sexta-feira, 24 de julho de 2009

Uma Sexta-Feira Frugal 1: Geléia de Maçã


Não é segredo para ninguém de que eu sou chata, natureba e adepta do "faça você mesmo". Acredito que seja uma herança genética, uma vez que minhas avós (como muitas), faziam sorvete, macarrão, pão e o que fosse na cozinha, meu pai sempre quis morar numa chácara e ser auto-suficiente e até meu tio, que é médico, já aprendeu o suficiente de marcenaria para construir a cozinha inteira do meu primo. Adoro isso de ser independente. E também tenho tentado, há já muitos meses, levar uma vida um pouquinho mais frugal.

E "frugal" é uma palavra que anda muito na moda hoje em dia, ainda que eu não veja lá muita gente aplicando o conceito. Nos Estados Unidos, por conta da crise, as pessoas parecem de fato estar voltando ao estilo de vida de nossas avós: economia ferrenha de recursos, comida caseira, criação de galinhas e horta para aqueles que têm quintal. Adoro ler a coluna de W. Hodding Carter, no site da revista Gourmet, onde ele conta suas desventuras na tentativa de uma vida mais frugal para poder quitar suas dívidas. A despeito de toda a tragédia financeira, a maior parte das pessoas parece estar na verdade se beneficiando dessa mudança de vida, voltando-se mais para o convívio em família, desacelerando suas rotinas e se alimentando de uma forma mais saudável. E isso é muito bom. Independente do motivo de essa mudança estar acontecendo, acredito que ela seja sim muito positiva.

Mas em minha busca em sites brasileiros a respeito de um estilo de vida frugal, vi-me frustrada, pois me parece que por aqui, talvez pelo fato de a crise não ter batido tão forte – ainda que tenha sim tido um impacto – ainda não há um movimento tão massivo por parte da classe média para alterar qualquer coisa em nosso estilo de vida. Ao invés de fugirmos feito diabo da cruz do estilo americano que lhes causou a ruína, continuamos comprando desenfreadamente e sustentando estilos de vida que não condizem com nossos salários. Noutro dia descobri que quem mais tem e usa cartão de crédito no Brasil é a classe C e D. Isso é muito preocupante.

Já disse isso aqui antes, e continuo na mesma fase: cansada de comprar, cansada desse conceito de "saiu de casa, gastou dinheiro". E eu quero ver até onde consigo ir. Iogurte e pão, ah, são coisas que já estão tão na minha rotina, que nem penso mais a respeito. Quando vejo, já está pronto. Virou miojo. Mas agora estou passada com o preço dos laticínios. E decidi que vou tentar fazer o máximo possível deles em casa. Algumas continhas e regras de três me mostraram que eu vou conseguir economizar um belo dindin se eu dedicar um pouquinho do meu tempo para produzir meus queijos favoritos. Há mais uma dezena de alimentos que podem ser produzidos em casa e uma centena de hábitos que podem melhorar nossas vidas e reduzir nossos gastos. Ando testando cada um deles. E quero começar a dividir minhas experiências com vocês. Vou ver se consigo, toda sexta-feira, postar alguma receita, dica ou experiência bizarra, com ou sem sucesso, para que vocês também testem e, quem sabe, economizem uns trocados. Espero que gostem. :)

1. GELÉIA FÁCIL E DELICIOSA DE CASCAS DE MAÇÃ
(Do livro: Entre Panelas e Tigelas, A Aventura Continua, de Heloisa Bacellar.)
Nada melhor que não precisar comprar geléias carésimas e, ao mesmo tempo, reduzir um pouco seu lixo. Ao invés de jogar fora as cascas e o miolo das maçãs (quando você as corta com faca e não com os dentes), coloque num saquinho e congele. Vá juntando as cascas e miolos, com semente e cabo inclusive, até ter umas 4 xícaras. Então coloque numa panela com água suficiente para cobrir, leve à fervura e cozinhe por meia hora. Passe a polpa obtida por uma peneira ou um passa-verdure com o disco fino e volte a polpa à panela com 1 pau de canela e 1 xícara de açúcar. Cozinhe por mais 15 minutos até que fique encorpada e brilhante [eu já cozinhei por uma meia hora e obtive uma geléia mais firme e mais forte]. Deixe que esfrie e guarde em pote fechado na geladeira por até 1 mês. Faz 1 a 1 1/2 xíc. de geléia, dependendo da quantidade de maçã e quanto tempo ficou cozinhando. Delícia tanto no pãozinho com manteiga ou cottage (foto) quanto para pincelar tortas de frutas e bolos neutros (foto).

24 comentários:

Giovana Martini disse...

Ana, concordo tanto com você...
Estou fazendo o mesmo!
E as pessoas me olham como se eu fosse louca...
Vou adorar esses posts!

Um beijo!

Docinhos e Miminhos da SweetSofia disse...

Que forma boa de fazer aproveitamentos..gostei muito..
beijinhos

Flavia disse...

Estou estreando nos comentarios, sou leitora quietinha. E antes de tudo quero de parabenizar pelo lindo blog.
Adorei a ideia da sexta frugal. Sou adepta desse conceito apesar de estar engatinhando nele ainda, mas chego la. Eh bem mais complicado com duas criancas pequenas.
Quanto ao conceito ainda nao ter sido abracado ai no Brasil, eu acho que certas ideias levam tempo para acontecer, se acontecerem. Eu moro nos EUA ha bastante tempo e vejo que essa ideia esta cada vez mais forte (a crise com certeza deu um grande empurrao). Por mais que o brasileiro tente seguir os passos dos americanos, tem coisas que realmente nao se encaixam por contas dos estilos de vida tao diferentes. Aqui a grande maioria pintam suas casas, fazem consertos independente da situacao financeira, tem canais de TV exclusivamente dedicados ao DYI (faca voce mesmo), ja eh uma caracteristica da cultura mesmo. No Brasil, pessoas das classes mais baixa conseguem ter uma empregada domestica ou uma baba, aqui muitas de classe alta nao tem e, nao minha opinao, isso ajuda que as pessoas fiquem um pouco mais conscientes do que a familia compra, de como se alimentam e vivem. Eu espero que essa seja uma nova moda, e nao so um modismo, aqui e no Brasil. Desculpa o longo comentario, prometo falar menos da proxima vez.

Amanda Scapini disse...

Ana, também tento produzir o máximo que posso em casa. Principalmente pelo ódio a todos os conservantes/corantes/estabilizantes e outros "antes" adicionados. Li esse post e em seguida fui ao próximo e fiquei na dúvida: vc já fez o tofu em casa? Adoro esse bem lisinho vendido em caixinhas pra comer só com shoyu, gengibre e cebolinha, mas pra cozinhar, prefiro a consistência do caseiro. Se não fez, experimenta. O gosto é bem mais forte, mas usados em receitas como essa é bem gostoso. e vc ainda usa o okara (a sobra da soja) em várias outras coisas. Na primeira vez é uma sujeirada louca, mas com a prática vira um hábito como todo o resto.

BEIJOS!

Leo Beraldo disse...

Pois é, também estou nessa de fazer tudo em casa. A minha próxima tentativa vai ser fazer ricota, vi hoje essa receita do David Lebovitz:

http://simplyrecipes.com/recipes/homemade_ricotta_cheese/

Mirella disse...

Ana,
Acho essa idéia o máximo. Quando tiver minha própria cozinha vou por essas e muitas outras ideias em prática. Mas já venho tentado modificar alguma coisinha, tipo: Meu namo AMA chá e vivia comprando aqueles prontos de litro. Eu sempre achei além de caro, péssimo pois são cheios de consevantes e outras coisas. Agora eu sempre faço o chá pra ele, já faço direto o litrão e deixo na geladeira pra semana. Facinho, mais barato e muito mais gostoso.

Flavia disse...

Ana, desculpa os erros de portugues no comentario anterior(que vergonha!) e obrigada por ter postado mesmo assim.

paula disse...

só pra constar: nao aguentei a receita de mandioquinha e vou fazer hoje. só esqueci a farinha de rosca, mas, já ficarei feliz. beijo! ótimas receitas, eim???? qualquer dia eu vou tentar as almondegas!

Rosana Alcantara disse...

Ana, da próxima vez em que vc fizer essa geléia, experimente colocar umas folhinhas de alecrim. Fica fantástica.
Abraços
Rosana Alcantara

Leandro disse...

Cara, eu penso exatamente na mesma coisa.
Eu gostaria de produzir muito mais das minhas coisas... um queijo, ou uma geléia, por exemplo...

Mas sou meio que taxado como louco, como a Giovana...
As pessoas (pelo menos o meu círculo de amizades, que é daquele tipo que adora lasanha congelada) não entendem muito esse negócio de você ficar sovando pão até tarde da noite, pra ter pão fresquinho pela manhã.

Só que não faço só pela questão econômica. Algumas coisas saem mais caras pra se fazer em casa do que comprar fora. Um frango assado, pra comer no domingo por exemplo, sai por no máximo 15 mangos em uma boa padaria.
Pra fazer em casa, entre ingredientes, energia do forno e tempo, sai por mais ou menos 20 paus...

Mas tem uma coisa que não estão inclusa nesse preço: A diversão
E que pra mim, faz valer toda a pena: Fazer um almoço de domingo, por exemplo, separando os ingredientes do que se quer fazer, colocando uma música bacana e mandando bala na cozinha... pra mim é mais divertido do que simplesmente comprar alguma coisa na rotisserie do supermercado e sentar a bunda no sofá pra assistir TV. Nem sempre o mais cômodo é a melhor opção...

M disse...

Ana, tenho rande admiração ( e até inveja...toc toc na madeira) de quem consegue morar numa cidade louca como a nossa e ainda viver como no interior, e no interior de antigamente. Chego a me sentir culpada pela minha falta de disposição. Mas agora, sem culpa, começo a preparar minha comidinha. Bem mais simples, mas já mais saudável.

Bel Glezer disse...

Ana, este blog é fenomenal.

É incrível como a gente encontra sites assim do nada - eu estava procurando um lugar em São Paulo onde poderia encontrar Graham Crackers, e acabei aqui, onde dizia para "moer bolachas maria" no lugar... O que eu já tinha feito antes, e realmente não notei muita diferença!
As matérias são inspiradoras, e as receitas deliciosas!

Parabéns!

k. disse...

Ana, é a primeira vez que comento aqui, mas tenho lido seu blog há um tempinho, estou adorando as dicas e receitas. E concordo muito com o que você escreveu, estou começando esse movimento de me alimentar melhor e prosuzir minha própria comida (esse fim de semana fiz pão de forma, receita sua, rs).
Muito legal mesmo! E obrigada por dividir suas experiências.

Patricia Scarpin disse...

Ana, a idéia é ótima e sei que vou aproveitar muitas das suas dicas.
Ontem mesmo fiz ricota em casa para usar em uma receita e, além de a qualidade, textura e sabor serem infinitamente melhores, o $$ também - além da economia de fazer só um pouquinho e não ficar com um monte de ricota rolando pela geladeira.

Amei a geléia de maçã, pode apostar que vou testar!

Beijo!

Núbia disse...

Ana Elisa,
adoro o seu blog, o seu perfeccionismo. Cozinha é isso mesmo lugar de gente apaixonada e perfeccionista. Tenho feito várias das suas receitas. Depois de trigêmeos, estou querendo voltar ao meu peso e ando aproveitando um bocado as idéias de salada. Sobre o post de hoje, lembrei que eu fazia um queijo branco muito fácil e delicioso. Vou tentar recuperar a receita e se te interessar te passo. beijos, Núbia.

Licsk disse...

...amei...amei a receita!!!!!!

Mariana Calil disse...

Ah, bela iniciativa! Cheguei aqui no blog agora e já adorei a idéia! Com certeza vai pro leitor de feeds! Só uma coisa: eu gosto de consumir as maçãs com a casca. Tem problema fazer a geléia só com o miolo?

maiscanela disse...

Ana
Fiz esta geléia ontem. Além da canela botei um pouco de cravo da índia também. Que maravilha!

Só acho que da próxima vez vou deixar ferver mais tempo no final para melhorar a consistência.

Simplesmente Mariza disse...

Senti o perfume da maçã de tua geléia. Ana, no Brasil, principalmente em cidades do interior, ainda se procura a comida mais natural possível. E, eu tenho falado com muita gente, de cidades maiores, onde a preocupação é a busca pelo natural mesmo. Eu sou apenas uma dona de casa, amo culinária, aquela culinária mais saudável, mais natural, e talvez nem esteja tão atualizada assim pensando que a busca é pela maioria, mas tenho tido a grata surpresa de achar pessoas que pensam como eu (em relação a alimentação). Da importância que tem a alimentação. Amiga em minha casa o único enlatado que entra ainda, é o leite condensado, mas até já tenho uma receita para fazer em casa. E eu faço por prazer, muito prazer. Eu gosto de ir ao mercado, à feira, enfim gosto de tocar aquilo que vou por em minha mesa. Frutas só compro da época. Na verdade a comida mais saudável, não é só por causa da crise,pelo menos, em minha opinião. É uma busca pela qualidade, para que se tenha uma vida mais saudável....e a longevidade que é a busca incessante do ser humano. Amiga eu tb sou chata. Tenho o maior cuidado no que ponho em minha mesa. Ainda acredito que és aquilo que comes. Adorei o teu blog, porque talvez eu queira resgatar o que era de melhor, o que era feito em casa, e pelo que estou lendo aqui é mais ou menos assim que pensas. Vou te contar uma coisa. Eu moro em um apartamento que tem sacadas. Os outros moradores tem flores plantadas em suas floreiras (que são lindas tb , pois amo a natureza como um todo) mas em minha floreiras tenho ervas....manjericão...perfumadíssimo, alecrim, uma delícia, manjerona, orégano , salsa....entre outras, o visual é barbaro. Tenhas a certeza que amei teu blog, poi me dá a oportunidade de ler coisas interessantes, e aprender. Parabéns novamente.

Ana Paula disse...

Parabéns! Adorei o seu blog!!!
Concordo plenamente consigo... Não há nada como as coisas feitas por nós... Para além do cuidado na preparação, há o cuidado na selecção dos ingredientes e o amor... Até parece que no resultado final se saboreia o amor...
Não há nada como a cara de espanto de uma amiga que recebe um bolo de aniversario feito por nós, ou umas bolachinhas de gengibre pelo natal...
Espero que isto não seja uma moda mas uma autentica mudança de consciência... Era óptimo
Parabens!
Beijinhos de Portugal,

Ana Paula

Paulo disse...

Olá Ana, somente ontem encontrei suas publicações. Poderia passar o telefone da peixaria?
solimene@uol.com.br
Grata, Solange

sheli disse...

Olá, estava à procura da receita de geléia de casca de maçã qdo encontrei o seu blog. Fiquei feliz em ver que eu não estou sozinha nesta vida de faça vc mesmo... :) Minha familia já foi uma grande produtora de alimentos, gerando muito emprego diretos e indiretos, mas no final, pagaga a todos e via que ano a ano estavamos nos descapitalizando e muitas vezes arcando só com os prejuizos da atividade. Depois de uma guinada a 3 anos, paramos com tudo e estamos com uma estrutura bem pequena mas enxuta, e até o dinheiro do pequeno pomar de maçãs começar a produzir, resolvemos meio por brincadeira eu, minha irmã, mãe e mais duas amigas a vender pastel e outras comidinhas na feira local. Imagine a cena... Na feira e com a mãe sexagenária??? Pois bem, passado o choque inicial, hj me sinto tão realizada em oferecer todo sábado um produto fresquíssimo de receitas que foram testadas várias vezes até o ponto de ser "aprovada" pelo controle de qualidade interno... Minha mãe estar participando ativamente dos "negócios" da familia, e fora as pessoas que agora nos conhecem, não como elas imaginavam que a gente era... Começamos a colher maçãs ontem, e, sábado vamos ver se oferecemos maçã do amor, geleia de maçã, doce de maçã e maçã em calda,ah, e obviamente, a fruta in natura!!! Ah, e se quiser conhecer um pouco do meu trabalho, convido a visitar o site: www.seivarte.com.br , onde fazemos lindas placas de revestimento com o resíduo da poda dos pomares de maçã! Um beijo

Patricia Luck disse...

As pessoas me olham torto, achando que sou a maior mão de vaca do mundo quando digo que faço os bolos de aniversário da família, pães caseiros (não compro pão de mercado há mais de 1 ano!), sabão para lavar roupa, iogurte...
Não adianta explicar que eu gosto de fazer, que é mais saudável e gostoso, que eu ensino meus filhos a comer melhor, e que, de quebra, ainda economizo (às vezes) um trocado...
Nossa cultura está MUITO ligada à subserviência...como assim você mesmo lava seu carro? Como assim você não tem empregada???
Acho que meus amigos (com algumas felizes exceções) me acham louca! Meu marido pinta nossas paredes e eu conserto nossas roupas mais velhinhas (ao invés de sair correndo para comprar novas), mas viajamos para o exterior e nossos filhos estudam na melhor escola (e mais cara) da cidade.
Então eu digo...Prioridades, camaradas, prioridades...

Fiz essa geléia após juntar muitas cascas e miolos de maçã e pêra num saquinho no congelador.
Ficou deliciosa! Acabou em dois dias por aqui e quando meu caçula levou para comer na escola, acompanhada de um pão de nozes delicioso que eu havia feito, a professora me olhou com cara desconfiada: "-É verdade que foi você quem fez?"
Mudanças precisam de tempo...
Bjs e obrigada pela receita.

Ana disse...

Ótima essa geleia! Acabei de fazer aqui em casa.
Além de comer com pão, quero usá-la de acompanhamento para comer com pato ou marreco.
Delícia!

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails