domingo, 14 de setembro de 2008

PADARIA DE DOMINGO 21: Pão lagarta.. ops! Trançado, quero dizer.


Se você não souber rir de si mesmo, provavelmente não viverá muito tempo. Na cozinha nem sempre tudo são flores, nem sempre tudo sai exatamente como você imagina. Mas muitas vezes, quando tudo parece que dará errado, você descobre que não: eram somente suas expectativas que estavam meio fora do eixo.

Preparei essa massa de pão bastante versátil com intenção de fazer uma trança pela primeira vez. No entanto, alterações para lá e alterações para cá fizeram com que a massa ficasse bastante mole. Tenho apreciado cada vez mais trabalhar com massas mais úmidas, apesar da dificuldade de manipulá-las, pois elas parecem produzir pães mais interessantes. Daí a batedeira vem para ajudar, uma vez que fica com a parte mais chata da sova, quando a massa está ainda insuportavelmente grudenta, e meus dedos ficam apenas com a parte final, quando já posso polvilhar mais farinha para a primeira fermentação e o molde.


Normalmente as massas tendem a ficar mais firmes após a primeira fermentação. Não foi o caso dessa, porém. Ela continuava grudando um bocado em meus dedos e na bancada; tanto que, ao tentar trançá-la, podia ver as duas partes de massa grudando uma na outra e se fundindo em uma só, perdendo todo o desenho bonito que imaginara.


Quando levei aquela trança desmilingüida ao forno, não achei que sairia grande coisa. Cheguei a comentar com meu marido que aquela fornada provavelmente não daria certo. "Que nada! Esse vai ser um dos melhores pães que você já fez", profetizou.


De fato, apesar de parecer uma lagarta gigante, ele ficou delicioso e muito muito macio, com um suave perfume amanteigado de dar água na boca. A casca é fina e molinha, e ele me trouxe à mente um daqueles "pães sovados" de estrada, de miolo denso e macio. Teoricamente, essa massa pode ser moldada em qualquer formato, adaptando-se apenas tempo de forno e temperatura. No entanto, recomendo que seja moldado como pão de forma, ou em bolas, dispostas em uma assadeira bem juntinhas, para que grudem umas às outras e sejam "destacadas" do todo para serem comidas. Trançá-la novamente? Hmmm... acho que não.

PÃO BRANCO MACIO PAU-PRÁ-TODA-OBRA
(livremente adaptado do livro Professional Baking)
Tempo de preparo: 3 horas
Rendimento: 1 pão


Ingredientes:
  • 140ml de água
  • 15ml de leite integral
  • 10g de fermento ativo fresco
  • 315g de farinha de trigo para pães
  • 6g de sal
  • 30g de açúcar
  • 30g de manteiga sem sal
  • 1 ovo orgânico
Preparo:
  1. Esfarele o fermento na farinha e esfregue com as pontas dos dedos até que os dois estejam bem misturados. Junte o sal e o açúcar. Junte a água, o leite, o ovo e a manteiga e sove em uma batedeira planetária com gancho por 12 minutos na velocidade 2. (Não recomendo sovar essa massa à mão...)
  2. Coloque a massa numa superfície bem polvilhada de farinha e forme uma bola. Volte à tigela, cubra e deixe fermentando por 1h30.
  3. Volte a massa crescida para a bancada enfarinhada e molde como quiser. Deixe crescer por mais 1 hora.
  4. Leve ao forno pré-aquecido no máximo, abaixe a temperatura para 200ºC e asse por uns 30 minutos, ou até que a casca esteja dourado-escura e o pão esteja assado.

19 comentários:

Giuliana disse...

hahaha! Ai Ana, morri de rir com seu desenho... muito bom!

Bjs, Giu.

Anônimo disse...

Olá Ana Elisa, então não foi só aqui em casa que a massa ficou melequenta??? rsrs

A mais ou menos um ano e meio faço meu próprio pão (como já havia te contado)... mas fazia só 3 tipos: o de leite, o integral e uns pequenos redondinhos... mas depois que encontrei esse blog me desafiei a fazer pães diferentes, na primeira vez segui mais ou menos receita do pão de passas de uva, mas no lugar das passas colocaria goiabada, pensei mel???? ( não gosto muito), canela na massa???? Tudo bem vou tentar!!!!! Coloquei bem pouca goiabada, crente q aquilo não daria certo... O resultado ficou divino!!!!! ( mas coloquei uma quantidade menor de canela e de mel)... ficou um sabor suave e o marido amou ( sendo que é meio enjoado)... ok, ok isso foi na segunda, na quarta-feira não tinha mais... DE NOITE resolvi fazer ( eu coloco para sovar na panificadora) mas desta vez seguindo a receita... Resultado: uma massa melequenta,que quanto mais farinha eu colocava mais grudenta ficava, sem falar na quantidade de goiabada que coloquei... O pior ainda estava por vir: tirei o pão cru e quemei meu dedo com um pedaço de goiabada!!!!!!!
No outro dia só foi colocar o pão no lixo ( e assim como vc odeio quando estrago ingredientes... pois tudo custa $$$$$)

Ok... as aventuras não acabaram fiz até um pão de milho...

Comprei as passas de uva para fazer a receita original... mas acho melhor esperar alguns dias...


Um Beijo ( e obrigada por me "escutar")

Clau

Laurinha disse...

Será que cabe um recheio de ricota? Olhei pra ele e fiquei com vontade... vou experimentar, ou nesse ou noutro!
Beijinhos!

Dricka disse...

Ana essa lagartinha ficou show, a cara do pão.Rsrsrs.Eu sempre achei lagartas simpaticas, mas essa tá demais.
Bjs

Ba disse...

Oi Ana Elisa,

Morro de inveja da sua disposição para bancar a padeira no final de semana, eu costumo querer mais é dormir nesses dias.

Mas agora que a qualidade de vida ganhou um ponto aqui em casa, vou ver se me animo um pouco mais.
Parabéns pelo blog, pelas receitas e pelos textos, que são sempre excelentes!

Um beijo

Luciana Macêdo disse...

Adoro pão e fiquei tentada a experimentar.
Bjs!

Hot'n'Cold disse...

Nunca tinha lido essa frase - "Recusar minha comida é recusar o meu amor" - mas acho que faz todo o sentido.

É uma bela metáfora, especialmente para quem gosta de comer bem, que é o meu caso.

Se não te importas (e a tua mãe também), vou adoptá-la!

:)

spritof disse...

Gostei do teu perfil...e especialmente da tua frase sobre o amor que tens para dar.

Vou voltar!

beijo de chocolate negro com pimenta rosa!

Nique disse...

Oi Ana Elisa, leio sempre seu bog mas nunca comentei,adorei o post da Jane Austen, Emma + Chocolate realmente deve ser tudodibom, aww e o paozinho fico com uma cara de fofinho, tbm queria ter disposição para fazer pao no domingo mas como acordo na hora do almoço acabo comendo qualquer coisa, a preguiça domina
parabéns pelo blog
beijo

menoscaloriasmaisvida disse...

Bom dia, Ana.
Vim aqui deixar um beijinho, dizer-lhe que acompanho os seu blog, embora não comente muito e que tem um miminho para si lá na minha casinha da blogoesfera.
Um abraço.
Susana B.

Fernanda disse...

O pão tá lindo
!
Eu também já me dei conta que os pães com massa mais grudenta acabam saindo mais feinhos mas muito melhores. Enfim, pra fazer acontecer a gente tem que suar!!

Ai ai, pãozinho quentinho e caseiro é tão gratificante né?! Mesmo quando fica com cara de lagarta ;)

Bjs

Ana S. disse...

Sempre fiquei achei complicado fazer pão, mas lendo essa receita me animei.
Vou postar essa receita no meu blog e darei os merecidos créditos.

Abraços!
Ana

Letícia disse...

Ana, bonitinho assim até queria um prá mim....hahaha
bjos

Mari Rezende disse...

Ana, como sempre uma aventura divertidíssima...
O pão ficou muito lindo, e imagino que deve ter ficado uma delícia também!
Acho que vou confiar em você pra domar o meu trauma de fazer pães assim como deu certo com o medo de fazer risotto, hehehe!
Beijinhos!

Andreia T. Farias Britez disse...

Oi Ana!
Perguntinha básica NOVAMENTE: como faço para converter uma receita de pão para integral? Sei que há diferença entre as farinhas então fico na dúvida se adiciono água ou manteiga?

Ana Elisa disse...

Giu,
brigadinha...

Clau,
que bom que você anda se aventurando com os pães. E não tem jeito: eu já joguei muito pão no lixo. Acho que demora um pouco para a gente aprender a adaptar as receitas para nossos ingredientes, nossos fornos e nossas cozinhas...

Laurinha,
Hmmm...acho que ele é meio molinho demais para rechear, mas não custa tentar...

Dricka,
obrigada!

Ba,
por causa da corrida, acostumei a acordar cedo, mesmo de fim de semana. De domingo costumo acordar às 9h e já acho tarde prá burro. É bom, porque o dia rende que é uma maravilha...

Luciana,
manda bala e me conta como ficou!

"Hot´n´cold",
No caso da minha família não é metáfora: a gente fica ofendida mesmo.

"Spritof",
volte sempre.

Nique,
acho que uma das poucas coisas para as quais não tenho preguiça é fazer pão. Uso de inspiração a ameaça do marido de comprar pão branco industrializado... ;)

Susana,
então comente mais! :D
Obrigada pela indicação!

Fernanda,
pois é, tenho resistido muito à tentação de sair colocando mais farinha nas massas... ainda bem!

Ana S.,
ok, mas quero que você FAÇA o pão também!

Letícia,
é, infelizmente, é só prá quem toma café aqui em casa... hehehe...

Andréia,
vixe, depende MUITO da receita. A farinha integral costuma deixar o pão mais denso dependendo de quão fina é sua moagem e, dependendo da receita, mais seco também. Tente substituir apenas uma parte da farinha primeiro, tipo 40% e veja o resultado. Normalmente acabo colocando um pouquinho a mais de água. Se for para o pão desse post, eu simplesmente substituiria metade da farinha por integral e pronto, pois a massa é já bastante úmida. Mas, é questão de teste. É o que tenho feito ultimamente: vou lá e tento. SE der certo, ótimo. Se não, não. Desapego é a chave! hahahah! ;)

Beijos.

Arlindo Pinheiro Rodrigues disse...

Você é muito talentosa.

Meu hobby é panificação. Gostei muuuuuito...

Nina Costa disse...

Oi Ana,
Mudei de casa e finalmente pude tentar uma das suas receitas maravilhosas.
A primeira foi a do pão lagarta!
ficou delicioso, mas não ficou tão macio quanto o seu. não sei o que fiz pra ele ficar parecendo mais um pão italiano do que um pão macio...
Você pode imaginar o que foi que eu fiz de estranho??
obrigada pela ajuda,
Marina

Miho disse...

Faz um ano que visito seu blog, muito legal! Hoje tomei coragem para fazer pão, escolhi essa "lagarta". Ficou IMPRESSIONANTEMENTE MACIO!!! Usei fermento biológico fresco (15g), não sei se é a mesma coisa e substitui 50% por farinha integral. Fiquei muitíssimo feliz com a minha criação!! Felicidades na nova casa, na nova vida. Abçs!

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails