quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Almoço e jantar na mesa da cozinha, legumes no forno e uma loja nova

Crostini de tomate, polenta e saladinhas diversas.
Daí que nisso de comida estar cara pra dedéu me impus um orçamento mensal do qual não pretendo fugir mais. E daí que nisso de comer coisinhas variadas na mesa da cozinha, muitos dos meus almoços tem tido mais ou menos essa cara. E daí que meus ovos acabaram, não tinha macarrão, e por dez segundos tive um surto psicótico, pois não sabia o que preparar; não havia polenta para um adulto, uma criança e um bebê, e não dava tempo de preparar mais. Também não havia sobrado mozzarelinha o bastante da saladinha de tomate da noite anterior para nada mais substancial. Então o restinho de polenta foi requentado, saladinhas foram montadas e temperadas, e o pão de transantontem, seco e esturricado, virou crostini com tomate bem maduro, alho e bastante azeite.

E esse esquema tem funcionado bem para que o pequeno matador de formigas coma seus legumes. Afinal, está ali, e ninguém o força a pegar, e afinal, papai e mamãe fazem sons de "hmmmm" ao comer rabanete, então rabanete deve ser bom. E come-se cenoura, e come-se rabanete, e come-se pepino, tudo bem temperadinho. Tomate, por algum motivo, não. Só no molho do macarrão. ¬_¬

E esse esquema tem funcionado também para manter o orçamento em dia e em dia também as pelancas da mamãe, que não aumentam com o sorvete de morango da sobremesa porque se entupiram de rabanete, pepino e cenoura antes. Quanto tempo vai durar o interesse pelo "bar de salada"? Vai saber. Mas enquanto durar, a criança [e os pais] come seus legumes.

E a pequena caçadora de rabo de cachorro? Come da mesma coisa. Polentinha, tomate bem picadinho, cenoura ralada fininho, mozzarelinha que derrete na boca. Mas sobremesa pra ela é pera, não sorvete.
Pra não falar que tenho favoritos, tá aqui a foto da Madame Bochechas se refestelando de pera.

Daí que no jantar o pequeno devorador de ovos de codorna está sempre meio sonado e birrento e quase nunca come alguma coisa direito. Então me dou o direito de preparar o que eu bem entender, já que vai ficar no prato mesmo. E de novo: o que é que eu faço sem ovos em casa?? Nunca pensei que ficaria tão perdida.

Bom, faço mais legumes. [Em tempo: não é que acabou o dinheiro para os ovos; é que sei que se for ao mercado comprar, vou acabar levando outra coisa junto pra aproveitar a viagem; e instituí que dia de supermercado é quinta, o mesmo da feira.]

A foto antes de ir ao forno é tão mais bonita...
Abobrinhas e tomates no forno e salada de beterraba e agrião.
A salada foi adaptada daqui, feita apenas sem o vinho e as folhas de beterraba, que já haviam sido consumidas em forma de macarrão na quinta passada. O outro prato é do sempre ótimo e prático I Know How To Cook, a "Dona Benta" francesa. Adoro esse livro pois os pratos levam sempre pouquíssimos ingredientes, e sempre fica bom. 

No caso desse prato específico, no entanto, recomendo apenas se seus tomates estiverem bem maduros e saborosos, pois o sabor do prato finalizado é bem suave, e com os tomates errados, pode beirar o insosso. Também por isso, recomendo carregar no tempero. 

Pode ser mais fácil? Fatie fino 2 abobrinhas médias e meio quilo de tomate, esses fatiados um pouco mais grossos que a abobrinha. Unte uma travessa refratária com azeite e arranje os legumes, alternando as fatias. Tempere generosamente com sal e pimenta-do-reino moída na hora e mais um belo fio de azeite. Salpique folhas de tomilho fresco e leve ao forno pré-aquecido a 190ºC por no mínimo 20 minutos (o tempo pode variar um bocado dependendo da espessura das fatias), até que os legumes estejam macios. Polvilhe com farinha de rosca e mais um fio de azeite e leve ao forno novamente para dourar, ou para baixo do grill, como eu fiz. Sirva quentinho. 

Esse jeito de cozinhar é infinitamente mais simples do que o que fiz nos últimos anos, ainda que eu goste de pratos mais elaborados. Mas além de colaborar para a comilança do pequeno, tem também me dado mais tempo para pintar. O que é ótimo, porque com o mercado de ilustração comercial à beira de um colapso, ando migrando cada vez mais para a venda direta de originais para pessoa física, encomenda ou não, coisa que me deixa muito mais feliz. Sei que quem compra uma aquarela minha vai emoldurar, pendurar e ter muito mais apreço pelo meu trabalho do que uma empresa que me contrata para ilustrar embalagem de biscoito. E satisfação no trabalho é que ando mais buscando.

Assim, remontei minha lojinha e, além das reproduções, estou vendendo mais originais. Ando pintando muitas paisagens e temas culinários, coisas que me agradam muito, e pretendo aumentar rapidamente o número de peças por lá. Gostaria de também colocar a venda novas reproduções, em quantidade limitada, como dessa peça aqui:
Aquarela à venda em http://anegg.iluria.com
Então, quem se interessa por esse tipo de trabalho e quiser ajudar essa pobre ilustradora a comprar ovos para as crianças, dê uma passada lá: 


Ah, e é claro que o Thomas não comeu nem os legumes nem a salada do jantar. ¬_¬


13 comentários:

Priscila disse...

Adoro teus posts... e vou lá bisbilhotar a lojinha!!

Zizi disse...

Ana! Suas "sobras" são as mais apetitosas do universo!
Madame Bochechas (fofa!) é a sua cara!

Um abraço a todos!

Anônimo disse...

ela é muito linda e fofa, Ana!! que bochechas gostosas! adorei o post..é bom que abre nossos olhos para a oferta de legumes que nós temos e as vezes achamos que estamos "sem ideia para o jantar".

Suas ilustrações são muito inspiradoras. Já estou aqui tendo ideias para ter uma...

Fernanda Amarante disse...

Querida, meu objetivo de vida é er frugal como você. Mas também sei que nunca vou conseguir!!!

Ovo não pode faltar em casa, né, Ana? Quase morro quando acaba, mas agora o namorado tá de dieta e precisa comer uma omelete de 3 claras duas ou três por semana (aqui em casa, claro, pq é folgado) e quase falta. E fora a quantidade ridícula de gemas que desperdiça, e eu, a ex gorda, não posso sempre fazer doces portugueses com elas... Mas minha vizinha tem galinhas e sempre me dá uma dúzia também, lindos e vermelhos! Ps: Madame Bochechas está um amor!

Mari disse...

como sempre, amei o post. mas to aqui apaixonada pela Laura! seus filhos são lindos Ana!

Ulysses Borges disse...

Pena que seu leitor é muito mais pobre! hahahaha. Fico só namorando as obras na sua lojinha!

Victória disse...

Que coisica mais fofa a tua filha! :o)

Adorei a dica de livro! Já comprei alguns por indicação tua e não me arrependo.

Um dia quero sim comprar uma ilustração tua e emoldurar, são lindas!

Gostaria de fazer um pedido... rodei toda essa internet de meu Deus procurando uma receita de leite condensado que não leve leite em pó e não encontrei. O leite orgânico que compro aqui em Curitiba é excelente e barato... gostaria de fazer leite condensado em casa. Você já tentou?

Abraço!

Mãe da Loly disse...

Adooooro seus posts, o jeito que escreve e claro, as receitas!!!
Um beijão,
Dani www.maedaloly.blogspot.com.br

Cozinha Perfumada disse...

Ana, adoro seus posts, contam uma vida "tão real"... fora que vc inspira as refeições saudáveis tb! Ah! Seu pequeno matador de formigas Thomas é lindo e a Madame Bochechas Laura é uma coisaaaaa!Que gracinhaaaaaa! Lindos seus filhotes!Vou lá visitar sua loja!;) Beijos Tereza

thatiana Bandeira disse...

Amei!!! Muito linda sua madame bochechas, caçadora de rabo de cachorro, fiquei rindo aqui na cama e tive que ter o post para o meu marido... Que é claro, já acrescentou queijo de cabra na abobrinha com tomate!!! E ele antes nem tinha coragem de provar o queijo...
Obrigada pelas dicas, receitas e mais que tudo um excelente texto
Beijos

thatiana Bandeira disse...

não sei se o meu comentário foi, mas aproveito para elogiar a pintura, MARAVILHOSA!!!!
Beijos

Livia Luzete disse...

ownnn Madame Bochechas,coisa mais rica desse mundo!!!

Outra coisa rica:suas ilustrações!

Obrigada Ana,por matar minha (só minha?) curiosidade em ver essa fofura, irmã do outro fofo,o Thomas.Nem preciso dizer o quanto dá vontade de apertar,beijar essa bochechas.

Anônimo disse...

Olá Victória, eu faco o leite condensado da seguinte forma. Coloco para cada litro de leite 1 xícara de acúcar e levo ao fogo baixo até pegar o ponto de leite condensado, demora um pouco, mas fica lindo e saboroso. Ana, tua filha é uma fofura, que bom que vc tem ensinado seus pequenos a apreciar a diversidade de alimentos. Continue assim, no futuro eles te agradecerao muito. Bjs Elo

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails