quarta-feira, 10 de agosto de 2011

7grãos com pesto e verduras e meu fornecedor de orgânicos

Foi na semana em que Thomas nasceu que mudei muita coisa a respeito da minha cozinha e minha forma de comprar comida. Primeiro, porque imediatamente após a primeira mamada do bebê, dei-me conta de que tudo o que pusesse na boca viraria o corpo do meu filho. Segundo, porque a mudança em minha rotina me forçou a buscar soluções mais práticas, que não me tirassem de casa o tempo todo. E terceiro, porque só pensar nas fraldas descartáveis que ele usaria já me fazia tremer e querer compensar a natureza de alguma forma: trazer menos embalagens para casa e gerar menos lix, por exemplo.

Foi no blog Fogão Azul que encontrei a indicação para o website do Fernando, antes Cesta Orgânica, e agora renomeado Alimento Sustentável, que faz a distribuição de produtos de pequenos produtores de orgânicos, pescadores que trabalham com espécies sustentáveis e pesca não-predatória e produtores de queijos artesanais, como o queijo Serrano e o Canastra. Receber pela primeira vez aquela cesta de vime cheia de frutas e verduras soltas me deixou emocionada: finalmente aquilo me parecia coerente. Na semana seguinte, quando mais uma cesta foi entregue, a primeira foi devolvida, junto com o saquinho de pano onde vieram os cogumelos e a caixa onde vieram os ovos, para que tudo fosse reutilizado.

Ao longo desses meses, todas as minhas frutas e verduras têm vindo dele. Peço sempre uma grande quantidade de produtos, o que me força a preparar uma boa variedade nas refeições e a economizar as viagens ao mercado, onde acabo comprando apenas alguns poucos itens de mercearia e confeitaria que ainda não constam de sua lista.

O fato de ser tudo muito fresco ajuda um bocado (quase tudo é produzido em até 150km de São Paulo, e colhido praticamente no dia anterior à entrega). As verduras, depois de lavadas, secas e acondicionadas em potes fechados na minha geladeira, chegam a durar duas semanas ou mais, e as frutas têm vindo especialmente saborosas. Fazia anos que não comia kiwis tão doces. Aliás, escrevi esses dias um email ao Fernando, perguntando sobre a espécie de maçã que vinha na cesta (Gala, por sinal, pequenas, mas muito doces), e lhe contando algo bizarro que me acontecera: durante a semana em que ele não entregou os produtos, reorganizando o novo site, acabei comprando maçãs comuns no supermercado. Maçãs enormes, lindíssimas, Oregon, muito vermelhas, e Granny Smith, verdinhas. Foi fatiar a maçã Oregon para ter uma estranha surpresa: o movimento da faca estava manchando de vermelho a carne clara da fruta. Pensei que tivesse cortado o dedo. Olhei novamente e fiquei em choque: a casca vermelha era puro corante. Também a maçã verde, quando cortada, revelou-se tão verde-radioativa no interior quanto no exterior, como se lhe tivessem injetado aquela cor. "Isso não é normal", pensei. De volta às maçãs orgânicas, para sempre. :)

Desde então tenho me comprometido a consumir a maior quantidade possível de orgânicos em detrimento dos produtos "comuns", uma vez apresentada a devida qualidade. Até minha nêmesis aqui em casa, os "flocos de milho açucarados" daquele tigre maldito foram enfim abolidos, substituídos por sua excelente versão orgânica. O marido aprovou de boca cheia e o tigre não entra mais aqui.

Ironicamente, desde que comecei a comprar mais orgânicos, tenho gasto menos em supermercado. Justamente por limitar minha escolha de ingredientes ao que há disponível, muita compra por impulso foi impedida nesse processo. E, de quebra, sinto que, podendo fazer isso, estou, como diz Michael Pollan, "votando três vezes ao dia", estimulando a produção de algo em que acredito, na esperança de que um dia um tomate orgânico seja um tomate comum e não precise mais de predicado.

Esse almoço supimpa foi feito com as verduras da cesta e arroz 7 grãos orgânico. Aliás, a única coisa não-orgânica aqui era o extrato de tomate italiano (justo quem, mas fazer o quê? eu disse que estou tentando, e não que consegui). Tudo delicioso, adaptado novamente do livro Nature, de Alain Ducasse. Thomas olhava maravilhado para o prato colorido e esticava os bracinhos, tentando alcançar meu garfo. Não resisti. Mergulhei meu dedinho no arroz para lambuzá-lo bem e levei-o à boca do pequeno. Ele cheirou, esticou a linguinha para fora e experimentou. Primeiro o choque. Sabor novo. O que é isso? Então se refestelou, puxando meu dedo inteiro para dentro. Bom saber que gostou, filhão; isso um dia vai virar papinha para você. ;)

Para preparar o arroz, refogue meia cebola picada em um pouco de azeite. Junte 1/2 xícara de arroz 7 grãos, mexa um pouco, tempere com sal e acrescente 1 1/2xic. de água quente (ou a proporção de água indicada no pacote). Deixe ferver, tampe e cozinhe por 15 minutos. Destampe, junte 1 colh. (sopa) extrato de tomate, tampe novamente e continue cozinhando por mais 15 minutos, até que o arroz esteja cozido. Enquanto isso, corte 1 cenoura, 4-6 rabanetes e meio bulbo pequeno de funcho em fatias o mais finas possível. Reserve. Num pilão, ou num processador, triture um punhado de coentro, um de manjericão e dois punhados de salsinha acompanhados de 1 dente de alho pequeno, 1 colher (sopa) de amendoins crus (ou pinoli, ou castanha de caju, ou castanha do Pará...), 1 colh. (sopa) azeite e 3 colh. (sopa) de leite. Tempere com sal e pimenta. Na hora de servir, misture o arroz pronto e quente aos legumes fatiados e tempere com o pesto de ervas.

Para quem mora na área de entrega do Alimento Sustentável, recomendo muitíssimo: www.alimentosustentavel.com.br

Para quem acha que eu recebi alguma coisa por esse post, saiba que não: eu é que entrei em contato com o Fernando perguntando se poderia escrever a respeito e recomendá-lo. É justamente por não fazer propaganda por aqui que eu espero que vocês levem a sério minhas recomendações. :)




28 comentários:

Laís Fraga disse...

Nada melhor que te ler, pra ver que estou tomando as decisões corretas aqui em casa.

Menos carnes, mais vegetais, orgânicos de preferência. Ainda tenho um longo caminho pela frente até me tornar, realmente, uma consumidora de orgânicos, apenas. Mas um passo de cada vez, sei que chego lá!
Inclusive acho a idéia das cestas ótimas, mas ainda estou preferindo me aventurar em feiras orgânicas (gosto de ir, muito). Pra quem não tem tempo, realmente as cestas são as melhores opções!!

Você já pensou em usar fraldas de pano?? Atualmente elas estão muito boas. Tenho uma amiga que as usa em seu filho, segundo ela, dá mais trabalho, mas compensa.

Beijos!

Mari Mari disse...

Fraldas de pano. São muito mais amigáveis do que te parece. TEm muito mais tecnologia do que as de 30 anos atrás, são lindas, lavaveis na maquina, fantastico. Eu não sou nada natureba, como carne, nao compro organicos e faço muito pouco pela reciclagem, mas entrei de cara nessa de fralda de pano e fico desesperada quando preciso usar dxclusivamente as descartaveis. Aproveite que seu bebê é pequeno e comece logo, e mais fácil do que comecar tardiamente (eu comecei nos meus com 9 meses e mais de 2 anos, respectivamente). Recomendo uma empresa de SP, chamada Morada da Floresta (www.moradadafloresta.com.br). As fraldas são otimas, preços bons, o site tem bastante informaçao de maneira concisa, tem vídeos, e o pessoal de lá tá sempre disposto a ajudar. Se voce mora em SP, pode até visitar as instalacoes deles pra aprender, pra conhecer as fraldas. Além disso, a Morada tem a preocupacao de ajudar o comércio nacional, não trabalh com material importado, é muito legal. Dá uma passadinha no site, vale a pena.

Aliás, suas comidas são encantadoras!

Sílvia disse...

Muito fofo o post. Resolvi comentar para te dar as dicas das fraldas reutilizáveis, tem um monte de fóruns na internet sobre elas. Estou grávida de 5 meses e vou comprar um kit pequeno para testar no meu pequeno. Parece que elas são lavadas na máquina mesmo e não devem ser passadas, não parece ser tão trabalhoso assim. Só não posso te falar com propriedade porque não usei ainda. Mas para quem está acostumada a fazer um tanto de coisas que nem vc, deve ser fichinha... http://www.fraldasdipano.com.br
Bjs

Ana E.G. Granziera disse...

Laís, MariMari e Silvia,

Eita, se eu tivesse visto isso, teria ido atrás sim. Eu tinha buscado fraldas de pano como as das nossas mães, e tinha concluído que não daria conta... Estas parecem bem mais práticas. Como ganhamos todas as fraldas até agora, vou ver se vou atrás quando as que estão aqui acabarem. Muito obrigada pela dica!

bjs

Livia Luzete disse...

AAahhh...um dia terei mais orgânicos a minha volta e dinheiro também...(suspiros). Aiii O pequeno guerreiro não rejeitou a primeira sensação nova no paladar?? Que tuudo! É tão encantador as descobertas dos bebês! Tanta mãe estraga os filhos pq "deduz" que a criança nao vai gostar disso ou daquilo(leia-se: vegetais), engraçado ,mas não titubeiam em tascar refrigerante na boca dos pequenos. Eita mundo torto.

Eu tb sou adepta de fralda de pano. Quando eu tive o meu promogênito ganhamos muitas mas muitas fraldas descartáveis, ele estava com 1 ano e ainda doamos muiiitas. Eu trabalhava, não tinha máquina de lavar, o bebe ficava na casa da babá e era eu quem dava conta de casa, cozinha(sempre adorei) e fraldas! Estou aqui usando as duas mãos e todos os 10 dedos para digitar!

Ana E.G. Granziera disse...

Livia,
com eu não tenho nem babá nem empregada e ainda voltei a trabalhar (e o pimpolho se recusa a dormir de dia), precusei fazer algumas concessões. Tive de apelar pra fralda descartável (porque não sabia que as de pano de hoje eram assim) pra conseguir fazer todo o resto sozinha com o menino dependurado no sling ou no braço. Não dá pra ser perfeita. :(

bjs

Luciana Betenson disse...

A Maria Re do Fogão Azul é uma querida :-) Adorei a cesta!! Aqui em Ribeirão Preto tenho que ir a 3 lugares, fora o sítio que entrega em casa. Fácil não ser orgânica rsrs... Beijinho pra você e pro Thomas!

Mônica disse...

Maternidade e orgânicos! Estou me sentindo num bate-papo informal entre amigas, tomando um chazinho enquanto cada uma expõe seus anseios e conselhos de mães! Que delícia!! Tenho uma filha de 1 ano e 7 meses e o meu "problema"(bem entre aspas mesmo) é justamente o contrário da maioria das mães: pela Sophia, ela só comeria frutas e vegetais!! O que me orgulha como mãe-nutricionista!! Quanto aos orgânicos, nada melhor, ainda mais pras nossas crianças...dou graças de ter me mudado para um sítio (no início, por única alternativa) e ter caído de cabeça no cultivo de uma horta, obviamente sem nada de químicos. Não tem nada melhor do que ver as folhinhas de alface, couve, brócolis, rúcula, antes "bebezinhas" irem parar no nosso prato...é emocionante! Só perde pra imagem da sua filha sentada na beira do canteiro, arrancando a folha do alface e comendo feliz da vida. Quanto às fraldas de pano, adoraria tê-las conhecido antes, chega dar pena o tanto de descartáveis que jogamos no lixo por dia...Boa sorte a todas nós, mulheres, mães e batalhadoras conscientes!!

Laís Fraga disse...

Ana, a minha amiga também ganhou muitas fraldas descartáveis, ela fez assim: Fraldas de pano durante o dia, descartáveis a noite (segundo ela, é mais prático quando você acorda no meio da noite pra trocar) e sempre que saia. Fez isso até acabar o estoque (algumas foram doadas, quando o baby foi crescendo).
Eu acho legal pq, além de tudo, fica mais confortável pro bebê. Pelo menos, eu imagino... imagina como é usar uma calcinha descartável????? No, thanks! rs!

Kellen disse...

Ana, sua dica caiu com uma luva! Minha bebê deve nascer no começo de setembro, e antes de vir para o computador (e ler seu post) pensei: preciso de uma estratégia com os orgânicos agora que terei menos tempo para as compras. Chego aqui e, bingo :-) Já me cadastrei no site!
Super obrigada pela dica.
Beijos

Marcia H disse...

Ana,
no you tube está o docu O veneno está na mesa - horripilante.

Eu consumo organicos desde cedo, tive minha primeira horta, totalmente organica aos 12 anos, hoje eu uso a cesta e o super organico q tem ao lado do trabalho.

Pontos para ti

beijos

Paulo RT disse...

Já me registrei no Alimento Sustentável.
Obrigado por compartilhar essa dica tão preciosa.
Eu sem querer, descobri que reconheço o sabor do agrotóxico e depois de descobrir, reconheço fácil. Sou capaz de identificar esse sabor melhor que muito ingrediente, para minha infelicidade.
Esse ciclo eterno de agrotóxico -> debilidade da terra que faz o alimento ser mais fraco e depender de agrotóxico -> mais agrotóxico só será interrompido se houver mercado para isso. Depende de nós.
Um dia, como você disse e espero, não precisará de predicados, será apenas alimento e, quem sabe, mais barato, pois não precisaremos pagar por toda essa química, já que uma fazenda de alimentos será auto sustentável, o que faz aumentar a esperança.
Parabéns, Ana Elisa. Quando experimentar o serviço, compartilharei também.
Não posso dizer porque ainda, mas não é apenas ecológica a nossa preocupação para a Lau e eu. Agora vamos ver como é esse negócio de frau... :)
Abraços

Cristina disse...

Awn, não conheço nenhuma empresa assim aqui por perto.:( Se alguém tiver alguma indicação para Brasília e arredores, agradeço! :)

CRISTIANE LARA disse...

Oi Ana, tudo legal ? Adorei a receita e também de conhecer o site do Alimento Sustentável. Nada como comer orgânicos, né ? É uma pena que aqui em Sorocaba, onde estou atualmente, eles não entregam. :(
E aqui é bem difícil encontrar orgânicos. O jeito é comprar em S.Paulo e trazer para cá...rs
Bjs

Patricia Scarpin disse...

Eu vou lá escrever pro moço de novo, pra ver se ele já está entregando onde moro. Delícia de prato, Ana, tem tudo o que gosto - e essa cara quentinha, bem comfort food mesmo.
Ótima dia do produtor, querida - como todas as que vc dá por aqui.

xx

BValério disse...

Hoje em dia qalqer coisa conta para o nosso planeta, é bom ver qe há pessoas qe se preocupam com a sua pegada na terra :)

Eddy disse...

oi Ana!
faz um tempinho já que acompanho teu blog, e parabéns, parabéns mesmo! Pelas receitas, pela família, pelas tuas convicções...
vc conhece a agricultura biodinâmica? de uma olhadinha no site deles, é bem legal ;)
www.feirabiodinamica.com.br

bjo!

leila disse...

ô amiga, eu fui lá e me cadastrei... pra quase morrer de susto com os preços!

EM! disse...

Um bebe desde o nascimento ate o desfralde consome ate 5000 fraldas. e resolveram perseguir as coitadas das sacolas plasticas do super!!!
em certos paises europeus, as fraldas descartaveis ou sao muito caras ou sao dificeis de achar!
Fraldas de pano sao uma meia verdade. pois a outra metade de descartavel...

Luciana disse...

Oi Ana !

Gostei da dica e já mandei o site para a minha mãe que é vegetariana e vive nas feirinhas orgânicas.

Onde eu moro tem uma barraca na feira, só de orgânicos e bem, tem dado conta .. ehehe

Qt às fraldas de pano, eu já me perguntava se por acaso vc usava tb. A minha pimpolha usa exclusivamente desde que nasceu. Bom, só usou as descartáveis na maternidade.

Como as de pano são "mais caras" (a princípio aos olhos dos não informados !) eu pedi pra várias amigas no chá de bebê, assim saiu mais em conta comprando em conjunto. Fora as que eu comprei. Juro, não dá trabalho. Como agora eu tenho uma qtde considerável, dá pra ficar na boa uns dois dias sem precisar se preocupar. Fora que elas secam mt rápido, mesmo sem máquina de secar. Eu mesma, só usei a máquina de secar umas 2x por bobagem minha (me distraí na conta !! hehe). Uso, inclusive, a noite. Não dá mais trabalho do que a descartável em nada.

Aliás eu diria que dá até menos, pq nas fraldas de pano, não se usa pomadas anti assadura, pq impermeabiliza o tecido. A Laura não teve uma assadura até hj ..

Precisando de dicas, estou a disposição !! Adoro divulgas as fraldinhas de pano !!!

Bjs !

Roberta disse...

Ana ,"cai" no seu blog de paraquedas (como depois li num outo post) estava procurando receitas de cupcakes e... tchantchan!!! La cucinetta!! tive muita sorte ... depois de passear e passear e passear por suas páginas estou confiante em conseguir fazer as mudanças que sempre procurei fazer no meu "modus alimentaris" , parece que você tava escrevendo para mim rsrs!!!você é inspirada, continue assim, inpirada e inspirando!! parabéns, bj

Anônimo disse...

Oi Ana,
Vi este vídeo e lembrei de você: http://www.youtube.com/watch?v=PaOnCsgdPS0

Bjossss

Henriqueta

Caroline disse...

Muito legal seu blog! Dá uma vontade enorme de sair cozinhando!

Abraços, Caroline

Desirée disse...

Olá! Sempre acompanho o blog, e é uma delícia saber que o Thomas já tem tanto bom gosto desde pequenino! Estou só esperando pelas papinhas e comidinhas saudáveis do mini-metaleiro!
E falando em saudável, fica uma dica. Não sei se você conhece Yamaguishi? É uma vila de voluntários, que vivem na vila trabalhando com agricultura, sem salário.
http://www.yamaguishi.com.br/
Fica a dica. É muito legal conhecer a história e até visitar a vila. E acho que eles entregam em São Paulo!
beijos!

-ju_poli- disse...

Nossa como eu gostaria de ter esses produtos orgânicos aqui na minha casa! Pena que moro no Rio de Janeiro! hehe

Beijos!

Fabiane Britto disse...

Elisa,
Admito que somente hoje, pela primeira vez, visitei teu blog. Quem gosta muito é meu marido.
Adorei este post, particularmente, porque falas, não só de comidas orgânicas, como também desta mudança de hábitos que fizeste por causa do teu baby. Estou grávida de 6 meses, e também penso muito nisto.
Tenho duas grandes preocupações: que minha filha tenha uma alimentação saudável e que a natureza seja preservada, pois futuramente isso também reverterá em favor dela.
Enfim, parabéns pelas iniciativas!
Fabiane Britto

Kika Perez disse...

Menina!!! Devorei tudo que vi, adorei...o Matador de Dragões então, nem digo nada, é um SHIBILIGO (uso essa palava com meu filho especial, é sempre algo muuuuuuuuito bom), de resto amei, parabéns. Seu nome me lembrou um homem que acho lindão, para minha idade é claro, será que tem idade prá gostar de lindões e que lindões tem idade????? O lindão??? Angelo Gaiarsa. Beijocas para você e os que ama.

Ananda disse...

Aqui no Rio temos entrega de produtos Orgânicos também, ju_poli! Procure o site da Fazenda Cafundo, ou entre em contato com a Rede Ecológica para conhecer o trabalho desenvolvido e o esquema de compra coletiva junto a fornecedores orgânicos - http://www.redeecologicario.org/
Ana, adoro seu site, sou a maior fã das suas receitas!!! Bjs

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails