quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Muffins de painço garantindo que meus filhos vão me odiar um dia

Como alguém que gosta só um pouquinho de cozinhar, é claro que eu fantasiava ansiosamente com lanchinhos de escola. [Doida de pedra.]

Corri atrás de uma garrafinha térmica que fosse de inox por dentro, uma vez que plástico absorve cheiros e sabores e engordura, e alumínio é reativo, e limitaria o uso de ingredientes ácidos nos sucos e chás, a não ser que quisesse meu filho consumindo doses diárias de alumínio em sua limonada. Hmmm... não, obrigada. No fim, minha boa intenção voltou pra me morder na bunda, e ainda que a térmica seja ótima (mantém o chá gelado até o fim do dia, o que a torna excelente pra levar coisas como iogurte), ela vaza quando chacoalhada em qualquer posição que não de pé. :P Então eu que estava sendo muquirana e usando a bolsinha térmica de bebê como lancheira e minha mochila de ataque como mochila dele, agora vou atrás de uma mochilinha infantil que tenha um compartimento pra manter a danada da térmica em pé. Fazer o quê? Pelo menos os potinhos de inox com tampinha plástica para levar os quitutes têm funcionado lindamente.

No quesito "cardápio", as escolhas têm sido bem simples, pois Thomas não é um morto-de-fome de manhã; quando mando qualquer coisa maior que dois biscoitos, alguma comida retorna intacta. Isso na verdade tem facilitado minha vida, pois não tenho que seguir o enorme cardápio de lanche que mais parece almoço recomendado pela escola: sanduíche, biscoito, fruta e suco de caixinha. Sou só eu, ou isso lhes parece coisa demais para uma criança no meio da manhã?

De qualquer forma, mando sempre um potinho com algum quitute que ele já tenha comido em casa e gostado, e a térmica com limonada azedinha, laranjada (1 laranja + água), lassi, chá de erva-cidreira, capim-limão, hortelã, vermelho, preto com limão e canela, etc... O que ele não toma na escola, bebe no almoço ou à tarde, uma vez que a temperatura é bem conservada.

Na primeira semana, mandei biscoitos de aveia e passas (da Alice Medrich), uva, manga, barrinhas de cereais caseiras (do Bill Granger) e muffin integral de gengibre e pêssego (da Kim Boyce). Preparei pãezinhos de queijo e congelei (da revista Menu, da qual tenho gostado um bocado), para assar noutro dia quando não tiver tempo de preparar outra coisa, e hoje estou preparando uns pãezinhos de beterraba (da revista Casa e Comida) para fazer sanduichinhos com Catupiry. Ainda tenho um pão de cevada congelado e manteiga com rabanetes congelada para futuros sanduichinhos, e tenho toda uma lista mental de pãezinhos, muffins, biscoitos, barrinhas e bolos para ele levar. Por enquanto estou deixando as frutas de lado, pois ele as come toda tarde em casa, e quero mais é que, nesse período de adaptação, ele associe a escola a suas coisas favoritas.


Não costumo ser paranoica com comida integral e "saudável" no sentido "nutricional" da coisa. Para mim, sendo feito em casa com itens pouco processados, é saudável e ponto, mesmo que seja feito de açúcar, farinha branca e frito. Um doughnut feito em casa é infinitamente menos doce, gorduroso e porcaria do que um comprado pronto, e meu filho não vai comer uma caixa com 9, ele vai comer apenas um. No entanto, tenho fases em que me interesso um bocado por farinhas integrais ou diferentes. Daí que virei piada em casa. E quando digo ao meu marido que Thomas vai levar de lanche lassi de água de rosas e muffin integral de painço, ele imediatamente começa a cantar Killing me Softly e eu tenho certeza de que meus filhos vão me detestar um dia. Com suas térmicas de inox que não são do Bob Esponja, suas mochilas genéricas, seus cabelos cortados em casa e seus muffins integrais de painço. ¬_¬

Este muffin é de um dos meus livros favoritos, Super Natural Everyday, e eles são pouco doces, macios, com o pontilhado crocante de painço. Gostosos assim simples, melhores com manteiga e geleia. Perfeitos para os mais naturebas, pois são integrais e adoçados apenas com mel. Quando disse ao moleque que ele precisaria esperar que esfriassem para comê-los, ele sentou-se na cozinha e pôs-se a esperar, ansiosamente. :)

MUFFIN INTEGRAL DE PAINÇO
(do livro Super Natural Everyday, de Heidi Swanson)
Tempo de preparo: 30 min
Rendimento: 12 muffins

Ingredientes:
  • 2 1/4 xic. (280g) farinha integral fina
  • 1/3 xic. (30g) painço descascado cru
  • 1 colh. (chá) fermento químico em pó
  • 1 colh. (chá) bicarbonato de sódio
  • 1/2 colh. (chá) sal
  • 1 xic. (225g) iogurte integral caseiro
  • 2 ovos grandes, orgânicos
  • 1/2 xic. manteiga derretida, ainda quente
  • 1/2 xic. mel
  • casca ralada de 1 limão siciliano
  • 2 colh. (sopa) suco de limão siciliano

Preparo:
  1. Pré-aqueça o forno a 205ºC e unte 12 cavidades de uma forma de muffins com manteiga (alternativamente, use forminhas de papel, sem untar). 
  2. Misture os ingredientes secos com um batedor de arame numa tigela grande. Em outra tigela, misture todos os ingredientes líquidos até que fique homogêneo.
  3. Misture os líquidos aos secos com uma espátula, apenas até que não se veja mais farinha. 
  4. Divida a massa entre as forminhas, preenchendo praticamente toda a cavidade. Leve imediatamente ao forno por cerca de 15 minutos, ou até que estejam dourados. 
  5. Deixe que esfriem na forma por 5 minutos, então desenforme com a ajuda de um talher e deixe que terminem de esfriar apoiados na diagonal nas próprias cavidades (como na foto); isso ajuda a manter a parte de baixo dos muffins ligeiramente crocantinha. 

42 comentários:

Ariane disse...

Seus filhos nunca vão te odiar por dar a eles uma alimentação tãaãão melhor (tanto no quesito nutrição quanto no quesito sabor) do que lanches comprados no supermercado!
E se um dia eles se revoltarem querendo os 9 doughnut indrustrializados, deixe eles experimentarem... Isso só vai fazê-los gostarem ainda mais do q vc faz com todo cuidado, carinho e amor!

E se pooorr acaso eles não quiserem os lanches que vc faz e manda pra escolinha, manda pra cá!
Meus dias na faculdade serão mais felizes e saborosos!


Liiinda essa foto com Thomas ao fundo esperando os Muffins esfriarem!

abrindoadespensa disse...

Oi Ana,

Fica aqui a dica de uma loja canadense que vende vários potes e garrafas térmicos de excelente qualidade (eles trabalham com frete internacional):

http://lifewithoutplastic.com/

Eu e meu marido temos vários e usamos quase que diariamente. Já colocamos sopa, molhos, iogurte, etc e nunca tivemos problema algum.

Em tempo: adorei o post de hoje! Não vejo a hora de começar a cozinhar pro meu filho, um pouco mais velho que a sua Laura! :-)

Um abraço,
Marisa

Fabiane disse...

ahahahha, não contive a risada quando li killing me softly... por mais "moderna" que a gente tente ser, não vai adiantar. sempre vai chegar o momento do "puta merda, que vergonha/odio da minha mãe." porém, tem os momentos em que a gente se dá conta de que vale a pena a tentativa de não inserí-los dentro do que é considerado "normal". como por exemplo hoje, meu filho de 7 anos optou por um estojo de dez reais de sarja bege infinitamente mais útil e durável do que o modelo capitalista consumista ultima moda do momento. orgulho meu e dele :)

Ariane disse...

Ei Ana, eu denovo!
=)

Fui mandar um e-mail no contato@lacucinetta.com.br mas acho que não deu certo...
O endereço é esse mesmo?
Obrigada

Ariane

Unknown disse...

Boa noite Ana.
Quando meu filho mais velho entrou na escola eu fiquei meio que nem você, querendo preparar 350 receitas. A escola era bem tradicional, então o lanche dos coleguinhas era comida que a maioria das criança come: biscoito recheado industrializado, bolinhos, refrigerante.?
Uma beleza!
Hoje meia dois filhos vão numa escola Waldorf. E o lanche é coletivo e natureba. Sucos, chás, pães integrais caseiros e frutas. Com direito a rodizio de cerais para cada dia da semana. Segunda é dia de arroz integral, as vezes com gergelim. Eles adoram. Hoje meu mais velho, com 4 anos, me perguntou no mercado: mãe, porque aquela moça está comprando bala para aquele menino pequeno? Criança pequena não pode comer isto, né? Só de vez em quando...
Fique tranquila seu filho vai achar a coisa mais normal comer bolinho de painço. os meus querem que eu faça mingau de painço!
O duro é achar aqui onde moro.
E em relação as mochilas: o meu mais velho tem uma mochilinha que era brinde duma empresa e o meu pequeno é um embornal de algodão cru! Eles que escolheram... Fazer oque?
Boa sorte por ai! E vou tentar convencer meus pequenos a fazer bolinho invés de mingau de painço...
Lívia

Renata disse...

hahahahaha meu pai também dizia que eu iria odiar minha mãe porque ela me fazia levar pão integral e frutas nas excursões da escola, enquanto todos levavam fandangos, doritos, pão com queijo e presunto, refrigerante... Aí eu ficava com vergonha e vontade de comer o lanche deles, até perceber que o meu era melhor. Cheguei até a sofrer por piadinhas, mas nada que me impedisse de ter amigos e me divertir. Aí agora que saí da casa da mamãe, no último mês, me assustei porque posso ir livremente ao supermercado comprar doces, congelados, refrigerantes e todo tipo de porcaria que deixavam ela contrariada, mas prefiro levar berinjela, bananas limão, abóbora e procurar loja que venda castanhas de boa qualidade.

Unknown disse...

E só pra você saber: o pão de mingau de aveia fez o maior sucesso na escola de meus filhos! 8 pequenos e 2 adultos comeram um pão por dia! Boa noite pra você!
Lívia

Juliana disse...

ana,

minha mãe foi um pouco assim,
e eu a amo e sou extremamente grata por ela ter me ensinado a ler todos os ingredientes das coisas compradas prontas, preferir sempre qualquer comida feita em casa, ter me proporcionado um paladar disposto a qualquer coisa (também sempre colocando de tudo na mesa, em diferentes formatos, como você faz), etc etc

tenho certeza que o pequeno devorador de painço e a pequena guerreira montada no unicórnio hão de se tornar belos humanos, completos, dispostos, interessados, nutridos...!
enfim,
adorei.

um beijo,
vou tentar essa receita logo, que tenho painço e tudo o mais aqui, disponíveis!

ju

Cachinhos disse...

Amei seu post! Acredite, seus filhos vão ser eternamente gratos por isso quando crescerem, afinal não é nada fácil se livrar do ''vício'' das comidas industrializadas, cheias de gordura, sal e açúcar.
Me senti inspirada. Vou tratar de aprender receitas novas, saudáveis e diferentes desde já (aproveitando que estou tentando me reeducar -não é nada fácil fazê-lo quando a pessoa cresceu em uma casa cheia de refrigerante, frituras, doces e pizza todo fim de semana, assim como eu) e vou passar isso para meu futuro marido e filhos (ainda tenho muuuito tempo até lá, não pretendo casar tão cedo rs).
Por fim, queria dizer que amo seu blog e que se um dia eu tiver metade das suas habilidades como cozinheira já estarei super feliz =)

Carolina Frîncu disse...

Ah... vão odiar mas será passageiro. Seu marido me lembrou um grande amigo que vez por outra solta "tadinhos desses moleques" quando vê meus filhos mastigando cenoura crua, comendo pães integrais e carregando iogurte natural nos passeios/igreja. Vou fazer esses muffins em breve! só me resta pensar em um substituto saboroso para o painço, porque nunca vi por essas bandas. Pensar que minha avó e eu aí em SP às vezes ficávamos olhando o pacote se estragar sem saber ao certo como aproveitar. Bjão!

Solange Sol disse...

Me divirto e aprendo muito com você e suas experiencias gastronomicas.

angela disse...

Meus filhos não comeram açúcar refinado até os dois anos.Depois, virou bagunça. Mas todo mundo ficava espantado quando a gente viajava e ia pra hotel fazenda e eles, no almoço, colocavam beterraba no prato!

Mas no colégio aí era bolinho ana maria mesmo ou um potinho com fruit loops, deixava a comida saudável pra casa. Eu pequena levava cenoura com sal, adorava! E suco de tangerina. Mas a garrafa térmica do meu tempo era de vidro, quebrava sempre. Um saco.

Luciana Betenson disse...

Hahahaha! Seus filhos vão te odiar e te achar ridícula um dia, mesmo que você os levasse diariamente ao McDonald's. Pelo menos você tá fazendo a coisa certa =P

Anônimo disse...

Oi Ana!
Compartilho do mesmo pensamento: fazendo em casa, será infinitamente melhor do que comprado! Sempre fiz as papinhas, sopinhas, enfim toda comida de casa para minha filha (e para nos) evitando comprar comidas prontas. 20 anos depois, continuo nesta mesma rotina :-)
Aliás, tempo voa, não? Visito seu blog já algum tempo, bem antes do Thomas reinar cá por estas bandas... :-) Parabéns pelo excelente blog, parabéns para a maravilhosa família! Cris-RJ

Luciana disse...

Acho que não gosto tanto assim de cozinhar! :)
Eu te odiaria! rsrs
Mas a Carmen às vezes odeia o bolo melecado com brigadeiro, o hamburguer que o pai adora, o arroz doce cremoso, so...

Debora disse...

Ana, a recomendacao de lanche da escola costuma ser feita dessa maneira porque muitas criancas nao tomam cafe da manha em casa! Entao, dessa forma, eles tomam um lanche mais reforcada na escola e costuma ser cedo - por volta das 9h da manha!

Lívia Santana disse...

Ana, eu to rindo do Killing me softly há cinco minutos. Que memória boa a do seu marido, pois mesmo que o meu quisesse (e vai querer) me gozar com algo similar, ele não vai lembrar disso e não conseguirá atingir esse requinte de crueldade...rs

um beijo pra você.

Lívia.

Doisnacozinha disse...

Momento Marcus!!!

Dani disse...

Te amo de paixão! Obrigada pela ajuda. E quem sabe os nossos filhos não conseguirão um preço caprichado na terapia de grupo, pra falarem mal das mães? Se eles vão nos odiar um dia, pelo menos que odeiem sem ser obesos, ora! ;)

Vou sair procurando os ingredientes desses muffins já...

(só tenho que admitir que NÃO CONSEGUI comprar uma mochila genérica, por mais que procurasse - só tem no tamanho grande, e não das pequenas, que eles conseguem puxar. Acabei com uma do Mickey meio vintage, que há de durar uns bons anos).

Victória disse...

É possível que durante alguma fase da adolescência ele te odeie sim, só um pouquinho... rs
Mas como outra pessoa comentou acima, você está fazendo a coisa certa.

Onde encontrar painço? Será que dá para substituir por milho, por exemplo?
Outra coisa que procurei em todo lugar em Curitiba e não encontrei é cevadinha :(

Obrigada por mais uma ótima receita!

Fabiane de Souza disse...

Oi, Ana.
Você já viu este documentário?
(Muito além do peso)

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=TsQDBSfgE6k

Você vai ver que seus filhos vão é te amar mais um dia. E que vale a pena todo esse cuidado e carinho com a alimentação deles.

(é a primeira vez que escrevo aqui, sou uma dessas admiradoras silenciosas)

Um abraço :)

Celina disse...

Provavelmente a maioria já viu o documentário mencionado pela Fabiana e este post é muito pertinente!... Comecei o desmame do meu filho nesta semana e tomei consciência da enoooorme responsabilidade que está nas nossas mãos, de não deixarmos que nossos filhos virem alvo de bullying por levarem uma lancheira saudável ao invés de ums mochila cheia de porcaritos para a escola... Alimentação saudável e hábitos idem vêm, sim senhores, de berço!

Renata disse...

Ana, eu já passeio aqui por algum tempo mas acho que nunca comentei. Dei boas risadas com seu post e acho o máximo as comidinhas que vc faz pro filhote. Se Deus quiser o dia que eu for mãe vou conseguir fazer parecido.
Adorei esse muffin!
beijos

Anônimo disse...

olá! no dia em que minha mãe me deu dinheiro para comprar uma coxinha na cantina do colégio, passei a amá-la mais! sempre levei maçã, pão de queijo caseiro, cenoura, pão com banana... de lanche... depois que experimentei a coxinha, até hoje não gosto... e também nunca me importei pelo meu lanche ser diferente dos outros... minha mãe não deixava a gente cair nessas armadilhas, ela sempre trabalhou muito bem a nossa auto-estima! parabéns pelo seu empenho e por dividir um pouquinho a essa angústia de ser mãe perfeita!
abraços, tatiana

Anônimo disse...

Oi Ana,
Minha mãe também me dava umas coisas assim... Conclusão: amo pão integral, frutas e quase não como doces.... Mas tenho 02 defeitos enormes
AMO MIOJO e cachorro quente!
Gostaria muito que você fizesse uma temporada de LANCHES igual você fez com os pães!
Estou louca para fazer o biscoito de aveia e a barrinha de cereais! Assim enquanto meus pequenos não vêm faço lanchinhos para mim e para o meu amor!
Beijos e muito obrigada
Thatiana Bandeira

Anônimo disse...

Ana,
Minha filha mais velha (5 anos) mudou de escola este ano e passou a levar lanche. Outro dia perguntei o que ela queria levar. A resposta: cenoura crua e pepino :)
Vanessa

Carol Leite disse...

Eu tb acho um absurdo de comida esses cardápios de lanches que encontro por aí. Se eu mandasse 1 fruta, 1 suco, 1 pão, 1 queijo é certeza que eles só iam querer comer no dia seguinte. Fiquei curiosa para saber que potinhos são esses. Eu tb estou na busca da melhor garrafinha pro lanche. A que veio esse ano na lancheira é simplesmente impossível de abrir. Eu lamento muito que a escola dos meus filhos não seja tão preocupada com alimentação. Tem horas que cansa remar contra a maré.

Laura disse...

Oi Ana! Nunca tinha comentado aqui, desde 2007, quando conheci teu blog e me identifiquei mto com teu estilo de cozinhar, não deixei mais de acompanhar. E vc ainda foi responsável pela incursão ao mundo dos bolos - q eu insistia em achar que não tinha jeito pra coisa.

Ri muito do "Killing me Softly", e hoje acabei de ver esse documentário aqui.
http://www.muitoalemdopeso.com.br/ Excelente!

Um abraço e parabéns pela minha xará Madame-Bochechas! Felicidades!

Lais Berriel disse...

HAHAHA
Ana, a Granola Suicida!
Fantástico!

Também odiava minha mãe por me fazer levar bolo de beterraba no lanche coletivo da escolinha, mas tudo bem, isso passa.
Pelo menos tenho o paladar intolerante a besteiras até hoje!

Lais Berriel disse...

HAHAHA
Ana, a Granola Suicida!
Fantástico!

Eu também odiava minha mãe por me fazer levar bolo de beterraba no lanchinho coletivo da escolhinha, mas tudo bem, isso passa!
Pelo menos tenho o paladar intolerante a besteiras até hoje!

Karin disse...

Ana, ele vai te "odiar" de qualquer jeito. Se não for pela comida saudável, será pelo seu cabelo, pelo seu jeans velho, por aquela sandália que você adora, ou porque você canta a música que está tocando no rádio, ou porque você o chama pelos apelidos de criança quando ele já acha que é homem.

Portanto, que te "odeie" estando bem nutrido.

Felizmente, o "ódio" tem data de validade - só dura até o fim da adolescência.

M Luiza disse...

Este muffin é sensacional. Já fiz e aprovei. Agora painço. Conheci através de você numa receita de pão. Compro na Sta. Luzia ou, quando tenho tempo no Liberdade (metade do preço.
Abraços,
Mluiza

Anônimo disse...

Ah Ana, lendo seu post, lembrei de mim mesma há 20 anos atrás, quando meu filho mais velho começou na escola. Desde sempre fui natureba ( e naquele tempo nem era tão comum sê-la ) e quando meus filhos nasceram, a minha "naturebisse" aumentou muuuito e, eu fazia cada coisa para eles comerem que a minha família e amigos, me chamavam de louca mas, passados esses 20 anos, hoje tenho um casal de filhos conscientes quanto ao que eles comem. Bebem suco de couve todas as manhãs e ainda anunciam para os amigos que esse suco é "tudo". Nenhum deles nunca fica doente, graças a Deus,e tudo o que eu digo que é bom pois, faz bem para tal coisa, eles adotam como dieta! Meu filho ainda implica com a namorada porque ela come muito fast food!! Essa é a grande herança que eu vou deixar pra eles: sabem ´diferenciar comida boa de comida ruim. E tenho certeza que vão cuidar dos meus netos da mesma maneira!! Seus filhos não vão te odiar, pode ter certeza!!! Bj

Aline disse...

Gente, aqui em Brasília sinto dificuldade para encontrar itens "exóticos". Quando acho custam os olhos da cara! Agora achei esse site, ainda não experimentei, mas parece bom, alguém conhece?
www.zonacerealista.com.br

Viviane disse...

Ana,
Como você faz com o fermento químico? Já viu que todos eles têm aquele maldito T dos trânsgenicos? Você compra fermento químico orgânico? Existe isso? Obrigada pela ajuda!

Anônimo disse...

É claro que eles vão adorar ter uma mãe que os faz ter a cabeça e o paladar abertos às novidades e coisas gostosas da vida. Uma hora eles vão sim querer a mochila dos Vingadores e também querer provar o biscoito recheado... Mas nessa hora fique tranquila, eles vão sempre voltar pro muffin de painço da mamãe!
É bom que eles possam provar o que todos os amigos comem senão também vira aquela coisa proibida e muito mais desejável.
Meu filho mais velho tem 6 anos e continua sendo muito curioso com as comidas que não conhece e fazendo seus molhos para comer com alcachofras...
Parabéns pelos filhos e pelo blog!
Cristiana Javier

Fabiane de Souza disse...

Só para reforçar, saiu hoje na Época:

Açúcar, Sal e Gordura: as engrenagens da 'junk food'

http://revistaepoca.globo.com//Sociedade/eliane-brum/noticia/2013/03/acucar-sal-e-gordura-engrenagens-da-junk-food.html

Tata disse...

Meu namorado começou a trabalhar num posto de saúde na zona rural. E depois de um mês dirigindo 4h por dia e me deixando desesperada, convenci o moço a dormir pelo menos dois dias da semana por lá.
Pra não deixar o príncipe comendo biscoito recheado à noite (já que no posto só servem o almoço), estava vagando na internet e, busca de opções saudáveis de marmita pra preparar... e... TE ACHEI!!!
Foi tanta identificação que tive que voltar pros primeiros post (lá em 2006) e todo dia lendo um pouquinho.
Obrigada por reforçar a minha vontade de ser verde, obrigada pelas receitas providenciais e obrigada por dividir suas histórias tão humanas!!!

Anônimo disse...

É, seus filhos vão te odiar, com certeza! Eu digo por minha mãe era exatamente assim. Enquanto meus amiguinhos todos tomavam refrigerante todo dia eu tinha que levar suco de polpa, sem açúcar, na minha garrafinha. Enquanto os amiguinhos se enchiam de bolacha, meu lanche era fruta e um sanduíche.

Lá em casa tinha até um cardápio de lanches, porque tínhamos empregada, aí pra ela não colocar qualquer coisa minha mãe fez uns 5 cardápios variados.

Enfim, eu tinha muito ódio do meu lanche ser "saudável" e dos coleguinhas ser "delicioso".

Uma solução que achamos foi que toda sexta eu e meu irmão ganhávamos dinheiro pra lanchar na cantina da escola, e aí a gente não levava lanche de casa. Aí a gente ganhava exatamente o valor de um cachorro quente e um refri. Aí com isso as coisas ficaram mais calmas.

Lá em casa só tinha arroz integral, você precisava ver a minha felicidade ao ir almoçar na casa de amiguinhas ou na casa dos meus avós: tinha arroz branco! Era muito bom quando podia comer arroz branco.

Enfim, eu já tive muito ódio da minha mãe por essas "naturebices", mas hoje, ao lutar contra o peso (óbvio que depois que comecei a ganhar mesada e a cuidar do meu próprio nariz passei a comprar muitos doces e engordei), vejo que ela queria me proteger, me dar alimentos saudáveis e hoje sou grata!

Izabel disse...

haha, adorei! me identifiquei tanto mas o final foi incrivel: cabelos cortados em casa, mochilas genérica e garrafinhas térmicas!! kkk, sou eu mesma!! parabéns pelo blog, maravilhoso!!!

Laura Bicas disse...

Oi Ana,

Primeiro lugar, parabéns mais uma vez pelo blog, com certeza é o meu favorito. Mas, hoje escrevo para perguntar qual marca de painço você compra. Só acho produto destinado ao consumo de animais.
Obrigada, Laura

Unknown disse...

Acabei de comer uma sopa de painço feita por minha filha. Delicioso! Pena q não é fácil de achar, pois é muito nutritivo!
Minhas filhas comem natural desde pequenas e sofreram builling por levar coisas diferentes das demais crianças para o lanche, mas hoje me agradecem. São saudáveis e valorizam a vida c mais qualidade!
Eu tbm não aceitava oferecer, a elas,produtos industrializados. Um gde abraço!

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails