segunda-feira, 8 de junho de 2009

Doce como torta doce de batata doce

Eu detestava batata-doce quando pequena. Provavelmente trauma de algum doce de festa junina mal feito. Certo dia, já mais velha e na casa de um amigo, este apareceu à mesa com uma enorme travessa de peixe assado e duas batatas: a comum e a (eca!) doce. Um dos presentes apanhou rapidamente a colher, serviu-se de peixe e, para a surpresa de todos, meticulosamente selecionou e tomou para si todas as batatas comuns da travessa, deixando os outros cinco presentes, inclusive o anfitrião, com as batatas-doces. Ficamos todos atônitos, e a situação foi tão constrangedora, que ninguém teve coragem de comentar coisa alguma. Respirei fundo e, já conformada, servi-me das rodelas macias e douradas de batatas-doces assadas.

Qual não foi minha surpresa, quando descobri que batata-doce era sim muito gostosa, e que minha cisma até então fora completamente infundada!

Desde então as batatas-doces têm aparecido com certa frequência em minha mesa, normalmente assadas inteiras, em papel alumínio, recobertas de temperos e abertas no prato, fumegantes, para serem recheadas com uma bela colherada de requeijão.

No entanto, essa semana fui à feira comprar batata-doce com outro intuito: estava com ideia fixa de fazer uma Sweet-Potato Pie, uma torta, segundo me consta, típica do sul dos Estados Unidos. Eu continuo não sendo lá muito fã do nosso doce de batata-doce, que sempre aparece nas festas juninas. Mas estava curiosíssima para experimentar a batata assim, em forma de torta.

A receita é da dona Martha, é muito fácil e eu gostei bastante do resultado. A torta fica surpreendentemente leve, pouco doce e com um gostinho levemente exótico que eu, particularmente, gosto. Já meu marido... Para quem está acostumado a comer apenas torta de limão ou de chocolate, acho que a de batata-doce é um desafio. Eu não prepararia esta torta para visitas desavisadas, por exemplo. Ela é para fãs de verdade do tubérculo.

Usei as batatas que encontrei primeiro, aquelas de polpa branca e casca cor-de-vinho, mas pela foto da revista e do site, acredito que a receita original utilize das batatas-doces de polpa cor-de-laranja, pois a torta tinha uma cor de caramelo que a minha não adquiriu.

Tive minhas reservas em comprar bolacha de pacote para usar na massa, e quase saí fazendo minhas próprias. Mas é preciso ter limites, e mesmo eu não sou tão louca assim. Ainda. Comprei um pacote de bolachas, moí tantas quanto necessário no meu mini-processadorzinho, e então olhei para o pacote pela metade. "O que eu faço com isso???" Não tive dúvidas: moí todo o resto, guardei num potinho de vidro (onde anotei a data de validade das bolachas) e coloquei na geladeira. Agora, na próxima vez que for fazer uma torta que peça uma "graham cracker crust", já tenho as bolachas moídas e prontas para o uso. Tchanans! Esse foi um momento Nigella. ;)

SWEET POTATO PIE
(da revista Everyday Food)
Tempo de preparo: 30 min. + 50 min. (forno) + 2h (geladeira)
Rendimento: 8 fatias


Ingredientes:
(massa)
  • 1 1/3 xíc. bolachas Maria ou similar, moídas
  • 3 colh. (sopa) açúcar cristal orgânico
  • 1/2 colh. (chá) gengibre em pó
  • 1 pitada de sal
  • 5 colh. (sopa) manteiga sem sal, derretida
(recheio)
  • 3 ovos grandes, orgânicos
  • 1/2 xíc. açúcar cristal orgânico
  • 1 3/4 xíc. purê de batata doce *
  • 1/2 xíc. de creme de leite
  • 1 colh. (sopa) suco de limão siciliano
  • 2 colh. (chá) essência de baunilha
  • 1 colh. (chá) sal
  • 1/4 colh. (chá) pimenta-da-jamaica moída

*Purê de batata-doce: descasque e corte em pedaços de 5cm 3 batatas-doces grandes. Coloque em uma panela com água bastante para cobri-las e leve à fervura, cozinhando até que um garfo as espete com facilidade (15 minutos). Escorra bem e transforme em purê.

Preparo:
  1. Pré-aqueça o forno a 180ºC, posicionando a grade do forno na parte mais baixa. Misture numa tigela as bolachas moídas, o açúcar, o gengibre e o sal, quebrando com um garfo os pedaços maiores de bolacha.
  2. Junte a manteiga derretida e misture bem, até obter uma aparência de areia molhada.
  3. Pressione a mistura no fundo e nas paredes de uma forma de 21-22cm de diâmetro.
  4. Em outra tigela, bata ligeiramente os ovos e o açúcar, até que fique homogêneo.
  5. Junte o purê de batata-doce, o creme de leite, suco de limão, sal, baunilha e pimenta-da-jamaica. Misture até que o creme esteja completamente sem grumos.
  6. Despeje sobre a massa da torta, alisando o topo se necessário e coloque a torta sobre uma assadeira. Leve essa assadeira ao forno por 40 a 50 minutos, até que o recheio pareça firme. NÃO teste com uma faca ou palito, pois quando a torta esfria, ela contrai, transformando o que era um furo imperceptível em uma cratera.
  7. Transfira para uma grade, para que esfrie completamente, e leve à geladeira por 2 horas ou até 1 dia antes de servir. Sirva fria ou em temperatura ambiente, com chantilly, se quiser.

8 comentários:

Iliane disse...

hummm... que torta linda!!eu amo batata doce!!!!acho uma maravilha tudo feito com ela!!!minha mãe faz uns biscoitinhos com ela que derrete na boca..eu?já tentei e como sou pessima biscoiteira..numca sai igual os dela..amei a sua torta!bjus

Cucchiaio pieno disse...

Cara Ana, me diverti muito com as tuas "experiencias" com batata-doce, graças a um mal educado voce redescobriu este gostoso sabor.
Adorei a receita porque amo esta batata. Um abraço
Léia

Abelha Maia disse...

Adorei, nunca comi nada parecido.
Muitos parabens pela receita.
bjsss

Marcelo disse...

Oi Ana, a gente as vezes fica com traumas mesmo. o meu é o coentro - espero que o meu pai não veja isso! Ele coloca em tudo! - usam tanto que chega a enjoar. Mas depois de um tempo a gente esquece, prova, e volta a gostar.
Essa torta me parece bem suave mesmo, como disseste. Vou tentar, pois sou um fã de tubérculos haha.
Ah, obrigado pela explicação das folhas de cenouras! Bem picadas e cozidas - Anotado. E sim, o aprendiz colocara a folha crua no prato.
Estou rindo disso. haha
Continua assim, reportando suas experiências!
Marcelo.

caosnacozinha disse...

Ana, cá em casa também não somos muito fãs de batata doce. Mas ofereceram-me umas e eu tive que usar. Acabei por fazer, numa daquelas mega excepções, um prato de chips misto, com batata normal, doce e beterraba. E ficou delicioso! A batata doce, frita em chips, foi a minha favorita.
Também queria experimentar a torta, mas acho que vou guardar para uma festa, já que o marido não come doces e eu não quero ter de comer uma torta inteira!

Beijo *
Mariana

Bia Belliard disse...

Nunca comi torta de batata doce mas acho que vou gostar muito, pois sempre fui fa destas batatinhas ! ja estou anotando ! bjs

gasparzinha disse...

Nos sites americanos, a batata doce que usam é sempre da mais alaranjada, mas cá em Portugal esta mais clara tb é a mais frequente.
Eu adoro, inclusivamente cortadas em gomos, assadas com especiarias. Ficam uma delícia!
E no caril... :)

Adorei esta torta, cuja receita levo comigo para experimentar.

Beijinhos.

Simplesmente Mariza disse...

As vezes é bom não termos saída, e experimentarmos algo que acreditamos que não gostar....aí vem a surpresa....."gostar". A receita da torta é ótima. Preciso sair, e não consigo sair do teu blog. Mas agora vou....mas volto, pois adorei!

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails