quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

(Mais uma) Torta para desestressar

Quando o cliente me chama para uma reunião completamente desnecessária, enquanto eu tenho dois projetos que precisam desesperadamente de minha presença constante e ininterrupta em frente ao computador, eu encaro isso como uma licença para tirar uma folga. Porque obviamente o cliente não está ligando muito para prazos. Então por que eu deveria?? [*Suspiro.* Eu vou pagar por isso, não vou?!] Esses últimos dias não consegui correr, mal tive tempo de passear com o cachorro, e almocei e jantei porcarias. Chega! Precisava desestressar e, voltando às 18h da reunião, decidi que não ligaria mais o computador hoje (bom, pelo menos não para trabalhar no meu painel que já tem quase 1 giga e, pasme, mais de 1500 layers com minúsculas arvorezinhas de 3cm ocupando um espaço de um metro e meio... Já agradeci por não ter de trabalhar num PC? Obrigado, Apple, por criar um computador que funcione.)

Ao abrir a geladeira, lembrei-me de uma torta flamenca que fizera há mais de um ano atrás, com uma receita de um livro de minha mãe. A torta levava cenouras, nabos e cogumelos, cobertos por creme de leite e ovos com noz moscada. Para falar a verdade, a original não fizera tanto sucesso aqui em casa, pois ficara um pouco sem gosto. Faltavam ervas, faltava tempero. Por isso, usei o que havia na geladeira para recriar a torta e melhorá-la, usando a massa de sempre, pois não me lembrava da receita do livro.

Cortei em tiras muito finas (cerca de 3mm por 7cm) 4 cenouras pequenas e 2 rabanetes, piquei um maço de cebolinhas e fatiei um dente muito gordo de alho. Dourei o alho em azeite de oliva, juntei as cebolinhas, e em seguida, as cenouras e os rabanetes. Salguei generosamente, temperei com pimenta moída na hora, e tampei, deixando que os legumes murchassem sob seu próprio vapor. Quando estavam macios, mas ainda al dente, acertei o tempero e juntei um punhado substancial de salsinha picada e uma colher exagerada de manteiga. Pré-assei a massa, espalhei os legumes e cobri com uma mistura de 1 xícara de creme de leite fresco, 3 ovos, sal, pimenta e muita noz moscada. Foram 25 minutos em forno médio, e o resultado merece com certeza um "nham-nham". Muito mais saborosa que a receita original, com as cenouras ligeiramente caramelizadas em seu próprio açúcar, o picante do alho, a salsinha refrescante e o gosto diferente dos rabanetes cozidos ao invés de crus.

Ok, ok, sei que ando exagerando, e prometo que deixarei as tortas de lado por um tempo...

6 comentários:

Suelley disse...

Oi Ana, tudo bem?
Bom, a primeira vez que eu fiz um tarte foi com a sua receita. Do jeito que voce falava, nem dava medo de fazer, entao tentei e adorei o resultado. Mas voce acha que parei por ai? Nada. Passei a semana inteira fazendo tarte de tudo quanto era recheio :))) meu marido que o diga, disse que tarte denovo so em 6 meses hahah.
Eu queria dizer que eu adoro o seu blog, vivo testando as receitas que voce post e que me identifico com as leituras de rotulos tambem :)

Sucesso
Beijao

Rogério disse...

Ana, linda a foto da torta pronta!
Abraço
Rogério

Laurinha disse...

Delícia, tb quero!
Beijinhos,

Cynthia disse...

Que torta linda! E parece deliciosa!
Ah, eu sou da turma que acha que tortas nunca são um exagero...

Dinha disse...

Ana que torta maravilhosa! E com um lindo visual também.

Ana Elisa disse...

Meninas,
a torta ficou muito boa mesmo. Surpreendeu, pois o recheio (cenouras e rabanetes???) não prometia muito. Recomendo.

Suelley,
adoraria saber qual receita minha que você fez! Tá vendo? Eu digo para os outros que torta só impressiona, porque é super fácil de fazer, e ninguém acredita...

Beijos!

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails