quarta-feira, 20 de maio de 2009

Nunca confunda suas pimentas

Chamara minha mãe e minha irmã para um jantarzinho sossegado num domingo sem marido. Um macarrãozinho simples basta, pensamos. Vou para a cozinha, coloco água para ferver, separo o spaghetti, abro a lata de tomates pelados, corto cebola, alho, cato umas ervas nos vasos da sala. Então, ao abrir a geladeira para apanhar o queijo, vejo aquela bandejinha de pimentas sortidas que eu comprara há algum tempo ali, implorando por algum uso.

Veja bem: gosto de pimenta. A convivência com meu marido, que gosta de qualquer comida apimentada, fez com que eu me apaixonasse também pelas danadas. Algumas ali na bandejinha eram velhas conhecidas: dedo-de-moça, malagueta, pimenta-de-cheiro, jalapeño. Outras, bonitinhas e de formatos e cores variadas, eram interessantes desconhecidas despertando suaves dejà vus; já as havia visto em algum lugar.

Achando-me grande conhecedora, apanhei uma pequena, arredondada, enrugadinha, que me lembrava uma pequena abóbora disforme, e pensei: ah, é a cambuci, ela é docinha. Minha irmã não gosta muito de pimenta, então essa vai só dar uma aromatizadinha.

Abri-a com a faca e raspei fora suas sementes, ajudando um pouquinho com a ponta dos dedos. A intenção, como fizera com todas as outras pimentas da bandeja, era plantar aquelas sementes nos vasos da sala (a maioria já brotou, por sinal). Comecei a fatiar a pimenta, e senti seu aroma forte atingir meu nariz. Surgiu a dúvida. Nunca provara a cambuci antes. Talvez fosse melhor experimentá-la antes de colocá-la no molho, só para garantir.

Estiquei meu dedo e pressionei-o contra um pedacinho tão pequeno de pimenta, que tive justamente de apanhá-lo como se fosse um cisco na bochecha de alguém. Botei na boca.

...

Minha mãe correu da sala para a cozinha, tentando entender o que estava acontecendo. Eu arfava, meus olhos derramavam lágrimas grossas, e minha boca inteira parecia estar sendo consumida por um pedaço de carvão em brasa. Curvei-me bruscamente sobre a pia da cozinha, abri a torneira e comecei a lavar a boca com a água, o que, no entanto, só piorou a situação. Meus dedos, que haviam tocado as sementes, agora terminavam de contaminar meus lábios e minhas bochechas, de modo que todo o meu rosto começou a arder como se tivesse passado oito dias exposta ao sol de um deserto. Minha mãe olhava, desnorteada, enquanto minhas bochechas ficavam cada vez mais manchadas de vermelho vivo.

Lembrei-me de um episódio do MithBusters, em que concluíam que o melhor remédio para pimenta era leite. Eu detesto leite puro, e ainda assim tomei dois copos inteiros e, em total desespero, comecei a lavar minhas mãos e meu rosto com o leite. Confesso: melhorou um bocado.

Agora eu podia ao menos respirar com mais calma e explicar à minha mãe, horrorizada, o que havia acontecido.

"O que houve???", perguntou ela, finalmente, me vendo mais calma, ainda que a vermelhidão de meu rosto e o ardor nas pontas dos dedos, na boca e nas bochechas fosse durar até a hora de dormir.
"Confundi minhas pimentas", expliquei, ainda um tanto sem ar, olhos lacrimejando e vias aéreas provavelmente desentupidas até a próxima encarnação.
"Como assim?"
"Pensei que fosse uma cambuci. Mas era uma scotch bonnet."

[Scotch bonnet: parente da habanero, e uma das pimentas mais ardidas do mundo. Tirei ou não tirei a sorte grande...?]

32 comentários:

Anônimo disse...

Olá,
Tenho passado por aqui, copiado algumas receitas e acompanhado suas histórias.
Já me enganei com pimentas e depois de passar por toda a queimação descobri que o que é gelado tem poder anestésico e a gordura, dissolve o componente da pimenta que arde...
gelado...gordura...da próxima vez, tente sorvete
Abraços,
Cláudia

Ju R. disse...

eu já passei por experiência semelhante quando fui fazer guacamole. mas era uma "inofensiva" malagueta.

Leo disse...

O álcool também dilui a capsina, assim como a gordura. O que eu sempre faço quando como muita pimenta é colocar na boca uma fatia de algum queijo mais gordo e ficar um tempo sem mastigar. Sempre ajuda.

Uma vez ganhei uma baciada de habaneros e fui preparar uma conserva. Me dei mal por não usar uma luva.

Edilene disse...

Ana, desculpe, mas não teve como não morrer de rir imaginando a cena...
Cara, que loucura! rsrsrsrs

fátima disse...

já eu ouvi dizer (na verdade, li em algum lugar) que, nesses casos, se deve colocar um pouco de óleo ou azeite na boca...

Sucamey disse...

A tua sorte foi não ter passado o dedo no olho. Uma vez fiz isso e foi uma piores experiência da minha vida, e olha que a pimenta nem era tão ardida ;-)
[]'s
Suzi

Noémia disse...

Por causa de episódios desse género ( mas não tão violentos) que já aconteceram comigo, é que eu fico longe das pimentas!

Sarinha disse...

Ana, a gente se pega "sortuda" pra umas coisas...ai ai....podia ser pra ganhar na mega né!?!?hahaha
Bjos

Dani - Paladar disse...

Eu tb não gosto de pimentas, e mesmo tendo um noivo adorador, duvido que comece a gostar, acho q elas roubam o gosto das comidas.

Mas ouvi uma vez que comer miolo de pão ou banana era oque ajudava a diminuir a sensação de fogo.

Não desejando que vc tenha uma próxima experiência assim, mas vale saber né.

Bjs

Lia disse...

Ana, morri de rir, imaginando a cena... Outro dia, minha irmã, que adora pimenta, aprontou uma dessas num restaurante mexicano que fomos, mesmo depois do garçom ter dito para tomarmos cuidado. Veja por outro lado, como vc experimentou antes, não estragou todo o molho do macarrão.

Ju R. disse...

para as mãos ardidas, já ouvi falar que vinagre ameniza.

Silvia Fochesato disse...

Ana , é por essas historias que eu não mexo com pimenta tenho um pouco de medo , embora as ache lindas e também goste de seu sabor !
Mas a sua historia é otima .... mas na proxima vez ... muita calma nessa hora !

Abraços

Rogério disse...

Ana,
Tirou a sorte gande mesmo! Faz tempo que eu procuro a scotch bonnet e nunca encontrei...Não UMA das mais ardidas do mundo; é A MAIS ARDIDA! Existe uma escala para classificar a ardência das pimentas, a escala de scoffield, e a scotch bonnet é a campeã.
Guardou as sementinhas? Manda um pouco prá mim...

Beijo
Rogério

Carolina disse...

Ana, q perigo!
Sabe q tem um restaurante mexicano aqui em Sydney que vende a conserva da "Scotch bonnet" em gotas, custa 3 doletas cada gota, acredita? Eu nao conhecia essa pimenta e perguntei ao dono do restaurante pq ele vendia a tal conserva em gotas (???) Ele explicou q ela era extremamente forte e 1 ou 2 gotas era suficiente mesmo para o maior amante de pimentas e q se alguem tomar um montao pode ate morrer asfixiado...
Q coisa, nao?!
Espero q vc esteja bem!
BEijao, Carol

Jennyfer disse...

isso me lembra da vez que eu piquei todos os ingredientes para meu molho e que incluía pimenta. normal, a dedo-de-moça, na minha opinião, ótima para acrescentar um quê à mais em várias receitas.
bom, não sei porquê, mas o truque de lavar a faca antes de picar cebola não funciona pra mim, e de vez em quando, meus olhos ardem. eis que a inteligêeencia aqui, por reflexo mesmo, mete a mão nos olhos, logo após ter picado a pimenta. oê! mas pra tirar aquilo dos olhos... HAHA
só eu faço isso xD

sempre venho aqui ler suas histórias! (:
apesar de amar a cara das suas receitas, ainda não testei nenhuma. mas vou testar quando der :D

sentadanapia disse...

Nossa, sofri por você! E já anotei todas as dicas para curar língua sapecada de pimenta!

Marco disse...

Publicaram no caderno Paladar, de O Estado de S. Paulo uma vez q para aliviar rapidamente a ardência, o melhor a se colocar na boca é algo gelado, gorduroso e ligeiramente ácido: Mousse de Maracujá ou de Limão.

Dani disse...

Olá Ana,
Meu Deus, com essa história até meu olho ardeu. A sensação realmente é absurda só quem já passou por isso sabe.
Bjokas da Dani

Andreia disse...

Ana, lembrei de um episódio que aconteceu comigo, também fui fazer uma conserva de pimentas e não usei luvas, imagina como ficou a minha mão. Meu pai me ensinou passar limão até não arder mais, funciona, longe do sol, claro. Bjos.

Patricia Scarpin disse...

Oh, tadinha! Que susto, Ana!

Eu já estava pensando no leite quando cheguei a esta parte do texto. Iogurte natural também serve, viu? E aquele seu é uma delícia. :D

Ainda bem que você não a colocou no molho...

Ana disse...

Ana,
Uma vez engoli uma malagueta e meu Deus...nunca mais me vou esquecer!!!
(eu não gosto de picante!
o álcool é que é capaz de dissolver as malvadas moléculas do picante! É por isso que quando se comem comidas picantes, elas "puxam" uma bebida com álcool!!

Bjinho

miosotiis disse...

:D

Já ouviste falar de pimentos de Padrón(cidade espanhola)? Pois é...costuma dizer-se "pimientos de Padrón: unos pican otros non!"
E eu comi um dos que "picavam"...mas daqueles que picavam mesmo...até perdi a voz...

*patrícia

miosotiis disse...

Lembrei-me agora: se tiveres tempo, entra em www.miosotisdeluz.blogspot.com e desce até encontrares um post com o título "Cores de Barcelona".

É por isso que arriscamos prová-las...*

;D

Luciana disse...

Aff. Também tive problemas com pimenta. Meu pai é fissurado por elas e faz seu próprio molho. Ele cozinhas as danadas com vinagre e mais tres mil coisas e quando morava com eles o cheiro impregnava a casa e ardia os olhos. Ele costumava usar colheres de uso comum na casa e uma vez peguei uma à mesa que estava cheia, mas cheia do molho e usei para algo... Tive a mesma experiência! Não conseguia falar porque parecia que o ar que entrava na boca estava fervendo! Nem água nem nada. Os lábios estavam formigando. Algo que não quero nunca mais experimentar. Ah e a danada da pimenta ganhou de presente uma colher própria com cabo vermelho para combinar com o meu rosto na ocasião!

Manu disse...

Pqp!!!
Que horror!!!
Mas não tem jeito, Ana, você tem um jeito ótimo de contar histórias! Essa é meio trágica, mas e fiquei rindo, porque comigo já aconteceu parecido, hehehehe!!!
Não sabia do leite, mas já ouvi dizer que miolo de pão ajuda a acabar com a ardência!
Bjos!

Verena disse...

Ana, sei que o iogurte é muito usado para ajudar quando a pessoa fica "queimando" com pimenta!
Beijinhos!

Luana disse...

huahuahuahuahuahua...
Desculpe, Ana Elisa, mas nesse momento só nos resta rir!

Mas confesso que fiquei angustiada até a história acabar... já pensou?!

espressa-mente! disse...

menina recentemente peguei uma pimenta no pé da jardineira de uma amiga. segundo ela, era pimenta aromatica/ornamental. pois bem, ao replantar em casa, cortei o bulbo e raspei as sementes para planta-las. ok, apos isso lavei as maos com sabao e esponja. depois de horas, nao sei, cocei o ouvido.....pra que....2 horas de ardencia!

michelkhodair disse...

É por isso que eu nunca como pimentas. Nunca mesmo!

Valentina disse...

Nossa menina, até senti o teu sofrimento. scotch bonnet não é para qualquer um.

Simplesmente Mariza disse...

Eu imagino o que tenhas sentido.....desculpe mas ri bastante desta situação...claro não foi comigo. Eu amo pimentas, e não abro mão de usa-las em minha comida. Meu marido já experimentou uma pimenta em conserva (feita por mim), a dedo de moça, não sei se tem outro nome. Estávamos à mesa e ele resolveu pegar uma pimenta do vidro e comer....inteiraaaaaaaa, como estávamos à mesa, ele não quis tirar da boca, quando começou a sentir o ardor.... eu olhei para ele, pensei que estava tendo alguma coisa...ele ficou vermelho, com os olhos arregalados...mas continuou mastigando e engoliu....eu não acreditei...ele não conseguia falar e eu tb não conseguia falar pois quase morri de tanto rir. Eu sei que era uma tragédia....mas não deu para segurar....foi uma experiência e tanto. Eu imagino a tua situação.....scotch bonnet, não deve ter sido muito fácil. Mas adoro pimentas.

Anônimo disse...

Uma vez fui fazer um inocente molho de pimenta usando pimenta dedo de moça (limpei somente 12 pimentas). Não usei luva... Passei a madrugada com uma toalha molhada enrolada nas mãos para conseguir dormir, pois parecia que estavam pegando fogo!!

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails