sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Delícia (queimada) de chocolate: Pierre Hermé 2x3 Ana Elisa




Meu lado masoquista estava dando pulinhos, pedindo para que eu desse mais uma chance ao livro amaldiçoado. A verdade é que continuo muito encasquetada, principalmente depois de ter nas mãos a versão original em francês e a traduzida para o português, uma ao lado da outra na livraria, e pude conferir todos os meus fracassos assim como Hermé as escreveu. O choque foi ver que o tal do Bolo Suzy não tem erros de tradução. É aquilo mesmo, com colher e tudo. A única diferença que havia em quase todas as receitas era no tipo de chocolate. Enquanto as brasileiras dizem "chocolate com tantos por cento de cacau ou meio amargo", as francesas especificam apenas a primeira opção. Sem substituições. O que para mim faz muito sentido, pois trocando um chocolate a 70% por um "tipo cobertura" da Nestlé, você está alterando a quantidade (e tipo) de gordura, quantidade de açúcar e quantidade de amido da receita, o que pode, dependendo da sensibilidade da mesma, provocar pequenas mas notáveis alterações no resultado.

De qualquer forma, continuo afirmando que não vou jogar o livro fora ainda. Se eu conseguir encontrar duas receitas "repetíveis", para mim está bom.

Apesar da estranheza que me causou o processo desta receita específica, resolvi levá-la a cabo, pois tinha um potinho de amêndoas moídas que logo sairia andando sozinho da geladeira. Eu nunca vi um bolo tão estranho. Bater gemas com açúcar. Ok. Derreter chocolate. Ok. Misturá-lo às gemas. Ok. Misturar a manteiga em temperatura ambiente às amêndoas e à farinha. O.. Hein? E quando virar uma massaroca com cara de marzipã, misturá-a ao reboco de chocolate e gemas (ficou mesmo parecendo reboco). Achei que a coisa toda viraria um tijolo, mas a manteiga acabou suavizando a mistura. Então, voltando à vida normal, bater claras em neve e misturá-las ao restante. Com cuidadinho.

Tudo para a forma milimetricamente untada e enfarinhada, e para o forno a exatos 200ºC. Vinte minutos?, pensei, lembrando do fiasco do bolo Suzy. O timer tilintou e lá fui eu com um palitinho. Porque dessa vez, pelo menos, Hermé avisa que o bolo tem que sair sequinho. Espeta. Ainda um tantinho úmido. Marquei mais cinco minutos. Incorri no erro fatal de ir responder a e-mail de cliente (ou você achava que eu passo o dia cozinhando? Fiz o bolo no meu horário de almoço, tá?!) , e, cinco minutos depois, o cheiro de queimado era inconfundível.

Desenformei a "delícia de chocolate", que mostrava para o mundo sua bunda tostada, e virei-o novamente na grade. Então eu vi. Vi aquele sorriso sarcástico para cima de mim, aquele bolo com cara de sapo rindo da minha cara. Ok, eu enlouqueci.

Deixei que esfriasse para experimentá-lo e... ok. Gostei. Deu certo. Não é demasiado rico para meu paladar, como fora o Suzy, mas suave, muito macio e úmido. Dá até para passar por cima do queimado e dizer que sim, deu certo. Sem adaptações. Eu faria de novo.

Mas antes... compraria uma tigela extra da batedeira. Afe, que dor no braço! Se você tem o livro e resolver fazer o bolo, faça um favor a você mesmo e compre uma tigela extra para sua batedeira. Ou escolha sabiamente suas batalhas. Bata as gemas e o açúcar na mão, e deixe as claras para a batedeira. Não o contrário, como eu fiz. Ê, antebraço fora de forma...

5 comentários:

Laurinha disse...

Já ensaiei muito para comprar outro bowl........ acabo deixando prá lá..... well, bato as claras, deixo em neve e depois 'o bolo', daí não lavo nem o bowl nem o globo, há!... ou então uso a molinha ou sei lá que nome tem aquela mola p/ montar as claras...
Beijinhos,

Neurotica disse...

Adoro Brincar na cozinha, acabei, na busca de uma receita de pão integral, achando o seu blog, estou te adicionando nos meu blogs pra vasculhar e testar suas receitas

Obrigada por dividir com todos

BJU

Anônimo disse...

Ana Elisa
deparei-me com seu blog há alguns dias e já o frequento quase que diariamente! Seus textos são ótimos, as fotos super bonitas e de bom gosto, as receitas sempre muito detalhadas e bem explicadas (adoro o fato de vc explicar direitinho cada passo e os motivos pelos quais algo deve ser feito de um jeito ou de outro). A parte de dicas é extremamente didática e compreensível, já tomei a liberdade de copiar várias das suas dicas, para minha próxima empreitada com massas salgadas, bolos etc. Acho que vai me ajudar bastante. Fiquei pensando: onde será que ela aprendeu tudo isso?
Eu gosto muito de cozinhar e aprendo as coisas experimentando, testando, seguindo receitas, errando, acertando, adaptando e tal. Mas é sempre bom quando alguém "sistematiza" informações úteis como a temperatura dos ingredientes, a consistência de uma massa, a diferença entre usar manteiga ou óleo e por aí vai...por isso eu gostei tanto do seu blog.
Não tenho um blog de culinária (ainda), mas se tivesse o link do seu estaria sem dúvida entre os meus preferidos.
Bom, era isso. Passarei aqui outras vezes...para acompanhar as suas histórias e as suas receitas!
Ah! Uma dúvida: vc mora em SP ou na Itália?
Um beijo,
Luciana (eu moro em SP, mas bem que gostaria de morar na Itália...)
Só para vc saber (já que eu não tenho um blog de apresentação), tenho 25 anos, moro em SP e estou terminando a Faculdade de Direito.
Desculpe o tamanho da mensagem, sou um pouco prolixa mesmo...

Ana Elisa disse...

Laurinha,

é, não tem jeito, vou acabar comprando a bendita tigela. Fico contente por conseguir bater claras em neve e chantilly no braço, mas para quê a dor muscular, né?

"Neurótica"(adorei o apelido),
Imagina, tamos aqui prá isso. Que bom que você tem gostado.

Luciana,
Moro em SP mesmo. Passei só 1 mês na Itália, mas mudou minha vida. Fico muito feliz de saber que as pessoas gostam do material que coloco no blog! Aprendo as coisas lendo um bocado. (Um problema, pois passo mais tempo lendo sobre comida do que sobre minha profissão, design). Tento sempre deixar tudo bem explicado, pois é muito fácil a gente esquecer de como era quando começamos a cozinhar, quando não conhecíamos ingredientes ou técnicas. Quanto mais sucinta uma receita, maior a probabilidade de ela dar errado na mão de quem está começando.
Continue aparecendo por aqui! Eu não me importo com mensagens longas não!

Beijos!

Anônimo disse...

Oi Ana!
Obrigada pela simpática resposta à minha mensagem.
Como eu te disse, entro agora com frequencia no seu blog. Hoje me concentrei no seu post sobre os cremes de leite. Aprendi um bocado! Seu texto é mesmo muito detalhado e didático.
Imagino o quanto vc já não leu e já não incorreu em erros e acertos para adquirir esses conhecimentos...
E de fato: receitas muito breves ou mal explicadas dificultam a nossa vida! Ontem fui fazer um bolinho de limão siciliano e a receita simplesmente não mencionava o momento de acrescentar à massa as raspas de limão. Nada grave, ok. Usei o meu bom senso e deu certo. Mas é sempre melhor e mais garantido quando tudo está explicitado.
Bom, continuarei aparecendo...
Bjos
Luciana

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails