, para acompanharem um peixinho, para serem misturadas a atum fresco e fettuccine, um risotto, uma sopa, ou para um gratin rapidíssimo, lido às pressas no meu livro favorito atualmente, How to Cook Everything Vegetarian. Abri o embrulho das beterrabas, e com beliscões rápidos de polegar e indicador, arranquei-lhes toda a casca. Fatiei todas elas e as arranjei em uma camada única numa travessa refratária. Polvilhei de sal e pimenta, esmigalhei um belo pedaço de queijo de cabra, tipo Feta, espalhei por cima folhas de tomilho, um punhado de farinha de rosca caseira, um fio de azeite, e levei para debaixo do grill pré-aquecido, por uns 5 minutos, até que o queijo estivesse derrertido e as migalhas de pão, douradas. (Imagino que para quem não tem grill ou forninho elétrico, um forno bem quente faça o mesmo trabalho em um pouco mais de tempo.)

Foi um almoço leve e delicioso, que deixou os dedos do pequeno devorador de legumes manchados de cor-de-vinho. Tente cobrir todas as fatias de beterraba com um pouco de queijo e pão, pois é o contraste do doce e do salgado, e do macio e crocante, que fazem o prato. E use um queijo de cabra de fato saboroso, que seja forte e salgado, com aquela acidez acentuada e deliciosa característica desses queijos.

Definitivamente, da próxima vez que tiver beterrabas, farei o mesmo, assando-as com antecedência, mas separando-as em duas partes: uma temperada, para os pratos salgados, e outra sem tempero, para usar em bolos e panquecas. Fica a dica.

19 comentários:

Maisa disse...

Conheci seu blog na sua ausência, quando me casei, pois procurava receitas para meu marido que é vegetariano desde a barriga da mãe. Ele cresceu sem acucar, sem carne, sem produtos industrializados, só com comidas integrais e orgânicas. E ele teve uma infância super normal =). Parabéns! Que seu devorador de frutas seja muito feliz! E que eu possa caminhar por este caminho "novo" tb.

olga oliveira disse...

Nossa! Que delícia! Vou ter que fazer esta receita! Parabéns! Teu blog é muito legal. Retorno a visita.

Cacau disse...

Esse é meu jeito predileto de devorar beterrabas! Assadas! Mas aqui em Floripa os poucos fornecedores de queijo de cabra cobram o olho da cara, então uma ricotinha bem fresca sempre quebra o galho. Agora essa idéia da farinha de rosca eu to achando o máximo!
Obrigada por compartilhar!

Nani disse...

Adoro beterraba, nesse exato momento estou me perguntando como nunca tinha pensando em assar. Sempre cozinho e separo para salada ou então para a massa de panqueca e só, nunca pensei em comer de outra forma. As que tenho guardadas na geladeira agora já tem destino certo! Bjos Ana!

Anônimo disse...

Que bom ler suas palavras novamente!
Camila.

Carolina Frîncu disse...

Ana! Amei essa ideia. Fiquei com cara de "por que não pensei nisso antes"? Meu filho adora beterraba e queijo. Ai, só vou lamentar não ter o feta aqui (interior da Paraíba, sente o drama) e que saudades do feta feito pela avó do meu marido, lá na Romênia...hum... Nas férias, vou lembrar de vc e fazer por lá!
Parabéns pelo seu garoto bom de garfo! Bjão

Olga disse...

Oi, Ana!
Que bom que vc voltou, que bom poder ler seus textos novamente. E que bom saber do progresso do seu meninão, ainda mais pq eu também tenho um que é 1 mês mais velho que o Thomas...antigamente esperava pelas suas receitas, agora também espero pelas aventuras do seu pequeno (ou grande!).
Vou comprar beterradas!

Laura Bicas disse...

Adoro suas preparações. Fiquei muito feliz com a sua volta! Abraços, Laura

Patricia Scarpin disse...

Nunca tinha imaginado comer beterraba assim, Ana! Olha, a melhor coisa que fiz foi me inspirar em você e comprar esse livro. Não vejo a hora de chegar!

CRISTIANE LARA disse...

Olá Ana, boa tarde ! Que receita deliciosa ! Vou fazê-la também. Um abraço

Gabi disse...

Olá!
Adorei a ideia. Tentarei com abóbora também.
Abraços.

Ju e Júlio disse...

só curiosidade: essas beterrabas são acompanhadas de outras coisas, tipo arroz, feijão...?
E para constar, encontrar seu blog me deu inspiração para cozinhar mais em casa e para minha filhinha.

z\zx z| disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
M Luiza disse...

Que surpresa foi seu retorno!!!!
Nunca apaguei seu blog dos meus preferidos. E sempre entrava, incrédula, sempre na esperança de ver seu retorno. Acho que de longe você me escutou.
Sou profissional e mae e seu o que você passa. Tenho certeza que você e muito capaz em tudo que se propõe.
Let it be!!!!
Sempre faço uma salada sua de beterraba, muito chic com radichio e queijo de cabra. Você e demais!!
Abraços,
Maria Luiza

disse...

Já fazia um tempão que não passava aqui, mas dia desses tava pensando em como alimentar minha pequena quando ela começar com as papinhas, e lembrei de ter lido algo sobre aqui no seu blog. Voltei e... vi que também voltaram os posts, que bom!

Ulysses Borges disse...

Nem acredito que você voltou!
Me lembrei que aqui no blog tinha visto uma receita de cookies Toll House e quando vi o novo post quase chorei de alegria!
No final, nem fiz o coockie , fiz um bolo de banana com canela kkkkk

Luciana disse...

Muito bom ter você de volta! A gente entendeu, mas sentiu muito a sua falta! Um abraço!

nilza disse...

Olá,

Acompanha seu blog há algum tempo e já fiz várias receitas. Comecei a te acompanhar por meio do "Entre Panelas" que citou uma receita sua.
Aprendo muito com o seu blog. Espero que vc continue nos ensinando e nos inspirando.
Beijos
Nilza

vó Eli disse...

Me identifico tremendamente com sua luta e seus ideais!!! Minhas devoradoras de frutas já estão adultas!
Vá em frente que essa luta realmente dá resultado!
Aprendi a preparar beterrabas assadas há pouco mais de uma semana e estou maravilhada com sabor e textura!!!! Por questões de restrição ao alumínio, assei em pirex com tampa, e o resultado é o mesmo!
Eli Mariana

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails