segunda-feira, 6 de outubro de 2008

PADARIA DE DOMINGO 24: pão de centeio integral


Sexta-feira foi meu aniversário. Tinha planos de fazer bolos. Não apenas um bolo de aniversário, de avelãs e chocolate, mas também um pequeno, mármore, simplesinho, para levar na corrida. Nem uma coisa, nem outra. Fui consumida pelo trabalho e pela dieta. Pelo trabalho, porque novos jobs e novos esquemas, diferentes da minha vida normal de freelancer, criaram rotinas às quais estou custando um pouco a me adaptar. Pela dieta, porque após dois meses cravados, apesar de excelentes e visíveis resultados, tenho me sentido incrivelmente beligerante. Tudo me irrita. A explicação da nutricionista é simples falta de carboidratos. Boring... A explicação ayurvédica é que meu corpo está consumindo um combustível ruim, acumulado nas minhas gordurinhas, e seria mais ou menos como queimar pneus (literalmente, nesse caso) ao invés de ervas aromáticas. A fumaça que sai não é agradável. Gosto mais da minha explicação: minha porção má, antes diluída numa Ana Elisa maior, agora está ficando mais concentrada; como um xarope de ruindade.

Estou irritada por não poder cozinhar qualquer coisa que eu queira, irritada com a nova rotina, irritada com determinados clientes e determinadas situações de trabalho, irritada com fornecedores que mandam provas erradas e mandam as mesma provas erradas para o cliente errado, irritada com o tempo ruim que me faz passear com o cachorro na chuva três vezes por dia, irritada porque passei meu aniversário correndo e resolvendo pepinos, mesmo tendo adiantado todas as minhas tarefas para passar a manhã de sexta bundando... suficientemente irritada para querer arrancar a cabeça de algumas pessoas (uma em especial) com os dentes; bastante nervosa para não ter paciência para cozinhar nada que preste além de gororobas de dieta que (garanto) apesar de comíveis, ninguém quer ver por aqui; e mais do que enfurecida para olhar bem nos olhos de pessoas que:
1. Acham que são o centro do universo;
2. Me mandam e-mails mal-educados e impessoais, como se eu fosse SAC de empresa;
3. Não se lembram que nem todos são milionários como eles;
4. Acham que meu cachorro é corrimão;
5. Ficam tentando passar colegas de trabalho para trás na frente do cliente...
...e fazer uma pergunta meramente retórica que aprendi com um amigo sem papas na língua, escandindo sílabas:

"Você é idiota?"

No meio disso, tenho tido muito pouca paciência até mesmo com esse blog, que costumava ser fonte de prazer para mim.

Noutro dia, apanhei uma folha de caderno e escrevi em letras garrafais: "NÃO SE IRRITE", e colei na parede atrás do computador, para que aquele virasse meu mantra e eu me lembrasse de respirar fundo antes de mandar as pessoas para a p*ta que pariu.

Tem funcionado... um pouquinho.

Outro fator calmante é o cão. Cãozinho fofo e gigante, que vem todo peludo balançando seu rabo-espanador-derruba-coisas, tentando melhorar meu humor com lambidas, pulando no meu colo quando estou em frente ao computador, desavisada, como se ele não pesasse 20kg. Ele me acalma. Não há criatura no mundo com menos maldade no coração; ao contrário da dona, ultimamente.

Outras coisas que me fazem relaxar e esquecer a raiva são as flores surgindo por causa da primavera, que parecem iridescentes contra o céu prateado de chuva; passear pela rua com o cão e me deparar com uma amoreira ou pitangueira carregada e sair comendo frutinhas direto do galho, assim, como se eu não estivesse no meio de São Paulo; passar o sábado inteiro pós-aniversário com meu marido, sem pensar em trabalho, tomando café da manhã num lugar gostoso, passeando pela rua para aproveitar uma brecha de sol, indo ao cinema; sentar no sofá de pernas cruzadas no domingo, com uma xícara de chá, e folhear meus livros novos que chegaram todos antes do meu aniversário; e fazer pão.


Pão me deixa de bom humor. O processo, o cheiro que a casa ganha por horas. E não dá para fazer pão com raiva. Quem quereria comer um pão raivoso?

A receita é a mesma da outra vez, mas substituindo o mel por 8g de extrato de malte (1 colh. (chá)), a farinha de trigo para pães por farinha integral e aumentando a quantidade de água em 1 colh. (sopa).

22 comentários:

Dricka disse...

Ai Ana sei bem como é isso.Esses dias estressantes que no meio de tudo nos vemos numa necessidade urgente de parar respirar e achar algo que aplaque a avalanche ensandecida que rola em nossas cabeças.Eu sou uma pessoa estressada, quem me olha acha que não, mas eu sou e nesses dias não há mesmo nada melhor que parar e fazer somente o que nos dá prazer, talvez o serviço fique um pouquinho mais atravancado, mas olha vale a pena! Porque afinal trabalhamos para viver.E o mundo não morre se a gente parar só um pouquinho a fim de manter a sanidade( nossa e dos outros).
Estou torcendo pra essa tempestade acabar logo, porque essa semana morri de saudades de vc no blog.
Bjs e que essa semana seja bemmmmm melhor.

dricka disse...

Eita! Esqueci do parabéns.Atrasado mesmo.Serve?
Bem, então...
Felicidades, Realizações, Paz, Amor, Harmonia e todas essas coisas boas que almejamos e precisamos para deixar a vida leve e colorida.
Bjs de novo.(vc me perdoa pelo tantão de espaço usado?)

Kelps Leite de Sousa disse...

Veja pelo lado bom, mesmo irritada você continua escrevendo esses texto maravilhosos e postando essas receitas de dar água na boca. Essa do seu lado mal estar menos diluído me deixou rindo até agora. Meus vizinhos devem achar que sou louco, rindo sozinho desse jeito.
Basta rir um pouco que a vida da gente melhora rapidinho.

[]s
Kelps

Laurinha disse...

Mandei umas estrelinhas para você, carregadas de bons fluidos, tá!
Beijinhos

Letícia disse...

Ana, o pão ficou lindo, minha pergunta: a casquinha ficou tão crocante quanto parece? Como você consegue isso?
Quanto ao fato de você estar mais maldosa ou sem paciência, não é porque as pessoas parecem estar mais malas que o normal? Às vezes sinto isso... até eu estou aqui passando por mala e dando pitaco no seu post...rs
Bjo

Anônimo disse...

Cara Ana
Segunda é um dia mais hardcore, acabo procurando o teu blog para desestressar com teu bom humor. Fico mais aliviada em ver que mesmo uma pessoa mais elevada também admite que tem um "xarope de ruindade". O meu tá mais para bidestilado... e sem cãozinho para desestressar. Mas citando Mario Quintana "...eles passarão, eu passarinho.". Boa noite, querida.
Lúcia

Viviane Peçanha disse...

Lindo esse pão, a forma dele está incrível!!! Parabéns!

Carla disse...

Ana Elisa,

Espero que essa fase esteja passando logo e que você volte a ter prazer neste blog que dá tanto prazer a tanta gente. Eu acho que é da dieta... nunca na vida eu fiz uma dieta que me deixasse de bom humor... teoricamene devia, não é? + bonita = + humor mas a equação não funciona :)

Um abraço,

Carla

Andreia T. Farias Britez disse...

Oi Ana!! Nessas horas de estresse profundo , largue tudo e cozinhe! Fácil, não? Mas falando sério, quando estou explodindo pego uma massa depão e sovo, sovo, sovo... Como a Dricka falou, sentimos sua falta!! Queria saber se esses livros vc compra pela Amazon? Sempre fico com medinho de comprar algo pela amazon e o treco se perder pelo caminho! O preço é mais em conta do que comprar pelas livrarias daqui (como a cultura, por exemplo?). BEijão!

Fernanda disse...

Se pudessemos, às vezes, pediríamos para o mundo parar e assim descermos... Mas as pequenas compensações, pequenas e tão grandes, nos enchem de paz. Um lindo cachorro, flores, sol, café, marido, livros etc.
Quantas vezes também me senti assim,e lendo seu texto com um desfecho delicioso, me senti menos cansada e com um pouco mais de paz.
Mas,ainda bem, tudo passa..
Bjs

lindalacava disse...

OI Ana, faz tempo que nao apareço por aqui. Mas,( nao me mande pra PQP), yoga é mto bom pra acalmar e diluir esses ataques de furia. O marido que diz que tem dias que gostaria de fazer como no filme, Um ataque de furia,mas respira-se e continua. Mas serio, uma meditaçao, uns exercicios de respiraçao ajudam. No final das contas, essas raivas causam mais danos a nós mesmos.bjs

Mari Azevedo disse...

Oi Ana! Seu pão, como sempre, está maravilhoso... também tenho meus momentos em que parece que o mundo conspira contra mim, e dá vontade de mandar todos para o raio que os parta, ou coisa pior...
E o bom, nessas horas, é focar naquilo que temos de bom, exatamente como vc fez: o cachorro tão fofo e carinhoso, os livros, e fazer um delicioso pão,
Comigo também funciona assim... qdo estou a beira de um ataque de nervos, nada melhor do que fazer um bolinho ou uma comidinha gostosa, brincar com o cachorro (o meu tem apenas 3kg, mas é pura doçura e carinho) e com a filha, assistir um filme deitada no colo do marido... isso não tem preço.
Feliz aniversário atrasado, com votos de que a tempestade pela qual vc está passando vá embora rapidinho, e que venha uma infindável bonança.
Bjss!!

Glau disse...

Ana Elisa, te desejo parabéns pelo seu aniversário!

Não estressa, não vale a pena! :)

Bjo com carinho, Glau

Michel disse...

Está saindo cada fornada deste blog. Ainda crio coragem para fazer alguns pãezinhos por aqui.
Você está me encorajando com estes posts.

Anette disse...

Quanto pão fantástico...
Adoro o seu blo, Ana, ADORO!
Beijinho

Monaliza Maia disse...

Ana Elisa,
Assim, pelo primeiro nome para ficar bem pessoal. Tenho uma amiga muito querida, que me faz toda a falta do mundo, que está morando na Itália, porque casou com um siciliano e foi se infurnar por lá... Recomendei para ela o seu blog e faço a mesma coisa para você: recomendo o dela! Tenho certeza que se conhecessem uma a outra (e a mim claro, hehehe) seriam grandes amigas... Ela também é publicitária... eu também. Enfim, o blog da Maria Luiza Lavenere, ou Rossi agora, é http://luizalavenere.wordpress.com/ . Entra lá e me diga se vocês não são primas gêmeas...
Um abraço. Monaliza

Lílian disse...

Ana, feliz aniversário!!!

Luiz Leão disse...

Ana... estou passado. Abestalhado.
Fiz um "search" no Google com a palavra azulejo e caí no seu blog. Quando consegui parar de rir (desculpe... foi incontrolável) do piso da cozinha concluí que, antes de ser um boa cozinheira, você é uma ótima redatora. E resolvi visitar seu website.
Que ilusão a minha: você é uma agência de publicidade inteira sobre pernas.
Parabéns pelo seu trabalho, pelas suas receitas - vou experimentar sua receita de massa com canela - e, principalmente, pelo seu texto. Você escreve como só uma pessoa feliz é capaz de escrever. E não me venha falar que estou enganado.
Sem querer enfurecer seu maridão, estou apaixonado. A-DO-REI!

Luiz Leão disse...

Você só podia ser libriana. Que nem eu!

Anônimo disse...

Oi Ana, gostaria de dizer que acompanho o seu blog há um tempinho, desde que vc desvendou o grande mistério do "creme de leite". Gosto da sua forma de escrever, e hoje, mais que nunca identifiquei-me com vc.
Gostaria que soubesse, que o que me alegra, alem das pitangas, é ler o seu blog.
Ler o seu blog, segunda feira, que deu tudo errado...NÃO TEM PREÇO!!!

Anônimo disse...

Oi Ana, primeiro lugar, parabens...
Adoro seu blog, principalmente porque vc desvendou o mistério do creme de leite.
Gostaria que soubesse que ler o seu blog, segunda feira que deu tudo errado... Não tem preço.
Parabéns

Ana Elisa disse...

Pessoas,
ainda bem que a tempestade passou. Muito, muito obrigada pelo carinho de vocês. Num mundo onde parece que é só ser bonzinho para levar patada, me pego surpresa ao ver pessoas que se importam comigo sem nunca me terem visto. Isso faz com que minha fé na humanidade se renove. De coração, orbigada a todos.

Letícia,
não, a casca ficou como de pão italiano, mais borrachudinha.

Andreia,
dá uma pesquisada antes, pois dependendo do livro, às vezes sai o mesmo preço. Mas normalmente vale a pena, e nunca me deu problema. Geralmente só tenho de buscar no correio, porque o pacote é pesado pro coitado do carteiro...

Linda,
quando vi seu comentário, já estava a caminho do retiro...

Monaliza,
vou dar uma olhada sim!

Luiz,
Obrigada! Depois me diga se gostou da massa!

beijos!!

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails