segunda-feira, 8 de janeiro de 2007

Comida que não engorda

Um amigo pediu-me hoje algumas receitas light, o que decerto me pôs a pensar. Lembrei-me de um livro que comprara com receitas sem gordura em uma época em que pretendia fazer regime. Lembrei-me também de executar todas as receitas com manteiga e leite integral, pois as versões originais de margarina não tinham gosto de nada. Não é à toa que o ser humano associa gordura a sabor. Sem ela, não absorvemos grande parte das vitaminas necessárias à nossa sobrevivência. E, desculpem-me os radicais da dieta, mas não colocaria em meu pão uma passadela de margarina nem que me pagassem fortunas.

Não estou magérrima, isso é uma verdade. Mas em momento algum atribuo à comida o excesso de gostosura. Responsabilizo, sim, minha irreparável preguiça de ir à academia todos os dias. Hoje, um pouco mais consciente, venho tentando manter um nível razoável de disciplina, e tenho feito cerca de 1h30 de exercícios diários que já fizeram diferença. Claro, seriam mais notáveis se à ginástica acompanhasse uma dieta; não fosse minha relutância em deixar de comer de tudo um pouco. O caso é que, ao longo do tempo, venho acreditando cada vez menos no corte da gordura e cada vez mais na diminuição da porção.

A medicina ayurvédica (medicina indiana, a mais antiga do mundo) nos diz que devemos comer apenas o que cabe em nosso estômago saudável. Estenda as mãos em concha à sua frente. O que couber nelas é exatamente o que cabe em seu estômago se ele estivesse do tamanho normal. E sim, o seu estômago é de um tamanho diferente do de seus amigos. Provavelmente, você só deveria comer aquilo que cabe em um prato de sobremesa. Agora pense na porção caminhoneira de arroz com feijão que comeu ontem... Consegue entender de onde vem a barriguinha?

Bom... Meu maior desafio então tem sido pesquisar em meus livros e anotações receitas que faço em dias que quero algo leve e que possam ser consideradas "light". A verdade é que mesmo minhas receitas mais dietéticas seriam condenadas pelos radicais do alface com limão. Ainda assim, me arrisco aqui, e publico no blog a comida que eu como (de verdade) quando acredito precisar dar uma controladinha na alimentação. Parece um absurdo pedir para refogar qualquer coisa em azeite ou manteiga, ou usar pão branco ou queijo ralado. Mas pense no que você come de verdade normalmente: montes de carne, comida processada, muito sal adicional e quilos de doces. De repente batatas, os tão temidos carboidratos, não parecem tão ruins.

A sopa abaixo é uma deliciosa surpresa. Demorei para experimentá-la, com medo de que tivesse gosto de mollho de tomate. Mas é, na verdade, um dos pratos mais gostosos que já comi, e bastante substancial!

PAPPA AL POMODORO (Sopa de tomates toscana)
Tempo de preparo: 45 minutos
Rendimento: 4-5 porções


Ingredientes:
  • 1 dente de alho picado fino
  • azeite extra-virgem
  • 500g de tomates tipo italianos, ou chucha (os compridinhos)
  • 1 mão cheia de folhas de manjericão, rasgadas, sem os cabinhos
  • Pimenta-do-reino moída na hora
  • Sal
  • 500 ml de caldo de galinha ou vegetais (1/2 tablete diluído na mesma quantidade de água)
  • 250g de pão italiano amanhecido, já duro
  • queijo tipo parmesão ralado

Preparo:
  1. Corte os tomates ao meio e retire as sementes com uma colher de chá, descartando-as. Pique os tomates.
  2. Aqueça o azeite em uma panela em fogo médio e refogue o alho, até soltar o aroma e dourar um pouco. Não deixe ficar marrom, ou a sopa ficará amarga.
  3. Junte o tomate picado, metade do manjericão e um pouco de pimenta, a gosto. Mexa e cozinhe por uns 5 minutos, temperando com um pouco de sal no final (coloque metade do que colocaria normalmente, e deixe para terminar de salgar no final).
  4. Junte o cubo de caldo com a água e, em fogo baixo, espere começar a ferver.
  5. Corte o pão em cubos de 1cm, mais ou menos e junte-os à panela. Mexa por uns 3 minutos. Tampe e cozinhe em fogo mínimo por mais ou menos 30 minutos, mexendo de vez em quando para não grudar no fundo.
  6. Destampe, apague o fogo, experimente e acerte o sal e a pimenta se necessário (lembre-se que a sopa DEVE ter algo de adocicado, pois é característico do tomate).
  7. Sirva em cumbucas ou pratos de sopa, com um fio de azeite extra-virgem por cima, o restante do manjericão fresco e um pouco de queijo ralado.

DICA: se seu objetivo é emagrecer, a primeira coisa é começar a diminuir o sal. Excesso de sal faz com que você retenha água no corpo, dando-lhe a aparência de inchado. Diminuindo o sal, diminui-se o inchaço, aparentando-se ter perdido peso.

2 comentários:

Tatoo disse...

Oi Ana,

já fiz essa sua receita duas vezes com muitos elogios por parte da patroa.

Já viu que tem uma receita parecida do Jamie Oliver? Segue abaixo a receita no site. http://www.jamieoliver.com/recipes/vegetarian-recipes/bread-and-tomato-soup-pappa-al-pomodoro

Juliana disse...

tenho uma pergunta!
fiquei num duvida um pouco besta se os 500 g de tomate conta-se com ou sem as sementes. quer dizer, peso com as sementes ou sem.
contei com, e ficou uma delicia...
mas fiquei pensando.

obrigada
suas receitas são muuuito boas
:}
um beijo

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails