quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Torta de milho e tomate e o segundo filho é mais fácil

O segundo filho é sim mais fácil. Tanto que jamais pensei que estaria postando uma receita de torta tão rápido após o nascimento de Madame Bochechas. Parecia-me que seria mais fácil simplesmente por você já saber o que fazer, mas ao mesmo tempo isso me soava estranho, uma vez que crianças são diferentes e nem tudo o que funcionou com o primeiro funciona com o segundo, de modo que você vive um dia desafiador e misterioso depois do outro de qualquer forma.

A verdade é que o desafio é mesmo cuidar de uma criança de 1 ano e 10 meses. Eles correm alucinadamente, fazem bagunça, birra, gritam, riem, brincam, choram, querem ver o que você está fazendo, querem participar, querem eventualmente fazer também o que você está fazendo, e exigem muito mais força física, disposição e disponibilidade de tempo e paciência do que um recém-nascido. Ainda na maternidade ficava olhando para a pequena, completamente embasbacada com o fato de que bastaria dar de mamar e trocar fralda, que o resto do tempo ela estaria dormindo.

"É isso mesmo?", perguntei ao meu marido, desconfiada. "Parece tão simples..."

É engraçado como essa simplicidade pareceu o fim do mundo quando foi a vez do Thomas. Comparativamente, também, olho para o pimpolho e vejo já um adolescente. Tão grandes suas mãos, seus pés, tão comprido ao vê-lo dormindo em sua cama, tão incrivelmente pesado ao pegá-lo no colo, depois de 3 dias de hospital apenas apanhando meus quase 4kg de bochechas de nenê. Quanto Thomas está pesando? 13kg? 15kg? Parecem 50kg, depois de ficar com Laura no colo por meia hora, tão levinha.

Mas por enquanto as coisas estão razoavelmente tranquilas, e meu único problema é mesmo o sono. Pois, como já comentei por aqui, posso ficar sem comida numa boa (por incrível que pareça), mas privação de sono me torna a pessoa mais explosiva e ranzinza da face da Terra. Quando colocada para dormir, Laura embarca um sono longo e profundo. Mas justamente na mamada da noite, ela parece querer fazer pirraça: mama um peito, adormece; coloca para arrotar, acorda, mama o segundo peito, arrota e faz cocô; você troca a fralda, e ela faz xixi no trocador e molha a roupinha; você limpa, troca, e nisso ela já está completamente desperta – sem chorar, apenas acordadíssima – e no que você tenta colocá-la para dormir, ela se recusa – quer mamar de novo; você dá de mamar, ela adormece no seu colo; assim que coloca no berço, você ouve o distinto som de ela sujando as fraldas de novo. ¬_¬

O processo de colocá-la para dormir à noite tem durado cerca de duas horas e meia. Quando ela não resolve fazer esse circo todo de madrugada também. E o pimpolho número 1 continua acordando às 6 horas da manhã.

Benzadeus que durante o dia as coisas mais ou menos se acalmam, mas ainda não consegui a tão sonhada intersecção de sonecas dos dois filhos para que eu também possa dormir de dia. Logo, mato meu tempo de soneca de nenê e desenho animado de criança escrevendo post de torta de milho e tomate. Para não surtar de sono.

Essa torta é ainda mais fácil que o segundo filho, tem gostinho de verão, e tem sido ótimo fazer esse tipo de prato com a ajuda do filhote, que fica extasiado de ligar o processador para misturar a massa, juntar os pedacinhos com as mãos e abrir com rolo. Fica experimentando da massinha crua e ajudando a polvilhar farinha sobre a bancada, e nisso mamãe consegue preparar o jantar sem precisar colocar mais um dvd pro rapaz assistir. De quebra, participando do processo todo, de abrir a massa a colocar e tirar a torta do forno, ele consegue entender exatamente o que é aquela comida colocada em seu pratinho, e já vi que o interesse dele pela refeição aumenta exponencialmente.

TORTA DE MILHO E TOMATE
(adaptada da falecida revista Gourmet)
Rendimento: 8 fatias

Ingredientes:
(massa)
  • 240g farinha de trigo
  • 160g manteiga sem sal, gelada
  • 80g água gelada
  • 1/2 colh. (chá) sal
  • pimenta-do-reino moída na hora
(recheio)
  • 1 1/2 xic. grãos de milho verde (de 3 espigas)
  • 2-3 tomates para salada, não muito maduros
  • 1/3 xic. maionese, preferencialmente caseira
  • 2 colh. (sopa) suco de limão tahiti ou siciliano
  • 1/4 xic. de folhas de manjericão fresco
  • alguns talos de cebolinha, picados
  • 1 3/4 xic. queijo ralado de sua preferência (já usei até fatias de queijo prato, com sucesso)
  • sal
  • pimenta-do-reino moída na hora

Preparo:
  1. Prepare a massa à mão ou no processador, como pâte brisée, embrulhe em filme plástico e leve à geladeria por pelo menos meia hora.
  2. Abra metade da massa com o rolo e forre o fundo e as laterais de uma forma de torta de 22cm, deixando uma sobra de massa para fora. 
  3. Fatie os tomates e disponha metade das fatias no fundo da forma. Polvilhe com metade dos grãos de milho e metade das folhas de manjericão e da cebolinha. Tempere com sal e pimenta. Repita as camadas.
  4. Cubra com metade do queijo. Misture o suco de limão à maionese e espalhe o creme sobre o queijo. Cubra com o restante do queijo. 
  5. Abra a outra metade da massa e cubra a forma. Pince as duas partes da massa para que grudem e dobre para baixo. Finalize pinçando decorativamente com os dedos ou pressionando com os dentes de um garfo. Faça 4 cortes pequenos na superfície da torta, para liberar o vapor.
  6. Leve ao forno pré-aquecido a 205ºC por 30-35 minutos, ou até que a torta esteja dourada e sequinha.

28 comentários:

Mary disse...

Eu realmente não esperava um outro post tão rápido, fico feliz de você estar dando conta dos dois (mesmo com o sono atrasado, hehehe).
Uma dúvida: A torta não fica "enxarcada" com os tomates bem no fundo?

Roberta disse...

Que a Laura tenha sempre muita saúde, sorte e paz!
Também tenho 2 filhos com uma diferença de idade parecida com a dos seus: Felipe tem 3 anos e 2 meses e Isabel tem 1 ano e 9 meses. No início foi bastante cansativo, nem tanto pela pequena (que sempre dormiu muito bem), mas mais por ele (que até hoje dorme pouco e mal!). Por mais que a gente desse muito carinho e brincasse bastante com o Felipe, ele voltou passou a fazer coisas que não fazia mais só para chamar atenção. Com o tempo isso passou e agora eles já brincam juntos, apesar de volta e meia um deles sair do quarto reclamando do outro, como é normal entre irmãos. :)
Te admiro muito, principalmente pela generosidade de dividir tanto com a gente e pela coragem de se mostrar humana, quando tantos fazem questão de passarem por super heróis e heroínas.
Tudo de bom para você e sua família linda! Aliás, você ficou linda até o fim da gravidez! :)
Beijos,
Roberta

Fê Dayrell disse...

Que bom que as coisas estão se ajeitando e o segundo esta sendo mais fácil que o primeiro, como dizem por aqui: é fácil qdo se sabe.
A torta ficou muito apetitosa.
bjo

Nine disse...

Oi, Ana! Faz tempinho que leio seu blog! Você me inspirou deveras a cozinhar e transformar o ato de fazer uma refeição algo legal, e não um enfado. Gosto muito que suas receitas vem sempre com esse algo mais, uma historinha da vida real. Eu, além de me identificar e me inspirar com seu lado cozinheira, me identifico tb com sua maternidade. Vc está me fazendo relembrar o ano passado, fevereiro, quando meu caçula nasceu (minha mais velha tem 3 anos). Tb fiquei pasma! A Ísis da noite para o dia deixou de ser minha bebê para ser uma menininha crescida aos meus olhos, só que não! Eu a via diferente, mas ela era a mesma! E meu caçula, nossa, como eu pude ter achado difícil cuidar da ísis nessa fase? Tão mais fácil um BB, rsrsrs. Enfim, adorei a receita. Este ano vou começar minhas andanças pelos pães e biscoitos e tem vários seus selecionados! Beijos!

MARCIA REGINA FRANCO DE BARROS Barros disse...

Oi Ana, primeira vez que escrevo...adoro seu blog, estou sempre visitando....amo seus textos...viajo com suas estórias...e dessa vez foi um flash back, uma fotografia do que eu vivi com meus dois filhotes, hoje com 27 e 29 aninhos. Ainda são os bebês da mamãe, como todos os filhos são e isso você vai ter que viver para sentir. Essa é a melhor parte! Quando meu filho mais novo nasceu, a nº 1 tinha seus 18 meses e começou a usar todo tipo de artimanha para chamar minha atenção, inclusive misturar com suas lindas mãozinhas queijo ralado com farinha de trigo e espalhar no carpete, enquanto eu amamentava o irmãozinho...mas, e as noites!! Ahhh..dormir? Que luxo!! Meu pimpolho, como sua Maria Bochechas, dormia de dia e quando a noite chegava, era um tal de mamar, trocar fralda, brincar, mamar de novo, trocar fralda outra vez, observar o mundo girar, mamar de novo....e a coisa se estendia noite a dentro...eu lembro que adorava as noites de sexta e sábado, pelo menos tinha alguma programação na TV para não me sentir tão estranha...acordada durante toda noite, curtindo a nova rotina, com o novo bebê, com a mesma necessidade de sono de sempre...e depois, quando o dia chega, com toda sua gama de atividades? Lá estamos, nós, guerreiras, mães tempo integral, esposas dedicadas, mulheres de Atenas....Obrigada por me lembrar desta conquista, deste tempo que parece estar a mil anos da minha vida de hoje e que me fez pensar em como estamos tão próximos de pessoas que nem conhecemos, com vivências tão iguais. Um grande abraço, curta muito estes momentos, serão seus por toda vida e farão dela uma etapa matavilhosa!

Carolina Frîncu disse...

Ana, que coisa boa!!
Marido e eu tivemos a mesma sensação com a filhota. De repente era tudo tão, mas tão fácil (fora o sono) que nem dava prá acreditar que tinha um RN em casa. Silenciosa, fácil de ser cuidada, peito cheio, sonos longos... E ela continua assim, no auge de seu primeiro ano recém completado. Levi, ah... fogo era ter pique para acompanhar toda a energia dele! Agora, que as coisas entraram nos eixos, estamos perto de colocar o terceiro na fôrma. Como diria um amigo meu, os dois primeiros filhos são como um avião de guerra rompendo a barreira do som. Muito barulho, susto, mudança. Mas os outros são como o voo depois disso - tranquilo e contínuo. Hahahaha, tô pagando prá ver! Bjão e Deus abençoe vcs 4!

Leila disse...

oi Ana!
essa fase em que o Thomas está eu chamei de fase do bebê-polvo, parece que eles têm dez mãozinhas espalhadas para todas as direções, loucas para tocar nas coisas perigosas. além disso, o meu filho também fazia birras horríveis e eu chorava pensando que não queria mais ter filhos.
o meu bebê saiu da fase polvo com dois anos e três meses, agora ele é um lorde, obedece direitinho, um amor! tenha fé que o Thomas vai ficar bem mais fácil de lidar, logo logo.
beijos
beijos

Livia Luzete disse...

Que surpresa boa!!!! Você já aqui e com essa tora linda feita a quatro mãos!!!
Ownnn Thomas fofo,super participante.
É, é isso mesmo, RN praticamente só mamam e dormem. E escolhem as horas diferentes para ficarem de olhinhos arregalados!!!
Beijocas!

Mafalda disse...

Pois também achei o segundo bem mais fácil.....
Essa torta tem um aspecto óptimo, tenho que tentar fazer..
Um beijinho e felicidades partos pequenotes
Bjs

lili disse...

Repete comigo:vai passar...vai passar...

Anônimo disse...

lili, esse é o mantra da mãe moderna!
Repete com a gente Ana: vai passar,vai passar,vai passar...
bjs
Dadi

Anne disse...

Parabéns família!!!
Eu senti exatamente a mesma coisa, o segundo é moleza! Tão fácil, que nem percebi e acordei um dia e ele não era mais um bebê... agora anda, fala, esperneia, come, corre pela casa toda. Aí o negócio engrossou. Os dias tem sido loucos!!
Quando Tom nasceu Quim tb mamava. Eu ficava doida de ver aquele cabeção enorme em um peito e um pitico no outro, era uma sensação estranha e engraçada.
Depois de um tempo, alguém me disse: mas nõa se esqueça de que ele não é grande. Tb é um bebê... foi um bom conselho. Se bem que... ninguém é bebê calçando 26 né?
Um beijo vou me aventurar pelo mundo das massas. Eu falo que cozinhomas o que eu sei mesmo fazer é assar legumes de formas variadas.
Ah PS: fiquei mó feliz de ver a Nine comentando aqui. Ela é minha amiga de blog!!

Julie Sabag disse...

Ana bom dia, acompanho seu blog desde 2008 e A-D-O-R-O! Sou fã mesmo.


Quero te dar parabéns pelos pimpolhos e por vc ser uma felizarda assim como eu por poder ser a responsável por uma outra relação de amor, a de irmãos. Eu tenho um menino de 8 anos e uma de 1 ano e 7 meses, idêntica ao seu matador de dragões, são duas pessoinhas que por nossa causa passam a conviver e ver esse amor nascer é tão emocionante quanto o nascimento de cada um. Os meus dois tem uma relação tão bacana que me emociona. Até aonde eu puder vou fazer de tudo para que essa relação seja sempre de bem-querer, ajuda e troca. Pois meu pai sempre diz que não existe amigo melhor do que um irmão.

Sobre troca de figurinhas de maternidade me vi no seu texto. Na maternidade nós vamos seguindo nossos instintos, o que nossos pais ensinaram, o que gostamos replicamos o que não, fazemos diferente. Em algumas conversas de mães que participo, procuro dar minha opinião ouvir como outras fazem, algumas ignoro completamente e com outras aprendo um pouco. Mas nunca tento ter razão, até pq meus filhos são muito pequenos e nessa área nosso telhado é de vidro sempre. Pois o comportamento exemplar de hoje pode vir acompanhado de uma travessura monstro no dia seguinte. Não que as crianças sejam bipolar,rs, mas eles vão errando e aprendendo. Lógico que é sempre melhor pelo amor que pela dor.

Mas nessa história de filho, ninguém tem razão, é mais ou menos como um experimento, o preparo de uma massa, a gente vai fazendo observando, mudando. Mas ter razão ou querer saber o resultado? Só quando estiver pronto, sair do forno e for para a vida. Aí sim vamos saber se deu acertamos ou não.

Beijos e seja feliz.

Ju e Júlio disse...

Ana, quando o adolescente for para escola vai melhorar, inclusive o sono dele, vai gastar mais energia. Eu ainda não animei para o segundo. felicidade para a família

Angel disse...

Oi Ana, sempre acompanho seu blog e ADORO a maneira como você escreve. Queria que você me dissesse como está conciliando os dois filhos com o Nhoque seu cachorro, pois aqui em casa tá uma loucura tenho um Golden Retriever de 8 anos e um baby de uma ano e 3 meses e nao estou conseguindo metade da faxina prática que voce realizou mas nem penso em me separar do meu au-au. beijos obrigada ANgélica.

Patricia Lorne disse...

Olá Ana.Acompanho seu post e "roubo" suas receitas já um bom tempo,mas nunca senti vontade de escrever...Hoje foi diferente.Me deu saudade de meu bebê.Não que aos 16 anos ele ainda não seja meu bebê!Saudades do tempo que eu o chamava de meu bebê,agarrava,beijava,beliscava,e ele ria.Agora eu que sou pegada no colo,agarrada,beijada e beliscada pelo meu bebê de fala grossa e 1,75 de altura (eu tenho 1,64).Mas a cumplicidade continua...Só que crescem muito rápido...E dá uma saudade...
Obrigada pelo lindo texto.Saúde para todos vocês.

Amando Cozinhar disse...

Lindo seu texto sobre sua nova filha. Sou nova por aqui e não acompanhei sua história do início, mas me lembrei muito da minha mãe nos contando sobre a nossa criação (minha e da minha irmã). Para ela foi ao contrário, com a segunda filha, foi muito diferente, ela teve vários problemas :/
Mas enfim, as coisas vão se ajeitando.

E ah... a torta parece suculenta.

Beijos. :)

Angel disse...

OK Ana, sua resposta para mim já está no post madame bochechas e em outros mais! Obrigada pelo seu blog que eu adoro ha tanto tempo desde que voce só tinha o NHoque....beijos

MINHA VIDA DE CAMPO disse...

Estou encantada com tantas delicias em um só lugar. Parabéns suas receitas são divinas. Essa torta de milho está maravilhosa. Adorei seu cantinho cheio de preciosas sugestões.
Tenha um ótimo dia.

Caroline disse...

Hola,
Felicidades!
Acompanho o seu blog e ontem pensava se vc já tinha tido a pequena ou não.
Bem, temos dois filhos com mais ou menos a mesma diferença. Tenho Olivia de 1 ano e oito meses e Federico de quase 2 meses. minha solução foi: comprar um carrinho de gêmeos. Pq é impossível sair na rua com os 3! Tenho outro figura de 4 anos e meio.
Acho que é a melhor coisa a fazer para ter certa liberdade na rua... pelo menos ir pegar alguma coisa no verdureiro e voltar!

Mta paciencia e leite!
Caroline, mãe de 3!

Luciana disse...

Muitas, mas muitas felicidades mesmo! Muita saúde pros seus pimpolhos e para os pais! Curta muito que a gente curte daqui. Um forte abraço de parabéns pela pimpolha!

Unknown disse...

Parabéns e que vc possa apreciar ter 2 lindos filhos. Que sua pequena Laura tenha sempre saúde e vcs possam ser muito felizes. Meu filho tem 11 meses e outros tem 10 e 13 anos, é como se tudo fosse diferente e ainda me perco ao ve-lo sorrir quando acorda de madrugada. REalmente a parte de recuperar o sono essa tarefa é dificil, ainda não consegui, mas as coisas estão se ajeitando e agora que quero cozinhar e oferecer uma alimentação mais saudável visito sempre seu blog e amo a delicadeza com que descreve seus acontecimentos e suas receitas. Parabéns...

Celina disse...

Junto-me ao coro da Lili e da Dadi: Vai passar... vai passar... Pena que passa tão rápido!...

Patricia Scarpin disse...

Que cara delícia tem essa torta, Ana - água na boca aqui! Adorei a idéia de recheio simples, assim.

Anônimo disse...

Oi Ana,
Nunca comentei no seu blog, apesar de visita-lo algumas vezes. Parabéns pelas receitas e também pela forma como escreve, gostosa de ler.
Sou mae de primeira viagem, estou aprendendo a cuidar da minha princesa, mas lendo seu relato resolvi deixar uma dica pra vc, espero que seja util...
Para evitar longas horas de balanço e choro na mamada da noite, eu evito coloca-la para arrotar, e so dou um peito. Ela mama no peito que estiver mais cheio - eu verifico que nao esta engolindo muito ar - ela adormece e vai direto pro moisés, pra mais 3h de sono... Nunca aconteceu dela vomitar à noite. Vale ressaltar que ela raramente arrotava mesmo depois de 15 minutos tentando, por isso achei seguro fazer isto.
Em relaçao à fralda, confesso que quando estou com muuuito sono e ela faz coco logo depois de mamar, ja dormindo, deixo pra trocar na proxima mamada... me sinto meio mal de deixa-la com coco por este tempinho, mas às vezes a canseira e maior... Ah, detalhe: ela nunca teve assaduras.
Espero ter ajudado com estas dicas, escreva nos contando. :)
beijos
Carol

Anônimo disse...

Parabéns pela filha e pela família que você formou!
Passei para agradecer a receita, fiz pela primeira vez uma torta e ficou maravilhosa,fiquei muito feliz!!
Obrigada,
Bjus
andreza

Anônimo disse...

Ana, so consegui escrever agora pois tambem tenho dois filhos e raramento dormem no mesmo periodo. Te desejo forca, paciencia e calma, tudo passa! E a receita vou testar essa semana. Eh bom saber q vc nao eh a unica cansada do mundo, Bjs, Janaina

Anônimo disse...

Ficou muito boa.
Fiz com meu garoto de doze anos, ele quer ser chef =)

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails