segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Spätzle Grundrezept (alguém sabe pronunciar isso???)

Alemães adoram natal. Tanto, que eles dão um jeito de comemorar mais de uma vez. Aprendi sobre os domingos de advento com a família luterana de meu marido. Nos quatro domingos anteriores ao natal, acendem-se as velas do Adventskranz, uma por uma, simbolizando a chegada de luz na sua vida. [O nosso ganhamos dos meus sogros quando nos mudamos — a foto é velha, de quando as velas ainda estavam novas.] Apesar de não ser parte da minha religião, acho bonito e acho importante manter esse tipo de tradição, principalmente pensando nos pimpolhos por vir.


Já que o domingo seria já "temático", perguntei ao Allex se ele queria que eu preparasse algo alemão para o almoço. Achei que ele titubearia, mas sua resposta estava na ponta da língua: "Spätzle!", que ele comia sempre quando criança, tomando bronca por cobrir o Spätzle de mostarda escura.

Lá fui eu à feira comprar batatas. Porque, por algum motivo, em minha cabeça, Spätzle levavam batatas. Já que estava por lá mesmo, comprei repolho para fazer Sauerkraut. Afinal, quão difícil podia ser fazer Sauerkraut?

Pausa para os descendentes de alemães pararem de rir da minha cara.

Chegou o domingo, e hora de fazer o almoço. No entanto, eu acordara cedo àquele dia para participar de uma prova de 10km. Fiz meu melhor tempo até hoje (56'06"), e por isso cheguei em casa exausta.

"Chuchu? Pode ser jantar de advento, ao invés de almoço de advento?"

Pausa para todo mundo parar de rir da minha cara por eu chamá-lo de "chuchu". Começou como piada e acabou pegando. Vou fazer o quê? Amar é... chamar seu marido de apelidos humilhantes. E cozinhar comida alemã.

Lá pelas quatro horas da tarde, quando finalmente cansara de descansar, resolvi apanhar o livro de cozinha alemã e fazer o Sauerkraut. No entanto, a única receita existente era a tradicional, em que se deixa o repolho fermentando por dias a fio. Eu tinha certeza de que existia uma versão mais moderninha, e, sem querer passar sem o prato de que também gosto, saí à caça de receitas.

No fim das contas, encontrei a mesma receita em vários sites e blogs diferentes, todos sem menção de fonte, o que me deixou muito irritada. Não dá nem prá saber quem roubou a receita de quem primeiro. Mas ladrão que rouba ladrão... Bem... logo entendi os estranhos ingredientes. Obviamente a farinha, o sour cream e o vinagre ajudariam a fingir a consistência cremosa e o sabor ácido do verdadeiro Sauerkraut. Ok, ok, não era perfeito, mas seria uma boa experiência. Preparei 1/4 da receita, que me pareceu mais do que suficiente, e ajustei os temperos para coisas mais tradicionais, eliminando coisas como cravo e gengibre e usando bagas de zimbro e louro. O resultado ficou muito gostoso. Como "repolho cozido com molho". Não como Sauerkraut. Como disse meu marido, chamar aquilo de Sauerkraut seria como colocar Catupiry no tiramisù.

Então chegou a hora do Spätzle. Pego a receita. Farinha, ovo, sal, noz moscada e água.

"Cadê as batatas?"
"Não vai batata?"
"Não, não vai."
"Eu jurava que ia batata."
"Pois é, eu também. O que que eu vou fazer com as batatas, agora?"
"Batata cozida com mostarda escura."
"Spätzle com batatas? Minha nutricionista vai ter um colapso nervoso..."

Botei as batatas para cozinhar e comecei os Spätzle. A pouca familiaridade com o prato que eu comera não mais que 8 vezes em minha vida me fez sentir um pouco mais intimidada do que o necessário. No fim das contas, porém, ele é incrivelmente fácil. Em pouco tempo, peguei o jeitinho de raspar a massa melequenta para dentro da água fervente. Apanhei os Spätzle que estavam prontos com uma escumadeira, passei em baixo de água fria e escorri. Depois, reaqueci-os em um bom punhado de manteiga, até que ficassem dourados, acertei o sal e servi, com o Sauerkraut fajuto, as batatas cozidas e muita mostarda escura alemã. Só faltou uma Erdinger para acompanhar.

"Então é fácil fazer Spätzle?"
"Sim, muito fácil."
"Ah, então vai ter que fazer sempre."
"Sem problemas, mas quero achar algum prato de legumes alemão para acompanhar. Porque com batatas não vai."
"Mas legume alemão é isso: batata e repolho."
"Não é possível. A Alemanha fica do lado da Itália. Como é que pode ter tanta salada num país e nada no outro???"
"Batata e repolho."
"Não acredito. Vou pesquisar."
"Boa sorte... hehehe..."
[Piada feita por um descendente de alemães e austríacos; eu não tenho nada a ver com isso! heheh...]

SPÄTZLE GRUNDREZEPT (ou "receita básica de Spätzle")
Tempo de preparo: 30 minutos
Rendimento: 2 porções como principal, 3 como acompanhamento

Ingredientes:
  • 200g de farinha de trigo
  • 2 ovos extra-grandes
  • 100ml de água
  • 1/4 colh. (chá) sal
  • noz moscada a gosto
  • 2 colh. (sopa) manteiga para a frigideira
Preparo:
  1. Misture numa tigela a farinha, os ovos, o sal, a noz moscada e a água e mexa vigorosamente com uma colher de pau até obter uma massa com cara de massa grossa de panqueca e ela começar a produzir bolhas de ar. Deixe descansar por 10 minutos e bata novamente.
  2. Coloque bastante água para ferver em uma panela larga. Molhe uma tábua de madeira e despeje 1/3 da massa sobre ela, alisando com uma espátula de metal molhada para que fique com uma espessura mais fina. Segure a tábua sobre a panela e, com a espátula molhada, raspe filetes de 0,5cm de largura em direção à água fervente. Quando os filetes subirem à superfície, estão cozidos. Retire com uma escumadeira, passe sob água fria para parar o cozimento e deixe escorrer numa peneira ou algo parecido. Repita o processo até acabar a massa.
  3. Derreta a manteiga numa frigideira grande e derrame os Spätzle escorridos nela. Mexa com cuidado, para recobrir toda a massa com a manteiga e cozinhe em fogo médio-baixo até que esteja quente novamente e ligeiramente dourado, com casquinhas secas e quebradiças em volta. Sirva imediatamente.

28 comentários:

Eugenio disse...

Oi Ana,

O S é chiado, o A com trema é É, o TZ é TSI e o E no final tem de ser bem pronunciado.
Entao fica assim CHPÉTSLE.
Claro que tudo bem rapidinho.
Eu adoro Spätzle!!!
Grande beijo.

Lílian disse...

Aqui em casa minha mãe faz totalmente diferente. Ela tem um "fazedor" de Spätzle (vindo da Alemanha). É uma espécie de nhoqueira horizontal com furinhos próprios para spätzle. Coloca-se a massa sobre estes furinhos e rapidamente abaixa-se um negócio parecido com uma guilhotina (dá pra imaginar?). Os pedacinhos caem na água fervente. Depois de cozidos minha mãe mistura com um molho feito com espinafre e gorgonzola (é divino!)
Abs

Talula disse...

Então esse foi o fim de semana oficial da culinária alemã, por que hoje eu postei o meu primeiro strudel.
A gente tem essa mania de achar que todas as receitas alemãs levam repolho, batata ou salsicha, né? rsrsrs

Beijo

martina disse...

bah. minha vó era tão ninja que raspava os spätzle direto da bacia pra panela.
mas a tábua é tranquilo, só pegar o jeito. ah, e é tão bom....

poisé, essa história da salsicha, batata e repolho é igual a pensar que culinária italiana se resume a galeto com polenta. hehe.

Ana Elisa disse...

Lílian,
consigo imaginar sim! Deve ser uma mão na roda! Eu vi uma receita de Spätzle com espinafre! Deve ficar muito bom mesmo!

Talula,
Vi seu strudel. Ele parece muito gostoso!

Martina,
Ah, foi a primeira tentativa... até que não foi má! Hehehe... Então... se vc tiver alguma receita legal de legumes que não levem nem batatas, nem repolho, nem carne, eu aceito! Porque no livro que tenho, até existem umas receitas. Mas carregadas de creme e coisa e tal. Nada... digamos... refrescante! Sério mesmo: aceito contribuições!

Beijos!

Eugenio disse...

Oi Ana
Spätzle se pronuncia assim: schpétsle.
O S é chiado, o Ä tem som e É, e o E final tem de ser bem pronunciado.
Eu adoro Spätzle. Já fiz colocando paprica na massa. Misturo na manteiga com sálvia fresca e levo para o forno com queijo ralado para gratinar. É um Spätzle alemao com um pezinho na Espanha.
Grande beijo

Mari Azevedo disse...

Ana, adorei tua saga dos spätzles e a receita... parece muito gostoso!!! =D
Comida alemã é boa demais... master calórica, mas mto mto boa! Nunca fiz nada típico de lá, preciso mudar esse quadro... URGENTE... =D
O almoço/jantar de domingo de vcs, saiu no capricho, como tudo o que vc faz... adorei!
Bjo grande!!

martina disse...

se come muito spätzle com cogumelos refogados. ou o spätzle puro mesmo, com queijo e acompanhado de uma saladinha. ou com compota de frutas vermelhas e carne. acho que essas sao as formas mais tradicionais. mas deve ter outras variações. eu tenho um livro de receitas inteiro só de spätzle, só que ficou na praia. assim que eu pegar, te mando outras idéias.

Ana Elisa disse...

Eugenio,
boa idéia a sua!

Mari,
eu me animo em fazer coisinhas alemãs por causa da cara de contente do Allex. :)

Martina,
Oba! Hmm... com cogumelos deve ficar bom... Obrigada!

Beijos!

Glau disse...

ok, ok eu tento não desviar meus pensamentos para outras coisas além da receita, mas eu não consigo! vc já disse algumas vezes que sua cozinha é apertadinha e eu realmente pude conferir pelas fotos! mas achei aconchegante! sorry pelo comentário nada a ver!

bjos, glau

Marcia H disse...

bem, aqui onde eu moro se diz

is-pé-ts-le

e vc pode usar um espremedor de batatas para colocar a massa direto na panela

legumes muito consumidos aqui: cenoura, vagem, couve-flor, brócolis, ervilhas frescas
e agora nesta época do ano: couve-de-bruxelas, repolho-roxo, wirsing, alho-poró, pastinaque... só para citar alguns

a cozinha alema tem de tudo, é só procurar por pratos mais leves

mas se vc perguntar a meu marido se ele quer spätzle ou moqueca de camarao, ele vai responder: moqueca é claro!

Luciana B. disse...

Oi Ana, acho que todo mundo aí em cima já falou sobre a pronúncia da palavra mardita :)

Eu também adoro Spatzle, é comida de infância para o meu marido que é filho de alemã, mas a minha sogra hoje facilita a vida e sempre que viaja para a Europa traz o famigerado Spatzle na caixinha, é só cozinhar :) Heresia eu sei... Ela traz também chucrute em lata e outros temperinhos que ajudam a "alemanizar" a comida aqui :) Dupla heresia...
Bjs!

Flávia J. F. Solís disse...

Oi Ana,
Domingo também decorei minha mesa de jantar e acendi a primeira velinha dos domingos de advento (moro na Suíça). Sou católica e acredito que isso seja uma tradição cristã. Até alguns católicos no Brasil tb fazem.
Quanto ao Spätzle, não ligo muito pra ele, não importa o acompanhamento. E o Sauerkrauten, só uso do pronto mesmo, acho que não terei coragem de fazer eu mesma tão cedo. :P Vc eu não duvido que faça, já que fez até uma massa linda de Strudel!

Camila disse...

Esse blog é uma 'delícia'!
Parabéns!!!!

Luzinha disse...

guria, que trabalheira! mas eu amo batata, eu não sou alemã, nem de origem, mas eu amo batata. qualquer coisa com batata.... batata, batata, batata! kkkk... e queijo! queijo, queijo, queijo! mnhommmm.... ficaram lindos os pratos! e o cão também é lindo!
(ai, Jesuis, tou parecendo o Caetano, né? kkk) bjus!

Anônimo disse...

Boa noite, Ana, uma certa senhora,
Dona Márica, Polonesa, fez na TV há
uns anos, uma receita. Na hora de
cozinhar os ditos cujos ela usou um
ralador de queijo (plano) e esfre-
gava a massa sobre os buraquinhos
diretamente na panela de água fer-
vendo...Sou bisneta de alemães, mas não passaram a tradição culiná-
ria...Espero ter contribuído!Glaucia

Chris, mãe da Cecília disse...

Ana,
sou leitora ávida, meio lurker... Fazíamos sempre spätzle em casa, e, uma forma mais light de se fazer é colocando a massa num saco de confeiteiro, com bico chato e ir soltando a massa na panela, como um gnocchi-fake.
Eu gosto muito de comer spätzle com molhos fortes, cogumelos refogados, wurtz, ou até um pézinho na italia, com um molho de calabreza ou pepperoni ;)

Abraços,
Chris

Laurinha disse...

Sehr shön!
Beijinhos

Leila disse...

pô, sou alemoa da gema e nunca comi Spätzle!!! meu palpite é: xpétsle grrindressep (sílabas tônicas Spä e Gru)

Amélia disse...

Oi Ana,
Adoro ler as tuas historias.Acho que voce daria uma boa escritora,voce e muito descritiva e me faz imaginar muito bem as suas emocoees.
Amo culinaria tambem.
Queria te mostrar um link que uma amiga me falou muito engracado e criativo,talvez voce ja tenha visto.
Eles fazem um programa trash de um vida de solteiro pra cozinhar e dao umas receitas de cozinhas.Eu ri muito.http://br.youtube.com/watch?v=WJLb1eQZdZI
Acho que vc vai ri tambem como eu...espero.
Boa semana.Amelia

Nysa disse...

eu sei pronunciar... ;-))) e adoro spätzle. quanto à receita - acho que ninguém roba de ninguém pois há várias maneiras de fazer e todas vao dar ao mesmo. que coragem de fazer mesmo com uma faca e a tábua de madeira. eu faco com um utensílio próprio. aqui tens o link dos meus : http://cheznysa.blogspot.com/2008/03/sptzle-com-queijo-ksesptzle-my-way.html

beijocas

Fernanda disse...

Ana, minha Oma fazia spaetzle com uma... peneira!

Ana Elisa disse...

Uuuh... quem diria que esse post geraria polêmica! Pessoas: quem zoou o fato de na alemanha não ter legumes foi meu marido (alemão), e não eu. Eu meramente transcrevi a piada. E depois confirmei com minha sogra: ter legumes na alemanha, claro que tem. Mas quase não tem nenhum prato TÍPICO alemão que seja um prato leve de legumes. Quase tudo leva alguma carne ou creme. Segundo ela e segundo o meu livro sobre a alemanha. Nada contra, e não foi minha intenção ofender ninguém.
Achei interessantíssimas as diferentes técnicas de fazer o spaztle, e com certeza vou testar algumas delas! Também gostei das sugestões de molho!
Assim que eu gosto! Bastante interação! :D

Beijos a todos!

martina disse...

hehe. eu também adoro uma discussão.
essa história toda me fez pensar no que significa ser tipico. por exemplo, na alemanha se come super pouca carne. mas as receitas típicas levam carne... será que típico acaba sendo comida de festa?

Chris disse...

Adorei o site.
Sou alemão de Stuttgart, e Spätzle ou melhor ainda Kässpätzle são meu prato predileto... :-)))
Mas com a cozinha deliciosa brasileira, só estou começando aos poucos a fazer os pratos alemães (minha companheira nem gosta...)
Queria fazer Bretzeln ou Laugenwecken, mas não sei aonde encontrar essa porcaria de sóda cáustica para fins alimentares...
Pergunta teu marido, ele deve saber o que é (NOH3)...

Abraço
Christoph / Rio de Janeiro

martina disse...

Oi chris.
A soda pra fazer a lauge tu encontras em lojas de produtos químicos. só é difícil conseguir comprar, porque a venda é controlada. Eu comprei um pote há anos, mentindo pro vendedor que eu era estudante de quimica. Bom é que o pote é grande, e dura muito tempo.

Livia Luzete disse...

Ola Ana,
chamar seu marido de chuchu é uma graça e nada de risos. E vai uma informação. Nunca entendi o porque de chamar as pessoas queridas de chuchu qdo é um legume aguado...sem graça...
Até quem uma professora de teatro que morou 20 ano na França me explicou:
Chou-chou(pronúncia: xuxu) é um expressão para nos referirmos a coisas/pessoas mimosas, queridas. Acho que uma tradução para o inglês chegará ao "cute".
Eu por exemplo acho seu blog um "chou-chou"

Arléte disse...

Adorei seu blog e amei a receita! Estou até mandando para as amigas. Estava lendo a relação de sites que v. navega e resolvi sugerir para ti o Rainhas do Lar. É muito divertido e as receitas tambem são ótimas.
bjs.
Arléte

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails