quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Pão de leite, forma de pão e menino na cadeira

Antes de qualquer coisa, preciso agradecer a todos que comentaram no post anterior. As experiências diferentes de todos me fizeram analisar e entender melhor o comportamento do pequeno escalador de poltronas. Os pitís continuam, mas ando tentando lidar com eles de formas diferentes e ver o que funciona e o que não funciona. Ter filho é fácil. Criar é outra história.

Porém, não importa quantas duas horas e meia seu filho passe gritando no seu ouvido – você esquece os maus momentos quando o pimpolho vem se agarrar à sua perna, pedindo colo para poder enxergar o que você está preparando de interessante na cozinha. E esquece as birras quando ele se diverte ao ser colocado de pé em uma cadeira para ajudá-la a abrir a massa de torta com o rolo ou sovar pão. E ri ao tentar impedir que o moleque coma toda a massa crua enquanto brinca com ela.

Dá mais trabalho preparar o jantar segurando um garoto desse tamanho equilibrado num barrigão grávido, mas é com certeza mais divertido: vou lhe dizendo os nomes dos ingredientes e contando o que faremos com eles, e ele mantém os olhinhos atentos, as mãozinhas ávidas querendo alcançar cada cenourinha ralada, pedaço de queijo ou mesmo dentes de alho. Mergulha o dedo no sour cream, no leite de coco, na pasta de curry. Vai experimentando de tudo um pouco, se enchendo de orgulho quando mamãe diz que ele está ajudando. E, de quebra, come mais interessado a refeição que "ele preparou".

Mas das suas reações que mais me encantam, minha favorita é ao pão fresco. O pão saindo do forno, exalando aromas, e ele entra apressado na cozinha, sorridente, inspira fundo de um jeito caricato, fazendo careta e barulho, e solta um delicioso e melódico "hmmmmmmmm". E quando vê o pão esfriando sobre a grade, quer tocá-lo. Mamãe diz que está quente, e ele encosta com cuidado na casca dourada, retraindo rápido a mão e dizendo "au!". E repete o gesto, até sentir o calor confortável do pão nas palmas. E inspira novamente, absorvendo o perfume. E se esbalda quando finalmente ganha uma fatia fresquinha com manteiga derretendo por cima.

Esse é mais um bom pão de forma para iniciantes, fácil, perfumado, delicioso, macio mas firme o bastante para aguentar passadelas de manteiga ainda gelada ou recheios de sanduíche mais úmidos. A receita vem de um livro que tenho usado muito, e que foi presente de uma grande amiga que entende por que nunca se pode ter livros demais sobre panificação. ;)

Para quem sempre comenta a respeito da altura do pão, fica a dica da forma: quase sempre que faço pães de forma, uso a chamada "pullman pan", ou forma de "pan de mie" ou pão de miga. Trata-se de uma forma de alumínio mais bojuda, mais curta que uma forma de bolo inglês, mas com quase o dobro da altura. Isso garante que os pães fiquem mais altos, de um melhor tamanho para fatiar e montar sanduíches. Ela também vem com uma tampa, que você pode ou não usar segundo a receita, para que o pão asse exatamente quadrado. A minha comprei fora, durante uma viagem, mas é certeza de que se encontra dela em lojas especializadas ou que abastecem restaurantes. No mais, a boa e velha forma de bolo inglês serve muito bem.

PÃO DE LEITE
(do ótimo How to Bake, de Paul Hollywood)
Tempo de preparo: 3-4 horas
Rendimento: 1 pão

Ingredientes:

  • 500g farinha branca orgânica ou para pães (use farinha comum se não encontrar das outras)
  • 10g sal
  • 25g açúcar cristal orgânico
  • 10g fermento ativo seco
  • 30g manteiga sem sal, amolecida
  • 320ml leite integral morno
  • azeite para sovar

Preparo: 
  1. Coloque a farinha numa tigela grande. Coloque o sal e o açúcar num canto dela e o fermento em outro, para que o fermento não toque o sal diretamente. Junte a manteiga e 3/4 do leite morno. Misture gentilmente com os dedos. Continue acrescentando o leite, um pouco por vez, até que toda a farinha esteja umedecida e você tenha formado uma espécie de massa. Dependendo da umidade do ar no dia, pode ser que você não use todo o leite, ou que precise acrescentar mais – você quer uma massa úmida, mas não enxarcada. Raspe bem com os dedos as laterais da tigela e sove um pouco a massa dentro dela até que forme uma massa macia e rasoavelmente coesa.
  2. Unte ligeiramente a bancada com um fio de azeite e despeje a massa ali. Sove por cerca de 5-10 minutos, até que a massa esteja elástica e com a superfície bem uniforme. Quando a textura da massa parecer macia e sedosa, forma uma bola e coloque numa tigela grande untada. Cubra com um pano de prato e deixe fermentar até que dobre de tamanho, no mínimo 1 hora, no máximo 3, dependendo da temperatura da sua cozinha (menos tempo em dias bem quentes, mais tempo em dias mais frios, sempre tendo 21ºC como temperatura ideal como base de comparação).  
  3. Unte uma forma de pão ou bolo inglês funda com óleo ou manteiga. Retire a massa da tigela, achate-a ligeiramente com os punhos em forma de retângulo e dobre-a como se fizesse um avião de papel, trazendo a metade da direita para o centro, a metade da esquerda para o centro e dobrando uma sobre a outra, sempre selando bem as bordas para que não haja fendas. Role sob as palmas para que fique do tamanho da forma e coloque a massa dentro dela, com a fenda para baixo. Polvilhe com farinha e faça um corte na superfície da massa, no sentido do comprimento. 
  4. Cbra com um pano e deixe fermentar por mais 1 hora, ou até que tenha no mínimo dobrado de tamanho. Enquanto isso, pré-aqueça o forno a 210ºC.
  5. Asse por 25 minutos, ou até que o pão esteja dourado e soe oco quando retirado da forma e batido na parte debaixo com os nós dos dedos. Deixe esfriar completamente sobre uma grade, fora da forma, antes de fatiar.


25 comentários:

Unknown disse...

Parece que a receita é muito boa mesmo. Por aqui, coloquei pra assar roscas de coco que o meu filho mais velho (de 4 anos) me ajudou a fazer. Ficou todo orgulhoso de fazer o pão que levará na escola pro lanche de encerramento. Meu mais novo, com 2 anos e meio, também adora comer a massa crua!
Quando a gente fala pra outras pessoas que não vivem isto, soa como maluquice, mas é bem mais fácil fazer as coisas com eles ajudando, envolvidos...
Boa sorte por aí!
Lívia

Patricia Scarpin disse...

Seu pão ficou lindo demais, Ana - olha a maciez! O que eu não daria agora por uma dessas fatias amanteigadas que o Sr. Thomas anda comendo... ;)
xx

patrícia disse...

Ana, atravessei o que escreveste e, ao passar os olhos na imagem, fiquei parada, até emocionada...que grande está o Thomas e ainda há pouco me lembro de ti a anunciar uma "baby pie" :)

Abraço!*
(gosto muito de te ler)

Mafalda disse...

É muito bom quando eles querem participar (embora nos dê o dobro do trabalho)... :)
esse pão está mesmo a pedir uma manteiga ou um docinho.. :)
um beijinho

Anônimo disse...

Que linda fotografia! :)
Boa semana.
Camila.

Anônimo disse...

Ana, uma curiosidade: se eu usar manteiga com sal, e ajustar a quantidade do próprio sal, faz diferença na receita?

O pão está lindo e apetitoso, como sempre!

Abraço,

Inês

thatiana Bandeira disse...

Parabéns, parabéns e parabéns!!!
Aprendo, sempre, muito com vcoê
Bj

Luciane disse...

Ana,
O seu pão deu água na boca. Também 2 pequenos e o mais velho (2a9m) gosta muito de participar, o mais novo está iniciando. Me desculpe a falta de conhecimento, mas o que seria fermento ativo seco? Encontra fácil no supermercado? E o que vc acha sobre trocar o leite por água? Desde que meus filhos tiveram cólica à proteína do leite, não uso mais nas minhas receitas.
Beijos

Ana E.G. Granziera disse...

Inês,
o problema da manteiga com sal é que você não sabe quanto sal há nela (e normalmente é bastante). Considerando que o sal mata ou retarda o fermento, se a receita levar mais sal do que o pedido, pode ser que o pão não cresça tão bem.

Luciane,
Fermento ativo seco (ou biológico seco, instantâneo ou não) é o de envelope e tem em qualquer supermercado. É o fermento de tablete que passou por secagem para durar mais tempo. As leveduras estão dormentes, e são "acordadas" com acréscimo de líquido. No caso da receita, o leite contribui com a textura, corpo e sabor do pão, por conta da gordura do leite, entre outros elementos. Substituir por água resultará em algo totalmente diferente. Uma alternativa para fazer pães mais macios no seu caso seria pães de iogurte (coloquei o link para um há alguns posts atrás, acho que no post do Lassi), porque o processo do iogurte CASEIRO – não o industrial – quebra a proteína do leite e torna-o de mais fácil digestão. O iogurte industrial leva leite desnatado, que é lotado de proteína, mais do que o integral, então não serve.

bjs

Anônimo disse...

LInda esta idéia de levar o peque no à cozinha. Sei que dá trabalho, mas é a essência da vida. É a dedicação, a paciência, o tempo juntos. Lindo ver estas mãos pequeninas na massa. Isto é ser mãe. Parabéns

lili disse...

Como não tenho mais filhos pequenos, conto, na cozinha, com a companhia dos meus cães, que adoram massa crua.

Alethea Carlini disse...

Ana, parece mesmo fácil esta receita!

Procurei no Google e achei vários lugares que vendem a forma parecida que vc falou; de 9 a 35 reais...

Adoro seu blog (vou te madar um e-mail e me apresentar decentemente!)

Bjs e felicidades!

Ale

Ronize Bumba disse...

Ana Bom dia !

Seus posts me emocionam sempre, esse em especial. Tbm tenho uma filha pequena, a minha cantora de opereta e bailarina nas horas vagas. Não para um segundo, e para controlar birras, respostas atravessadas e um mau humor que aparece sempre quando dou uma negativa, fizemos biscoitos de natal e hoje vamos fazer pão.
Descobri como ela fica fascinada com a cozinha, misturar ingredientes, amassar e quebrar ovos. Só é uma pena que nem todos os dias a mãe dessa pequena está com disposição para criar algo na cozinha e acabo deixando a mini-Polock tomar conta da pequena sala do ape.

Mas isso chama-se felicidade.

Adorei o pão, está na lista para a próxima aventura na cozinha!

um beijo grande

Glaucia Gripp disse...

Ana, qdo. abri o blog, hoje, vi a foto, falei logo:'ah, meu Deus,que
bonitinho!'. Depois que li achei mais lindo ainda... meus sobrinhos
gêmeos, quando bem pequenos quize-
zeram ajudar a fazer pães recheia-
dos de chocolate. Deixei... quando
prontos vieram comer. Perguntei:
'está bom?' resposta: "está, foi
nós que fez'... achei lindo, nem
corrigi o português...bjs. Glaucia

Renata disse...

A barriguinha do Thomas me lembrou de quando meu priminho tinha esse tamanho e eu dava uma leve apertada na barriga dele, que parecia massa de pão em processo de crescimento, e ele gargalhava :)

Ana, seu iogurte fica com muito soro? Minha mãe começou a fazer com leite "de verdade", retirado de uma vaquinha do sítio vizinho, e ele resulta em um exagero de soro, chega a incomodar e às vezes precisamos escorrer antes de comer ou o negócio vira uma água.

Tee disse...

Meu Deus o matador de dragões esta enorme!

Anônimo disse...

Fiz o pão desse post ontem - delícia! Aliás, como sempre: já fiz umas 15 receitas das suas e nunca testei nenhuma que não desse MUITO certo. Hoje em dia quando quero novidade venho direto aqui! O melhor blog de culinária que conheço!
Ana, já que alguns comentários falam sobre iogurte, uma pergunta: você já utilizou fermento lácteo seco, tipo o BioRich? Comigo ele dá mais certo que o de copinho,que comigo às vezes desanda. Esse nunca desandou e acho mais firme e menos ácido.
Inês

Livia Luzete disse...

Ownnn...momento lindo!
Meu mais velho também dava "hummms" e "acho que está bom" ! Saudades desse tempo mais poético, se bem que ainda hoje rola elogios.

Essa foto está simplesmente sublime!

Adriana Pires disse...

Olá Ana! Já tem um ano que acompanho seu blog, mas nunca postei nada. Parabéns pelo site, a forma como escreve é incrível, sua forma de ver a vida e cuidar do seu filho, é muito legal! Eu sou iniciante na cozinha (sempre fiz almoço e jantar pra mim e meu marido, mas o básico), e sempre quis fazer pão, mas confesso que nunca tive coragem por medo de dar errado, até que li a receita desse post e achei que seria capaz. Porém a massa não cresceu como deveria, cheguei a ler o post que fala dos erros, mas gostaria de te pedir um socorro, e espero que não riam de mim, porque realmente é a primeira vez que faço: sobre a quantidade de leite, a massa deve ficar úmida, mas deve desgrudar totalmente das mãos ao manipulá-la ou pode ficar grudando? E sobre a forma de dobrar a massa, você disse para fazer como um avião de papel, da direita para o centro e esquerda para o centro, faço isso na outra ponta também, correto? Antes de dobrar uma parte sobre a outra pra ir à forma, fico com um quadrado com 4 triângulos dobrados em cima dele? Desculpe as perguntas bobas. Bjos

Ana Maria disse...

Ana, sua xará aqui e moradora da zn, frequentadora do clube alemão desde pequena e a mais nova leitora assídua de seu blog.

Pão queria fazer faz tempo, vou começar agora com suas receitas.

Para isto comprei uma forma de pão de forma baby com tampa e a grade, esta última não tinha ainda.

Comprei no Mercado Livre de um fornecedor chamado Goldpan, o preço é bom e o fornecedor envia logo. Tem a baby e a de tamanho normal. #ficaadica para quem estiver atrás também.


Ah, e como seu marido curte um bom café fica o convite para ingressar no Clube do café, mesma paixão que temos aqui pela culinária lá é pelo café.

Aguardarei os novos posts e sua generosidade em compartilhar.

Grande beijo

Ana Maria

Ariane disse...

Oi Ana!
Morri de vontade de fazer essa receita!
Nunca fiz pães e acho que essa seria uma ótima oportunidade de começar (ou vc sugere outra receita?)!
Qual o tamanho da forma que você usou?
Obrigada!

Bel Lüscher disse...

Acabou de sair do forno o pao mais bem sucedido da historia da minha cozinha!
Obrigada, Ana!!!

Bel Lüscher disse...

Acaba de sair do forno o pão mais bem sucedido da história da minha cozinha!
Obrigada Ana!!

Anônimo disse...

Olá Ana,

Primeira vez que me aventurei a fazer pão, criei coragem por causa dessa receita e ficou ótimo!

Visito o blog desde 2009 e adoro as tuas receitas. Muitíssimo obrigado por tirar esse tempo para escrever e dividir as tuas aventuras culinárias conosco!

xx
Simone

Silvia disse...

Oi Ana!
Já fiz sua receita de pão de forma (a com a tampa) algumas vezes. Será que rola essa receita na forma com a tampa? Achei essa mais rica, mas queria fazer quadradinho por capricho ;)
Obrigada!
Beijos, Silvia.

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails