quinta-feira, 3 de maio de 2012

Bolo de férias


Não há simplificação de vida que ganhe de merecidas férias. Principalmente quando você é freelancer, não tem férias pagas nem 13º salário, tem clientes com agendas e necessidades diferentes que não fazem pausas simultâneas, não tem babá, empregada ou passeador de cachorro... e não tira férias há quatro anos.

Ah, mas e as pausas de fim de ano?

Repetindo: "freelancer". Escritório no quarto. Imagine se você passasse suas férias inteiras olhando para uma fotografia da pilha de trabalho que espera por você na volta. Ou se suas férias fossem de fato no prédio da empresa.

Ah, mas e a viagem para Nova York?

Foi há 2 anos atrás. E foram cinco dias. Em feriado. Cinco dias não conta. Não são férias, é feriado. Justamente. E menos de uma semana não são férias. Não dá tempo ao cérebro relaxar. Simplesmente não dá.

Minha mãe já dizia quando eu era criança: "A família inteira tem férias; menos a mãe. Mãe nunca tira férias." Sempre achei que fosse um tremendo exagero, até dar de cara com a realidade. Mãe nunca tira férias. Principalmente se as férias forem em casa. Você pode não estar trabalhando no sentido convencional da palavra, mas a casa ainda precisa ser limpa, seu filho ainda precisa comer e tomar banho, seu cão ainda precisa sair para passear. E férias assim seria como seu chefe dizer que você está de férias: vai continuar fazendo todo o seu trabalho menos os memorandos de quinta-feira. ¬_¬

Not fair.

Freelancer precisa de férias. Mãe precisa de férias. All work and no fun makes Ana a dull girl. E eu acho que já usei essa aqui antes.

Por isso literalmente chorei quando meu marido me surpreendeu com uma viagem, assim, de supetão. Dez dias de férias. Não tanto quanto gostaríamos de ficar descansando a cachola, mas o máximo que supomos saudável para ficarmos longe do nosso pequeno caçador de perigos ocultos. Benditos avós à disposição para cuidar de netinho e cachorro.

Empolgada e precisando começar a pensar em esvaziar a geladeira, quis fazer um bolo de laranja. E lembrei-me imediatamente desta receita em que havia passado os olhos há meses atrás, quando ganhei o livro de aniversário. Acho que não há uma cultura ocidental que não tenha uma versão desse bolo, e ele é o símbolo máximo do bolo de vó, que recheia quase todas as infâncias. Bolo simples, de café-da-manhã, feito numa tigela só, sem batedeiras, sem ingredientes especiais, sem técnicas complicadas. Poderia tê-lo feito ainda mais simples, sem a casca de laranja, mas queria definitivamente usar minhas laranjas orgânicas logo, pequenas e doces.

No livro, a autora na verdade usa a batedeira, mas assim que liguei a máquina senti-me um pouco tola; o bolo obviamente poderia ser feito apenas com uma colher, e é como o farei das próximas vezes e como recomendo que você faça. Usei iogurte caseiro, e portanto não tinha um copinho plástico como recipiente-medida. Mas fiz todo ele com os 180ml indicados, cerca de 3/4 xic. A autora, no entanto, diz que o bolo dá certo mesmo usando copos de iogurte um pouco menores ou maiores (de 120 a 240ml), desde que o copo do iogurte seja usado como medida do restante, respeitando as proporções do bolo.

Mas não é apenas por conta de minhas férias que chamei esse bolo de "Bolo de Férias". Também porque mal coloquei o bolo no forno e a receita já estava gravada em meu cérebro para sempre, tornando-se a melhor receita de bolo do mundo para se fazer quando fora de casa, numa praia ou num sítio, quando se quer um bolo mas não se tem nenhum livro de receitas à disposição. E principalmente porque ele é de uma simplicidade de ingredientes e de preparo que traz um grande alívio para quem precisa de férias da cozinha complicada.

Bolo de férias. E porque a origem da receita dá a dica de onde estarei descansando e me inspirando para voltar cozinhando com força total.

Quando esse post for publicado, estarei no avião. Até a volta.  ^_^

TORTA DEI 7 VASETTI
Tempo de preparo: 1 hora
Rendimento: 10-12 porções

Ingredientes:
  • 1 copo de iogurte natural (de cerca de 180ml) – o copo vira a medida
  • 1 copo de azeite ou óleo vegetal
  • 2 copos de açúcar cristal orgânico
  • 3 copos de farinha de trigo branca orgânica
  • 3 ovos grandes, orgânicos
  • 2 colh. (chá) fermento químico em pó
  • casca ralada de uma laranja grande orgânica, ou duas pequenas
Preparo:
  1. Unte com manteiga ou óleo uma forma redonda, de furo no meio, de capacidade para até 12 xícaras. Pré-aqueça o forno a 180ºC.
  2. Junte todos os ingredientes numa tigela e mexa com uma espátula ou colher de pau (ou na batedeira) até que fique homogêneo e sem grumos.
  3. Transfira para a forma preparada e leve ao forno imediatamente, por cerca de 45 minutos, ou até que um palito saia seco quando inserido no meio. 
  4. Retire do forno e deixe esfriar completamente antes de desenformar. 

Obs: como gosto de bolos de laranja bem úmidos, depois que o bolo esfriou e foi desenformado, aqueci numa panela o suco das laranjas que usei e a mesma quantidade de açúcar (cerca de 1/4 xíc.) apenas até que o açúcar dissolvesse. Fiz alguns furos pelo bolo e derramei a calda por cima, devagar, esperando que o bolo absorvesse toda a calda. Mas a calda não consta na receita original.

*OBS: Post programado para ser publicado durante minhas férias. Comentários só serão moderados após dia 15 de maio.

22 comentários:

Ulysses Borges disse...

Você merece !!!

Karina disse...

Nossa, hoje estava pensando, será que a Ana voltou a postar no blog? Eis que entro aqui hoje e que surpresa(estou atrasada hehe), já são 3 posts novos! Que alegria você ter voltado... Bjs.

Anônimo disse...

Ana, incrível! Se eu te contar que fiz no feriado do dia 01.05 um bolo de laranja super semelhante e derramei uma calda de suco de laranjas (q tb nao estava na receita kkk) sobre o bolo... e hj vejo teu Post! Gente! Coincidência! Bolo de laranja eh a coisa mais de vó que existe mesmo! Tens razao! O cheirinho do bolo no forno... hum... relembra as tardes no "quintal encantado" da casa da vovó... os tesouros escondidos naquela casa grande e de luz interrompida pelas grandes e grossas cortinas... Desejo a vcs excelentes férias (mais do que) merecidas! Que desfrutem, namorem, e recarreguem as energias!!!! Bjao, Vanessa.

Algumas coisas disse...

Eu sabia!! Acertei em cheio onde será suas férias!!
Boas férias e traga muitas fotos lindas! E ideias gostosas!!Beijão, senhora matadora de dragões.

Laís Fraga disse...

Há tempos abandonei um pouco a cozinha, e sem motivos, perdi o prazer que tinha em cuidar da minha casa. Eis que ontem eu volto ao meu corpo e começo a procurar uma receita de pão, enquanto faço meu iogurte caseiro. Cai no seu blog em busca de receitas antigas e fiquei surpresa ao ver o blog ativo novamente!
Delícia!!
Foi como um sinal pra mim, sabe? "Ah, tá na hora de você voltar também!" hahaha!

Beijos, Ana!
Curta muito a viagem!! :)

Priscila disse...

Ótimas férias para vcs!
Ciao!!

Alcina disse...

Muito bom, bolinho de iogurte :-)) chato é não ter férias :-)

CRISTIANE LARA disse...

Oi Ana, tudo bem ? Que delícia de bolo ! E que legal saber que está viajando e podendo descansar um pouco. Aproveite bastante e até a volta ! Um abraço

Anônimo disse...

Que bom que você retomou as postagens! Amo seu blog e suas receitas!

FIND disse...

Ola Ana, boas ferias, totalmente merecidas. Você conhece o livro Sabor do Brasil? Dei uma olhada na internet e achei interesante, bju

andreacoutinho disse...

ADOREI AS DICAS!!
DEMAIS AQUELA TORTA DE SALMÃO É DE VIRAR OS OLHOS, PARABÉNS E BOA VIAGEM...

Sil disse...

Uhuuu,que delícia!! Aproveita, Ana!
Arrivederci!!

Anônimo disse...

Ana, boa tarde! uma dúvida em relação à pedra de granito no forno: eu deixo em cima de uma das grades, ou direto no fundo do forno? posso deixá-la direto no forno, ou apenas depois que o forno aquecer? Basta lavar e secar bem, e já deixar no forno? Obrigada pela ajuda!

kalina morena disse...

bolo delicia!!!
adoro seu blog.
abraco, Kalina

Adelaine B. disse...

ebaaaaaa!! vc voltou!! só vi agora, qnd fui pesquisar umas "coisinhas" aqui no seu blog! e fiquei tão feliz!
tomara que tenha conseguido descansar! depois conta como foi deixar o pequeno por 10 dias!! tenho uma bebê de 1 ano e meio, e fico insegura de deixa-la..:S
vou aproveitar pra dizer que vc me ajudou e inspirou muito, em relação, principalmente, a alimentação da minha pequena, e tmb em saber que é possível e não sou a única, que é mãe 24 h, não tem empregada, e trabalha por conta própria ( sim! vc me estimulou a ter coragem de finalmente tocar meus projetos), só não tenho um cachorro!rsrsrsr!!
xi!! teria tanto pra falar aqui! mas deixa pra outro dia, quem sabe vc vem passear por Curitiba, e te agradeço pessoalmente? ;)
obrigada!
e bom retorno!!!
Adelaine

ila fox disse...

Li este post e lembrei do seu pequeno matador de dragões "Meu filho come com as mãos" - http://ombudsmae.blogspot.com.br/2012/05/meu-filho-come-com-as-maos.html

Mãe do Dudu e do Guigui disse...

Ana Elisa, acompanho o seu blog sempre que posso (pois também sou mãe)e que bom que tenha voltado a escrever.
Sua mãe tem toda razão em dizer que mães nunca tiram férias. Estou sem férias faz 8 anos. A cabeça não relaxa... você simplesmente não pára após ter filhos. Mesmo parada, seu cérebro está sempre a mil por hora. E quando se está longe dos filhos pensamos o tempo todo neles, se estão bem, o que estarão fazendo, coisas do gênero...
Lendo este último post seu, pensei em algo e acho que deveria te falar: você deveria escrever um livro. Você se expressa muito bem, mas muito bem mesmo. Publique seu blog. Tenho a impressão de que terá muito sucesso. É só uma intuição (e a minha costuma ser bem aguçada!
Grande abraço!
Débora

Liana disse...

Amei esse bolo é a segunda vez que faço para minhas filhas levarem de lanche na escola. Metade dele congelo e uso outro dia. A única coisa que mudei foi que em vez de usar 3 x de farinha branca usei 2/3 de xícara de uma mistura de aveia com centeio o restante foi da farinha branca mesmo.

Anônimo disse...

Ana,

Quando você publicou aquele post em janeiro, eu realmente acreditei que você estivesse parando de escrever. Fico contente em saber que você está achando o equilíbrio.

Bolo de laranja. Meu favorito. Coisa da infância mesmo.
Vou experimentar a receita hoje.

Obrigado e bem vinda de volta!

Guilherme

Anônimo disse...

Ana, fizemos a receita.

Simplesmente espetacular :)

Bom final de semana!

Guilherme

Juliana disse...

oi Ana
meu bolo de infância foram três, na verdade. um de chocolate (peteleco), o de laranja (que devo admitir que não era meu favorito, passei a amá-lo já adulta) e o de fubá.
o de fubá era da vózinha, e agora crescida, quando comecei a me embrenhar na cozinha, acabei fazendo umas modificações. mas é desses, que é facílimo de lembrar, uma tigela e colher, sem drama nenhum.
vai a receita original:

1/3 de xícara de óleo
1 xícara:
leite
farinha
fubá
açúcar (é tradição da família sempre adoçar um pouco menos)
1 colher de sopa de fermento
1 ovo
erva doce e canela a gosto.

fôrma untada e enfarinhada, 190˚C, 40 minutos, ou até que faça aquela crosta por cima e fique douradinho.

eu já substituí o leite por iogurte algumas vezes, usei açúcar mascavo outras,
às vezes faço sem o ovo e coloco um pouco mais de líquido.

saído do forno com manteiga... hummm
gostinho de infância na casa de vovó Lucinda.


se tentar um dia, me conte.

um beijo

ju

Karin disse...

Ana, uma dúvida: há massas de bolo mais adequadas para serem assadas na forma de furo, em vez da forma redonda ou retangular? Ou a forma a ser usada é apenas uma preferência estética?

Obrigada e abraços.

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails