segunda-feira, 24 de maio de 2010

Beterrabas, tangerinas e hortelã, e por que diabos ninguém come marmelo??

Vira e mexe eu me apaixono por um livro novo, e começo a cozinhar tudo o que encontro nele, até que meus olhos vaguem para um novo objeto de estudo e desejo. Sorte do marido que isso só acontece com livros de cozinha. ;) Minha paixão atual é o livro Sunday Suppers at Lucques, de Suzanne Goin. Seus cardápios completos, divididos em estações do ano, fazem com que eu queira preparar mais pratos a cada refeição. Por causa dele, tenho feito sobremesas com frutas todos os dias.

Foi uma foto linda no meio do livro, no capítulo do outono, que me fez querer correr atrás das romãs. Como assim, romãs são frutos de outono? Nós as comemos na virada do ano, quando a primavera acabou de dar lugar ao verão! Não é? Hmmm... pagamos absurdos por frutas importadas, apenas pelo prazer de preservar uma tradição de Reveillon que sequer compreendemos mais, nascida em outro hemisfério, num fim de outono em que a romã faz sentido. No mercado, pela falta de interesse dos consumidores, as poucas romãs lindas, suculentas, pesadas, estão a preço de ouro. Na feira, em meio a três quarteirões de bancas, um único feirante exibia uma caixinha pequena, com meia dúzia de frutos bonitos, do tamanho de minha cabeça. O mercado não negocia, mas o feirante sim. Levei duas romãs enormes para casa.
Enquanto colocava as frutas na sacola de lona vermelha, olhei em volta. Pêssegos e ameixas. Em todas as bancas. De onde, se as frutas de caroço são frutas de verão? Todas importadas. Todas caras. Todas vindas para cá congeladas. Todas sem gosto nenhum. E as pessoas que comem pêssegos no outono procurarão romãs na primavera. O mundo está de ponta cabeça, e nós perdemos completamente a conexão com a terra, com os ciclos, com tudo o que há de natural.
Levei minhas romãs para casa e fiz delas uma salada. Folhas de alface roxa e radicchio, maçãs, nozes tostadas, uvas-passas. Enfiei a ponta da faca na romã madura e torci a lâmina. A fruta rompeu-se como o solo num terremoto, com um som craquelado e coreáceo, exibindo sementes cor de rubi. Com a ponta do dedo, retirei algumas das sementes sobre meu prato. Com a parte carnuda do polegar, esmaguei as sementes restantes contra o interior da casca, extraindo seu suco cor-de-rosa, tanto suco que me surpreendi. Este suco tão fresco misturei a um pouco de azeite, vinagre balsâmico, sal e pimenta, e temperei minha salada. Deliciosa.

Nos dias que se seguiram, outro estranho me chamou a atenção. No mercado, em meio à infinidade de pêras e maçãs excelentes nesta época, uma fruta aparentada jazia abandonada, num bom preço. Apanhei-a em minhas mãos, sentindo sua carne dura feito madeira sob a pele amarela. Marmelo. Levei dois. Grandes, bonitos, e totalmente outonais.

Cozinhei fatias suas, descascadas, em água, açúcar, baunilha e limão por meia hora, até que estivessem macias. Seu sabor era fantástico: nem pêra nem maçã, mas algo entre eles, como um elo perdido. Fiz das fatias amarelo-rosadas de marmelo uma torta, com maçãs sobre massa folhada caseira. Fantástico. O marmelo poché restante descansa num pote fechado na geladeira, aguardando para acompanhar uma xícara de iogurte.

E fiquei pensando... Quando criança, os marmelos figuravam meus livros infantis. Havia músicas com ele. Comia-se marmelada. Para onde foram, então, os marmelos? Por que não estão nas feiras? Por que algo tão gostoso é tão ignorado? Será que a romã e o marmelo padecem do mal do "dá trabalho"? Por que uma é chatinha de comer e o outro é preciso cozinhar? Será que a desculpa daquela tal de "vida agitada" é que faz com que comamos apenas frutas que possamos transportar na bolsa ou comer em pé na cozinha em menos de dois minutos?
Enquanto isso, é quase um prazer secreto descobrir os sabores que o hábito escondeu de mim por toda a minha vida. Bons livros que dividem bem suas receitas em estações do ano (como os de Deborah Madison e Alice Waters) têm me ajudado a encontrar novos favoritos, refrescar meu paladar, acordar para novas cores e combinações. Os rubros escuros e alaranjados do outono têm me hipnotizado totalmente, e é impossível não se sentir satisfeita apenas em olhar para um prato colorido assim.
Passei cedo na feira de domingo apenas para apanhar dois filés de salmão que julguei (bem julgado) que acompanhariam bem esta salada de beterrabas assadas com mexericas ponkan, que seria seguida da tal torta de maçãs com marmelo. Aliás, boa estratégia esta: uma refeição leve para uma sobremesa pesada, uma refeição pesada para uma sobremesa leve. E tudo fica equilibrado.

SALADA DE BETERRABAS E TANGERINA
(ligeiramente adaptado do livro Sunday Suppers at Lucques, de Suzanne Goin)
Tempo de preparo: 1 hora
Rendimento: 2 porções


Ingredientes:
  • 1 maço de beterrabas pequenas (umas 8 beterrabas pouco maiores que rabanetes)
  • azeite-de-oliva extravirgem
  • 2 tangerinas1 colh. (sopa) cebola vermelha picada fino
  • 1/2 colh. (chá) vinagre de vinho tinto
  • 1/2 colh. (sopa) suco de limão
  • Água de flor-de-laranjeira (encontrada em lojas árabes)
  • hortelã fresca
  • sal e pimenta-do-reino

Preparo:
  1. Pré-aqueça o forno a 205ºC. Corte as folhas das beterrabas, deixando uns 5cm dos talos ainda nas beterrabas. Não jogue as folhas fora! Se estiverem bonitas, elas são deliciosas! Limpe bem as beterrabas e role-as num fio generoso de azeite e 1/2 colh. (chá) de sal. Coloque-as numa assadeira, espirre um pouco de água (para criar vapor quando aquecer) e cubra firmemente com papel-alumínio. Leve ao forno por 40 minutos ou até que as beterrabas estejam macias o suficiente para serem espetadas com um garfo. O tempo pode variar de acordo com o tamanho delas.
  2. Retire do forno e deixe que esfriem o suficiente para manipulá-las. Retire as cascas com os dedos (elas sairão facilmente) e corte as beterrabas em quartos.
  3. Enquanto as beterrabas assam, prepare o restante. Com uma faca afiada, corte as "tampinhas" das tangerinas, como no desenho. Apoie uma das bases agora retas na tábua de corte e faça cortes de cima para baixo, retirando a casca e a parte branca. Desta forma, quando totalmente descascada, a tangerina já estará livre das películas brancas e amargas que a cobrem e parecerá uma laranja comum. Pegue a tangerina descascada na mão e, com cuidado, sem fazer força (para não cortar um dedo fora), corte os gomos fora, entrando a faca entre os gomos, apenas até o centro da fruta. Faça isso sobre uma tigela, para recolher o suco que a fruta liberará ao manipulá-la. Com a ponta da faca ou com os dedos, retire as sementes.
  4. Junte a cebola picada, o vinagre, o suco de limão e o suco da tangerina que ficou na tigela (deve ter 1 ou 2 colh. (sopa), não importa). Tempere com sal e deixe descansar até que as beterrabas estejam prontas.
  5. Na hora de servir, junte umas 3 colh. (sopa) azeite ao vinaigrette e uma ou duas gotas de água de flor-de-laranjeira (é forte; se usar demais, fica com gosto de perfume). Experimente e acerte o tempero.Misture o vinaigrette às beterrabas, tempere com pimenta-do-reino e distribua numa travessa ou nos pratos. Arranje os gomos de tangerina por cima. Pique a hortelã e salpique por cima. Sirva imediatamente.

16 comentários:

Andreia T. Farias Britez disse...

Puxa vida, minha lista de livros a comprar não para de crescer!!! E vc é a culpada, Ana! como vc consegue encontrar essas maravilhas? Fuçando ou é indicação de alguém? vou acabar virando sócia da Amazon, rsrsrs!!

Anônimo disse...

Olá Ana,

Moro em Lisboa há quase 7 anos e sempre que encontro marmelos no outono compro-os para fazer marmelada caseira. Uma delícia! Parece que deixaram de fazer marmelada no Brasil pq todo mundo queria só goiabada... é mesmo uma pena pq aqui em Portugal a marmelada é q é rainha!

Carolina.

Amanda disse...

Oi Ana, essa salada parece estar ótima, mas estou comentando por causa do marmelo.
Ano passado eu estava no mercado, e tambem vi ele num preço bom e comprei... fui comer e "amarrou" minha boca, e era bem duro, mas o gosto era bom! Mas nao deu pra comer, hehe. Agora lendo o seu blog eu descobri que tem que cozinhar! Vou tentar de novo.
Obrigada por suas receitas, ja fiz varias e sempre dao certo!
bjos
Amanda

Andressa disse...

Nhaaamm que post delícia! Seu blog é um festival de posts de gostosuras... ^^ Adorei! E com certeza vou testar suas receitas em casa tb!

Bjo grande!

gasparzinha disse...

Além da marmelada caseira, no Outono fiz muito crumble de marmelo - uma delícia. Aromatizados com cardamomo, canela e cravinho.
E tb saiu um gelado de marmelo que ficou com uma textura fantástica.
Sou fã.

Beijinhos :)

disse...

Olá Ana! Fiz um comentário no post anterior, mas não o vi publicado. Fiquei triste, pois quis compartilhar uma experiência a partir de uma receita que tirei daqui.
Isso me lembrou algo como Julia & Julie, manja?
Bj.

kellen disse...

gente, que prato lindo. e tenho os ingredientes em casa, vou fazer :)

Ana E.G. Granziera disse...

Zá,
não me lembro de nenhum comentário seu... acho que não recebi. Eu só apago comentários com conteúdo ofensivo/impróprio e com propagandas.
Bjs

nara disse...

Vou confessar uma coisa que acabo de descobrir: comi marmelo cru! Não sabia que precisava cozinhar para comer. Santa ignorância. Meu namorado comprou um, no ano passado, e não entendemos como é que podiam vender uma fruta tão ruim. Agora entendi, nós que comemos de forma errada. Obrigada pela informação!

Bárbara Lopes disse...

Olá! Acompanho seu blog pelo reader do google e adoro as postagens e como você descreve as comidas e receitas. Por um acaso esta semana cheguei num link de uma matéria que saiu na revista vida simples e trata de alimentos que estão correndo risco de extinção. Se não me engano o marmelo está na lista. Uma pena! O doce de marmelo é uma lembrança maravilhosa que tenho.

Abraços!

Anônimo disse...

Fiquei curiosa sobre o marmelo. Acho que nunca ví na feira onde faço minhas compras. Aliás, adoro feira e sempre exagero nas compras dos vegetais e frutas frescos e coloridos. Legal a dica de como descascar os cítricos. Eu também faço assim, tanto para saladas como para o café da manhã da minha filha. Ela adora laranja...sem a pelinha. Mereço?
Abraços,
Cláudia

Debora Rot disse...

Ola Ana,
descobri o seu blog recentemente e gostei muito de le-lo! Acho que voce escreve de uma maneira muito bacana, me identifico com algumas passagens e dou risada de outras. No comeco do ano vim morar em Israel e tenho aprendido a usar ingredientes de jeitos diferentes. Uma coisa que achei muito legal eh o modo como eles utilizam a roma! Desde saladas ate suco: cortam a fruta ao meio e colocam em um espremedor de laranjas (daqueles de metal com a alavanca)! Rende muito suco e delicioso =)
bjs!

Amanda Scapini disse...

Amo marmelos! A vida toda meu pai fez compota de marmelos (ele coloca junto as sementes num saquinho, diz que é pra ficar bem rosada), talvez herança dos antepassados portugueses. E desde pequena faço questão de comer ele cru, puro, mesmo amarrando a boca. Melhor que peras e maçãs para mim.

Beijos!

Gabitus disse...

Ana,

quando li esta receita, pensei: assei as beterrabas ontem (da feira de domindo), meu namorado trouxe MONTES mexericas orgânicas (ok, sei que é diferente de tangerina!), meu pé de hortelã virou praga e dominou a cozinha!! Taí! Vou fazer a salada!!

E me surpreendeu muito!! Eu amei!!

Sempre faço receitas do seu blog, e sempre tenho preguiça de comentar as receitas, mas está é sensacional!

Obrigada!

Anônimo disse...

Que surpresa agradável descobrir seu blog! Culinária ou aventuras? Conhecimentos Gerais, comédias da vida diária, auto-ajuda? rsrs...
ATRAENTE. Interessante!
Acho que é a primeira vez que passo horas num site do gênero, sem coragem de desligar o PC. Mas... volto amanhã. Com certeza!

LuLu disse...

Oi Ana,
Me chamo Maria Luiza, mas pode me chamar de LuLu.
Gostaria de pedir a sua autorizaçao pra colocar esse seu passo a passo de como cortar gomos de laranja no meu grupo de amigos da culinaria no facebook, posso?Criei là um album chamado Escola de Cozinha e estou colecionando ilustraçoes de varios tipos de passo-a-passo e informaçoes basicas para principiantes, como eu.
Se tiver facebook e quiser nos visitar, me sentirei honrada.
O link do grupo: http://www.facebook.com/?tid=1202147218413&sk=inbox#!/home.php?sk=group_214203755274778&ap=1

Desde jà, Grazie.
Bacio.Ciao..ciao.

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails