sábado, 29 de setembro de 2012

Bolo de laranja e chocolate, para deixar as coisas mais leves (e nossas barrigas, mais pesadas)

Despois de desopilar o fígado no outro post, melhor um bolo para adoçar a vida, já que o leite não colabora para tanto.

Ando preparando muito menos doces desde que me mudei. Em parte porque meu apetite anda mais para frutas, em parte porque agora, sem ter para quem ficar distribuindo, é um perigo deixar um bolo inteiro desacompanhado na minha cozinha. Curtindo essa fase em que a futura pequena justiceira ítalo-germânica (falei que era menina?) anda me consumindo e me fazendo emagrecer, estou tentando não abusar daquilo de que minha cintura não precisa. E mais: o pequeno reorganizador de pedrinhas de vasos de jardim já sabe onde bolos, muffins e biscoitos jazem depois de prontos, e, uma vez encontrados, é tudo o que ele quer. Logo, menos bolos, muffins e biscoitos em casa é igual a um pimpolho de 1 ano e meio comendo fruta de lanche ao invés de brownie.

Mas fora um dia frustrante. O vento forte e gelado é constante desde que a chuva começou a ameaçar chegar. E por vento forte, refiro-me àqueles que derrubam regadores e samambaias, daqueles que esvoaçam o cabelo além de qualquer presilha, que zunem nos ouvidos e queimam a ponta do nariz. E, no meu caso específico ainda, transformam minha pele (particularmente minhas mãos) em couro curtido e rachado, seco e dolorido, não importa quanta água eu beba ou quanto creme ultra-forte gaste.

Já ouvi falar de ventos europeus que enlouquecem as pessoas numa estação. Este está me tirando do sério. Ele não pára. Nunca. Zunindo nas janelas, arrancando fora o capuz do Thomas, fazendo entrar poeira no olho, batendo portas violentamente e trazendo toda sorte de folhas e lixo para o quintal e através de qualquer porta que tenha ficado aberta.

Vento idiota.

E quando, junto dele, chove, o pequeno maratonista inquieto fica com formiga na cueca, e eventualmente começa a demonstrar com birra o tédio de estar trancado em casa olhando para a cara da mãe o dia todo. E o cão choraminga que quer sair. E eu, já um tanto barriguda, sentindo a futura pequena lançadora de olhares significativos me chutando loucamente, só queria sentar um pouco. Um pouquinho. Um minutinho. Mas Thomas não deixa. Gnocchi não deixa. E eu penso no trabalho atrasado a entregar, que terei de começar a fazer apenas às sete da noite, quando o pimpolho for dormir.

Cansaço. Frustração. Principalmente cansaço.

Bolo.

É interessante quando a gente percebe nosso padrão de funcionamento. Bolo é definitivamente minha cura número um para dias frustrantes. Bolo e goró, mas do segundo eu não posso. E ando com uma vontade louca de beber margaritas, o que só pode significar que minha filha terá tendências bagaceiras, uma vez que durante a gravidez do Thomas, minha vontade era de martinis, bem mais sofisticados.

Mas bolo. Bolo é o que interessa.

Queria um bolo de laranja. Bolinho simples. Queria que fosse fácil. Vontade nenhuma de amolecer manteiga ou usar a batedeira. Queria que usasse o iogurte viscoso da geladeira. Mas também queria algo mais. Que não fosse... simples demais. Algo que de fato aplacasse minha frustração do modo como apenas chocolate faz.

E, numa busca rápida pela internet, encontrei um bolo de limão e iogurte com mirtilos, no Smitten Kitchen, seguida de uma dezena de sugestões para variações. E dentre elas, lá estava: laranjas no lugar dos limões e gotas de chocolate no lugar dos mirtilos. Bingo!

O bolo foi facílimo de fazer. As laranjas, orgânicas, estavam perfumadas e suculentas, mesmo depois de semanas na geladeira. Usei meia xícara a menos de chocolate do que a medida de mirtilos, com medo de que afundassem na massa, e porque julguei que era já o bastante. O bolo já pronto e frio ficou com aroma e sabor tão intenso de laranja, que me lembrou algum bom licor. Macio e denso, com esse parco pontilhado de chocolate que foi mais do que o bastante para trazer algo de diferente ao bolo, um quê de bombom recheado de infância.

Delícia, delícia. Adoçando dias frustrantes. Devidamente escondido no fundo da bancada, para que Thomas coma seu mamão e deixe todo o bolo para as ancas da mamãe.

BOLO DE IOGURTE COM LARANJA E CHOCOLATE
(Receita original de Ina Garten, adaptada no Smitten Kitchen)
Tempo de preparo: 1h30
Rendimento: 1 bolo

Ingredientes:
  • 1 1/2 xic. farinha de trigo
  • 2 colh. (chá) fermento químico em pó
  • 1/2 colh. (chá) sal
  • 1 xic. iogurte integral caseiro
  • 1 xic. açúcar cristal orgânico
  • 3 ovos grandes, orgânicos
  • casca ralada de 2 laranjas orgânicas
  • 1/2 colh. (chá) extrato natural de baunilha
  • 1/2 xic. óleo vegetal
  • 1 xic. gotas de chocolate amargo (usei 53%)
  • (calda)
  • 1 colh. (sopa) açúcar cristal orgânico
  • 1/3 xic. suco das laranjas

Preparo:
  1. Unte uma forma de bolo inglês com manteiga. Forre o fundo com papel-manteiga, unte o papel e polvilhe farinha em toda a forma, batendo o excesso. Pré-aqueça o forno a 180ºC. A massa fica pronta muito rápido, então só comece a prepará-la quando o forno estiver na temperatura certa.
  2. Numa tigela, misture a farinha, o fermento e o sal.
  3. Em outra, misture bem o iogurte, o açúcar, os ovos, a casca de laranja, a baunilha e o óleo.
  4. Junte os ingredientes líquidos aos secos e misture com uma espátula até que fique homogêneo. Incorpore as gotas de chocolate.
  5. Espalhe a massa na forma e leve ao forno por 50 minutos, ou até que um palito inserido no centro saia limpo.
  6. Retire do forno e deixe esfriar sobre uma grade, dentro da forma, por 10 minutos. Enquanto isso, junte o suco de laranja reservado e o açúcar restante numa panela pequena e aqueça até que o açúcar dissolva.
  7. Solte as laterais com uma faca e desenforme. Retire o papel da base. Faça furos com um palito na parte de cima do bolo. Regue com a calda (ou pincele, que é mais fácil), deixando que o bolo absorva bem toda ela. Deixe esfriar completamente sobre a grade antes de servir.

20 comentários:

Anônimo disse...

Pena que quando li o blog meu bolo de chocolate já estava no forno... Mas meu próximo bolo será esse, e graças a vc também usarei laranja orgânica.
Ontem foi muito legal, vc fez o post sobre o leite e minha irmã (que mora em Paris) me mandou um e- mail falando que tinha encontrado perto de casa uma loja de produtos orgânicos e que tinha provado o melhor iogurte de sua vida!!! Viu, vc está mudando hábitos de toda minha familia.
Bj e um ótimo fim de semana para todos vcs
Thatiana Bandeira

Luciana disse...

Apoio em relação ao desabafo sobre o leite. \m/

E lá vamos nós pra cozinha, fazer bolo, é claro. :)

Carolina Frîncu disse...

Ai, Ana... a-do-ro vento. Morei em Itu durante quase 3 anos antes de vir para a PB e era fascinada pelo vento uivante, pelo cabelo bagunçado, pelos casacos esvoaçantes, as folhas subindo... Passei um outono na Europa e fiquei igualmente maravilhada. Coisas da vida. Uma menina, que legal!! Olha, quando aqui tá chovendo sem dó e o Levi tá quase me enlouquecendo e morrendo de tédio, só massinha salva. Às vezes guache ajuda, mas massinha salva mesmo. Faço uma receita que vai ao fogo e dá um balé em qualquer outra massa caríssima por aí. Comentei no outro post mas deu erro e perdi =[. Bjo

paula disse...

Seu filho parece ser um fofo! É divertido ler o quanto ele gosta das suas comidas. E a sua relação com a comida é inspiradora. Estou procurando simplificar, também, o que é difícil após sair de um curso de Gastronomia, mas possível. Quero voltar a consumir produtos orgânicos, consumir apenas ovo caipira, reciclar sempre o lixo, ter uma vida mais tranquila etc.
Isso não combina nada com São Paulo, não é?
Estou contando os dias p/ ir embora daqui!
Beijo

Clarissa disse...

Ana, que lindo o post e o bolo! Parabéns pela pequenina..Amei suas reflexões sobre o leite no post passado...ri muito! Lei integral 3%...Vida longa ao blog..

Livia Luzete disse...

"Seja bem vinda,pequena justiceira!"

Nada como sabermos nossos antídotos e se valer deles quando necessário
!
Não esquenta, que venha as gostosuras para as ancas, você é uma atleta, depois perde tudinho!

Peninha do pequeno matador de dragões, ficar preso,quando já se conhece a liberdade do sol enquanto arruma as pedrinhas do vaso,não tem preço! E haja birrinhas!
Beijo a todos!

Anônimo disse...

hummmm, adoro bolo de laranja! Esse com chocolate deve ficar divino.
E parabéns pela defensora ítalo-germânica! Eu sempre quis um menino com todas as minhas forças, e não posso negar um certo e momentâneo desapontamento quando descobri que no meu forno assava uma menininha. Hoje, quando penso em outro filho, penso em outra menininha. Sim, não tenho dúvidas que os meninos são maravilhosos, e sei que seria muito feliz como mãe de um. Mas depois de "tantos" (6) anos como mãe de menina, só tenho me encantado mais e mais com elas.
bjinhos para os três,
Mi

Sil disse...

Hum, que delícia de post, Ana!! Notei que seus posts estão mais frequentes!... Seu lar é muito inspirador! E parabéns pela menininha, estou ansiosa para ler aqui notícias dela junto com o Thomas!
bj grande a todos vcs

Léia disse...

Oi Ana realmente alguns dias são dificeis.Estar gravida com um pequeno em plena idade de agitação e aprendizado é muito dificil.Já é sem estar gravida, eles tem energia de sobra enquanto a nossa falta.Com esse vento forte pra ajudar é de se imaginar seu nervosismo.Mas bolo e com chocolate é o melhor remédio para combater a ansiedade e melhorar o humor.Que sua gravidez seja abençoada e que os ventos passem rapidamente.O bolo parece delicioso e perfumado.Beijos querida e ótimo domingo.

Anônimo disse...

OI bom domingo, eu queria te perguntar se te interessa,muda de Karil, e tenho tb umas sementes, que veio do japão de milho cenouras, nabos melancias, e outras cositas mas,da para plantar em vasos ou caixas plasticas, se quiser me diz que mando pelo correio para vc.amo seus texto e suas receitas. bjs.(Diulza)

Suse Portes disse...

Olá Ana, tudo bem? Espero que esteja nesta sua nova gravidez. Queria perguntar sobre o bolo de coco e recheio de doce de leite , porque eu o fiz hoje mas a massa ficou dura, muito dura e fico tentando imaginar o que foi que deu errado."Engraçado" - engraçado nada, ficou frustrada e com raiva, tá raivinha - é que com o tempo a gente sabe quando o bolo não vai crescer, olha pra cara da massa na forma recém dentro do forno e pensa "vixi. não vai crescer". Sempre sei, mas nunca o motivo. Só fico com conjecturações, por isso estou pedindo a sua ajuda:
- A água como o coco é pra colocar fervendo mesmo, ou morninha: pus fervendo e achei estranho.
- deve ser alternada com os secos ou só no final mesmo como descrito na receita? Pus no final
- acrescentar os secos na batedeira ou misturar à mão só com a colher/ espátula? misturei tudo com a batedeira.
Foi assim e ficou pilado. Se puder esclarecer minhas dúvidas agradeço porque quero tentar outra vez.

Jurema disse...

Há dois anos leio o seu blog sem que nenhuma manifestação seja feita. Mas hoje pensei no quanto egoísta isso se mostra. Ler seus textos, contenham eles receitas ou não, alegram meu dia e, pensando nisso, constatei o quanto mudei a minha maneira de considerar uma comida boa ou ruim. Não falo de quando uma receita dá certo ou não, mas da qualidade de cada ingrediente que está dentro dela. Moro na Bahia e algumas coisas ainda são bem difíceis por aqui, mas a gente vai se ajeitando do jeito que pode. é o que vale. um grande abraço, Jurema.

Cynthia Nogueira disse...

Hum , bolo de laranja sempre foi o meu favorito!
Eu já fiz o seu bolo de laranja de férias e ficou muito bom.
Você se lembra que te perguntei sobre uma receita de beterrabas fritas?
Pois é, eu achei. Eu tinha visto este beterraba no Eat Street, mas eles falam tão rápido que não dá pra pegar receita e nem noção de como é feito. Fuçei internet afora até conseguir e vou te falar uma coisa, o negócio deve ter umas 1.500 calorias, mas é tããããããõooo bom!
Beterraba agora tem outro conceito aqui em casa e até o Nathan que costuma torcer o nariz pra tudo se empamturrou de "apacá", como ele conseguiu pronunciar beterraba.
Se você quiser te passo o link. Acho que você vai adorar!
Só não consegui fazer o molho 100% original, mas fiz com jalapeños e ficou bom também.
É viciante! Um dia vou a Austin só pra comer estes pratos vegetarianos deste trailer.
Abs.

Mirella disse...

Pra mim você deveria virar escritora. Amo te ler.

Silvana disse...

Parabéns pela garotinha! Tudo de ótimo para a família toda! E quanto ao vento, enlouquecer não enlouqueço mas detesto...rs

Anônimo disse...

Ana,
atualmente tenho duas filhas, e a diferença de idade entre ela é pequena, 1 ano e 8 meses. Não tinha babá quando estava grávida da menor, e trabalho fora em meio expediente. A melhor solução que encontrei foi colocar a mais velha na creche, em meio período. Sei que nosso coração de mãe dói só de pensar, mas ela ficava tão feliz! A hora de ir para a escolinha era cheia de alegria, ela ficava 4 horas e meia brincando e fazendo atividades com outras crianças, e eu conseguia trabalhar com tranquilidade. Quando a bebezinha nasceu, esse tempo era essencial para que eu pudesse dar um pouco de atenção exclusiva à caçula. Você não pensa em por o Thomas na creche? Bjs
PS. Desculpe a intromissão, mas já passei por essa fase complicada e queria contar a minha experiencia.

Ana E.G. Granziera disse...

Diulza,
nossa, adoraria uma muda de karil! o_O

Suse,
até fui rever a receita, mas é isso mesmo, exatamente como está. Lembro-me (e até está descrito no post) de que o bolo é mais densinho e sequinho, daí a cobertura deixá-lo mais macio e úmido, no conjunto. Foi tudo feito exatamente como está descrito, na batedeira. Normalmente bate-se em velocidade baixa e apenas até que a farinha esteja incorporada ou o bolo pode sim solar. Talvz tenha batido demais?

Cynthia,
adoraria a receita das beterrabas! :D

Anônimo,
na verdade o Thomas vai pro maternal ano que vem, exatamente quando a pequena nasce. Por enquanto cansa, mas dou conta. Fomos visitar a escola e o menino pirou na criançada. Coisa fofa. Ele vai adorar. ^_^

bjs

Marcia H disse...

Ana,
essa menina será como vc, que no fundo é uma rebelde na cozinha rsrs adorei seu posting, bolo é meu remédio e conforto.
toma uma margarita virgem, bota numa taça bonita, com tudo que tem direito - o álcool, senta no sofá, bota uma música e ensina esse menino a dançar.
eu comprei um mini trampolim qd minha filha fez 1 ano, como o tempo em terras germânicas é ruim por um bom tempo, ela pulava horrores no trampolim e assim gastava suas energias qd estávamos trancafiadas no inverno.
ontem eu fiz bolo integreal de chocolate com abobrinha, ficou maravilhoso rsrs
boa sorte com esses êres

Carolina Frîncu disse...

Ana, acabei de fazer e provar esse bolo. Ótimo! Linkei no meu blog, ok? Bjo.

erika moriyama disse...

Cynthia, me passa o link da beterraba por favor? Erikathejam@gmail.com

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails