terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Torta com crosta de batata para um dia nhanha

Adoraria postar aqui toda uma linda série de doces e quitutes natalinos. Mas a verdade é que meu cérebro anda focado em simplesmente colocar comida na mesa. No calorão de fim de ano, e por mais uma mão cheia de motivos, ando pensando mais em sorvete que em panetone; mais em salada que em cardápio de ceia.

E daí que num dia cansado, barrigão parecendo querer explodir com bebê fazendo alongamento lá dentro, precisava dar cabo de meio pote de ricotta fresca que iria estragar e batatas que já davam sinal de que brotariam. Benzadeus pelo Eat Your Books, pois o pequeno explorador de lareiras não parou quieto tempo o bastante para que eu pudesse sentar e folhear tranquilamente meus livros em busca de uma receita.

Quando caí nessa torta de abobrinha e ricotta com crosta de batata, fiquei ressabiada. Parecia mais trabalhoso do que eu gostaria e por algum motivo achava que não daria certo. Mas na falta de outra possibilidade, e com medo de deixar que a preguiça botasse a perder bons ingredientes, pus a mão na massa.

A verdade é que foi mais fácil que qualquer espécie de torta que já tenha preparado em minha vida. Em cinco minutos a crosta estava no forno, e enquanto assava, refoguei as abobrinhas. Crosta dourada, foi questão de misturar abobrinhas, queijo, ovo e leite e colocar tudo no forno. Em pouco tempo havia um jantar delicioso e principalmente reconfortante na mesa.

Esse não é um prato para visitas. Pois as batatas tendem a grudar um pouco na forma e você acaba tirando porções meio que despedaçadas, e não lindas fatias. Quero testar novamente, untando com manteiga no lugar de azeite, que acredito que vá tornar a soltura mais fácil. No entanto, mesmo despedaçado, esse é um jantar fantástico: as batatas ficam crocantes e com aquele gostinho de casquinha de batata assada, e o recheio ficou leve, macio e saboroso. Prato que pretendo repetir infinitas vezes.

A receita vem do ótimo livro How To Cook Everything Vegetarian, de Mark Bittman. Recomendadíssimo por conta das boas receitas rápidas para todo dia. Um dos livros que mais uso numa terça à noite depois de muito trabalho. Acabei adaptando pouca coisa do recheio para usar o que tinha em casa: a receita pedia 1 ovo, 1 gema e creme de leite, que substituí por dois ovos inteiros e leite integral; e ao invés de apenas refogar abobrinha, refoguei-a num enorme dente de alho, o que com certeza contribuiu e muito no sabor. Via de regra, uma vez tendo a crosta de batata, tão simples e deliciosa, você pode inventar o que quiser por cima, seguir com seu recheio usual de quiche, apenas reduzindo a quantidade.

Para a crosta, apanhe cerca de 3-4 batatas pequenas (que caibam numa mão entreaberta), lave, descasque e rale na parte grossa do ralador. Esprema e escorra bem o excesso de líquido delas e tempere bem com sal e pimenta-do-reino. Aperte as batatas raladas contra uma forma de torta de cerca de 21cm, untada generosamente com manteiga ou azeite. A camada de batatas deve ser razoavelmente fina. E leve ao forno a 190ºC por 30-40 minutos, até que as batatas pareçam sequinhas e douradas. Então é só colocar o recheio e voltar ao forno por 20-30 minutos, ou até que o recheio pareça firme em volta e balançando ainda ligeiramente no centro. Formas de vidro funcionam melhor, pois você pode ver se as batatas estão queimando ou ainda estão apenas deliciosamente douradas.

Para este recheio específico, refoguei 1 abobrinha pequena, fatiada fino, em alho e azeite, até dourar ligeiramente. Temperei com sal e pimenta e folhas frescas de manjericão. Juntei a 2 ovos, 1 1/2 xic. de ricotta fresca e cerca de 1/4 xic. de leite (meio a olho, pois essa ricotta era bem úmida; a quantidade de leite ou creme vai depender de quanto líquido tem o queijo que você está usando ou o legume). Misturei bem com um garfo, temperei com sal e pimenta e assei na crosta de batata.

Você pode usar o legume que quiser, pode usar leite, creme de leite fresco, qualquer erva e qualquer queijo. Tão bom ter na manga mais uma coisinha gostosa pra fazer rápido e poder botar no forno enquanto saio atrás do pimpolho antes que ele apronte mais uma.


14 comentários:

Aline disse...

Sempre dou pulinhos de alegria quando tem post novo por aqui! n.n

la doña sombra disse...

Ana, que delícia!
Fiz hoje à noite, pelos mesmos motivos que tu: li tua receita identificando que tinha batatas brotando na geladeira, e pensei, porque não?!
Untei a forma com manteiga e usei o recheio da minha quiche de ricota e queijo minas (outros dois ingredientes correndo o risco de se perder). O resultado, foi, batatas douradinhas e não torradinhas e a torta não se desmontava ao cortar. Servia sim para visitas! Achei que tu ia gostar de saber.
abraço!

Carla Menegat disse...

Ana,
Fiz a torta já hoje à noite. Li tua receita e quando vi "batatas brotando" me senti abrindo a geladeira e lembrando que também as tinha. Tinha uma ricota aberta e queijo minas pela metade, prontos para servir de recheio.
Usei manteiga para untar a forma e o resultado acho que vai te agradar: batatas douradinhas e não torradas e a torta saía em lindos pedaços com camadas intactas, como essas de livros de culinária.
Enfim, o melhor mesmo é untar com manteiga (não só por isso, mas o sabor da combinação com a batata ficou divino) e concordo contigo, a forma de vidro é perfeita para acompanhar o ponto da batata. Repetirei, muitas vezes com certeza.

Erika da Mata disse...

Ótima idéia! Também estou com esses ingredientes na geladeira, implorando para serem usados, mas tava sem idéia!

Fê Dayrell disse...

Menina, para tudo isto não é uma torta é um escândalo.
bjo

Anônimo disse...

Caríssima Ana,
Muito obrigada por compartilhar outra bela receita, que será testada em breve aqui em casa. Estou, nesse momento, assando o pão de leite que você comentou no dia 13. A massa cresceu super bem nesse escaldante e úmido dia de dezembro florianopolitano; a aparência está
ótima, e o perfume também :)
Um grande abraço & votos de boas festas e excelente ano novo para você e os seus,
J.

Cynthia Nogueira disse...

Hospedada na casa de carnívoros, daqueles que comem só arroz, feijão e carne, fui abençoada com uma feira de orgânicos bem próxima e quase tive um surto de alegria quando vi uma abobrinha !!!
Esta torta me salvou da desnutrição!!! Não vou negar, a forma era da mesma que a sua e comi a metade da torta sozinha!
Que perfeição!!

Juliana disse...

olha! uma batata rösti em formato de torta!

estive no mesmo dilema na mesma noite, e acabei tentando uma torta com massa de batata, mas algo um pouco diferente.

essa do mark bittman me parece mais interessante.
na próxima!
você fala tanto nesse livro que acabei comprando, e adoro! foi uma ótima aquisição.

um abraço,

ju

thatiana Bandeira disse...

Que delicia Ana!
Eu também queria estar fazendo deliciosas receitas de Natal, mas o trabalho está a mil...
Não estou dando contas nem do básico, já está sendo um sucesso conseguir manter no café da manhã pão caseiro com suco natural. Mas como você fez uma ótima propaganda da torta, vai fazer parte do meu cardápio na sexta!
Mais uma vez obrigada por colaborar tanto com a minha cozinha!
Bj

Anônimo disse...

O suco das batatas depois de raladas é um excelente reméido para quem tem úlcera de estômago...
Nunca tinha pensado em usar batatas para fazer a massa da torta! Grande dica!!!!
Felicidades! A menina alongadora está prevista para que data?

Eli Mariana

Adriana disse...

Oi Ana!! Em primeiro lugar seu blog é uma delícia, tabto pelas histórias como pelas receitas...em segundo meus meninos tem 1a10m de diferença, no início eu não creio que seja ciúme mas sim reação à uma mudança que ele sente mas não identifica (a mamâe que não está mais tão disponível, mudanças na arrumação da casa para dar lugar ao berço) e tb tem aidade.... ele tenta provar que é independente e ainda não sabe se expressar; a birra é como ele consegue se comunicar. Meu mais velho falou muito tarde, bem por volta dos três anos e sempre foi econômico nas palavras; se vc ignorava ele simplesmente fazia o que estava pedindo (tipo pegar água oo uma bolacha). Cada um tem seu tempo, não existe formula, infelizmente...

thatiana Bandeira disse...

Oi Ana,
Resolvi escrever novamente, mas dessa vez para te desejar um ótimo Natal e um excelente 2013 para você e toda sua família!
Muito obrigada por partilhar tanto da sua vida com pessoas que você nem sabe quem são, com certeza isso é um dom de Deus. Que vocês sejam cada vez mais abençoados.
Com muito carinho,
Thati e Luiz

Anônimo disse...

Oi Ana,
Adoro ler o seu blog sempre. Confesso que gostaria de ter a sua abilidade de escrever um blog assim tao legal e cheio de coisas gostosas. Se tiveres um tempinho entre no meu site: www.BrigadeiroBarn.com
Comecei o meu negocio de brigadeiros gourmet ha um ano atras aqui nos EUA.
Obrigada por compartilhar o seu blog.
Um abraco,
Grasiela

Anônimo disse...

Oi Ana, leio sempre seu blog. Adoro! Essa receita salvou meu jantar de Domingo, quando as únicas coisas que haviam na geladeira eram batata brotanto e abobrinha. Usei a manteiga para untar. Ficou perfeito!!!
Um abraço, Ruth

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails