sábado, 10 de novembro de 2012

Torta de beterraba com queijo, porque é o que temos

Quando estava grávida de sete meses do Thomas, nem parecia, a barriguinha era discreta e charmosa. Dizem que na segunda gravidez a barriga aparece mais cedo. De fato. Talvez seja porque sua musculatura já está parecendo uma camiseta velha, mas a barriga aparece e cresce horrores no segundo filho. E aqui está ela, redonda e enorme, pesada, pimpolha lá dentro enfiando os pés enormes (filho meu e do meu marido só pode ter pé de lancha) nas minhas costelas e dando mil cambalhotas, de um jeito que me faz, vira-e-mexe, ficar fazendo continha nos dedos, desconfiada de que o médico e eu tenhamos errado a data e eu esteja mais grávida do que imaginamos.

O que quer dizer que perdi minhas roupas muito antes do que esperava. Então lá vou eu todos os dias passear o cachorro com a mesma legging preta surrada e as mesmas três camisetas largas e longas o bastante para não me deixar de umbigo de fora enquanto uso calças justas, o que seria um visual red neck demais até mesmo para alguém que não se importa muito. Junte a isso meu cabelo metade natural, metade água-de-salsicha (depois que a tinta roxa saiu toda, e agora que não posso pintar de novo) e uma lata de cerveja sem álcool na mão, e você veria pelas ruas do condomínio, empurrando carrinho de bebê descalço e arrastando cachorro pela coleira, a esposa prenha de um traficante de metanfetamina.

Não dá. Eu ainda me importo um pouco. Nada de umbigo de fora e cerveja sem álcool.

Mas, contudo, porém, entretanto... simplesmente não tenho dentro de mim aquela mulher que compra roupas de maternidade (nada contra). Legging surrada? Três camisetas, duas das quais têm manchas pequenas de água engordurada da louça que insito em lavar sem avental? É o que temos. Para passear o cachorro está bom.

Enquanto isso, claro, anseio pelo momento mágico em que poderei me comprar meia dúzia de roupas novas, porque eu estendi ao máximo o uso do meu armário. Esse é um ponto negativo (ou positivo, depende do ângulo), de ter um guarda-roupa enxuto. Se você usa suas poucas roupas com frequência, elas estragam mais rápido. Continuo fantasiando com vestidos de cintura marcada. Para usar com coturnos, claro, o que deixa minha irmã inconformada. ;)

Vamos ver. A pequena justiceira aparentemente é tão ogra quanto o irmão – e pelo jeito que mexe, não será a menina comportada e introspectiva que eu esperava – e me fez perder na segunda gravidez o peso que ainda restava da primeira. Agora só preciso ficar esperta e não deixar a fome da amamentação se aliar ao tédio de ficar confinada em casa e descontar nos biscoitos. Aliás, desta vez, nada de bolos e biscoitos no meu freezer: eu não caio nessa pegadinha duas vezes.

Vestidos de cintura marcada. Ou melhor, cintura: essa é a meta. ;)

Enquanto isso, vou improvisando com a roupa que tenho, pois bem sei que nada adianta sair comprando. Perdi todos os meus sapatos bonitos depois da primeira gravidez, pois meus pés alargaram, então sei que até ter tudo estabilizado de novo, de volta ao "normal" melhor não gastar dinheiro.

E improvisando sigo na cozinha. Isso de estar mais barriguda do que esperava aos 7 meses me dá uma preguiça violenta de ir até ao supermercado para um mero ingrediente faltante. Aliado ao fato de que o mercado "chique" daqui parece ser depósito de restos das outras filiais, e todos os queijos estão sempre prestes a vencer, tornando a compra de perecíveis uma roleta-russa deprimente, o lema na cozinha tem sido "é o que temos".

Naquela manhã, querendo uma torta de beterrabas, não tinha nem os ingredientes para a torta da Heloísa Bacellar, e nem para a de Martha Stewart. Então preparei minha massa de torta como sempre faço (usando o processador, que, considerando meus dedinhos quentes, sempre produzem uma massa mais flocosa, pois a manteiga permanece gelada), mas usando farinha integral orgânica fina no lugar. A massa assim, inteira com farinha integral, não fica tão suave quanto feita com farinha branca. Mas ela tem uma característica interessante: algo de crocante, "arenosa" num bom sentido, como biscoitos "sablée" franceses. As proporções da massa foram as mesmas que sempre uso para um quiche redondo de 26cm: 210g de farinha, 140g de manteiga gelada, 70g de água gelada, 1/2 colh. (chá) sal. Mas desta vez, abri para encaixá-la numa assadeira pequena, de 20x30cm. Forrei com papel alumínio e feijões secos e levei ao forno a 180ºC por 10 minutos, até que estivesse seca, retirei o papel e os feijões e assei por mais 15 minutos.

Nas minhas tentativas com os queijos, comprei um pacotinho de ricotta de um produtor menorzinho, local, mas ela tinha gosto de queijo branco e textura ressecada. (Para quem nunca provou ricotta italiana, ela não tem gosto de queijo branco). Para melhorar sua textura, misturei 1 1/2 xic. dessa ricotta com algumas colheres de creme de leite, até ter uma textura mais parecida com uma ricotta rasoavelmente cremosa. Temperei com sal, pimenta-do-reino moída na hora, folhas frescas de tomilho, um dente de alho muito bem picado e um fio de azeite. Espalhei essa mistura sobre a massa pré-assada. Por cima, distribuí fatias de beterrabas que eu havia assado previamente (inteiras, espetadas com a ponta da faca, temperadas com sal, pimenta e azeite, e embrulhadas em papel alumínio; quando macias, deixei que esfriassem, descasquei com os dedos e fatiei fino). Distribui por cima pedaços de queijo Roquefort que ganhara de minha mãe, temperei mais uma vez com pimenta e azeite e levei ao forno por mais uns 20 minutos, até que o queijo estivesse derretido e as pontas das beterrabas ligeriamente chamuscadas.

Ficou deliciosa e muito leve. Thomas, ao contrário das minhas expectativas, devorou a massa como se fossem biscoitos e todas as fatias da beterraba com Roquefort, mas ignorou completamente a ricotta.

É o que temos, e ficou danado de bom.

10 comentários:

Addicted disse...

Ficou com um aspecto delicioso!
beijinhos e bom fim de semana,
Addicted
http://cookaddiction.blogspot.pt/

CRISTIANE LARA disse...

Oi Ana, bom dia ! Tudo bem ? Amo beterraba e adorei a sua torta. Está bem apetitosa e linda também ! Ana, você conhece a tintura KEUNE (holandesa) ? Gestantes podem usar sem problemas. A minha irmã usou durante a gravidez. Converse com seu médico e/ou cabeleireiro, se puder. Acho que você vai gostar.
É só uma dica ! Bj

Livia Luzete disse...

Eita post que me fez rir muito, ví a Ana Elisa mais bem humorada de outrora. Não que eu a esteja chamando de mal humorada,viu? É que ví mais senso de humor como via bem antes.

A torta ficou lindamente apetitosa. E como eu sinto o gosto das comidas só de saber quais ingredientes tem...já salivei. Hoje farei a massa dessa torta,mas com o meu queijo branco caseiro(que eu fiz...ui vitória) e espinafre, que como veio com raízes,o deixei dentro de uma vasilha com água dentro da geladeira porém coberto para o frio não "queimar" as folhas. Estão lá ha duas semanas,e continuam verdinhas!
Beijo menina nessa barriga muito sapeca. (a ogrinha...adorei!rsrs)

Anônimo disse...

Dá gosto imaginar seu filhinho comendo torta de beterraba!

Léia disse...

Oi querida, também tive um menino e depois uma menina.Fiquei admirada como é diferente uma gravidez da outra.Concordo com seu pensamento de que comprar roupas é desperdicio de dinheiro, pois as perdemos todas.No meu caso na segunda gravidez perdi todas as roupas e sapatos.Meus pés aumentaram um numero e não voltaram mais e meu manequim também.Não digo que estou gorda dimais pois eu era magra dimais antes da segunda gravidez, mas hoje em dia estou a meio termo ja me desfazendo do guarda roupa que sei que nunca mais usarei novamente, pois já fazem 12 anos e nunca mais consegui voltar a ter a cinturinha de menina moça que tinha antes, coisas do avanço da idade.Desejo que você consiga recuperar todos o seu corpo e sua cinturinha para usar os vestidos que tanto quer, mas agora é curtir a barriga, e é que é possivel, pois nessa altura a gente sofre para caminhar, para ter posição para dormir, e queremos comer por dois, rsrs.Sua torta ficou maravilhosa, deixou-me com vontade de provar a crocancia da massa.
Parabéns pela familia que tens, que sua gestação corra tranquila e que seu parto seja muito abençoado.
Beijos querida, tenha uma linda semana.

Cynthia Nogueira disse...

Torta de beterrabas é a última coisa que eu poderia imaginar, mas está com uma cara aparência espetacular!!
Ri muito da descrição do guarda roupa exíguo de "esposa prenha de traficante de metanfetamnina"! Andou vendo Breaking Bad?
Na minha segunda gtavidez eu fiquei parecendo um balão de festa agropecuária, dava desânimo vestir roupa, calçar sapato.
Adotei o figurina legging e batão indiano com sapatilhas. Ia até pra audiência assim. Tinha juiz que me olhava com cara como se eu fosse uma pobre criatura que ainda não sabia que Woodstock acabou. Paciência!
Só a minha cintura que ainda não voltou...

dri disse...

tenho 2 filhas na primeira gravides a minha barriga apareceu um pouquinho mais também só engordei 7 kilos na segunda nem parecia gravida quase não tinha barriga
ganhei so 6 kilos e olha que sempre me alimentei bem bjs boa sorte

Andreia T. Farias Britez disse...

Ana,
Não tinha como não dar uma passada e comentar. A coisa que mais escuto ultimamente é: "Tem certeza que não tem dois aí dentro?" Ai que ódio!! Rsrsrs!! Aí minha mãe e minha médica me disseram a mesma coisa, segunda gravidez dá mais barriga! ufa!! E eu não estou sozinha!!! Rsrsrs!!Só ando com o ferro meio em baixa e detesto beterraba, mas acho que vou tentar esta receita! beijos

Anônimo disse...

Ana, fiz essa torta ontem e troquei apenas o Roquefort por gorgonzola. Delícia! Gracie!
Rita

Cristina disse...

Ana, que legal! Acompanho seu blog há um tempão, e vi agorinha um post relacionado a esse de salada, aquele da salada de desentralhamento, publicado em 2010! E que coisa legal essa mudança, na época 'cê ainda estava engatinhando nessa de "é o que temos, vamos usar", as primeiras ideias já nascendo... Hoje elas cresceram e dá um certo orgulho poder acompanhar essa sua evolução. E a gente vai aprendendo com você nesse processo. Obrigada por compartilhar essas coisas conosco! :) Beijos e felicidade, sucesso e tudo de bom!

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails