quinta-feira, 26 de março de 2009

De volta do Ceará com um novo livro de cabeceira e vontade de comer tapioca com queijo

Depois de alguns dias de pé na areia, olhando para um mar que me fazia virar o pescoço de um lado para o outro para enxergar suas extremidades, descobri que adoro baião-de-dois e tapioca. Sim, parece incrível, mas nunca havia provado nenhum dos dois. Foi uma semana de pargo frito, camarão de inúmeras maneiras e caldinho de peixe espesso e amarelo, que me dava a impressão de que seria capaz de levantar um saco de tijolos acima da cabeça; mas agora tudo o que quero é um pouco de verde no prato.

O interessante dessas pequenas férias, além de conhecer um pedaço do Brasil que nunca antes visitara, foi reorganizar minha cabeça e, em conseqüência, meu tempo. Assim que o avião pousou, arranquei o relógio do pulso e meti-o na bolsa, decidida a não mais saber que horas eram a não ser pelo movimento do sol sobre os prédios de Fortaleza ou sobre as dunas de Canoa Quebrada.

O tempo longe do computador e da televisão fez com que eu terminasse um livro que estava pela metade, lesse um inteiro comprado no aeroporto e começasse um terceiro trazido de São Paulo, o que tornou minha mala mais pesada mas com certeza me trouxe de volta a meu antigo ritmo de leitura. Deitada numa rede, cervejinha numa das mãos, devorei, deliciada, o último livro de Michael Pollan: Em Defesa da Comida. Não sou muito de fazer resenhas de livros, mas não há uma pessoa que eu conheça a quem não esteja recomendando essa leitura. Para quem já leva a vida com mais calma, o livro não traz nada de novo em suas recomendações. As regras na parte de trás do livro, inclusive, dão uma idéia errada de seu conteúdo, e eu mesma pensei que o livro não me ensinaria coisa alguma, uma vez que já sigo boa parte (senão todas) das regras de Pollan. No entanto, o que o livro faz é dar respaldo a pessoas que já fazem determinadas escolhas no que diz respeito a estilo de vida e alimentação. É um alívio saber não estamos loucos e sozinhos no mundo, e que o que fazemos de fato faz algum sentido. [Sinto-me menos chata.] Àqueles que já pensam que talvez aquele pacote de bolachas sabor morango não seja uma compra tão boa – mas que ainda assim vão lá e o compram – o livro dá o último empurrão para que abandonem os maus hábitos. E aos glutões que pouco se importam com o que enfiam na boca, as informações sobre a história do cultivo de cereais no ocidente, a industrialização da comida, o "nutricionismo" e a relação de tudo isso com sua saúde debilitada serão certamente um choque.

O mais interessante disso tudo, foi conseguir compreender de fato o por quê de ter emagrecido – além do fato de ter me exercitado um bocado – sem ter aberto mão de nada de que gostasse. Durante oito meses (e ainda hoje) eu comi comida. Não muito. Principalmente vegetais.

Deixo a vocês então imagens relaxantes e essa recomendação de leitura. Imagens relaxantes são primordiais nesse momento, em que há dois encanadores fazendo de meu banheiro um queijo suíço. Só posso ignorar o barulho, apanhar um bocado do sorvete de milho verde da Patrícia, que preparei com as lindas espigas de milho fresquinhas compradas na feira, olhar para as fotos do mar e fingir que as marteladas são na verdade o burburinho das ondas. Suspiro, volto a trabalhar, e fico imaginando onde vou encontrar feijão de corda fresquinho para fazer baião-de-dois por aqui. [Fico também imaginando se posso fazer a goma da tapioca num dia, colocar na geladeira e preparar a tapioca na manhã seguinte. Será que posso? Será?]

40 comentários:

mariacarambola disse...

Menina, que delícia... suas fotos fazem a gente viajar junto. Bjos e boa tarde.

rosangela disse...

oi Ana, só pra te deixar morrendo de inveja quero dizer que feijão de corda eu colho no meu quintal rsrsrsr. posso te mandar por sedex...Que bom que vc voltou, lindas fotos, obrigada por partilhar conosco.

caosnacozinha disse...

Bem vinda de volta! Obrigada pela partilha das imagens, que daí de longe me trouxeram um pouquinho da paz que senti quando estive em Canoa Quebrada. Eu teria ficado lá um mês, se pudesse!
Quanto a Pollan, depois de ler O Dilema do Omnivoro e perceber, melhor, as coisas que moviam as outras, fiquei ainda mais consciente do que podia e devia fazer. As lições dele são, sem dúvida, extremamente importantes para o nosso presente e o nosso futuro.

Um beijo *
Mariana

Marcia H disse...

Oi Ana,
que fotos lindas. Há muito tempo estive em Fortaleza, deu saudade.

1o. No blog da Neide Rigo tem onde comprar feijao de corda em SP

2o. Pode fazer e colocar na geladeira e se deliciar com sua tapioca quentinha de manha.

E que seu banheiro fique um brinco!

bj

Helena disse...

Ana Elisa, faz pouco tempo que venho lendo seu blog e até já testei umas receitas, mas posso dizer que é muito inspirador, e que mudou muito a forma como eu prepara os alimentos e lido com a comida.Parabéns e obrigada pela sua "prestação de serviço público", ehehhehehehe.Abraços,

Helena Jornada

Bella disse...

Você foi nas tapiocarias??
Tem todos os sabores possíveis! Doces e salgadas :)
E sorvete de tapioca é a melhor coisa do mundo!!

Anônimo disse...

Oi Ana,

Queria agradecer pelas suas receitas, elas são ótimas e o que mais gostei foi q elas compartilham com o meu modo de pensar.... Aqui em casa tbém, somos muito rigorosos com o tipo e qualidade da alimentação, o que me identifiquei muito com o seu blog.

E por outro lado tbém sou apaixonada pelo baião de dois (mesmo que vá a carne!), se bem que dá pra comer sem ela, mas devo admitir que a carne dá o tom.

Em bem vinda de volta! Estava com saudades dos seus posts.

Um beijo

Miti

lunalestrie disse...

Enquanto você veio pra minha cidade eu estava na sua. :D
Olha, dá pra fazer a goma e deixar na geladeira sim, é como todo mundo faz por aqui, dura uma semana na geladeira, mais ou menos.

lindalacava disse...

OI ANA! Olha eu faço tapioca assim,coloco polvilho doce numa bacia funda e coloco agua ate cobri todo o polvillho.Deixo na geladeira ate o dia seguinte, escorro a agua, coloco um pano no polvilho para tirar toda a umidade,depois passo pela peneira e deixo na geladeira.Depois e so esquentar a frigideira e fazer a tapioca,bjs

Luciana disse...

Estou encantada com o seu blog, descobri esse tesouro ontem por acidente buscando uma receita de pão...e resumindo imprimi 100 páginas q estou lendo no trajeto de volta do trabalho, hoje cheguei a passar do ponto por culpa sua viu...rsrsrsrsrs.
Ana a forma como vc apresenta as receitas é um carinho gostoso demais para os leitores, suas histórias, suas dicas...tanto de vc que passa a fazer parte de nós...me identifiquei principalmente com seu prazer e delicadeza em receber amigos, pq adoro promover encontros assim, cozinhar para as pessoas que me são queridas...Ano q vem pretendo me casar e já sonho com os encontros que poderei promover em minha casa...mas acho q vou testando suas receitas até lá...Obrigada
Bjssss Luciana

Dani disse...

Ana, quanta imagem boa, foram bem aproveitadas pelo visto. Que ótimo. Gostei da dica do livro.

Sobre a Tapioca, ta com sorte, outra blogueira publicou hj com direito a vídeo.

http://apetite.blogspot.com/2009/03/ta-ta-tapioca.html

Bjs

Bigode de chocolade disse...

Deu mesmo para escutar o burburinho das ondas através dessa fotos superlindas. Dá também para escutar o chilép-chilép das sandálias da Ana passeando entre as cerâmicas da loja de artesanato. E com um cenário desses! Só comida de preguiçoso mesmo para combinar – tapioca fresquinha que desmancha na boca... hummmmmmmmmmmmmm. Que bom que voltou!

Jun.~ disse...

Oi Ana, que bom que você voltou. Eu visitava todos os dias seu blog, mesmo sabendo que você não estava atualizando. (parece um idiota, não?)

Essas 'férias' que você teve parecem ter sido boas, não é? Nem sei mais como está Fortaleza, faz anos que eu não passo por lá.

Nunca li nenhum livro desse autor(?). Aliás, eu não leio muito. Deve ser por isso que meu vocabulário é tão pobre, haha.

Sobre a tapioca, você pode sim preparar a goma de noite e deixar na geladeira, para fazer no dia seguinte. Eu não sou muito chegado em tapioca com queijo, a não ser o queijo coalho com tucumã (ahn, acho que é uma fruta típica daqui de Manaus, nunca vi em outro lugar. nem em Belém, minha cidade natal, que é próxima daqui).

Caso você faça a tapioca, assim que você tirá-la da frigideira, passe manteiga a enrole (só coloco manteiga quando faço aqui em casa, hehe).

Ah, e cuidado pra não queimar a tapioca ou deixá-la muito seca! (eu falando como se entendesse do seu gosto :P)

Abraços,

Junji Takeda.

Carol disse...

tapioca pra mim é bom com coco ralado no recheio. qualquer recheio, doces ou salgados.

Ana Elisa, sabe que eu acabei de imprimir a tabela das coisas de época? É realmente genial poder escolher o melhor e mais barato.

miosotiis disse...

Sinto a mesma necessidade quando estou de férias: nem relógio, nem telemóvel. E nem preocupações. :)

Num fim de cada época de testes dos meus alunos, sinto essa necessidade de parar. Descansar. E mesmo que nem sempre tenha a oportunidade de viajar, pelo menos faço questão de dedicar-me aos meus "pequenos espaços".

Um bom (re)começo. *

Fabrícia disse...

Lindas fotos....pura poesia. Dicas, queremos dicas...meus pais estão indo para o Ceará amanhã...
Bjcas para ti....

Patricia Scarpin disse...

Êêê, que gostoso te ver de volta por aqui (perdoe o egoísmo, please). :D

Ana, que fotos lindas! Minha irmã esteve em Fortaleza no ano passado e adorou. Ela puxou a morenice do meu pai (enquanto que eu sou a brancura alemã de minha mãe) e voltou pretinha, pretinha de lá.

Fiquei feliz em saber que gostou do sorvete de milho - deve ter ficado anos luz mais gostoso do que o meu, que foi feito com milho de lata. Eu me deliciei muito com o seu frozen nos últimos dias.

Ah, você já é a 4ª pessoa a me indicar o livro.

Beijo!

Anônimo disse...

Oi....putz que inveja!!!!....rs.Ainda mais para um mineiro.Fotos lindas!!!Viva ao nosso Brasil!!!! Qto ao tema do livro que recomendou, nossas escolhas e etc.Como dizia Carlos Castaneda:" todo caminho deve ter um coração....." e este coração só nós podemos ver....em suma: pequenas decisões, escolhas diárias e o caminho vai se abrindo,as dúvidas enfraquecem, o sorriso fica mais constante e peso da mão da vida e desfaz....parabéns pelo blog, pelas idéias e valeu....abração

Bella disse...

Sorvete de tapioca é ótimo!!!! :D

Anônimo disse...

Olha, adoro seu blog, sou fã mesmo, mas acho muito irreal esta sua coisa de só comidas saudáveis... isto só funciona porque você não tem filho, o dia que seu filho crescer e quiser ser NORMAL como as outras crianças ele vai levar de lanche bolacha recheada... a não ser que você não deixe, o que vai ser pior, ele vai comer dos amiguinhos. Quanto à salada sazonal, achei bem incoerente, pois você economizou nas verduras e legumes e comprou queijo importado!Desculpe, mas sou covarde demais para expor meu nome fazendo críticas assim...

Bianca Elisa disse...

Hummm sou apaixonada por tapioca com queijo de coalho, no nordeste comia várias no café da manha. A melhor de todas que já comi foi em Jeri.
Beijos e um bom retorno

Ana Elisa disse...

"maria carambola",
obrigada! :)

Rosangela,
Invejinha mesmo. Plantei recentemente feijão corado num vaso aqui em casa. Ele está indo bem. Será que vou conseguir feijão num apartamento?? Hehehe...

Mariana,
O pior é que não li o Dilema por medo de ficar ainda mais frustrada com o mundo. Mas fiquei com vontade, agora.

Marcia H,
Pois é, depois lembrei que a Neide já tinha escrito sobre isso! Oba! Vou fazer tapioca essa semana! :D

Helena,
que é isso... fico encabulada... :)

Miti,
o baião que comi era sem carne, só com queijo, porque estava acompanhando peixe. Boooooom... Também estava com saudades de escrever.

Luna,
bom saber! Já que é para dar trabalho, a gente já faz em quantidade, certo?

Linda,
obrigada pela ajuda. Será que acerto de primeira?

Luciana,
que bom! Obrigada! Eu gostaria de chamar mais gente em casa, com mais frequência, mas no verão só meu marido, eu e (quase) o cachorro conseguimos aturar o calorão... heheh...

Dani,
obrigada pela dica, vou lá fuçar!

Eugenio,
aquela panela de barro que meu pai me deu é desse artesão. O trabalho do homem é fantástico, e as peças são tão baratas que você fica até constrangido... É tudo tão lindo...

Junji,
comi com queijo coalho, queijo e goiabada e com leite condensado e coco. Tudo muito bom e a ser repetido aqui em casa!

Carol,
pois é, só com essa medida besta já diminuí bem a conta do supermercado... :D

Miosotiis,
pois é, difícil é não se deixar contaminar pela correria de novo... Por quanto tempo conseguimos manter em nós a calma das férias passadas?

Fabrícia,
vixe... dica vai ser um problema, pois não anotei endereço de nada, uma vez que foi meu pai quem me arrastou para cima e para baixo. Só recomendo que se vá comer lá no ponto das tapioqueiras, porque é muito, muito bom!Ah! E num restaurante chamado "Peixada do Meio" (se não me engano) tem um caldo de peixe sensacional (o que eu mencionei no post). O Faustino, que agora é na beira da praia faz uma caipirinha de ervas muito boa.

Patrícia,
sua peste! Adorei o sorvete, já comi metade sozinha! Olha o que você faz comigo! Hahahaha! Que bom que gostou do frozen. Leia o livro sim!!!

"Anônimo",
bonito isso!! :D

Bella,
preciso experimentar! Mais um para a lista!

"Anônimo",
Não precisa ter medo de se identificar. Nunca disse aqui que é proibido discordar de mim. Não que eu lhe deva qualquer espécie de explicação, mas já que você se deu o trabalho de criticar... É CLARO que é mais fácil quando não se tem filhos, isso é indiscutível. Mas é apenas se disciplinando que podemos dar o exemplo para nossos filhos. Enquanto eles não chegam, eu me reeduco e aprendo. Quando eles chegarem, eu não vou comprar bolacha recheada, e se ele quiser comer do amiguinho, ele é um ser humano com livre arbítrio e vontade própria. Quanto ao queijo, se você se informar verá que existem excelentes produtores de leite de cabra, de ovelha e seus derivados, em todo o sul e sudeste do Brasil, de modo que não vejo como seria incoerência de minha parte comprar um queijo ótimo de produção local. Agora, se você se incomoda com o fato de que falo a respeito de alimentação natural e acho refrigerante e bolacha de morango um crime contra as crianças (e adultos), advirto que as coisas por aqui só tendem a piorar. Obrigada por expressar sua opinião.

Beijos a todos.

Karin disse...

Delicia de viagem! Fotos maravilhosas!

Leo disse...

Ana Elisa, estive em Fortaleza (minha cidade) no mesmo tempo que vocês e voltei no dia 26. Pena que não pude ir a Canoa, onde morei um mês e meio num período em que tudo o que eu queria era descansar e esquecer do mundo. Olha,baião, feijão verde, tapioca, queijinho coalho, tudo é mesmo muito gostoso. Provou o caranguejo? Bom, seja bem vinda de volta a escrita e sim, vc pode fazer a goma de um dia pro outro. abraço.

Gabi disse...

Oi Ana!
Pelo visto vc aproveitou cada minutinho!!! =)
Fotos lindas, bela viagem!! Fiquei com vontade de comer tapioca....que delícia!! Beijo!

Mãe do Dudu e do Guigui disse...

Olá!
Quanto a deixar a massa da tapioca pronta na geladeira: eu faço isso direto!
Como sou muito exagerada, sobra do lanche da tarde para o café da manhã ou vice-versa. E nunca tivemos nenhum probleminha aqui em casa não. Os meninos adoram!!! Até o Gui que é bem pequenino.
Quanto à crítica que te fizeram com relação à disciplina alimentar, acredito que é uma questão de tempo. No início, os pequenos viram a cara para as coisas saudáveis que lhe apresentamos, mas com muita insistência e um certo jeitinho, logo conseguimos fazê-los ingerir suco de limão, laranja, com couve e hortelã. As primeiras goladas eles chegavam a fazer ânsia de vômito, mas hoje, eles pedem para repetir. Milagre?! Não, força do hábito e muita conversa e graça. Chamamos de suco do Huck!!!! Meus filhos comem cenoura em rodelas com limão como se estivessem saboreando batatas fritas. Fico muito feliz com isso. Pois acompanhei a evolução deles e insisti, pois acredito muito no poder dos alimentos! Eles quase nem tem adoecido mais!!!
Bj no coração

Camila disse...

Água na boca só de pensar em tapioca fresquinha... E camarao... E praia...
Lindas fotos, dá pra ver que foi uma viagem bem curtida!!!

Cláudia Nantes disse...

Olá Ana
Gostei muitas das suas fotos...também sou uma apaixonada pelo nordeste, já fui ao Recife, Caruaru e Porto de Galinhas, Porto Seguro, Arraial d'Ajuda, Caraíva (no sul da Bahia, que nem luz tinha - não sei se já tem...rsrsrsrs) e ainda vou me aventurar muito mais...Aqui no Rio a comida nordestina faz parte do nosso cardápio, nós temos muita influência deles...temos tapioca e acarajé vendidos na rua e até casas especializadas, sorvete de tapioca em muitas sorveterias, sucos de graviola e etc..., bobó de camarão e outros quitutes no cardápio de quase todos os restaurentes (aqui pertinho de casa tem o Severina, que é uma delícia), principalmente os self service...e feijão de corda se vende em várias feiras...temos também o centro de tradições nordestinas que é tudo de bom, quando vem aquela saudade arretada mesmo, é só dar um pulo lá...me sinto na feira de caruaru...rsrsrsrsrs
Bjs.
Cláudia Nantes

Ronaldo Rossi disse...

oi Ana, antes de mais nada vc pode deixar a tapioca preparada na geladeira seguramente por até uns 4 dias, mais do que isso é contar demais com a sorte. Eu concordo com o que vc postou no blog, eu cheguei a começar a escrever um post falando sobre como complicar é fácil e simplicaficar é muito mais difícil, td o que sai rebuscado parece que deu mais trabalho, por isso passa a ser a preferência de muita gente, não falo nem só dos profissionais de cozinha, mas muita gente segue essa onda, é só perder alguns minutos por dia assistindo qualquer programa que apresente receitas na TV. Eu gostava muito da forma que o "velhinho" apresentava as receitas, mesmo que fosse alguma coisa complicada ele explicava o original e mostrava como iria fazer, de um jeito mais simples é claro.
Beijão,
Ronaldo Rossi

Nanita disse...

Maravilha de fotos!
As vezes me sinto indignada com o quanto os livros americanos demoram em ser lançados na Europa... Comprei o livro novo do Pollan na Saraiva e minha mãe vai trazer m[es que vem!

Ariel Pacífico disse...

Ana, amei suas fotos.Passei uns minutos no Ceará com elas....
Se não levar a cabo a fotografia, tá se perdendo hein! rsrs
Que bom que estás de volta!
Bjos
Ariel

Cristiane disse...

Nossa, Ana, ainda estou "mal", muito "mal"... Vc nao sabe, mas sou de Fortaleza. Saudade eterna!!! Quando li o tìtulo me deu uma afliçao (por nao estar là) misturada com felicidade (por ter "matado" um pouco dessa saudade que me persegue o ano inteiro), curiosidade (de saber como foi, o que vc experimentou por là, se soubesse tinha recomendado mais alguns lugares aonde experimentar e conhecer a nossa gastronomia...) e vontade de comer uma baiaozinho!!!!
Um abraçao,
Cristiane

A DONA DO MUNDO disse...

GOSTEI DO SEU BLOG E ADICIONEI ELE AOS MEUS PREFERIDOS
FIZ A SALADINHA E AMEI...
UMA SEMANA COLORIDA E CHEIA DE ALEGRIAS
BEIJO

patinet disse...

Ana, aqui em casa sempre deixo uma goma fresca de tapioca na geladeira, dura em torno de 10 dias.
Gosto de recheio salgados, com camarão ou carne de sol desfiada com nata fica uma delícia.
E essa fabrica de rapadura? me deu vontade de comer.
bjos

Cecilia disse...

Oi, Ana! Sou leitora há algum tempo, adoro os textos e as receitas!
Que bom saber que esteve em minha terra e gostou!!
Ah, ontem mesmo comi baião de feijão verde!! Hummm!!
E quanto à goma, você pode prepará-la, peneirá-la e deixar na geladeira, sim! Dura uns bons dias!! Ô, coisa boa é tapioca, né não?! Com um cafezinho e queijo coalho... Delicia!
Venha mais vezes!
Bjos,
Cecília

Cristiane disse...

Ana, posso falar um pouco sobre o "Peixada do Meio"?
...tenho maravilhosas e inesquecìveis recordaçoes daquele lugar. Falo de 10, 15 anos atràs, quando era um simples ponto de encontro de jovens que, quando voltavam das noitadas, dos shows que antecediam os 'Fortais' (carnaval fora de época da capital cearense), dos eventos mais cobiçados da cidade, paràvamos là, às 04h00 da madrugada, quando nao existia perigo de sequestro, assalto ou qualquer tipo de violencia, pois bem, era parada obrigatòria para tomar o caldo de peixe (delicioso até hoje) com torradas... Hummm, que delìcia!!! Continua sendo um lugar agradabilìssimo, de muito bom gosto, boa comida e excelente serviço. Quem visitar Fortaleza, nao pode deixar de passar por là e depois do almoço/jantar, ir tomar um sorvetinho na vizinha 50 Sabores, sorveteria pioneira, além de històrica, claro!
Ah, quanta saudade...

Licsk disse...

...muito chic mesmo...!!!!!!!!!Viajei junto...

Ana Elisa disse...

Karin,
obrigada!

Leo,
Comi patinhas de caranguejo, serve? :)

Gabi,
obrigada. Tô enrolando para testar a tapioca... vamos ver se sai.

Mãe do Dudu e do Guigui (qual é seu nome? ;) )
Pois é, eu acho que é assim mesmo. Já teve um outro post que eu falei da minha dificuldade em alimentar filho dos outros, e muita gente me falou que ensinando de pequeno, a gurizada come de tudo.

Camila,
obrigada!

Cláudia,
então, eu sou meio bobona com coisas nordestinas: conheço muito pouco. Tá na hora de aprender mais, não?

Ronaldo,
obrigada pela dica.

Nanita,
boa leitura! Aposto como vc vai gostar!

Ariel,
vixe... não, fotografia é só hobby mesmo. Mas obrigada!

Cristiane,
que bom que deu para matar um pouco das saudades. :)

"Dona do Mundo",
que bom que vc gostou, fico muito contente! :)

Patinet,
Olha, só não comi rapadura porque sou chata com coisa muito doce. Me dá uma dor de dente... :P Mas o cheirinho era muito bom!

Cecília,
a temporada do feijão verde acabou, não é? Ou ainda tem? Deu vontade...

Cristiane,
ah, fui na 50 sabores tbm!! Muito bom!!!! :D

Licsk,
que bom que gostou!

Bjos

Mãe do Dudu e do Guigui disse...

Let me introduce myself: my name is Débora.
Nice to meet your big blog!!!!

Antonia disse...

Olá
Sou fã do seu blog! Acho que é feito com muito capricho! Parabéns!
Cheguei na publicação desta data pesquisando aqui por "panela de barro" pois fiquei encantada com a delicadez daquela que ganhou do seu pai e quis ver mais sobre como usou.
Quero também comentar que também sou adepta de alimentação mais sauável, mais natural e mais fresca - ou nada de enlatados (exceção ao leite condensado, leite em pó), nada de tetra-pack, nada de refri!!!
E é assim que crio minha filha há quase 15 anos, por amor à ela e à saúde e bem estar dela, que é uma cupim voraz de livros, desde os 11 anos prefere ler originais em inglês, quando é o caso. Assim, como optei por oferecer a ela alimentação saudável e rica em nutrientes, ela ainda hoje não tem nem interesse e nem curiosidade por balas, nem por chocolates recheados (mas adora chocolate 70% cacau), nem por toratas cheias de bremes, não suporta o cheiro de salgadinho de pacote (nunca ofereci a ela, porque não compro); biscoitos, quando compro, envelhecem no armário, então procuro doar antes disso, e ela mesma quando chega em casa vai para a cozinha ver o que tem de frutas e descasca e prepara até salada de frutas para nós.
Pelo bem dela, está valendo a pena! O difícil é eu largar os doces, mas sou muito seletiva, só como doces de confeitarias top, chocolates Lindt, Koppenhagen ou superior... Vou procurar esse livro que indicou, fiquei curiosa, e como você falou, é bom saber que não estamos sozinhas na decisão de PENSAR, QUESTIONAR e FAZER ESCOLHAS por conta própria e não porque a propaganda na tv (que nem temos tempo de ligar aqui, mas adoramos ver filmes) diz que é bom...
Obrigada por todo esse conteúdo que compartilha conosco!
Felicidades!

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails