domingo, 23 de novembro de 2008

Um jantar com amigos e uma nova Ana


Sempre quis ter uma casa cheia de gente. Uma casa onde pudesse chamar meus amigos e fazer festas, jantares e afins. Mas a verdade é que reuno gente com muito menos freqüência do que gostaria.

Confesso que minhas primeiras experiências como anfitriã foram um pouco traumáticas. Acabáramos de nos mudar, e por isso ainda estava me acostumando com o ritmo de minha vida nova e o tamanho do apartamento. Ainda tinha uma insuportável mania de perfeição, muito típica de quem mora sozinho pela primeira vez e quer mostrar "o jeito certo de fazer as coisas". [Lembram-se de que dissera certa vez que sou chata?] Achava que minha casa tinha de ser absolutamente impecável, que deveria produzir jantares de oito pratos e ficava irritadíssima com convidados que colocassem copos suados diretamente sobre os móveis. [Bree? Monica? Alôoo?] E eventos descontraídos logo se tornavam fontes inesgotáveis de stress. À toa.

Então, chegou o verão e com ele a constatação de que nosso apartamento era um forninho. Isso, somado ao fato de ele comportar apenas um número limitado de pessoas sentadas, fez-me começar a duvidar da vocação de minha casa para festas. Fui ficando insegura, e me sentia ainda mais pressionada quando de fato tínhamos coragem de chamar alguém em casa. Com o blog sendo divulgado entre os amigos, comecei a não querer decepcionar meus convidados e passei a preparar pratos mais trabalhosos e sofisticados. O que só fazia aumentar minha frustração quando o evento era cancelado de última hora. Gastava tempo, dinheiro e paz de espírito em troca de... bem... apenas stress e muito pouca diversão.


Duas coisas fizeram minha cabeça mudar radicalmente: o retiro de yoga, que acalmou minha mente e fortaleceu meu espírito, me fazendo enxergar quão simples minha vida de fato é e o quanto teimo em complicá-la; e algumas conversas com determinadas pessoas, que me contaram suficientes histórias a respeito de suas juventudes em apartamentos minúsculos para me fazer sentir ridícula por acreditar que eu não poderia dar uma enorme festa em casa.

Por isso decidi descomplicar. E para testar minha nova política de "descomplicação da vida", chamei um casal de amigos de quem gosto muito para jantar. Normalmente passaria o dia todo criando um cardápio de pelo menos três pratos, terminaria tudo em cima da hora e ficaria preocupada em servir cada prato no momento certo. Stress. Desta vez, deixei castanhas-de-caju em potinhos pela casa, preparei uma mousse de chocolate na hora do almoço (para firmar durante a tarde), e, quando todos estavam com fome, preparei em quinze minutos um panelão de um dos primeiros pratos que aprendi a fazer na vida: fusilli ao molho de alho-poró. Tudo muito simples, mas gostoso e feito com carinho.


Castanhas, fusilli e mousse foram devorados, ótimo vinho foi bebido, muito Guitar Hero foi jogado, e eu consegui me divertir prá burro. A noite inteira foi excelente, a companhia foi ótima, e mal posso esperar para chamá-los novamente. Nenhum stress. Só risadas. É assim que deve ser.

FUSILLI AO MOLHO DE ALHO-PORÓ
Tempo de preparo: 15 minutos
Rendimento: 4 porções generosas


Ingredientes:
  • 500g de fusilli ou a massa de sua escolha (exceto spaghetti e afins)
  • 1 colh. (sopa) manteiga sem sal
  • 1/2 colh. (sopa) azeite
  • 2 alhos-poró grandes
  • 1 lata de creme-de-leite
  • 50g de queijo parmesão ralado
  • casca ralada de 1/2 limão
  • sal e pimenta-do-reino

Preparo:
  1. Fatie o alho-poró finamente e lave sob água corrente duas ou três vezes para tirar qualquer grão de terra. Escorra bem. Aqueça a manteiga e o azeite em uma panela e coloque o alho-poró, com uma pitada de sal. Cozinhe em fogo médio-baixo por 15 minutos, até que esteja bem murcho mas sem dourar, mexendo de vez em quando.
  2. Enquanto isso, prepare a massa segundo as instruções do pacote. Abaixe o fogo do alho-poró para o mínimo e junte o creme de leite, mexendo bem, apenas o suficiente para aquecê-lo um pouco. Escorra a massa e junte ao molho. Acrescente o queijo, o limão, pimenta-do-reino a gosto e mais um naco de manteiga e misture bem. Sirva imediatamente.

27 comentários:

Glau disse...

Ana, acho que este "desencanar" faz parte do amadurecimento, é o desapego, aprender a ser mais leve..

Falar é fácil... me mudei no começo deste ano e fiquei completamente noiada com organização e limpeza! E o pior de tudo é que queria que todos ao meu redor entendessem e estivessem no mesmo clima que eu (todos quer dizer marido, né)..
Depois do blog sinto uma certa pressãozinha em preparar coisas gostosas para as visitas!

Que bom que vc curtiu o jantar com seus amigos! Bjo e desejo uma semana leve pra vc.
Glau

Lídia disse...

Olá Ana, há um bom tempo visito seu blog, mas nunca tive coragem de comentar... Além de gostar muito de suas receitas, o que mais me agrada é o modo divertido como você relata suas histórias.
Sinceramente, acho que esse post foi feito para mim, rs...

Abraços.

laila disse...

ai Ana já cai na chatiação de ficar enlouquecendo tentando um jnatra perfeito...e percebi q ngm curtia auqilo.. a gente quer é descontração, alegria e comida boa... nada amsi! bjs

l. disse...

Eita... Também fiz almoço com Guitar Hero pros meus amigos essa semana! Mas o prato principal foi rigatoni ao molho de tomate gratinado com mussarela e parmesão. rs... l.

disse...

Ana,
me identifiquei muito com você, quero dizer, com a antiga você.
Sou uma chata de galochas, que antes mesmo dos convidados para o jantar chegarem já estou com o pó de café na cafeteira... tenho uma insuportável mania de perfeição no quesito receber em casa e não curto nada. Mas ainda resta esperança, ano que vem começo a yoga e me mudo pro apartamento novo, onde vou receber muitas visitas.

um beijo enorme e parabéns pela evolução

Valentina disse...

Complicar as coisas é um mal que também me consome.Que bom que voce saiu dessa e pelo visto teve loads of fun. É fantástico quando se consegue relaxar e curtir o momento sem estresse. Amei este molho de alho poró. Nesta época o temos muito por aqui.

Mari Azevedo disse...

Ana, que delícia de noite você teve... que bom, são esses momentos que fazem a vida valer a pena! Sabe que eu era meio parecida com a antiga Ana também? Toda vez que chamava alguém em casa, vivia me matando e me descabelando para que tudo saísse perfeito... pratos complicados, dois a três dias de trabalho insano e muito stress desnecessário. Definitivamente, não vale a pena!!!
A propósito, vc está maravilhosa mais magra (já era linda, mas está ainda mais)... ser persistente e se privar dos deliciosos doces valeu muito a pena!! :)
Super beijo!

Monica disse...

Muito legal! Parece que todos gostaram. Vou experimentar a receita.

Adorei a foto de vocês jogando Guitar Hero e o teu dog bem concentrado observando!

Luciana B. disse...

Ana, me identifiquei MUITO com seu post! Também sou chata, e o pior é que mantenho esta fama com todos familiares e amigos...rsrsrs! Eu era aquela que quando ia para a casa de praia ocm a turma fazia cardápio e ficava indignada que alguém tinha comido a mussarela que estava reservada para um prato do jantar do dia seguinte... era a "chata da geladeira", a "chata do banheiro molhado", a "chata dos cinzeiros na sala", etc, etc...
Melhorei um pouco, mas não cheguei ainda onde deveria :)
E sofro mensalmente, pois agora que moramos em Rib. Preto temos HÓSPEDES todo mês... é aquela coisa, se não passar pelo stress fico sem ter a família e os amigos em casa.
E toca recolher copos em volta da piscina, guardar toalhas no vestiário, jogar latinha de cerveja fora, e chamar a Monica e a Bree para ajudar!!!! :)

abstract lady disse...

Ana,
Sei bem do que vc está falando. Adoro receber as pessoas em casa (e com 3 filhos, sem empregada e sem babá, ainda bem que eu adoro), mas tb acabo passando um super stress. Mas hj em dia, até o stress já se tornou motivo de piadas entre os amigos.
Descobri, no entanto, que se tudo for feito com carinho, boa vontade e atenção, a gente tb se diverte (e as coisas não precisam estar P-E-R-F-E-I-T-A-S - só vc sabe como vc tinha imaginado).
Assumi o stress e a vontade de receber as pessoas e o ponto alto do nosso ano é uma festa de fim de ano quando reunimos todos os amigos que não tivemos chance de ver durante o ano e aqueles que vemos sempre também (+- 80 pessoas). Eu faço tudo, desde a criação do convite, elaboração e preparo do cardápio - só finger food frio para facilitar - passando pela faxina pré-festa, e pós-festa.
Desencana, e aproveita.

Andreia T. Farias Britez disse...

A gente passa a vida pensando que é uma aberração e de repente vê que esse stress em receber é mais comum do que a gente imaginava... Cresci com minha casa cheia de familiares aos domingos, aquela bagunça gostosa que ia do almoço até o café da tarde, mas minha mãe SEMPRE foi o stress em pessoa e amanhecia e anoitecia na cozinha. Pensava que depois que me casasse iria assumir esse "fardo" dela e reunir as pessoas na minha casa mas a correria do meu dia-a-dia e minha cadela hiperativa que insiste em pular e sujar todos que entram pelo meu portão fizeram com que eu acabasse por não receber ninguém. Estou planejando uma ceia de Natal em minha casa mas não sei não... Trabalho igual uma louca no dia 24 (provavelmente até às 19h) e fico pensando numa ceia em que tudo possa ser feito antes... Enfim, já me estressei!! Ainda bem que tem seu blog pra gente relaxar um pouco! Beijão!!

Andreia T. Farias Britez disse...

Oi ANa, esqueci de perguntar: vc já usou um produto da Fleischmann para misturar na farinha chamada Pão Certo? Na embalagem diz que é um melhorador de farinha para pães. Como não encontro farinha específica para pães pensei que talvez fosse uma alternativa mas não tenho referência. Beijão!

Princesa Urbana disse...

Meeeeeeeeu Deussssssssssss!!!
Tem certeza que está falando de vc ou de mim?!!?rs
Sou desse jeitinho, Ana! Tenho que praticar mta yoga...pq a mania de perfeição me possui! Brincadeirinha, tenho tentado me abstrair disso...rs...missão mto mto mto dificil!
Parabens!!!E viva a simplicidade!
Bjosssss

Roberta disse...

Que legal que voce conseguiu s desestressar, porque eu sou totalmente o contrario de voce, acho q a vida é simples e a gente que complica, claaaro que estresso tb com uma coisa ou outra, mas passa rapido e quando vejo ja é pagina virada. Gostei de ver que voce saiu ou está saindo daquela fase garota enxaqueca e curtiu um monte! Um beijo Roberta
Não sumi não, baby tá dando um trabalhao entao so leio o blog e olhe la.

Loisiana disse...

GENTE!
Eu não fazia idéia de quanta mulher chata tem por ai...
Achava que era só eu...e a minha mãe, que foi quem me passou o "dom" dos stress com visitas!
Com amigos até já melhorei bastante..
Agora vita de parente!
Da SOGRINHA então! VIXE!
só com MUITO maracujá e floral pra conseguir não surtar!

TUDO DE MELHOR pra vc Ana!
Beijos Nani

Samara de Araújo disse...

Hihihi.. não sei o que me divertiu mais, ler o seu post, ou ler os comentários! Nós somos todos muito parecidos no fim das contas, não é?! Mais o que mais agrada é confirmar que pelos blogs culinários,na sua maioria, circulam pessoas de mente boa, que estão sempre procurando melhorar, não só na cozinha, mas tbm como gente! Cozinhar é um ato de servir! E servir nos torna melhores. Logo, esse seu post confirma minha teoria de que todo cozinheiro é gente boníssima!! Palmas pra nós!

Lílian disse...

Hehe... Sempre que recebemos o marido comenta: "Hiii... tá parecendo sua mãe. Toda preocupada!"

Regras fáceis: ter uma toalha limpa, prato pra todo mundo, duas receitas ótimas e práticas (uma doce e uma salgada)!

: )

Ana Elisa disse...

Hehehe! Que bom saber que todo mundo é louco-pirado-bota-na-camisa-de-força-e-tranca-no-porão que nem eu!!! Hahaha! Obrigada a todos por me fazer sentir menos neurórica!!!
:D

Beijos!!!

Anônimo disse...

Olá Ana. Hoje procurando por receitas de biscoitos cheguei ao teu blog. Achei- o maravilhoso. Parabéns. Acabei assistindo o vídeo do Bertinet e vou tentar fazer o Pan de Mie.
Abraço da Tânia De Pato Pra Ganso.
tanians@terra.com.br

Anônimo disse...

Moça, teu blogue é um achado. Tava procurando receitas com salmão defumado no google e, de repente, encontrei o teu risoto com rúcula, agrião, limão e salmão defumado. Acabei de comer, com minha mujer. Fan-tás-ti-co. Aquele gostinho de limão, a rúcula, deus-do-céu. Vou continuar visitando aqui. Acho que vou ser muito feliz (e, talvez, mais gordo) depois de ter conhecido este blogue. Obrigado. Maikel. www.ababeladomundo.wordpress.com.

Rafael disse...

Ana !
Achei seu blog essa semana e estou destrinchando ele aos poucos, conforme me aparece o tempo livre. Um tanto estranho, já li de janeiro a maio desse ano e me sinto ... invadindo !

De qualquer forma... queria te dar os parabéns pela criatividade, pela qualidade das receitas, das fotos e o carinho com que você trata sua cozinha, sua comida e seus leitores :)

PS1: Espero, um dia, chegar nesse nível de desencanamento e fazer um jantar pros amigos sem ter vontade de matar alguém antes da sobremesa...

PS2: Aquela Pepperonata da sua Páscoa... de que livro é a receita ??

Obrigado pelas horas de distração e inspiração!

Rafael

lunalestrie disse...

Vivi algo parecido quando casei, mas o que fez minha ficha cair foi o capítulo "C de Cautela" do livro "Um alfabeto para gourmets, da MFK Fisher, é perfeito! :D

Kelps Leite de Sousa disse...

Acabei de repetir sua receita (com um pouco de licença poética) e ficou delicioso. Quem disse que precisa ser complicado para ficar gostoso.

Concordo com você que receber tem que ser algo mais prazeiroso e menos trabalhoso. Mas concordar não quer dizer que a gente faça isso né? O pior é que eu detesto lavar louça, então sempre tem algo pra lavar na pia. Daí acabo recebendo menos pois não quero que vejam a casa bagunçada. Da última vez que recebi amigos para jantar eu fiquei com medo até de entrar na cozinha depois (tive que colocar 2 garrafas de vinho vazias no chão por falta de espaço...). Quem sabe agora me inspiro e simplifico um pouco as coisas...

Voltando pra receita: Na minha "versão" eu troquei a pimenta-do-reino por orégano em pó (que eu triturei em um pilão com um pouco de sal) e não coloquei cascas de limão. Fiquei impressionado com o resultado, mas o crédito é todo seu.

Mari disse...

Que massa mais delícia.

yasmine disse...

Oi Ana! Obrigado pela dica da vinícola. Acabamos de jantar o fusilli, aliás eu fiz foi penne, ficou delicioso!! Ah, também sou estressada para receber!!!

Tatoo disse...

Ana,

Guitar Hero Rocks. Tenho o world tour que tem a banda toda, com direito a bateria e vocal e ele por si só é a festa. O povo até esquece de comer e beber. Um amigo meu na última vez lá em casa chegou a dizer que não iria beber pq atrapalha o desempenho do GH. É mole?

bjo gde,

Tatoo

Adriana disse...

Ana vc se reinventa, multiuso a beça. Gente globalizada, que entende dos cheiros, das texturas e sabores. Gente que sente o vento fresco na corrida, vento poluído no trânsito, vento perfumado na cozinha. Ana vc se renova a mudança dos ventos. Que bom!

Pessoinha querida você!!

A propósito, receber em casa é uma doce tensão, pois queremos agradar nossos queridos. Com tantas receitas interessantes neste blog fica impossível não encontrar o menu desejado para o evento do dia, do mês, do ano... da sua vida!
Acho que a festa começa ainda na preparação dela. Por isso, peguem uma taça de vinho, um avental e mãos a obra.
Aposto que no final vai dar tudo certo, sem neuras, sem perfeccionismo.
Aliás, perfeccionismo é algo irreal, até porque se a natureza fosse tão perfeita, tudo seria padronizado, tudo teria o mesmo formato, tamanho, cheiro, cor, sabor... de cada espécie.
Penso que é preciso inspirar mais, cheiros bons, sonhos e alegrias. Isso contagia, chamo os outros pra si e seu mundo, isso faz tudo ficar mais leve e melhor.
Permita-se respirar mais!!
Sorte a todos!
BJss

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails