segunda-feira, 9 de março de 2009

Le Chocolê

Quando vi as novas fotos dos chocolates da Lelê, tive certeza de que precisava falar deles aqui. Eu quase nunca faço qualquer espécie de propaganda de um lugar, pessoa ou produto, a não ser que realmente goste da coisa. E a Le Chocolê não foge à regra.

Conheci Elenice Tamashiro há muitos anos atrás, quando peguei um emprego fixo de ilustração. Foi ela quem me ensinou a tomar chá verde sem açúcar, um hábito que nunca pensei que se enraizaria em mim. Foi sua mãe quem me ensinou a fazer um delicioso pão de milho, que vira e mexe faço como ele é, vira e mexe adapto, mas sempre sai perfeito. Já naquela época ela nos presenteava com suas trufas, muito escuras, aromáticas e cobertas de cacau em pó, que, ao serem mordidas, revelavam duas cores, dois sabores, deliciosos e que derretiam na boca. Cuidadosa, Lelê as embalava em caixas douradas e prateadas que ela mesma fazia de origami.

Embora não fosse viciada em chocolate, ela foi cada vez mais se apaixonando pela arte e pela técnica que envolve o chocolate. Seus presentes delicados acabaram gerando encomendas, o que a incentivou a começar o Le Chocolê e buscar cada vez mais conhecimento. Fez dois cursos na Academia do Chocolate em Lebeke-Wieze na Bélgica [invejinha...], e não perdeu tempo em aplicar o que havia aprendido. Lembro-me de ter passado horas com ela, após seu primeiro curso, conversando sobre as técnicas, tentando absorver seu conhecimento por osmose. Hoje, ela usa apenas matéria prima belga de qualidade na confecção de seus chocolates, a respeito dos quais mostra um orgulho quase tímido, muito condizente com sua personalidade doce, se me permitem o adjetivo.

Orgulho mesmo tenho eu, por ter assistido à sua trajetória. Desde suas primeiras trufas, enormes, como os verdadeiros tartufi das florestas italianas, até seus delicados bombons de hoje em dia, seus ovos de páscoa, seus alfajores que enchem minha boca d'água quando penso neles. Por isso, por conhecê-la, por ter visto seu cuidado e dedicação, que tive certeza de que precisava escrever esse post. Lelê tem o tipo de paixão pela cozinha que eu compreendo (e vocês). Não é à toa que seu enorme, carinhoso e estabanado labrador amarelo se chama Quindim. :D

Para conhecer sua lista de chocolates para a Páscoa e fazer encomendas, escreva para: lechocole@gmail.com

Todas as fotos foram feitas por Edu Moraes.

8 comentários:

angela disse...

realmente é um prazer quando amigos vão bem na vida, sucesso!

Cristiane disse...

Ana, sao tao lindos que dà até pena de comer!

miosotiis disse...

:(

Acho que não aguentam a viagem até cá...ou será que sim? :D

*

Gabriela disse...

ai que vontade que dá! =))

Loisiana disse...

Oi Ana!
Estava com saudades de escrever no blog!
A vida está corrida e a cozinha só têm me proporcionado quilinhos a mais...Unf!

Mandei um e-mail para a Lê!
Será que ela envia os quitutes aqui para Floripa?! Espero que sim!

Abraço! Tudo de bom p/ vc!

Bigode de chocolade disse...

Ana, não diga que a mesinha das fotos é na sua casa. Se for... você é a pessoa mais feliz da face da terra!!! Por um, apenas um, desse bombons sou capaz de comer as flores que adornam os pratos. Hummmmmmmmmm.

Taís disse...

Gentem,
Os chocolates da Lelê são mesmo maravilhosos e eu tb a vejo como está expresso no site!

Anônimo disse...

Ana
Vi em uma das suas receitas que você usou chocolate Callebaut.
Onde você compra esse chocolate?
Ah...já fiz minha encomenda para a Elenice ;)
Abraços
Rogéria

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails