terça-feira, 22 de outubro de 2013

Pão de beterraba em semana de gororoba ou de fermentador na geladeira

 Depois de um hiato ocasionado por problemas pessoais, voltamos a produzir cerveja em casa. Isso é ótimo, pois além de meu marido poder ter ele também essa sensação boa de produzir algo com as próprias mãos – o que é totalmente diferente de trabalhar no computador –, de quebra, diminuímos o custo da manguaça. Afinal, beber cerveja de milho já não dá mais; porém, cerveja que presta para consumo regular acaba saindo caro.

O único problema que vem com a produção de cerveja em casa é o que fazer com o diabo do fermentador quando ele precisa ficar uma semana na geladeira. Sem medir coisa nenhuma, pegamos um frigobar que minha irmã não queria mais, mas é claro que aquele baldão gigante não coube nele. Tudo bem, o frigobar virou a geladeira das bebidas, salvando espaço na principal para a comida. Mas agora, na nossa agenda cervejeira, praticamente uma semana por mês preciso retirar uma prateleira da geladeira e colocar o danado do fermentador lá dentro, me deixando, além da gaveta de legumes e da porta, apenas uma prateleira para acomodar a comida de 2  adultos e 3/4 (Thomas = 1/2, Laura = 1/4, se bem que em termos do que cada um come, deveria ser o contrário).

Lá vou eu replanejar todo o cardápio do mês e transferir a semana da gororoba para a semana do fermentador na geladeira. Lembrando: semana da gororoba é a semana em que não faço nem feira nem supermercado, para poder dar cabo do que anda esquecido na despensa e no freezer. Não fazer compras na semana do fermentador ajuda a liberar o espaço de que a adorada cerveja precisa.

Daí que resolvi apanhar as beterrabas assadas que ocupavam o precioso lugar da cerveja e resolvi usá-las num pão, pois Laura e Thomas já haviam comido tanta beterraba no almoço e jantar dos dias anteriores, que suas roupinhas babadas de comida pareciam fruto de um massacre.

Apanhei uma receita simples do Paul Hollywood e adaptei trocando a manteiga por azeite, e acrescentando as beterrabas em forma de purê. A massa ficou imediatamente vermelha e bastante úmida, e tive de sová-la à la Bertinet, daquele jeito que não se enfarinha a superfície e se trabalha a massa bem melequenta, incorporando ar até que fique com uma deliciosa textura macia e lisa como uma bexiga cheia d'água.

O dia estava quente e o pão fermentou bem rápido, e o assei na pedra. Mas tive problemas para deslizá-lo para ela, pois era grande e úmido e grudou em locais que não havia farinha, ficando um pouco torto em um dos lados. Na próxima vez vou fermentá-lo em um pote forrado e enfarinhado e apenas invertê-lo sobre a pedra, ou mesmo fermentá-lo direto na assadeira que irá ao forno.

De qualquer forma, ele ficou incrivelmente macio, de casca fininha e macia, e a beterraba, além de lhe conferir uma cor interessantíssima (esse rosa por fora e alaranjado por dentro), deu ao miolo um sabor entre o terroso e o adocicado bastante complexo e delicioso.  

Bom para comer torrado com manteiga e café e bom para comer com queijo e cerveja. :)

PÃO DE BETERRABA
Ingredientes:
  • 500g farinha
  • 10g fermento ativo seco instantâneo
  • 10g sal
  • 30g azeite
  • 1/3 xic. purê de beterraba assada ou cozida (sem nenhum tempero)
  • 320ml água em temperatura ambiente (ou morna de o dia estiver muito frio)
Preparo:
  1. Coloque a farinha numa tigela grande. Disponha o fermento num canto da tigela e o sal em outro. Junte o azeite, o purê de beterrabas e vá juntando a água aos poucos. misturando tudo com os dedos. A massa ficará bastante grudenta. 
  2. Derrame a massa sobre uma bancada não enfarinhada, tente apanhá-la por baixo com os dedos, puxe para cima a parte mais próxima de você e dobre-a sobre si mesma. Repita, virando a massa 90ºC. Vai parecer tarefa impossível, mas eventualmente a massa começará a tomar forma e ficar lisa e elástica, mas ainda ligeiramente grudenta, depois de cerca de 8-10 minutos. Povilhe com um pouco de farinha, forme uma bola e coloque numa tigela untada com azeite. Cubra com filme plástico e deixe fermentar por no mínimo 1 hora, até que dobre de tamanho. 
  3. Polvilhe a bancada e derrame ali a massa fermentada. Sove ligeiramente para retirar o ar e, com mãos enfarinhadas, forme uma bola novamente. Coloque sobre uma assadeira enfarinhada, polvilhe com farinha por cima e cubra com um pano. (Alternativamente, pode-se dividir a massa em dois pães menores.) Deixe fermentar por no mínimo 30 minutos, ou até que dobre de tamanho novamente. Enquanto isso, pré-aqueça o forno a  220ºC.. 
  4. Quando o pão tiver dobrado de tamanho, faça quatro cortes em cima, formando um quadrado, e leve ao forno por 40 minutos, ou até que produza um som oco ao bater na parte de baixo do pão com os nós dos dedos. Retire o pão da assadeira e deixe que esfrie completamente sobre uma grade. 

15 comentários:

Kiv disse...

Delícia (de pão, de cerveja e de post).

thatiana Bandeira disse...

Ótima dica! Detesto beterraba, recebi na cesta orgânica e fico olhando para ela e ela para mim... Agora arrumei um destino para ela! Obrigada por compartilhar suas receitas

Sala de Fisioterapia disse...

Oi Ana,
adoro suas receitas e sempre as reproduzo com sucesso, o que me deixa muito feliz. Mas agora vou te dar as boas vindas por fazer parte do meu clube! O clube das mulheres cervejeiras que tem fermentadores , fermentos líquidos, lúpulos na geladeira e bagaço de malte no freezer para fazer pão. Aqui em casa também não se bebe mais cerveja de milho... há tempos.
Seu blog é sempre uma feliz experiência para mim!
Saúde!
Carmen Varella

Edu Piloni disse...

Coisa linda!

Fernanda Amarante disse...

Ficou lindo demais esse pão! Comprei um livro do Bertinet, você gosta dele, querida? Ainda não saco muit sobre pão...

Agora me conta, você faz sopa de beterraba pros babies, tipo borscht? Fiz pra mim essa semana, e já concluí que não tem nada melhor que ela gelada, nesse calor... Beijoca!

Edu Piloni disse...

Devo adicionar que gostei muito do formato não uniforme (mesmo que não pretendido no processo). Dá uma aparência mais rústica merecida!

Anônimo disse...

Oi Ana, sigo seu blog há anos... Adoro as receitas, reproduzo-as e sigo os conselhos pra vida. Aliás, você é minha musa inspiradora para os futuros filhotesss rs.. Quero muito essa vida natureba. Assim que sair de casa e ter eu próprio cantinho serei adepta! Passa a receita da cerveja pra gente! Beijos

Anônimo disse...

Ana e Carmem,
Aqui em casa no momento temos não uma, mas quatro geladeiras: a que ele tinha antes de juntarmos as escovas de dente, a que eu tinha antes de juntarmos as escovas de dentes, a que ele tinha comprado (usada e velhinha) exclusivamente pro fermentador e a que sobrou quando o meu irmão casou! Acreditem! Heheheh
Hoje, uma é da comida e bebida + maltes, lúpulos e fermentos. Uma está quebrada à espera de conserto. Outra abriga o fermentador gigante de 50L. E a última abriga os post mix com cervejas já feitas e que precisam ficar geladas para que possam ser consumidas. (Sim... porque os equipamentos não param de crescer e se multiplicar)
Uma hora dessas mando a receita de pão de aveia com mel que adaptei pra usar bagaço de malte e que dá um pão fácil de fazer e muito gostoso! ;-]
Beijos, Lia

Lívia disse...

Ana, que tipo de fermento você usou? Imagino que tenha sido o fermento para pão seco, mas enfim, melhor confirmar..
Obrigada!

Abaré disse...

Você podia fazer um post sobre a cerveja. Quem sabe com um vídeo? =)

Tertúlia da Susy disse...

Gostei imenso desta receita e vou experimentar!
Bjs, Susana
Nota: Ver os passatempos a decorrer no meu blog:
http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/11/1-aniversario.html
http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/11/crumble-de-marmelo-com-aveia-e-nozes.html

Juliana disse...

oi Ana!

andei fuçando pelo blog, fucei bastante mesmo, e se você puder eu precisava esclarecer uma duvida.
Há tempos eu asso meus pães sobre uma fôrma redonda de pedra sabão.
mas já aconteceram alguns pequenos desastres - tipo eu escorregar o pão pra dentro do forno e ele passar um pouco da pedra ficando com um pedaço pra fora da forma e um formato bizarro. Eu procurava uma pedra maior até esta semana, quando meu amigo arquiteto-anjo me deu um pedaço de granito.
a pedra-sabão eu tive que curar. estou na dúvida cruel se preciso curar também o granito? você não parece ter mencionado a necessidade desse cuidado nenhuma vez, e o google também não resolveu minha vida.
estou perguntando só pra ter certeza messsmo que posso usar a pedra como se encontra.

e fiz a pergunta aqui porque é o post mais recente que você tem de pão. espero não estar bagunçando.

um beijão e muito obrigada,
já disse mil vezes mas AMO este seu blog, seus textos e suas receitas.

Ju

Ana E.G. Granziera disse...

Juliana,
o granito era de uma pia velha, e, uma vez limpo, foi direto para o forno. Talvez tenha sido melhor curar a pedra sim, coisa que não fiz. A pedra está com uma rachadura, provavelmente por conta disso. Como não tinha nenhuma informação a respeito (como você), saí testando. :P Acho que curar não faz mal.

bjs

Juliana disse...

:D
obrigadão!

daqui um tempo dou um feedback, se calhar de ela permanecer inteirona.

Ju

como ganhar dinheiro online disse...

Muito interessante sua dica!

Há tempos que to querendo saber como se faz pão e você passou tudo o que eu precisava saber.

Abração!

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails