quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Badejo assado com batatas e alcachofras

Já falei muito a respeito de todos os meus problemas com peixe aqui e aqui: sobre o cheiro da cozinha, sobre a confiança no supermercado, sobre o fato de não haver peixaria no meu bairro. Aliás, dado engraçado: acho que já contei uns quatro açougues no raio de cinco quarteirões da minha casa, sem contar os supermercados, e nenhuma peixaria no bairro todo, o que provavelmente diz muito a respeito dos hábitos de consumo do pessoal que mora por aqui.

Outro dia, reclamando a respeito do preço do peixe fresco no supermercado e de não aguentar mais comer atum em lata, um colega da corrida [que já trabalhou no Chez Panisse; imagina o que eu não adooooro conversar com ele!] me indicou uma peixaria fora do bairro que entregava em casa. Maravilha para uma pessoa cujo único meio de transporte é o próprio pé. Nessa semana, finalmente, resolvi testar a danada da peixaria e, assim que voltei do passeio com o cachorro, telefonei e encomendei um pouco de salmão e um pouco de badejo, tudo já devidamente limpo e filetado. Meio-dia em ponto o motoqueiro estava em casa com meu pacotinho de peixe fresco, parte do qual foi direto para a panela do almoço. Posso dizer o quanto estou feliz? Muito. Muito feliz. Estou contentíssima por ter encontrado um fornecedor de confiança.

Sei que se queria peixe fresco e barato, poderia ir ao Mercado Municipal, ao Mercado da Lapa ou ao Ceagesp. Mas pegar carro de mãe emprestado e me enfiar no trânsito apenas por dois filés de salmão? Hmmm... nada prático para alguém que ainda tem que trabalhar, cuidar da casa e passear o cachorro três vezes por dia.

Por essas e outras... aaaah, estou feliz por poder comer um peixinho de vez em quando sem ter que deixar o salário do mês no supermercado.

Hoje no almoço eu tinha esse último filé de badejo para usar, então apanhei como template uma receita de sea bass de Jamie Oliver e substituí os cogumelos por alcachofras, omitindo a manteiga e usando apenas a quantidade de azeite que me convinha. Apanhei meu filé e fiz alguns cortes em sua carne, colocando neles manjericão e salsinha bem picados. Temperei com sal, pimenta e umas gotinhas de limão e deixei de lado. Pré-aqueci o forno a 240ºC e fatiei bem fino duas batatas pequenas com casca e 1 dente de alho. Misturei as batatas com metade do alho, temperei com sal, pimenta e um fio de azeite e levei ao forno por 15 minutos, até que estivessem cozidas. Enquanto isso, apanhei uns 3 fundos de alcachofras congelados [prefiro alcachofra fresca, mas para uma cozinha mais rápida eu perco a paciência com aquela espinheira toda...], fatiei-os, esfreguei-lhes um pouco de limão, e salteei com o restante do alho em um fio de azeite, temperando com sal e pimenta. Retirei as batatas prontas, misturei as alcachofras a elas e coloquei o peixe por cima. Voltei ao forno por mais 15 minutos até que a carne estivesse opaca e pus tudo no prato com um fio de azeite. Ficou tão bom que pretendo comprar mais badejo na semana que vem para poder fazer no jantar, porque foi uma maldade guardar esse prato só para mim... E melhor de tudo: ficou pronto em meia hora. ;)

[P.S.: Aparentemente, sea bass é badejo mesmo. Mas posso manifestar aqui minha dificuldade atroz em descobrir que peixe é qual quando todas as minhas receitas têm os nomes em inglês e nenhum dicionário meu é amplo o suficiente??? Ô, desgraça...]

[UPDATED: Errei!! Sea bass é robalo!!! Nenhum problema. A receita original, então, era para ser feita com robalo, mas ficou sensacional com badejo. Então, faça com qualquer um dos dois...]

24 comentários:

Maria Re disse...

Compartilhe com a gente o telefone dessa peixaria, por favor!
Agradecida!

Ana Elisa disse...

Maria, me manda um e-mail que eu te passo o telefone.

GENTE, SE ALGUÉM MAIS MORAR EM SP, REGIÃO CENTRAL, E QUISER O TELEFONE DA PEIXARIA, ME PEÇA POR EMAIL.

Bjos

Mari disse...

Que pratinho mais apetitoso.

Roberta disse...

Mas Ana, nem na feira voce teve sucesso com os peixes? Eu pelo menos toda sexta encontro peixes bons aqui do ladinho..e olha q moro pertinho de voce! Pena que eu não goste de peixe tanto assim pra poder requisitar os serviços dessa tal peixaria, mas fico feliz q sua saga ao peixe perfeito finalmente acaboou. Um beijo Roberta

Ana Elisa disse...

Roberta,
então... sabe que sempre passei na frente da banca de peixes da feira e nunca me deu aquele "tchans" de tentar? Minha mãe teve algumas experiências negativas e acho que me incutiu trauma... Mas quem sabe eventualmente eu não me livre dele?

Bjos

Bigode de chocolade disse...

Isso não parece moderno nem prático, mas acho que o melhor modo de saber se o peixe é fresco ou não é sendo amigo do pescador. Como moro longe do mar, só posso comprar peixe congelado e o que eles dizem ser fresco é balela. Os peixes deitadinhos sobre o gelo nas lojas já foram congelados uma vez logo após a pesca. Essa é a única maneira de conservá-los, o que não é de todo ruim. Problema são os peixes processados mais tarde pela indústria. Eles foram pescados juntamente com os lindinhos da exposição. A diferença é que ficaram no fundo da rede e foram esmagados pelos outros, se tornando esteticamente impróprio para a venda. Esse tipo de pesca – arrastão em alto mar – chega a durar dias. Os peixes vão se acumulando na rede, vivos e mortos, e mais tarde são vendidos, indistintamente como frescos. E fazer o quê. Eu adoro peixe. Mas muitas vezes natural não é sinônimo de justo. Ah, trocar os cogumelos por alcachofras... boa idéia!

caosnacozinha disse...

Ana, para saber que peixe é qual eu uso o site da Wikipedia. Dá mais trabalho, porque primeiro eu vou na versão inglesa saber o nome da espécie de peixe, que depois escrevo na versão portuguesa para saber o nome corrente em português. Dá trabalho, mas resulta.

Beijo *
Mariana

caosnacozinha disse...

Ana, lembrei que há uns meses encontrei uma tabela com os vários nomes dos peixes, em inglês e português. Vou-te mandar por e-mail, tá?

Outro beijo *
Mariana

Patricia Scarpin disse...

Ana, ficou com uma aparência maravilhosa! Adorei o toque verdinho das ervas. E a idéia de fatias as batatas finamente é genial - além de ficar uma delícia, poupa um tempão, né? Vou copiar a sua idéia, pode apostar. :)

Ah, eu não sei porque mas cismava que sea bass fosse robalo. Tô doida.

Ligia disse...

Ana
eu tenho um livro chamado The Conran Cookbook, que além das receitas, tem uma seção enorme com fotos de utensílios, alimentos e ingredientes. Essas fotos me ajudam um montão quando preciso traduzir uma receita.
Ah, e se você quiser tentar comprar peixe na feira, eu indico a feira da rua Mato Grosso (todas as sextas). Já comprei até polvo e nunca tive problemas.

caosnacozinha disse...

A Patrícia tem razão - sea bass é robalo.

Beijo *
Mariana

Ana Elisa disse...

Eugenio,
pois é... a gente sabe que peixe fresco só aquele que estava nadando há 1 hora atrás... hehehe... Mas não tem jeito. A gente que mora em cidade sem mar tem que se conformar... :(

Mariana,
uh, adoraria essa tabela! Olha que boba que eu sou: eu fazia a coisa do wikipedia com plantas, e nunca me ocorreu fazer o mesmo com peixes... Dãaaa... E sea bass é robalo?? Olha que feio, esses tradutores de internet não são confiáveis mesmo... :P

Patrícia,
eu também achava que era robalo. Aí na dúvida, usei um desses tradutores de internet e veio "badejo" no resultado. Agora a Mariana disse que é robalo mesmo. Ê, laiá. Bom, então dá prá fazer a receita com robalo também, porque a original era para sea bass... ;)

Ligia,
também tenho alguns livros com fotos e afins. O problema é que eu não sou lá grande conhecedora de peixes, porque faço muito pouco... Bom saber dessa feira. Obrigada pela dica.

Bjos

Diogo Henrique (Guga) disse...

Parabéns pelo peixe, muuuito boa fota e o prato parece maravilhoso. Vou me arriscar por aqui logo!!! :) Aqui em Floripa, onde moro, é mais fácil comprar algumas variedades de peixe, vou ver se encontro por aqui! Uma ótima tarde, continue com essa inspiração aí na cozinha!

Auki disse...

Ana, essa foto está um abuso! Que delícia! rs

Tb tenho dificuldades para comprar peixe por aqui (moro no Brooklin) e tb nao sinto aquele "tcham" pra comprar na feira. Acabo me virando no Carrefour ou Pão de Açúcar mesmo ($$$$$)...

Robalo ou Badejo, pela foto parece que ficou uma delícia. Vou tentar!! :P

Bjao

Adriana Farinha disse...

Ana! Boa Tarde! Parabéns pelo blog, está super legal, enviei um email para vc dia desses, como vc não respondeu, gostaria de saber se pelo menos o recebeu...andei garimpando muita novidade e gostaria de compartilhá-la. Aquele passa verdura que vc utiliza é de qual marca, é Kuchenprofi por acaso. Fica com Deus e até mais....

Anônimo disse...

Olá Ana Elisa,
Moro em Brasília e sou fã recente do seu blog.
Adoro cozinhar e estudar tudo o que puder sobre as artes culinárias do mundo. Tenho um carinho especial pelas cozinhas italiana e tailandesa e praticamente tudo que tenha BASTANTE pimenta.
Vim aqui para lhe indicar um dicionário gastronômico que considero excelente (claro que nenhum é completo o suficiente, mas esse geralmente resolve meu problema). Comprei-o na Livraria Cultura daqui:
"Dicionário Tradutor de Gastronomia em Seis Línguas" (Português, Inglês, Francês, Alemão, Italiano e Espanhol) - Roberta Malta Saldanha - Antônio Bellini Editora & Cultura.
Entre outras coisas, lá você descobre que robalo é sea bass e badejo (ou abadejo) é whiting ou silver hake.
Pode comprar sem medo, tenho certeza que será um excelente incremento à sua biblioteca.
Bom fim de semana,
Marcelo

Bigode de chocolade disse...

Tá lá, tá lá. A receita de geleia de radiccio chegou. Abracos.

roberta disse...

Oi Ana Elisa! Obrigada Marcelo.

Feliz pela recomendação do meu livro - Dicionário Tradutor de Gastronomia em Seis Línguas -, fico aguardando comentários e sugestões.

Roberta
robertamsaldanha@gmail.com.br

xaspire disse...

e aí Ana,

manda o tel da peixaria... tava loco atras de uma tb


belíssimo blog... parabéns!

Abs

Ana Elisa disse...

Xaspire,
mande-me um e-mail que eu respondo com o telefone.

bjos

Rebeca disse...

Ana Elisa, I am an English teacher and your blog helped me a lot about how to translate "seabass" to my students. I thought it was Badejo, but you are saying that it's Robalo. Can you tell me where did you get this information? Thank you in advance.

Rebeca

marcos disse...

Olá,
por favor me envie o endereço da peixaria que entrega em casa?!
fabilein@uol.com.br
Obrigada!
Fabiane
SBC

Lu disse...

Oi, adoro seu blog... principalmente os desenhos, até me animei a procurar um curso, tipo o do Daniel Azulay. Adorooo!!!! Quanto ao peixe, sempre compro na feira e é muito bom, fresquinho. Beijo!!!

Anônimo disse...

Ana,

Parabéns pelo blog. A dificuldade de traduzir nomes de peixes, na minha opinião, advém do fato de que algumas espécies não vivem no hemisfério sul e que o nome comercial de peixes é uma grande confusão. O site abaixo ajuda bastante:

www.fishbase.org

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails