sexta-feira, 29 de maio de 2009

Crostini de rabanetes e salada quente de funcho e agrião

Não é porque está frio que eu vou sair correndo das saladas. Ah, não. Continuo adorando essa oportunidade diária de combinar uma série de legumes e verduras de modo fácil e rápido, deixando as horas de planejamento e execução na cozinha para momentos mais calmos.

Continuo firme e forte em minha resolução de comer apenas o sazonal, e apenas o forte do mês, e isso tem sido muito mais agradável e muito menos difícil do que imaginava que seria. A primeira boa surpresa é o aumento na variedade de verduras e legumes que ano consumindo. Porque se me deixar sozinha numa feira, eu volto com a sacola cheia das mesmas coisas: pimentões, alface romana, abobrinhas, escarola.

Ontem, apanhei minha listinha de maio/junho e fiquei horrorizada pela ausência das minhas verduras amargas favoritas. E agora? O que eu faço sem escarola? E catalogna? Vocês precisam entender: eu não consigo ficar mais de dois dias sem algo verde escuro no meu prato. Reli a lista, e eis que surge a salvação: agrião. Está aí uma verdura que eu nunca compro. Sempre ali, verdinha e picante, olhando para mim, e eu ignoro seu olhar pidão e apanho alguma outra favorita para levar para casa, como um cãozinho velho e sarnento numa petshop ao lado de filhotes dourados de labrador. [Preciso apenas explicar aqui que eu sou completamente maluca por cachorro velho e sarnento de rodoviária, no entanto. Quero levar todos para casa. Já o agrião, coitado...]

Desta vez, não tive escolha. Ok, agrião, chegou a sua vez. Vamolá! Você é o verde do meu prato no mês de junho. Campeão! Funcionário do mês!

Mas ainda que a geladeira esteja hoje recheada de coisinhas maravilhosas como funcho, abóbora, batata-doce, mostarda (ganhei do feirante um maço enoooooorme, porque ele ficou passado que eu nunca experimentara), cenouras com suas folhas, ervilhas-tortas e afins, eram os rabanetes que continuavam me açoitando com suas acusações de abandono.

*Suspiro*

Foi um misto de gula com falta de inspiração. Quero muito comer rabanetes de outra forma que não crus, mas confesso que desde que experimentei esse jeito de comê-los, não consigo pensar em mais nada. Quando li no Chez Panisse Vegetables sobre esses open-face sandwiches de rabanetes, manteiga e anchovas, pensei: "Íiiiiiiuuuuuuh! Não há meios de isso funcionar!" :P Quão errado pode estar um ser humano?? Eu estava muito, muito errada. Não apenas funciona, como é delicioso! Não importa quão insuportavelmente picantes estejam seus rabanetes. Alguma coisa acontece quando eles tocam a gordura doce da manteiga e a carne salgada das anchovas, e os três ingredientes se fundem num sabor só, completo e suculento sobre a baguette quente.

Sério.

Completamente viciante.

Para não comer uma baguette inteira, um tablete de manteiga, um vidro de anchovas e uns 17 rabanetes no almoço [ah, eu seria totalmente capaz disso], resolvi complementar meus três crostini com uma salada que criasse o mesmo efeito "amálgama de sabores". O agrião, picante como os rabanetes, foi coberto com uma camada de funcho quente, refogado em azeite e sementes de erva-doce, cozido até amaciar e quase caramelizar com um pouquinho de açúcar. No garfo, o agrião perde sua picância e a erva-doce não é assim tão doce, e o equilíbro me pareceu perfeito.

Vale dizer que como fã número 1 de funcho (erva-doce), estou extasiada por ele estar na época! Fiquei meio desconfiada quando vi o tamanhozinho dos bulbos, acostumada àqueles de supermercado, do tamanho da minha cabeça. "Pode levar", disse o feirante. "Este é pequenininho mesmo, mas olha só como são redondinhos! Estão muito saborosos, pode confiar. Toma, faço 6 pelo preço de 5." Confiei, e com razão. Estão mesmo uma delícia! Nada como um bom fornecedor! :)

CROSTINI DE RABANETES
(quase nada adaptado do livro Chez Panisse Vegetables, de Alice Waters)
Toste um pouco fatias de baguette no forno, sob o grill ou numa torradeira, e espalhe um pouco de manteiga sem sal sobre as fatias quentes. Cubra com um, dois ou três filés de anchova (dependendo do tamanho) e então com fatias finas de rabanetes. Tempere com pimenta-do-reino moída na hora.

SALADA QUENTE DE FUNCHO E AGRIÃO
(adaptado do livro Gordon Ramsay's Fast Food)
Fatie a parte branca de um bulbo pequeno de funcho (do tamanho de um punho) e reserve algumas folhinhas. Em um pilão, triture uma pitada de sementes de erva-doce com um pouco de sal grosso. Aqueça um fio de azeite numa frigideira e junte a erva-doce triturada, mexendo com uma colher até que exale aroma. Junte o funcho fatiado, tempere com sal, pimenta-do-reino e 1/2 colh. (chá) de açúcar e mexa, deixando que cozinhe em fogo baixo até que esteja macio e ligeiramente dourado. (Você pode deixar caramelizar mais se quiser.) Coloque um punhado de agrião lavado e seco em um prato, cubra com o funcho quente, tempere com azeite e mais sal e pimenta, se quiser, e as folhinhas reservadas. Serve 1.

14 comentários:

Anônimo disse...

Ana, agrião é simplesmente minha filha favorita! Adoro o picante dele, e com a erva doce....deve ser realmente bom! Vou correr na quitanda e preparar uma dessas logo mais a noite!
Beijo e Parabéns!
Mirela
(Sinto falta da sua coluna de livros...)

Marcos disse...

Anaaaaaaaaaaaaaa!!!

Essa tua lista tem algo de próximo desta aqui?
http://www.bemdesaude.com/seasons/
(é uma luta pra eu ler essa tabela... meu daltonismo me "quebra as pernas"...)

Porque já revirei o Google e tem muita coisa divergente...

Fica difícil de confiar com tanta coisa variando...

Carol disse...

Ana Elisa, tambem virei fiel seguidora da tabela, graças a voce (acho que ja te disse isso umas mil vezes). Agora que to grávida entao, virei uma apaixonada por frutas como nunca fui, mas confesso que, como vc, desanimei um pouco com a temporada de junho. Tem tao pouquinha coisa em comparacao com os meses de verao, né? mas vou persistir, porque ta valendo muito a pena. bjo

Amo Música disse...

Oi Ana, parabéns pelo blog! Sou novata por aqui e estou amando! Nossa, essa salada me deu água na boca...rs Já add seu endereço em meus favoritos e passarei sempre por aqui para consultar suas deliciosas receitas. Um abraço e bom fim de semana para vc. Chris (Belo Horizonte, MG)

miosotiis disse...

Hum...os rabanetes andam a deixar-me com a pulga atrás da orelha...nunca provei e, de repente, vejo-os por todo o lado! :)

Acho que me vou aventurar!

Quanto ao agrião...adoro!, mas por cá há muita gente que só o come na sopa...começou a dizer-se que fazia mal cru...blábláblá

Rabanetes...será? :D

Patricia Scarpin disse...

Ana, eu vi a tua receita e ia fazê-la hoje, mas me dei mal: tinha certeza de que havia uma latinha de anchovas no meu armário, mas já a consumi faz tempo. :(
Tudo bem, não vai faltar ocasião para eu provar os crostini - minha mãe, que era totalmente doida por rabanete, iria ficar super curiosa com esse jeito de consumi-lo.

De qualquer forma, a comidinha que fiz hoje me lembrou demais de ti. Entretanto, vou fazer surpresa: te conto quando colocá-la no blog no meio da semana.

Beijo!

Elena sem H disse...

Podia jurar que tinha publicado uma receita diferente de preparar rabanetes que até meu irmão (um tanto quanto inimigo dos verdes no prato) adorou. Mas não achei...
Prove, vale a pena.
Fatie os rabanetes bem fininhos e refogue em pouca manteiga até ficarem douradinhos e crocantes. Logo, tempere com sal e pimenta moída na hora. Ficam deliciosos. Melhor se ocuparem o papel de petisco para acompanhar uma cervejinha.
Vou provar a sua dica, mas sem anchovas... Quem sabe com presunto cru?
Já comeu capuchinha? Acho ela parecida ao agriçao, com um quê de... capuchinha! Adoro as flores e as folhas, já com o fruto ainda não cheguei num resultado que satisfaça meu paladar.
Boa semana!

Cris disse...

Ana,

lendo seus posts antigos à procura de uma receita fácil de pão encontrei o Vienna bread. Uma dica: o xarope de malte vc tvz encontre em lojas de produtos macrobióticos... Eu moro no interior e aqui não adianta nem procurar, mas aí em SP deve ter!
Adooooooro seu blog!!

Boa sorte sempre ;-)

Eduardo Luz disse...

Rabanete é presença garantida aqui em casa!
Receita à conferir ( viva a Alice!)
Quanto ao agrião, vou fazer a minha primeira colheita neste semana. E plantá-los é tão fácil que dá até vergonha de não fazer: compre um pacote de sementes, joque numa terra qualquer ( usei uma jardineira)e coloque mais um cm de terra por cima. Espere um pouco, selecione as mudas e colha. Com rúcula o processo é o mesmo!!
Abs.

Dani Santos disse...

Achar o seu blog, foi uma das melhores coisas que já me aconteceu!!!Sempre cheio de novidades maravilhosas!!! Estou lendo os posts mais antigos para saber mais sobre tudo!!!

Ana Elisa disse...

Mirela,
a coluna vai voltar lá no Faq. Eu tinha tirado porque tava ocupando muito espaço... :P Agora basta paciência para compilar e linkar tudo de novo (mais os livros novos, ai, ai,ai...)

Marcos,
a lista é do CEAGESP, e fala sobre a sazonalidade de frutas, legumes, verduras, peixes e flores do estado de SP. É bem parecida com essa do seu link, inclusive com as mesmas cores. Você não consegue fazer um amigo compilar isso no Excel para vc e mudar para cores que você consiga diferenciar? Que mancada... :P

Miosotiis,
ah, não liga para isso não. Há quem diga que não pode comer espinafre cru também, mas eu acho que isso é intriga da oposição. Fala sério! Comi agrião cru minha vida inteira! Tô vivinha da silva e saudável prá dedéu! :D

Elena sem H,
olha, nunca refoguei rabanetes! Obrigada pela dica. Já comi capuchinha sim! É muito bom e adoro suas flores!!!

Cris,
no fim encontrei o danado do xarope no supermercado mesmo, na seção de produtos "naturais" e macrobióticos, exatamente como você sugeriu.

Bjos

Fúlvia e Suzie disse...

Puxa, estou ficando viciada no seu blog!! Tem muitas receitas gostosas pra nós, que somos vegetarianos (todos aqui em casa).

Parabéns pelos posts, pelas dicas, por tudo que vc publica! Nota 10!!!

Fúlvia

Soraia disse...

Fiquei admirada de você dizer que não costuma usar agrião! É uma das minhas folhas preferidas e meus filhos adooooram também, mas eles não gostam muito dele cru. Faço assim: pico grosseiramente folhas e talos também e faço com carne moída bem temperadinha, tipo comida de mãe mesmo.Serve tambem pra fazer refogadinho com outros legumes picadinhos, ervas e queijo e rechear uma torta salgada, empadão ou quiche.

Simplesmente Mariza disse...

Para que melhor que isto?

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails