quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Bustrengo: o doce italiano com jeito de palavrão


Gosto da cozinha sazonal, e por isso mesmo tinha vontade de preparar um bolo de reis no dia 6. No entanto, bateu em parte preguiça e em parte mão-de-vaquice para comprar os ingredientes que faltavam, e acabei preparando um bustrengo no lugar, porque a única coisa que faltava na despensa eram maçãs.

Acordara ontem com uma vontade preocupante de comer algum doce que levasse os deliciosos figos secos que habitavam minha geladeira. Fuçando em todos os meus livros, fiquei entre um bolo simples de Martha Stewart, o bustrengo de Jamie Oliver e o bostrengo do Culinária Italia. Não, não foi um erro de digitação. Apesar de ambos os nomes derivarem de "bustreng", uma palavra dialetal que se diz de origem "bárbara", são doces diferentes de diferentes regiões. O primeiro, típico da Romagna, é um bolo úmido de polenta e frutas secas. O segundo, de Le Marche, mais ao sul, ainda que leve também frutas secas, tem o arroz como base. Pensei ali, pensei aqui, e escolhi o doce romagnolo.

Apanhei meu rico dinheirinho e fui ao supermercado comprar maçãs. Chegando lá, ao me deparar com a gôndola repleta dos diferentes tipos da fruta, lembrei-me do capítulo sobre maçãs do novo livro de Heloísa Bacellar. Confesso que, numa primeira olhada, tinha achado o livro meio "raspa de tacho". Foi só numa segunda folheada mais minuciosa que descobri que ele tem sim muito a oferecer. Só que a maioria das preciosas informações não estão nas receitas, mas nos longos textos que as precedem... No tal capítulo, ela discorre sobre os diferentes tipos de maçãs, suas características e serventias, de um modo que às vezes sinto que falta em outros livros de culinária. Além disso, ensina a congelar cascas, miolos e cabos das maçãs para que depois virem geléia. Isso muito me interessa. Outro dia mesmo congelei as cascas de um abacaxi inteiro, que posteriormente viraram um chá gelado incrivelmente aromático. Nada se joga fora.

Sempre que compro maçãs é a mesma coisa. Vou direto nas Fuji, minhas (até então) favoritas para comer cruas, crocantes e ácidas. Já tinha provado das Gala, e se tenho certeza de uma coisa em minha vida é de que não gosto de maçã Gala: acho sua textura muito granulosa. Se experimentei de outras maçãs, não me lembro, pois nunca havia prestado atenção a seus nomes, e só sabia que havia maçãs "gostosas" e maçãs "não tão gostosas". Resolvi tirar a prova. Apanhei algumas Red Delicious, outras Granny Smith e umas Fuji como grupo de controle. Voltei para casa e abri-as todas, experimentando um pedacinho de cada uma, dando-me conta de que só assim era possível avaliar suas diferenças de forma mais objetiva.

A conclusão foi: adoro a Red. Comeria uma bacia delas. Das Granny Smith (maçã verde), já fui mais fã quando nova; hoje em dia elas são um pouco ácidas demais para mim. Agora espero encontrar outras espécies no mercado, para poder continuar a experiência. Tão besta, tão óbvio, que me sinto uma idiota por ter comprado maçãs tão no piloto automático nos últimos anos.

Voltando ao bustrengo, confesso ter começado a receita com certo receio, uma vez que Jamie Oliver nem sempre acerta a mão quando o assunto é panificação e confeitaria. Desta vez, no entanto, ele acertou em cheio. Esse é exatamente o tipo de doce que adoro [assim como minha mãe, que ganhou metade do bolo]: não muito doce, bastante aromático, cheio de frutas secas, e cuja complexidade vai se revelando aos poucos, a cada mordida. Primeiro a textura da polenta, então as raspas de laranja, a maciez da maçã, as sementinhas dos figos explodindo na boca.

Comi, fotografei e não via a hora de escrever a respeito. Mas antes, um pouco de pesquisa. Sabe como é, eu não queria simplesmente repetir o texto do livro, e queria ter certeza da origem do bolo, uma vez que já conhecia a versão de arroz, mas não a de polenta.

Pesquiso aqui, pesquiso ali, descubro um portal da Romagna. E uma receita de bustrengo. Bem... não uma. "A" receita de bustrengo. Igual à do Jamie. Ou seria o contrário?? Tchan-tchaaaan...!

BUSTRENGO
(do livro Jamie's Italy... ou do site da Romagna. Mistério...)
Tempo de preparo: 1 hora
Rendimento: 8-16 fatias


Ingredientes:
  • 100g farinha de milho para polenta
  • 200g farinha de trigo
  • 100g farinha de rosca
  • 100g açúcar cristal orgânico
  • 500ml leite integral
  • 100g mel
  • 3 ovos grandes, orgânicos
  • 55ml azeite extra-virgem
  • 100g figos secos cortados em pedaços
  • 100g de passas (claras ou escuras)
  • 500g maçãs firmes, sem casca, cortadas em pedaços pequenos
  • 1/2 colh. (chá) canela em pó
  • casca de 2 laranjas
  • casca de 2 limões
  • 1 colh. (chá) sal

Preparo:
  1. Pré-aqueça o forno a 180ºC. Unte com manteiga uma forma de 28cm, de fundo removível.
  2. Misture a polenta, a farinha, a farinha de rosca, o sal, a canela e o açúcar em uma tigela grande. Em outra, misture o leite, os ovos, o mel e o azeite.
  3. Junte a mistura líquida à seca, mexendo até que fique homogêneo. Adicione o restante dos ingredientes, misture novamente e despeje na forma. Asse por 50 minutos, ou até que um palito saia limpo quando inserido no centro. Polvilhe com açúcar de confeiteiro e sirva morno.

15 comentários:

Deca disse...

Olá Ana Elisa!
Muitos parabéns pelo site!
Desde que *achei* a sua valiosa explicação sobre creme fraiche, buttermilk e etc fiquei encantada e sempre visito!
Feliz ano novo.
Deca

Ronaldo Rossi disse...

Oi Ana, primeiro adorei a frase do seu perfil, vou acabar usando pra mim um dia desses, haha
não conhecia esse doce, mas deu vontade de provar, o nome é realmente estranho poderia ter sido um dos meus apelidos na infancia,
a chá de cascas de abacaxi é realmente muito bom, se deixar ferver um pouco mais e com mais açúcar vira a melhor calda pra bolo de abacaxi que vc pode fazer
parabéns pela forma de escrever e pelo blog,
beijão,
Ronaldo

Nysa disse...

realmente que grande BUSTRENGO!!!! hahhaha... podia ser um palavrao, mas nao, é um bolo delicado que ficou lindo!!! adorei ;-)

espressa-mente! disse...

nossa, lembra minha infância!!

xii, fiquei na dúvida se infancia perdeu o acento ou nao! rs

Alessandra disse...

Eita, parece apetitoso... maça é tudo de bom, de todos os tipos.

Beijos

Alessandra Soares disse...

Oi Ana!
Domingo é aniversário do meu filho ,e,procurando uma receita de bolo de chocolate cai aqui.Adorei tudo e acho q seu bolo de camadas foi o escolhido.Obrigada!
Alessandra

Bergamo disse...

Ana,
Lindo esse doce, hein?
Estou há um tempão pra responder a sua pegunta sobre o forno, né? Que vergonha...mas td bem...tô descontando, vc nunca respondeu um email que te mandei há meses...kkkkkkkk
Brincadeiras à parte...esse forno é da Brastemp, mas fabricado na Itália, então tem aquela cara dos fornos da Falmec, Eletromec (se não me engano). Não é digital, mas tem uma série de funções e combinações de resistências e turbina. E, o que é mais importante, é bem grande (por fora tem 90 cm, lógico que o espaço interno é menor). Estou feliz com ele sim...acho que foi uma boa compra, além de ser mais barato que os italianos.
Abraços,
Bergamo

martina disse...

guria, as gala sao uma delícia quando bem fresquinhas, bem suculentas e crocantes. o problema é que elas ficam farelentas muito rápido, e eu nao sei reconhecer a idade delas por fora....
:S

andreia disse...

oi ana!
passadas as festas de fim de ano, fiquei com a geladeira e os armarios cheios de frutas secas/cristalizadas e nozes de todos os tipos... queria fazer um bolo ou algo assim, mas nao tenho uma receita especifica... terias alguma sugestao?
obrigada!
bjos.

Ana Elisa disse...

Deca,
obrigada! Para vc tbm!

Ronaldo,
Obrigada pelos elogios e pela dica da calda de abacaxi! :)

Nysa,
ficou bem bom também!

Espressa-mente,
essa reforma ortográfica me tirou do sério...

Alessandra,
pois é, quero ver se encontro outros tipos.

Alessandra S.,
pode fazer, que o bolo fica sensacional!

Bergamo,
bom, email respondido! Hahaha! Obrigada pela resposta do forno. O meu tem só 41cm de largura, então às vezes tenho de colocar assadeiras e formas de muffin atravessadas nele... Irritante... :S

Martina,
tá explicado, então. Vou ver se acho umas Gala fresquinhas pra tirar o trauma.

Andreia,
o bustrengo é bom porque usa mais de um tipo de fruta. Vc pode fazer muffins, sua própria granola, kugelhopft, stollen, bolo de maçã... um monte de coisa, na verdade. Depende só do seu gosto e das frutas que vc tem... :)

Bjos

Rico Drummond disse...

Muito obrigado pelo Bustrengo.
Aproveitei um almoço de reunião de família e mandei bala. Foi o maior sucesso.
Claro que eu, metido como sou, acabei de desformar o bicho e levei um pedaço pra loja de tortas de uma amiga, que é uma exímia cozinheira, pra ela dar o aval. Resultado: "Eu quero essa receita". Foi por esse pedido que eu pude confirmar o êxito total.
Grande abraço.

clau disse...

Ciao Ana!
O universo das maças é algo a ser descoberto, n'é verdade?
E algo semelhante tb aconteceu comigo, e eu até comentei sobre isto (e em varias oportunidades).
A maça Gala pode ser muito boa e de otima textura, sim! Basta poder saborea-la muito proxima da sua colheita, numa coisa nem sempre possivel...
Mas, no fundo, penso que nenhuma bata a Pink Lady, ou mm a Fuji: pq sao sucosas e muito, muito, saborosas!
Sinonimo de verdadeiro prazer.Rss.
Bjs!

Guilhermino disse...

Oi Ana, Feliz Ano Novo. Sabe que eu guardava somente suas receitas, depois que fui escolher uma e fiquei na dúvida, passei a salvá-la com os seus posts também, já que são eles que me fazem ficar com água na boca...
Um abraço
Gui

Silvia disse...

Ana, tenho um vidro cheio de deliciosa casca de laranja em pó que ganhei de uma amiga. Saberia dizer, pra esta receita, quanto posso colocar, em gramas ou colher de chá?

Herculano Neto disse...

Cara Ana, como vai?
Sou um leitor silencioso do seu blog e aventureiro de cozinha, depois que percebi que essa seria a única maneira de perpetuar (ou tentar) receitas de avó e mãe...
Tentei o seu Bustrengo, já que também sou fã de frutas secas mas não sei, achei que o meu resultado ficou muito 'pesado', meio massudo.
É assim mesmo ou será que fiz alguma shits ?
Abraços/

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails