segunda-feira, 15 de março de 2010

Fofinho como uma nuvem: Angel Food Cake

Sempre tive curiosidade quanto a esse bolo. Tem nome mais cuticuti que "Angel Food Cake"? É impossível não imaginar algo puro e etéreo, flutuando em seus sonhos culinários. E esse bolo, apesar de ser uma versão "endiabrada" do bolo, como a própria autora diz, tem o miolo tão branquinho, tão leve e tão fofo, que não poderia mesmo ter outro nome.

O Angel Food Cake original não leva gordura nenhuma: são claras, cremor tártaro, açúcar, baunilha e farinha. Esta versão leva um belo e saboroso banho de manteiga, razão pela qual a autora deve ter acrescentado também o fermento. O resultado é tão delicioso e leve; todos que o experimentaram até agora tiveram a mesma reação: "Noooossaaa... que bolo fofiiiinhoooo...". Não sei por quê, mas algo nele me trouxe uma sensação nebulosa de infância, daqueles bolinhos de baunilha que se agarram à memória para perdurar até o fim de seus dias.

De qualquer forma, a razão pela qual resolvi preparar esse bolo foi o fato de ter 14 claras congeladas em meu freezer. O que fazer com todas elas, se meu menor pacotinho continha 4 claras? Essa menor quantidade já produziria um batalhão de suspiros. Nada de suspiros, então. Macarons? Neh. Não quero ter de comprar farinha de amêndoas. Financiers? Também não. Pode-se dizer que, enquanto fuçava em meus livros, essa receita de Angel Food Cake caiu mesmo do céu: usa 9 das minhas 14 claras e tudo o que eu já tinha na despensa. Houve apenas duas adaptações: a substituição da cake flour por farinha comum peneirada com amido de milho e o uso de açúcar baunilhado e essência de baunilha no lugar da fava que eu não tinha. (Você pode usar açúcar comum e omitir a essência se quiser usar a fava: acrescente as sementes raspadas da fava logo antes da manteiga.) Aliás, sempre que falo de açúcar baunilhado, refiro-me ao pote de açúcar cristal orgânico entulhado de favas de baunilha usadas, e não, NUNCA, dos vendidos prontos em saquinhos, artificiais e caros que só eles.

Se você também é cabeça oca como eu e de vez em quando congela claras sem anotar quantas há no saquinho, deixe descongelar durante a noite e pese: cada clara deve pesar cerca de 28g, totalizando 252g de claras. O preparo é na verdade tão fácil quanto fazer merengue. Há praticamente dois passos: bater as claras e incorporar os secos. Por isso, tenha tudo pronto para ser usado e leia toda a receita antes para pegar os truquezinhos e não se atrapalhar no meio.

ANGEL FOOD CAKE "ENDIABRADO"
(Adaptado do livro Desserts By The Yard, de Sherry Yard)
Tempo de preparo: 20 minutos + 45 min. forno + 1 hora de descanso
Rendimento: 10 porções


Ingredientes:
  • 1 xic. farinha de trigo
  • 2 colh. (sopa) amido de milho (maizena)
  • 1 xic. + 2 colh. (sopa) açúcar cristal orgânico baunilhado
  • 1/2 colh. (chá) fermento químico em pó
  • 9 claras grandes
  • 1/4 colh. (chá) cremor tártaro
  • 1 colh. (chá) essência de baunilha
  • 115g manteiga sem sal, derretida e ainda quente

Preparo:
  1. Posicione a grade do forno no meio e pré-aqueça a 180ºC. Use uma forma redonda, de 23-25cm de diâmetro (capacidade de 10 xíc.), de laterais razoavelmente retas. NÃO UNTE A FORMA: a massa é leve e precisa grudar nas laterais para conseguir crescer. Forre apenas o fundo com papel manteiga, para facilitar na hora de desenformar (dobre um quadrado de papel até que vire um triângulozinho, alinhe com o raio da forma e corte a parte externa para encaixar dentro da forma e a ponta interna; quando aberto, o papel parecerá um donut e encaixará certinho no fundo da forma).
  2. Junte a farinha, o amido, 1/2 xíc. + 1 colh. (sopa) do açúcar e o fermento e peneire umas 4 vezes. Reserve.
  3. Na batedeira, bata as claras em velocidade baixa até que espumem. Junte o cremor tártaro e 1 colh. (sopa) do açúcar e continue batendo, acrescentando 1 colh. (sopa) do açúcar restante por vez, até que ele tenha acabado. Bata até que as claras estejam medianamente firmes: ou seja, elas devem manter sua forma quando você levantar a batedeira, mas ainda bastante "cremosas". Se estiverem firmes demais, como suspiros, o bolo vai ficar denso e ressecado.
  4. Junte a manteiga derretida e a baunilha num fio rápido enquanto termina de bater as claras.
  5. Pare a batedeira e, com uma espátula grande, incorpore os ingredientes secos, pouco a pouco. Faça isso com cuidado mas rapidamente, para que as claras não desinflem. Puxe a massa do fundo da tigela para cima, pois normalmente a massa parece bem homogênea de cima, mas pode haver muita farinha ainda no centro e no fundo.
  6. Coloque a massa na forma às colheradas, alise a superfície e leve ao forno por 30 minutos. Abra o forno rapidamente e gire a forma de trás para frente. Asse por mais 10-15 minutos, até que esteja firme ao toque e um palito inserido no centro saia limpo.
  7. Retire do forno e imediatamente vire a forma de ponta-cabeça em uma grade. Se o bolo tiver chegado até a borda da forma, apoie a parte central da forma em algum objeto para que o bolo não fique encostando na grade. Deixe esfriar assim por 1 hora. Se você não fizer isso, o bolo, que é muito leve, vai naturalmente se afastar das laterais da forma e afundar.
  8. Passada 1 hora, vire a forma novamente e passe uma faquinha nas laterais. Desenforme o bolo e retire o papel-manteiga do fundo. Sirva com frutas, creme ou sorvete.

21 comentários:

Almika disse...

Oi Ana! Tudo bem? Esse bolo me lembrou a genoise que fiz semana passada. Era só bater os ovos com açúcaraté triplicar o volume e acrescentar a farinha peneirada. Sempre tive curiosidade com esse Angel Food, mas nunca fiz. Agora fiquei numa vontade... Bj

Quéroul disse...

o nome é cuti cuti mesmo! :)

Ana, não sei se é aqui o problema, mas o link do cremor tártaro no seu texto não tá funcionando.

=*

Quéroul disse...

bitartarato de potássio não é um nome cuticuti.

;)

Richie disse...

Ana Elisa, que medo de fazer e ele abaixar como um souflé! Tem perigo??
O bolo e o nome são fofos!

bjo, e boa semana!

Tati Blue disse...

comé que vivi tanto tempo sem conhecer seu blog?
fiz o bolo de laranja da vó hoje.
bjo

Ana Elisa disse...

Richie,
ele não é tãaaao problemático, principalmente porque tem o cremor tártaro para ajudar a estabilizar. Tanto que você abre o forno no meio do cozimento e ele não afunda! :)
É só realmente misturar direito as claras com os secos e virar o bolo de cabeça para baixo assim que ele sair do forno (eu esperei meio minuto só prá pegar a grade e a lateralzinha já estava soltando). Ok? Nada de medo. E se der errado, é só fazer de novo, né não? :P

Bjs

Trainee de Cozinheira disse...

Olá Ana, tudo bem?, sempre leio o seu blog, já até separei a receita de sorvete de gianduia, vou fazer assim que der, gosto do que vc escreve, sempre com humor e isso é muito bom, me diverti com a descrição do calor,é exatamente asim que eu me sinto rsrsr, mas não escrevo tão bem como vc.
bjs
Maura

Anônimo disse...

Oi Ana ! Vou para Itália no sábado, Positano e arredores. Recém me aventuro na cozinha, por isso a pergunta : alguma dica de temperos ou produtos imperdíveis (além do limoncello, vinho santo e do cantuccini?!). Obrigada pela atenção. Patrícia Reis

Ana Elisa disse...

Patrícia,
comi peixe e frutos do mar fresquíssimos em Positano. De muito específico não consigo lembrar. Fiquei pouco tempo em Positano e não me aventurei pelos arredores (fiquei mais no centro e norte da Itália). Mas procure uma trattoria lá no alto de Positano, de um italiano chamado Luigi. Mas a melhor coisa que você pode fazer é perguntar, bem simpática, a alguém de lá sobre a culinária regional e o que há para se provar de especial. Italiano adora falar de comida! :) Você pode bem provar uma salada caprese em Capri! :D

bjs

Patricia Scarpin disse...

Eu estou com um batalhão de claras em casa, por causa da produção de sorvetes - acredita que pensei em fazer um angel cake no sábado, Ana? Transição de pensamento. :)
Mas daí fui ao cinema e adiei. O seu está me dando água na boca! Parece uma nuvenzinha, mesmo!

chopp disse...

Esse bolo deve ser divino, principalmente para o cafe da tarde!!!

Lorena disse...

Olá, Ana. Sou leitora do seu blog a pouco tempo e queria te parabenizar pelos textos adoráveis e pelas receitas deliciosas. Além disso, quero te agradecer porque sempre quis fazer pao mais sempre tive medo de nao conseguir e eu como amante de pão, nao me sinto feliz com os de saquinho. Outro dia resolví me aventurar no não de azeitonas com alecrim. Deu certo!!!!! rs Deliciosamente certo! Obrigada! Abraços.
Lorena

Luciana disse...

Oi Ana! Que fantástica solução pras claras que sobraram dos sorvetes... Isso é uma espécie de pão-de-ló, não??

Anônimo disse...

Ana Elisa,
É possível congelar as gemas se eu for usar apenas as claras?

Renata Moreti disse...

Sempre tive vontade de fazer esse bolo, mas a quantidade de claras me assustava... Na verdade, me assustava ter que desperdiçar as gemas... E, daí, vem vc falando em claras congeladas??? Ohhhh! Assim, simples? Tipo, colocar num potinho, cobrir e ponto? Me explica isso aí com mais detalhes, por favor? Adorei...
Beijinhos!

Ana E.G. Granziera disse...

Só isso mesmo: bota as claras num saco, anote quantas tem lá e bote no freezer. Pode descongelar fora da geladeira mesmo, que elas não estragam enquanto isso não (dentro da geladeira demora muuuuuito).
Não, as gemas não congelam bem. Melhor mesmo usar as claras congeladas de outros pratos para os quais você usou só as gemas.

bjs

Rafaela Ferrari disse...

Oi Ana!

Venho aqui no seu blog há um tempinho já pra olhar as receitas e me inspirar.
Sou apaixonada pelo mundo da culinária (leia-se, patisserie) e seu blog me dá água na boca. Já testei suas receitas e são ótimas.
Comecei um blog novo hoje e espero que possamos compartilhar muitas receitas, dicas e truques de cozinha.
Parabéns pelo blog.

Beijos

Vitor Hugo disse...

Óh, bom saber que dá para fazer em fôrma normal. Mas pela foto, parece que a sua fôrma tem furo no meio, não?

Desde que comi o chiffon cake que é primo do Angel, estou com vontade de comer e fazer. Igual a Pat e a ti, estou com uma quantidade vergonhosa de claras congeladas. :x Né, quem manda ficar fazendo sorvetes, hahahah

oquefazerprojantar??? disse...

andava por aqui a passear... e através de links vários cheguei aqui! estou a adorar!
e mesmo hoje fiz arroz doce para o nosso almoço de Páscoa e não sabia o que fazer com as claras que sobraram... agora já sei! vou congelar... não sabia que dava! será que crescem também e ficam durinhas?
vou ter que experimentar. E esse bolo é mesmo uma boa sugestão!
vou voltar...

Exlibris disse...

olá !
adoro seu blog
mas nao entendo o que é o cremor tartaro nem a coisa das claras... porque há que se congelar?
beijinhos fofos

Carla Torres disse...

Oi. Amei essa receita!! Fiz ontem e ficou perfeita. Escrevo um blog por lazer e coloquei o link para sua receita de Angel Cake, espero que não se incomode.
Abraços e parabéns pelo blog e pelas ilustrações. São lindas.

http://filhinhosdamamae.blogspot.com.br/2014/06/da-ultima-vez-que-estivemos-em-paris-em.html

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails