sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Quiche sem massa e Ana sem paciência

Minha vida funciona mais ou menos como no filme O Grande Garoto: atividades estrategicamente divididas em unidades de tempo durante o dia. Correr: 2 unidades. Passear o cachorro: 1 unidade. Meditar: Trabalhar: 4 unidades. Almoçar: 1 unidade. E por aí vai. Além do quebra-cabeça do tempo, em que um dia deve comportar todos os meus compromissos pessoais e profissionais, tarefas domésticas e afins, há ainda o quebra-cabeças do espaço. Há dias em que considero uma benção morar num apartamento pequenininho: ele exige organização, planejamento e auto-controle no quesito consumo. Chega uma hora que não cabe mais tralha e pronto.

No entanto, isso de ter de desmontar toda a despensa e rearrumar tudo pela enésima vez cada vez que vou ao supermercado, para que nada desmonte em minha cabeça, pode ser incrivelmente cansativo. É exaustivo ter de planejar e organizar tudo o tempo todo. A sina da "mulher moderna" [Argh!], que tem de fazer tudo e tem de ser excelente em tudo. Então, de repente, como um PC velho com coisas demais acontecendo ao mesmo tempo, eu travo, dou tilt. De tempos em tempos, minha atitude zen com relação aos quebra-cabeças de minha vida se esvai como areia entre os dedos, e me vejo frustrada, desorientada e sem vontade.

Antigamente, deixava-me levar por essa claustrofobia, mas ao longo do tempo aprendi que ela vem, mas logo vai, e toda a paciência e método retornam com força total para mais uma temporada de tira, põe, organiza, cuida, planeja, arruma, faz listas, gerencia, mantém em ordem.

Aprendi que quando bate essa vontade de deixar tudo desabar, é melhor simplesmente fazer um chá, abrir um livro e ficar quieta, quietinha, durante uns dois ou três dias. Sem compromissos sociais, sem lidar com trabalho (a não ser os mais urgentes), sem arrumar mais sarna para se coçar. Quanto menos gente em volta, melhor. Silêncio, quietude, paz, tempo para mim e apenas para mim. Ok, para o cãozinho que precisa ser passeado também. Ele me deixa de bom humor, então não tem problema.

A única coisa que tenho de fato vontade de fazer é cozinhar. Vai entender.... é o único planejamento que suporto e que me acalma, mesmo em momentos de nervos à flor da pele. De resto, sei que qualquer coisa que tente fazer me irritará sobremaneira. Então, para quê? Melhor deixar para o dia seguinte.

Quando vi uma receita de quiche sem massa numa revista Gourmet, sabia que era aquilo que queria comer. Simples, rápido, leve. No entanto, a receita era carregada em creme de leite e levava carne, de modo que rapidamente apanhei o que havia na geladeira e preparei minha versão, bastante macia e deliciosa, perfeita com uma salada verde e um vinaigrette de mostarda de Dijon. Bom humor instantâneo. Melhor que isso, só com ameixas dulcíssimas de sobremesa.

QUICHE DE ALHO-PORÓ SEM CROSTA
(Adaptado da revista Gourmet)
Tempo de preparo: 40 minutos
Rendimento: 3-4 porções


Ingredientes:
  • 2 alhos-poró grandes, fatiados fino e bem lavados
  • 1 dente de alho picado
  • 1 colh. (sopa) azeite
  • 2 xíc. de queijo parmesão ralado grosso
  • 4 ovos
  • 2 xíc. de leite
  • 2 cebolinhas picadas
  • sal
  • pimenta-do-reino
  • manteiga para untar
  • 1 1/2 colh. (sopa) de farinha de rosca

Preparo:
  1. Pré-aqueça o forno a 220ºC. Aqueça o azeite numa frigideira e refogue o alho até começar a dourar. Junte o alho-poró, sal e pimenta e cozinhe em fogo médio até que murche bem, mas sem deixar dourar. Desligue o fogo e reserve.
  2. Unte uma travessa de 25cm de diâmetro com manteiga e polvilhe a farinha de rosca, espalhando bem e retirando o excesso. Espalhe o alho-poró no fundo da travessa e polvilhe o queijo por cima. Espalhe as cebolinhas picadas.
  3. Em uma tigela, bata ligeiramente os ovos, o leite, sal e pimenta do reino. Derrame sobre o alho-poró da travessa e leve ao forno por 25 minutos, ou até que a superfície esteja dourada. Deixe amornar um pouco antes de servir.

10 comentários:

risonha disse...

gostei muito dessa quiche... aliás, eu gosto de todas as quiches.
mas esta como levou alho francês encheu-me de fome.

Lídia disse...

Olá Ana!
Suas receitas são maravilhosas, preparei algumas, mas ainda não tenho talento suficiente para outras...
Ah, estava olhando suas ilustrações e fiquei encantada... adorei...
Abraços.

Núbia Gomes disse...

Que coincidência. Fiz sua receita passo-a-passo de pâte brisée quarta-feira. Ficou ótima. De início achei que ia dar tudo errado. Que massa diferente! Mas depois da primera garfada foi só alegria.
Obrigada pelas suas dicas. Elas realmente fazem diferença.

Alessandra disse...

Ah! Adorei! Comida rápida e saudável. Tem melhor combinação? Só sopa!

- Põe uma música e relaxa,quando você voltar as coisas vão estar lá te esperando.Todo mundo precisa de um tempo para si. 5 minutinhos não afetam nenhuma produtividade -

Beijos.

Cucchiaio Pieno - Receitas de uma cozinheira amadora disse...

Cozinhar é uma verdadeira terapia! Essa receita de alhos-poró me deu água na boca, irei faze-la hoje no almoço. Adoro seu blog, parabéns!

*beth* disse...

Nossa Ana!

Encontrar, por acaso, seu blog, foi, eu diria, uma delícia... (rs)
Coincidiu com uma vontade um tanto quanto tardia de me aprimorar na cozinha. E ele tem me sido de grande valia.
Parabéns pelos textos!
Se eu fosse vc, reuniria aqueles de que gosta mais, e os publicaria (em livro).
Abraços,
Beth

Lídia disse...

Olá Ana! Adoro seu blog e principalmente suas receitas e fotos que realmente nos fazem comer com os olhos...
Concordo com o post anterior, vc deveria reunir suas receitas em livro.
Ah, dei uma olhada nas suas ilustrações, simplesmente adorei, vc é muito talentosa, tanto na cozinha como no trabalho.
Abraços.

Bigode de chocolade disse...

Posso dar uma de chato? Conselheiro bobo de caixa de supermercado? Adoro quiche também. Mas quiche sem casquinha para mim é omelete, eh-eh. Sabe o que eu faco? Quando preparo massa para quiche, faco logo duas ou três. Abro a massa e envolvo em duas folhas de papel manteiga. Depois enrolo e levo para congelar. A qualidade fica a mesma até uns seis no freezer. Descongela rapidinho em temperatura ambiente; praticamente o tempo que leva para aquecer o forno, bater os ovos e cortar o alho-poró. Que delícia!!!

Ana Elisa disse...

Risonha,
também adoro alho-poró. Esse é um quiche bem inofensivo para os de dieta como eu...

Alessandra,
É, eu sei... como disse, eu sei que eventualmente o stress passa e volta tudo ao normal.

Léia,
Faça e me diga se gostou.

Beth,
Nunca é tarde demais! :D
Já disse, se tiver alguma editora interessada, vambora! hehehe...

Lídia,
obrigada... ainda bem que vc gostou, pois as ilustrações pagam meu aluguel! hehehe...

Eugenio,
hahaha! Também acho. SE bem que o que difere recheio de quiche e omelete é a proporção entre ovos e leite/creme de leite. Esse recheio não fica com textura de omelete. E a falta de massa não foi nem pela pressa. Adoooooro fazer massa de torta. Foi pelo regime mesmo, pois a nutri me cortou os carboidratos da noite... snif... snif...

Bjos

Anônimo disse...

Oi, Ana!

Prosseguindo no aprendizado da arte de cozinhar, essa é a segunda receita do blog que executo. Bom, acho que acertei! rs. Pelo menos, ficou muito gostoso!

Mas fiquei com uma dúvida: quando cortei o primeiro pedaço, notei que havia um pouco de líquido no fundo da travessa. O que será que pode ter ocorrido? Eu usei 4 ovos e 3/4, porque os ovos que havia aqui em casa eram muito pequeninos. Será que foi isso?

Abraços!
Poliana

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails