segunda-feira, 27 de abril de 2009

Nada mais que uma salada verde

Só em olhar para minha tabelinha e ver que logo logo as alfaces saem de temporada, senti um comichão por uma salada e corri à feira para apanhar alface romana e roxa, minhas favoritas. Mas, verdade seja dita, nenhuma salada verde se sustenta apenas de alface. Ao menos para mim. Preciso de texturas e sabores diferentes, uma progressão delicada das folhas mais suaves para as mais amargas. Não apenas isso, mas somente pensar em outono me faz querer duplicar em meu prato as cores que, ainda que não em São Paulo, onde as árvores são sempre verdes, costumam aparecer nas ruas e nos céus nessa estação do ano. [Talvez por isso tenha comprado mais abóbora e radicchio do que uma pessoa normal conseguiria consumir. Aliás, abóbora e radicchio parecem ter sido feitos um para o outro, tão deliciosos juntos!]

Se há algo que me salvou durante minha looooooonga dieta foi ter sempre à mão de três a cinco tipos de folhas e ervas para as saladas verdes. E, para ser sincera, não me lembro de ter feito duas vezes a mesma combinação. Hoje quis usar tudo o que havia na geladeira, e usei alface romana, roxa, coração de escarola (aquelas folhas mais claras e delicadas, do centro do pé), radicchio e um pouquinho de salsinha. Tudo rasgado com os dedos — e depois misturado também com os dedos. Feche os olhos quem vier almoçar aqui em casa e achar que certas estão as madames da televisão que usam luvas de borracha. Meto a mão (limpinha) na comida mesmo, pois não há nada mais triste do que uma salada verde esmagada por garfos e colheres, jazendo murcha e estatelada no prato.

Meu tempero é sempre o mesmo e, para mim, o melhor de todos para uma salada verde: um vinaigrette de azeite extra-virgem, vinagre branco, mostarda de Dijon (na mesma medida do vinagre), sal e pimenta-do-reino. Mostarda de Dijon eleva qualquer alface aos céus. E, mais uma vez no reino dos favoritos, acho que nada acompanha melhor uma salada verde do que uma omelete. Assim, simples: ovos, um nadinha de leite e manteiga. Nunca fui capaz de preparar uma omelete como Julia Child ensina nesse post da Lud. Talvez minha panela esteja velha e o antiaderente tenha ido para o saco. Talvez seja mera inaptidão de minha parte, muito acostumada a preparar frittate com o auxílio do grill. Então sempre enrolo minha omelete meio quebradinha, com a ajuda de uma espátula. Ela nunca fica linda, mas sempre fica cremosa, o que me deixa muito, mas muito feliz, uma vez que ovos secos e cinzentos, cozidos além da conta, são uma grande fonte de irritação para mim.

Quem diria, depois de tantos anos, que eu me tornaria viciada em salada. Ainda mais salada verde. E não, não vou entrar no mérito que tem cor-de-vinho na minha salada verde... Deixem essa passar, ok? ;)

13 comentários:

Patricia Scarpin disse...

Ana, pois eu amo ovos em saladas - muitas das que comi em Paris tinham ovos cozidos, com aquela gema bem vermelhinha, fazendo uma harmoniosa combinação com as folhas... Em algumas ocasiões, pedaços daquele presunto "jamón" (o da pata enorme) apareciam e eu, que nem carne como, devorava feliz. :D

Amei a sua salada acompanhada de omelete - delícia! E aquelas luvinhas do povo da TV me dão arrepios, parecem camisinhas no meio da comida. Eca.

Anônimo disse...

ótima sugestão... só não consegui ver o vídeo da Lud.. parece que ela retirou o mesmo do blog :(

Anônimo disse...

Ana Luisa

Hoje sai e comprei todos os ingredientes que precisava para fazer aquele bolo de maca!!
Ficou MARAVILHOSO!!super leve e muuuuuuito cheiroso!!Adoro suas receitas , as fotos, os textos. Alias ja postei isso aqui nos comentarios.hehe Parabens!continuara nos meus favoritos !!beijos,
Claudia Maria

miosotiis disse...

No início da semana recebi umas belas alfaces orgânicas do quintal da vizinha da minha mãe. Que diferença!! Folhas roxas por fora que gradualmente vão clareando....hum...

Quanto ao molho que usas, fiquei curiosa...nunca gostei muito de vinagre. Quando estivemos em Itália comprei vinagre balsâmico; tenho usado, volta e meia, vinagre de cidra.

A ver vamos.... ;)*

Nai Romero disse...

Também fui ver o vídeo e ele foi retirado do youtube, mas enfim...

Nunca consegui fazer aqueles omeletes recheados que as pessoas fazem por aí, que vão queijo dentro e tal - aliás, eu meio que fico com nojo de comer omelete feito pelos outros, porque é sempre tão lavado de óleo =/

Eu misturo tudo e jogo na panela. Pronto! rs

Uma vez vi um chefe na Tv ensinando a colocar um tiquinho de pó royal e bater, então fiz e o omolete fica... omeletão!
Depois uma menina no orkut me ensinou a jogar a mistura na panela e tampar - juntando com a "técnica" do pó royal, consigo omeletões que fazem a alegria do namorado. rs

=*

Cristiane disse...

Vc me deu uma maravilhosa idéia para o jantar, assim a minha consciencia (e a do meu marido) nao continua pesando depois do prato de 'penne alla boscaiola' que devoramos no almoço de hoje...

Camila disse...

Ana,
Eu diria que vc só não consegue fazer omeletes lindas pq não tem panelas proprias para tal. Eu uso aquelas 2 frigideiras antiaderentes que se encaixam pra facilitar na hora de virar. É barato e ajuda muito até mesmo para fazer panquecas. Arrasou na salada, mais uma vez.

Talula disse...

Os mninos da minha vida, não m permitem comer só salada todos os dias, mas quando estou sozinha, nada é mais prazeroso que uma saladinha e uma fatia de pão italiano!
:)

Maria Luiza disse...

Adoramos seu blog e suas receitas!

Cláudia disse...

Salada verdes e com outras cores também são tudo para mim, e sempre digo para as minhas filhas que salada é tudo para manter a forma e emagrecer também quando é preciso. Quem não gosta terá muitas dificuldades numa dieta. Como você também tirei a listinha de época e estou aproveitando muito mais da estação. Omeletinho simples e molhadinho é tudo de bom.

bjs

michelkho disse...

salada é tão bom, mas dá tanta fome na sequência.

Simplesmente Mariza disse...

Saladas....não resisto a nenhuma combinação. Perfeita e linda.

Jun.~ disse...

Depois de muito esforço e perserverança (será que tá escrito certo? haha) consegui finalmente fazer omelete estilo Julia Child (parece que o vídeo voltou no Youtube). Baixei logo pra guardar no computador - e ainda estou pensando em comprar o livro dela, Mastering the Art of French Cooking, se eu não me engano.

Você esquentou BEM a frigideira? Porque a que tem lá em casa é ruinzinha, ruinzinha, mas eu consegui fazer a omelete não grudar nele.

Abraços.

Junji

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails