sábado, 4 de junho de 2011

Queijo cottage, de novo, mas diferente

O despertador toca às cinco da manhã. Conformada, ainda que contrariada, levanto-me da cama, devagar, esticando os braços, sentindo os ombros ainda doloridos pelo peso do bebê. Sinto que meu corpo não acompanha o desenvolvimento do pequeno, e quando ele começa a se acostumar, o bebê cresce, engorda, fica mais pesado, exigindo mais de músculos que antes apenas sovavam pão.

Saio da cama, pés no assoalho frio, perguntando-me, mais uma vez, por que ainda não comprei pantufas. Vou de passos arrastados até o banheiro, lavar o rosto e tirar os cabelos desgrenhados da frente dos olhos. Preguiçosa mas cheia de determinação, visto a roupa de ginástica, uma camiseta por cima da outra, mais o moletom e o cachecol, por conta do frio. Com o tênis de corrida produzindo ruídos de borracha contra a madeira, agora caminho cuidadosa até a cozinha, ligando a cafeteira.

Preparo uma dose dupla de café preto, fatio meu pãozinho francês e espalho sobre os nacos uma colherada generosa de queijo cottage caseiro. Minhas pálpebras ainda estão pesadas, quando ouço os primeiros sons vindos do quarto do bebê, como um brinquedo desses que se aperta a barriga: breves, compassados, agudos e insistentes.

Passo pelo meu quarto. Marido e cachorro roncando. Encosto a porta e levo meu café-da-madrugada para a cômoda ao lado do berço. O bebê abre os olhos assim que acendo o abajur. Ele volta seu rostinho alerta pra mim, e ensaia um bico retorcido para baixo com seus labiozinhos cor-de-rosa, que sempre me corta o coração. Aproximo-me, segurando suas mãozinhas e falando com ele. O bico se desfaz no momento em que ele me reconhece. Enquanto troco sua fralda, ele esperneia, tentando rolar, indeciso entre chorar, manhoso e com frio, ou admirar o reflexo do abajur na vidraça da janela.

Sento-me na poltrona, bebê no colo, café ao lado, apoiado no trocador. Enquanto ele mama, esganado, depois de seis milagrosas e ininterruptas horas de sono, como meu pãozinho, tentando não derrubar migalhas nos seus cabelinhos ralos. O queijo caseiro é mais doce e suave do que a versão comprada em potes de plástico. Tem gosto de leite fresco e uma textura cremosa, de grumos pequenos, que derrete na boca. A imensa xícara de espresso termina de erguer minhas pálpebras e me aprontar para o dia por vir. Um dia inteiro de bebê alerta, querendo interagir e não cochilando mais do que 1 hora inteira. Um dia inteiro de cão carente, querendo brincar e passear. Um dia inteiro de cuidar da casa e ter certeza de que tudo e todos estão limpos e alimentados.

Coloco o bebê no berço ainda acordado, dou-lhe um beijo estalado na testa e faço-lhe um carinho entre as sobrancelhas, o que sempre o faz sorrir. Enquanto termino de apanhar minhas coisas (bolsa, carteira, iPod), ouço os ruídos estranhíssimos que ele emite enquanto tenta libertar os bracinhos agitados das cobertas. Ele produzirá mais alguns deles até soltar uma das mãos, que ele imediatamente levará inteira à boca escancarada, dormindo sozinho em seguida.

Abro a porta do quarto, digo "tchau!" para o marido, fornecendo-lhe as últimas notícias sobre o bebê e um "status" de fralda e mamada, e corro porta afora em direção ao clube, para 45 minutos de corrida, já com saudades daquelas bochechas cada vez mais redondas e cor-de-rosa.

QUEIJO COTTAGE
(receita dividida ao meio, vinda do lindo livro "Forgotten Skills of Cooking", de Darina Allen)
Rendimento: 1 xíc. bem cheia

Ingredientes: 
  • 1,25 l leite integral (de garrafa; NÃO use UHT)
  • 1/4 colh. (chá) coalho líquido
  • 1 colh. (sopa) água

Preparo:
  1. Aqueça o leite apenas até ficar morno. Misture o coalho à água e salpique sobre a superfície do leite, mexendo bem com uma colher. Cubra com um pano de prato e a tampa da panela (o pano evita que o vapor do leite condense e pingue de volta) e deixe quieto por 2 a 4 horas. 
  2. Com uma faquinha de ponta arredondada, corte o coalho num padrão xadrez e volte a panela ao fogo mínimo, apenas para amornar, até que você comece a ver o soro brotar. Não aqueça muito, ou o coalho ficará muito duro.
  3. Forre uma peneira com um pano próprio para isso, e posicione sobre uma tigela grande. Apanhe o coalho com uma concha e derrame sobre o pano. Amarre as pontas e deixe pendurado em algum gancho, pingando sobre a tigela, durante toda a noite (fora da geladeira). 
  4. No dia seguinte, coloque o queijo num potinho, salgue a gosto e consuma em até umas 2 semanas. Guarde o soro na geladeira e use para cozinhar.  

22 comentários:

Barida disse...

que delicia esse queijo, costumo comprar diversas vezes, mas assim fazer nunca experimentei :-) beijos

Edna H. Bergan Born disse...

Oi Ana, uma delícia de novo passear no seu blog! Fiz de forma bem parecida ainda essa semana um cottage e tenho adorado o sabor. Os gruminhos ficam talvez um pouco menos densos que o industrializado mas realmente fica muuuito melhor sem todos os 'inocentes' químicos. Me parece que nesse caso, só o coalho é que não é tão inocente... Como por essa época aqui em B. Camboriú não tenho encontrado leite tipo 'A' ou 'B', tenho usado de uma marca específica melhor, leite de saquinho mesmo. E tenho de cuidar para meu marido não sentar na frente do cottage e comer de colher hehehehe. Adorei mais esse post! beijos

CRISTIANE LARA disse...

Oi Ana, tudo bem ? Adorei a descrição do seu dia. Visualizei até o seu bebezinho sorrindo. Que anjinho ! Que Deus os abençõe sempre ! Muita saúde, paz e energias boas sempre ! Adorei a receita também. Beijocas e um ótimo fim de semana.

cristiane.reis disse...

Oi Ana, adoro seu jeito de descrever seu dia a dia.
Esse queijo deu água na boca!

angela disse...

Já fez com vinagre? basta uma colher de vinagre em dois litros de leite fervido. Depois, coa e se quiser salgue. Quando eu tinha vaca fazia vários tipos, desse jeito que você faz, vira queijo de minas

Livia Luzete disse...

Estou achando um cadinho diferente na forma da narrativa,mas está tão boa como sempre!
Beijo a vc e o bebe-metaleiro-fofo!

Antonia disse...

Definitivamente eu sou sua fã! Parabéns! Você me motiva e inspira a cada post.

Ana Paula disse...

Oi, Ana
Vim aqui hoje especialmente para te dizer que tenho uma surpresinha para ti! No intervalo com os afazeres com o bebê, você quer ganhar um presente lindo? Passa lá no blog e dá uma olhadinha – NÃO É SORTEIO!
Bjkas, Ana Paula

Ju R. disse...

como vem a ser esse leite de garrafa? acho que nunca vi, ana. pode ser leite em saquinho?

oooohn, esse relato seu do baby quase me fez chorar agora, que lindo!

Ju R. disse...

CARACA, ALGUÉM DE SEGURA!!!!
angela, vc usa leite cru ou o uht?

peguei o q tem aqui em casa, de caixinha mesmo, fervi uma pequena quantidade, fui pingando vinagre até talhar bastante. coei na peneira e TCHAN, virou um cottage bem cremoso. passei no pão e ficou bem gostoso.

GENTE!!!

costuma durar quantos dias na geladeira?

Anônimo disse...

PARABENS PELA DETERMINACAO. BEBE NOVINHO, FRIO e ainda poe cima ACORDANDO AS 5 DA MATINA!? POUCOS TEM ESSA FORÇA.
Beijo

LuLu disse...

Tao linda, voce! ^.^

saborcomletras disse...

Ana, que fácil... essa receita não sabia que era tão simples fazer essa queijo... Beijocas!

Carol disse...

Ana!!
Ta empenhada no projeto M.I.L.F!!! Parabéns!!! Sem contar que está tirando de letra a nova rotina... Que demais!!!
Eu estou louca pra fazer isso, mas onde eu acho o tal do coalho?!!?
Beijos!!! Boa semana

Deborah - Delicias1001 disse...

Ana
Sabe que neste fim de semana me aventurei pela 1ª vez num queijo frescal que não deu certo. Vc me despertou uma ideia: Mas acabei de ver que ele ficou um cottage! Que chique. Vou coar e provar à sua maneira...
Adorei
Bjs

*Ah, tem promoção lá no meu blog. Aparece lá e tente sua sorte. Quem sabe vc não ganha um delicioso kit Tirolez com fondue e tudo?

Patricia Scarpin disse...

Como você escreve bem, menina. Não me canso de admirar. Delícia imaginar o teu dia, agora com o pequenino junto. Esse queijinho deve ficar uma delícia mesmo.

xx

O Bolinho disse...

Que lindo seu texto. Tenho duas meninas, a mais nova de 10 meses...ainda não consegui voltar a fazer exercícios...mas me animei com a sua "pequena aula"...vou tentar correr e tentar fazer o cottage, que também sou fã...

Mari Mari disse...

Que coragem! 5 da matina!
Olha, eu emagreci bastante rápido. Na primeira gravidez eu perdi tudo em 40 dias (era verão, eu tava inchada). Na segunda gravidez eu perdi metade dos 14 kg nas primeiras semanas, mas 6 meses depois do parto eu já tava bala de novo. Amamentando, sempre. E sem fazer atividade física (levantamento de irmão mais velho vale como atividade física?). E comendo, se não não aparece leite. Mas a experiência que eu tenho é que com 6 meses, o corpo fica bem parecido com o pre-gestacional. Boa sorte, mas seu neuras, ok?

Macagnan disse...

Oi Ana!
Queijo feito em casa é sempre muito bom, experimenta usar o 'cheesemilk', rsrs, para fezer pão, fica uma delícia, ainda mais os de fermentação lenta. Uma dica, tem uma empresa mineira que vende pela internet insumos para fazer queijo, formas, sacos para desorar, coalhos, ... , bem legal, chama Quijos No Brasil.
Saúde pra ti e pra família!

duda lima disse...

Ana,
é poético o modo que você descreve sua rotina com a casa, o bebê, o cachorro, a cozinha...
Em breve o meu bebê chega a minha casa e espero conseguir lidar com tudo isso de forma tão tranquila e gostosa quanto você!
bjo

Valentina disse...

Ana, que delicia fazer cottage caseiro. Nunca fiz e ao ler teu post e a descrição me deu vontade. o post é delicioso, leitura que nina.A tua precisão de narrativa me fascina.

Sibely disse...

isso não seria ricota? desculpe a pergunta mas sempre fiz isso achando que era ricota rs

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails