quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Compota rápida de cerejas

A correria da mudança, que me impediu de cozinhar por quase um mês inteiro, causou-me uma estranha frustração: passei janeiro inteiro pensando nas frutas que vinham e iam, completamente fora de meu alcance culinário. Afinal, eu esperara um ano inteiro por pêssegos, nectarinas, damascos, cerejas, mangas, melões, melancias, e a qualquer momento elas poderiam não estar mais no seu pico de gostosura.

Por isso, tão logo liguei minha geladeira na tomada e conectei meu fogão na tubulação de gás, corri ao mercado e comprei 1kg de cerejas, enormes, escuras e doces, antes que desaparecessem das gôndolas por mais um ano.

Eu criara fantasias em minha mente com centenas de doces que gostaria de produzir com cerejas, mas nenhuma me fazia salivar tanto quanto a ideia de uma compota. Desde a viagem a Nova York, no começo do ano passado, eu andava querendo reproduzir a sobremesa que comera em um restaurante escandinavo: um delicado arroz doce coberto de compota de cerejas e amêndoas laminadas. Delicioso!

Procurei pouco nos livros que me restaram [e comprovei que só mantive na estante o que de fato amo e uso, pois nem me lembrei de procurar receitas nos outros, encaixotados] e encontrei o que queria: uma compota rápida e simples de Alice Waters, do livro Chez Panisse Desserts, de Lindsey Remolif Shere. A compota demora pouquíssimos minutos para fazer, e você sequer precisa descaroçar as cerejas. Isso porque o caroço das cerejas contribui em sabor para a compota (razão pela qual os franceses normalmente os mantém mesmo no clafoutis).

 Apanhe 1kg de cerejas, lave-as em água corrente, descartando qualquer uma que esteja passada, e retire os cabinhos. Distribua em uma camada única em uma panela de fundo bem grosso e polvilhe 1/4 xic. de açúcar (orgânico) por cima. Ligue o fogo alto e sacuda a panela (ou use uma colher de pau, como eu fiz, pois a panela é um bocado pesada e eu não queria riscar o fundo dela na grade do fogão) para misturar as cerejas ao açúcar. Faça isso por cerca de 5 minutos ou até que o açúcar tenha derretido e as cerejas estejam ligeiramente macias ao toque (cuidado para não se queimar – lembre-se: açúcar derretido). O açúcar primeiro formará cristais esbranquiçados sobre as cerejas antes de começar a derreter.  No começo parece que tudo vai queimar irremediavelmente, pois cerejas não se desfazem facilmente como outras frutas. Mas, de repente, ao fim dos 5 minutos, você verá um lindo líquido púrpura e espesso no fundo da panela. Nesse momento, espalhe 2-3 colheres (chá) de vinagre balsâmico e 1 colher (chá) de Kirsch (na falta de Kirsch, usei uma cachaça de qualidade) e sacuda por mais 30 segundos. Desligue o fogo e, com cuidado, raspe o conteúdo da panela, com todo o líquido, para outro recipiente. Deixe que esfrie um pouco e libere todo o vapor antes de tampar e levar à geladeira, até que fique em temperatura ambiente. Então deixe repousar por uma ou duas horas antes de servir.

Minha compota passou a noite na geladeira. Quando abri o pote, as cerejas, muito macias, pareciam ter liberado ainda mais líquido. Não tive paciência para preparar o arroz doce. Despejei um pouco de iogurte caseiro num potinho e distribuí fartas colheradas da compota. Veredito: estou feliz por ter feito a receita inteira, pois o resultado é fenomenal. O vinagre balsâmico de fato intensifica o gosto das cerejas, que ficaram deliciosamente doces e macias, desmanchando na boca. Ficaram sensacionais com o iogurte e não vejo a hora de despejá-las sobre sorvete de baunilha.   

18 comentários:

ila fox disse...

Só digo uma coisa: Água na boca.

Claudinha disse...

Oi, quanto tempo a compota de cereja dura?

Ana E.G. Granziera disse...

Claudinha,
na receita original não fala nada a respeito da "validade". Mas vendo quão pouco açúcar e acidez a compota tem, é para deixar na geladeira e ser consumida em alguns dias. Não é compota de prateleira não.

Bjs

Eleonora Benedire disse...

Essa receita me deixou com água na boca e muitas saudades das minhas férias de dezembro do ano passado. Fui para a Florida e aproveitei para comer muitas cerejas escuras, maduras, lindas e dulcíssimas.
Assim que der vou ao mercado municipal de BH para ver se encontro essa delícia e fazer a minha versão da compota... Amei!

Anônimo disse...

Ana, mais uma vez, uma receita super prática e saborosa! Eu simplesmente ADORO cerejas. Contudo, a idéia de fazer uma compota delas sempre me deixava preguicosa (exatamente pelo fato de se ter de tirar o carocinho). Estou quase certa de q esta receita, como aquela tua dos Marmelos, virará uma tradicional, com direito a um espacinho no meu livro de "receitas favoritas"! Bjs e, mais uma vez, obrigada!:)

Vanessa disse...

Ana, tudo bem?
Você tem alguma experiência com adoçantes? Será que funcionaria nessa receita? Tenho restrições com o açúcar.
Beijocas.
Vanessa

Ana E.G. Granziera disse...

Vanessa,
via de regra não uso adoçante para nada: é muito químico e acho o gosto horroroso. Se você NÃO PODE comer açúcar, no entanto, já experimentou xarope de agave? Tem pra vender no Santa Luzia e em lojas de orgânicos e produtos natuais (deve ter pela net). Apesar do gosto dele ser bem doce, o índice glicêmico dele é tão baixo que pode ser consumido por diabéticos (segundo li num artigo).

abs

Luciana Betenson disse...

Nossa, Ana, eu aguei... rsrsrs! Cerejas estão entre as minhas frutas preferidas, uma pena serem tão caras. Não fosse isso, comprava um balde por semana :O)
Beijos,

Patricia Scarpin disse...

Preciso fazer essa compota, Ana! Vou ver se ainda encontro as cerejinhas no mercado hoje, depois do trabalho.

Ficou tão linda! E deve ficar mesmo fantástica com o arroz doce de que vc falou.

Beijo!

Anna disse...

Oi Ana, o arroz que você comentou a respeito eu conheço, é o ris l'amande. É uma receita de natal na Dinamarca (morei 4 anos lá). É bem fácil, é só cozinhar 1 xíc. de arroz no leite depois que esfriar juntar 200g de amêndoas laminadas e um pouco de creme de leite fresco batido com um pouco de açúcar. Serve-se com compota de cerejas, é só! A tradição é deixar uma amêndoa inteira e quem achar a amêndoa ganha um presente.

Ju R. disse...

ai, q tortura ver isso aqui no trabalho. quero já!

Renata disse...

Fique com vontade de comer esse arroz doce... Ana, acompanho seu blog faz algum tempo, ultimamente tem sido triste ler e passar vontade(o trabalho não me tem deixado tempo sequer de fazer saladas e eu tenho vontade de todas as suas receitas)... Essa eu creio que terei tempo de fazer, que bom :)

Fê Sandoli disse...

Ana que delícia!
Sempre que posso visito seu blog atrás dessas belezuras.

Como sei que você também é uma pesquisadora de plantão, sempre mergulhada nos livros, queria te recomendar uma coleção da Kellermann editore chamada "I QUADERNI".

É a coisa mais fofa do planeta, toda impressa em caderninhos pautados, super didática, e todinha ilustrada.

Ainda mais agora que você terá um pupilo ;)

Dá uma olhadinha depois:
http://www.kellermanneditore.it/collane.php?ID=quaderni

trouxe todos que consegui encontrar na Italia... uma loucura.

Beijocas e parabéns pelo blog!
Fefe

Fê Sandoli disse...

Ana que delícia!
Sempre que posso visito seu blog atrás dessas belezuras.

Como sei que você também é uma pesquisadora de plantão, sempre mergulhada nos livros, queria te recomendar uma coleção da Kellermann editore chamada "I QUADERNI".

É a coisa mais fofa do planeta, toda impressa em caderninhos pautados, super didática, e todinha ilustrada.

Ainda mais agora que você terá um pupilo ;)

Dá uma olhadinha depois:
http://www.kellermanneditore.it/collane.php?ID=quaderni

trouxe todos que consegui encontrar na Italia... uma loucura.

Beijocas e parabéns pelo blog!

Silvana disse...

Ana, você pode passar pra gente a "nova lista" de livros? A completa realmente foi impossível de tentar comprar (já tinha alguns) então me ocorreu que a "lista enxuta" pode ser mais viável... Obrigada e parabéns pela nova casa - aliás, por que as grávidas sempre se mudam nos últimos meses de gestação? - fica a pergunta, pois ocorreu também comigo. Cansa mas é muito bom! Um beijo e boa sorte.

Anônimo disse...

Ana,
Como você faz para que essas compotas de frutas vermelhas mantenham essa cor maravilhosa? Já fiz a compota de morangos para a receita do pudinzinho mas poucas horas depois, principalmente se colocada sobre o pudim, a compota adquire uma coloração mais desbotada, mais pra marrom... O que posso estar fazendo de errado?

cronicas gulosas disse...

Está com uma cara DELICIOSA! Assim que a minha cozinha ficar pronta (ô agonia, ficar sem fogão!), vai rolar uma compota rapidinho! Obrigado & abs

Vanessa disse...

Ana, pesquisando sobre o xarope de agave , olha o que encontrei: http://misturaviva.blogspot.com/2010/05/xarope-de-agave-desmascarado.html
Bjos!

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails