quinta-feira, 7 de março de 2013

Pão de batata da família de molho

Toda família tem uma ou várias histórias sobre o momento fatídico em que todos ficam doentes mais ou menos ao mesmo tempo. Acho que é ritual de passagem, e você talvez só se torne uma família de fato quando todos os seres vivos da sua casa estão expulsando fluidos corporais por orifícios diversos simultaneamente. Todos menos um: a pequena Madame Bochechas, graças a deus, não pegou nada, apesar de ter mantido a expulsão de fluidos corporais como é de costume dos bebês. ;)

Daí que meu remédio para estômagos incomodados sempre foi purê de batata. Às vezes parece que é só isso que desce. Isso e Coca-Cola, mas confesso que não bebia refrigerante há tanto tempo, que mesmo com oito pedras de gelo, não consegui beber meia lata. Sentia-me mastigando um torrão de açúcar. Thomas, que foi o menos afetado, continuou sem saber o que é aquele troço preto da lata vermelha (é coisa de adulto, a gente diz, como pro café e pra cerveja, e ele se afasta rapidinho, balançando o dedinho no ar indicando "não, não").

Mas quando nem o purê era neutro o bastante para o pobre marido, vi-me com uma panela de purê de batata frio, sem destino. E purê de batata requentado do dia anterior não rola. Como não consigo jogar nada fora, no entanto, guardei num potinho na geladeira e, no dia seguinte, já me sentindo melhor, corri a pesquisar o que poderia fazer com o danado.

Pão de batata. Gênio.

Esse pão fica extremamente saboroso e macio além da conta. Você reconhece a batata nele, e o fato de ter usado as cascas faz com que você se lembre remotamente de batata assada. Deliciosa recomepensa depois de dias estressantes.

PÃO RÚSTICO DE BATATA
(do interessante Macrina Bakery and Café Cookbook, de Leslie Mackie)
Tempo de preparo: cerca de 4 horas
Rendimento: 1 pão grande

Ingredientes:
  • 550g batatas (usei 450g de purê que já estava pronto: apenas batatas e sal, amassadas com casca)
  • 1 colh. (sopa) sal (apenas 2 colh. (chá), se estiver usando purê já pronto)
  • 1 1/2 colh. (chá)  fermento biológico seco instantâneo
  • 2 colh. (sopa) azeite de oliva extra-virgem
  • 3 xic. farinha de trigo branca, preferencialmente orgânica

Preparo:
  1. Se não tiver purê dando sopa na geladeira, esfregue e limpe as batatas, corte em pedaços pequenos e cozinhe em água com 1 colh. (chá) de sal até que as batatas estejam macias. Reserve 1/2 xic. da água do cozimento das batatas. Escorra e deixe que esfriem um pouco e sequem por alguns minutos.
  2. Misture a água morna das batatas reservada ao fermento e deixe descansar por 5 minutos. (Se estiver usando o purê da geladeira, misture o fermento à 1/2 xic. de água filtrada, morna). 
  3. Coloque as batatas e o azeite em uma tigela grande e amasse, fazendo um purê, com seu apetrecho de costume. Use as cascas, pois elas dão sabor e textura ao pão.
  4. Junte a água com fermento e misture com uma colher de pau  até que tudo esteja combinado.
  5. Junte a farinha e 2 colh. (chá) de sal e misture bem com a colher. Sove com as mãos por cerca de 10-15 minutos. No início a massa parecerá muito firme, mas ficará mais úmida conforme for trabalhando. Só junte um pouquinho de farinha se a massa estiver tão grudenta que você não consiga manipulá-la com mãos enfarinhadas. Um pouco grudenta está ok. A massa está pronta quando estiver elástica a ponto de você puxar uma parte dela e ela poder ser esticada uns 5cm sem arrebentar.
  6. Coloque a massa numa superfície enfarinhada e forme uma bola. Coloque-a numa tigela untada com óloe, cubra com filme plástico e deixe fermentar por 45 minutos (um pouco mais, se o purê usado estiver muito gelado) até que a massa quase dobre de tamanho.
  7. Devolva a massa a uma superfície enfarinhada e achate-a com as mãos, formando um retângulo. Começando pelo lado mais curto, enrole-a como um rocambole, apertando bem. Pare de rolar quando faltar apenas uma aba estreita. Enfarinhe essa aba e termine de rolar. Isso vai fazer com que essa aba não grude e a massa abra um pouco na hora de assar. Enfarinhe muito bem um pano de prato ou um grande pedaço oy guardanapo de linho (o linho não gruda na massa) e coloque a massa com a aba para baixo. Termine de embrulhar o pão no pano e deixe fermentar em local sem vento por mais 45 minutos.
  8. Coloque a pedra no forno e pré-aqueça a 205ºC durante a fermentação.
  9. Cuidadosamente desembrulhe o pão e role-o para uma assadeira virada ao contrário ou uma pá de pizza muito bem enfarinhada, deixando aquela aba da massa agora para cima. Transfira rapidamente para a pedra quente no forno. Pulverize o forno com água, feche o forno e asse por 5 minutos. Pulverize novamente e asse por mais 40 minutos ou até que esteja dourado e o fundo produza um som oco quando você lhe bater os nós dos dedos. Deixe esfriar numa grade por meia hora antes de consumir.



11 comentários:

Dani disse...

Melhoras pra vcs!
Aqui em casa, o que funciona nessas horas é chá preto e torradas secas... (mas quer um pouco de gripe comunitária?;)

Cynthia Nogueira disse...

Nossa Ana, nem me fale em doenças coletivas. Aqui em casa já tivemos períodos de doença em cascata e já foi muito dificl, imagino todos nessa condição!!!
O meu caçula é mais resistente, com ele é no máximo 2 dias de espirros e febre baixa, já a mais velha é catalisador de vírus!
Amo pão de batata!
Sempre faço em casa, mas em tamanhos pequenos, como pão de hambúrguer, para usar em lanches. Com um paté de salmão, ou mesmo creme de ricota e alguns legumes, fica absolutamente espetacular. Melhoras para toda família!

Anônimo disse...

Oi Ana,
Será que não é fígado e não estômago? Já ouviu falar do llivro "Limpeza do fígado e da vesícula", autor Andreas Moritz?
Fez uma imensa diferença para o marido, duas filhas e para mim!!!!! Além de muitos outros que a fizeram...
Estimo suas melhoras. Abraço e se cuida.
Eli Mariana

Carolina Frîncu disse...

Êee!!! Gente se desmanchando pelso orifícios é uma beleza! A maior prova de que a família é família! Passamos pela mesma coisa quando a Clara era menorzinha e só ela ficou ilesa (um viva aos peitos fartos!!).
A-do-ro pão de batatas. Foi o primeiro que aprendi a fazer na vida, uma receita da minha avó, que rende 4 pães gigantes e que eu insistia em fazer inteira, prá pegar o jeito. Essa sua tá na lista, mas não para agora. Tenho que terminar de usar tudo oq ue há em casa antes de viajar e as farinhas brancas já se foram. Centeio, aveia e integral estão dando o último suspiro.
Melhoras! Bjão.

CRISTIANE LARA disse...

Bom dia Ana ! Espero que estejam melhores ! Amo batata e pão de batata então, nem me fale ! rss Adoro ! Receita anotadíssima para fazer. Abraços p/vocês.

Letícia disse...

:) lindo pão!

meu remédio pra estômago afetado (ou dor de cabeça) é mingau de aveia sem açúcar e com extrato de baunilha de verdade! acho totalmente confort food e sempre me faz bem! :)

Anônimo disse...

Olá!
Acompanho teu blog há um certo tempo, e gosto muito da tua visão sobre as coisas (orgânicos, alimentos menos processados, alimentação dos filhos...). Gosto particularmente da tua descrição da relação que teu filho tem com os alimentos, pois sei que é muito difícil a diversificação alimentar nessa idade (embora quem crie esse hábito com certeza são os pais). Tenho uma irmã pequena (que mora com a mãe dela) e só come batata frita, bife (não pode ser com molho, tem que ser bife mesmo), massa com queijo e 'pastel de vento'. Sou nutricionista e curso biologia, então tu já pode imaginar como isso me doi. De qualquer forma, é engraçado ver que, quando estou com ela, tento fazer algum alimento diferente e ela realmente prova. O problema certamente ta na continuidade dessa experiência. Enfim, parabéns pelo blog, e continue compartilhando esses conhecimentos =)

Marília disse...

Esqueci de colocar meu nome no comentário anterior (sobre alimentação), sou a Marília, prazer =P

Edna H. Bergan Born disse...

Oi Ana
Dá uma olhadinha no meu blog http://ehbb.blogspot.com.br/ ...deixei lá para vc um presentinho: um selo.
Fique bem a vontade para aceitá-lo ou não. O presente é por conta que admiro muito o seu trabalho e suas postagens! Beijos, Edna.

Tati lima disse...

ola ana, todos bem agora?, espero q sim! Ana esse reaproveitamento me lembrou um pao feito pela minha vo. So q aou inves do pure ela usava resto de angu ou polenta como se diz em SP, um pouco de erva doce e acredito q acucar tb.. Infelizmente ela se foi e nao me deixou a receita. acho q vou tentar com essa...o q vc acha?
Abraco e melhoras

Juliana disse...

Acompanho seu blog ha muito tempo, e hoje fiz essa receita de pão de batata, mas para aproveitar a época, substituí por batata doce que estava sobrando em casa. Recheei com queijo gruyére temperado com azeite, salvia, alecrim e tomilho. Ficou divino!
Obrigada por compartilhar conosco!

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails