quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Pizza alle melanzane para férias que não chegam nunca

Preciso de férias. E já em meados de novembro, acredito que muita gente também precise. Eu particularmente anseio pelas férias entre Natal e Ano-Novo, férias coletivas de muita gente, principalmente clientes, pois, a não ser que eu DECLARE férias e suma de casa por um período pré-determinado, é simplesmente impossível relaxar.

E eu tentei. Noutro dia mesmo, sol de rachar, trabalhos entregues, achei que bem que podia apanhar minhas coisinhas e ir para a piscina do clube. Assim, meia horinha, ninguém vai sentir minha falta. O protetor solar mal secara nos meus ombros, e o celular já estava tocando. "Oi, aquele trabalho que era para semana que vem, pode ser para hoje?"

Pode, pode.

Ficar em casa, então, nem pensar. Computador ligado é sinônimo de estresse. Ou você se estressa porque chegou email de cliente ou porque não chegou. É só decidir se dar dez minutos para sentar a busanfa no sofá e terminar o capítulo do livro, que pimba! aquele trabalho encalhado há meses volta com a força toda. E ainda tem toda a canseira mental de pensar que aquele cliente que tentou entrar em contato com você durante suas auto-declaradas férias pode nunca mais chamá-lo para nada. Bem diferente de sair com férias pagas e saber que seu emprego continua ali esperando por você.

Ok, chega de reclamar. Meu ponto é que, para quem trabalha por conta, principalmente em casa, ou você sai do país, ou aproveita as férias coletivas dos seus clientes.

E conforme a quantidade de trabalho vai diminuindo nessa época, minha mente vai ficando mais ansiosa pelo ritmo de férias. Ontem foi um dia em que não consegui parar de pensar na santa tríade piscina-cerveja-cochilo. Talvez por isso tenha tido tanta vontade de cozinhar algo mais informal, mais divertido. Toda vez que decido preparar pizza, no entanto, é a mesma história: a vontade bate meia hora antes do jantar, e já não dá tempo de preparar a maravilhosa massa de 24 horas, e vai a de 15 minutos mesmo.

Sem problemas. Coloquei o granito na grade inferior do forno e, enquanto ele aquecia no máximo, preparei a berinjela. [Como sempre tem um perdido me mandando email, vá numa marmoraria e peça para cortarem um pedaço de granito do tamanho do seu forno, com 2cm de espessura. Pronto: pedra de forno. Todos os meus outros "equipamentos" estão no FAQ.] Coloquei a grelha no fogo e deixei que soltasse fumaça de tão quente. [Vai, coloca na listinha do Papai-Noel: grelha de ferro fundido. É a MELHOR coisa do mundo para preparar berinjelas, abobrinhas e afins.] Fatiei fino uma berinjela grande e coloquei as fatias na grelha pelando, virando-as quando apresentavam lindas listrinhas pretas em sua carne pálida. Coloquei-as em uma tigela e temperei-as com sal, pimenta-do-reino e um fio generoso de azeite.

Preparei a pizza misturando 400g de farinha de trigo a 1/4 colh. (chá) de sal. Fiz um buraco, coloquei 1/4 colh. (chá) de açúcar, 5g fermento ativo seco instantâneo, 250ml de água e um fio de azeite e deixei quieto por 5 minutos. Então voltei e misturei tudo com um garfo, depois sovando a massa até que ficasse elástica e macia. Polvilhei farinha e embrulhei em filme plástico, deixando repousar por 15 minutos.

Retirei o plástico e abri a massa com um rolo polvilhado de farinha, até que o disco de massa estivesse do tamanho do meu salva-bolos, que uso como pá de pizza (uns 35 a 40cm). Polvilhei o salva-bolos com farinha de milho e coloquei a massa sobre ele.

Já usei vários molhos de tomate nas pizzas, mas meu favorito é o mais simples: apenas misture uma lata de tomates italianos pelados a 1 colh. (chá) de sal e esmague os tomates até obter uma polpa. Isso é suficiente para 4 ou 5 pizzas, mas você pode usar o restante para a próxima macarronada ou mesmo congelar para as próximas pizzas.

Espalhei umas 2-3 colh. (sopa) de molho sobre a massa e salpiquei um dente de alho picadinho. Dispus as fatias de berinjela grelhada, uns 120g de queijo feta esmigalhado, folhas de manjericão e um fio de azeite. Foi para o forno, diretamente sobre a pedra, por 10 minutos, ou o suficiente para que a massa estivesse cozida (algo entre 7 e 10 está bom). Por isso é importante não fazer bordas muito gordinhas. Como o forno caseiro não é tão quente quanto o forno à lenha, até as bordas gordas assarem completamente, a parte de baixo da pizza já estará crocante ao invés de macia. Também já desisti daquele lindo visual de massa dourada e queimadinha. Não rola. Fica pálida mesmo.

O problema da pizza caseira é que ela sai direto do forno para seu prato, bem mais quente do que pizza pedida fora. É batata: vou muito afoita e queimo o céu da boca. Então, cuidadinho... ;)

9 comentários:

cacahuete disse...

Bem boa essa pizza. Deve ser óptima.

Bjs

Livia Luzete disse...

Nossa! Á meia-noite e 20 da manhã salivei!!!

Carol disse...

Pizza de beringela com queijo feta?!?! Deve ser mto boa hein!??!
Eu tbm queimo o céu da boca de tão afoita.. rs.. depois vem a parte das bolhas... péssimo... rs

Bigode de chocolade disse...

É tão fácil ser feliz, não é. Um pouco de farinha, sal, uns tomatinhos, berinjela... que pizza! Você deve enlouquecer os vizinhos, Ana. A fumacinha sobe para outros apartamentos. Daqui a pouco estão tocando a campainha por aí. Ah, estou de olho em um piso de cerâmica que vou usar como pedra para pães e pizzas. Já tentei com um pedaço de mármore, mas o coitado do forninho parecia não aguentar. Beijos.

Patricia Scarpin disse...

Ana, nunca comi pizza com beringela e fiquei muito tentada a provar depois de ver a sua, tão linda!

Nunca trabalhei em casa e sinceramente não sei se teria a disciplina necessária para isso - acho que ficaria procrastinando tudo para passar mais tempo cozinhando... ;)

Dani - Paladar disse...

e-mail de cliente deveria conter no final "fritas acompanha o pedido", todos tem o defeito da urgência. Mas é isso ai, tem gente q acha q trabalhar por conta é sombra e água fresca, mas imagino q não seja mesmo.

to com planos para uma pedra pro forno tb, só tenho medo de ser muito desastrada e não morando dentro dele todo tempo derrubar e terminar a brincadeira.

Adoro suas dicas, e nem são meio dia e eu to imaginando o sabor dessa pizza!

Luciana de Oliveira disse...

Ana
Eu costumava ler seu blog com frequencia, mas de uns tempos pra ca vc anda muito amarga, seus comentarios em relação as pessoas que leem seu blog tem um tom de impaciencia que acho muito deselegante.
Talvez seja o momento de reavaliar se escrever um blog é o certo a fazer ja que soa como um grande fardo para vc.
Desejo muita sorte e sucesso para vc.
Luciana

Kenia disse...

Ana Elisa, tenho que te dizer: Ja não é a primeira vez que venho parar, por acaso, nas tuas paginas de receitas. Lembro que a algum tempo eu li uma receita com mirlilhos, atraentes frutinhas que eu não conheço... Mas hoje eu tive que parar pra dizer como é gostoso entrar na tua narrativa. É quase como um sonho que foi... sem ter de fato sido, uma das melhores experiencias gastronomicas que eu ja tive!! Hahahahahaa... Tu escreves belissimamente, assim como cosinhas!!!

É um prazer te conhecer, mesmo o pouco que conheço.

Abraço,
Kenia

ninapicnic disse...

Eu fiz essa massa e ficou maravilhosa!
Matou a vontade que estava me matando!
Como não tenho a pedra pro forno, fiz na assadeira mesmo e ficou uma delícia!
Obrigada pela dica mais uma vez!
Beijinhos

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails