quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Feliz ovo novo!

A Sílvia deixou-me uma pergunta sobre ovos num comentário que me deixou revoltada (não com ela nem com a pergunta, mas com o tema) como sempre fico quando vejo reportagens a respeito dos "perigos" dos ovos ou quando vejo um restaurante com plaquinha avisando que não servirá ovos de gema mole por causa da vigilância sanitária. Adoro a vigilância sanitária quando ela garante que a pessoa que está preparando minha salada lavou as mãos. Odeio a vigilância sanitária quando ela manda embalar canudinho por canudinho e guardanapo por guardanapo em saquinhos plásticos hermeticamente fechados, contribuindo cada vez mais para a geração sem controle de lixo que poderia ser evitado. Minha cunhada que é esperta, bióloga e meio bicho do mato (mais do que eu) costuma dizer que nossa noção de higiene é completamente ilusória. O canudinho pode até estar esterilizado dentro do plástico. Você pode até ter ido ao banheiro para lavar as mãos. Mas ao voltar, teve de pegar na maçaneta da porta do banheiro para sair, nas costas da cadeira para puxá-la, e provavelmente brincou com um saleiro que estava sobre a mesa, ou passou as mãos no cabelo ou nas pernas. Pronto, tudo "contaminado" de novo. E quando você apanhar o canudinho, ele já não estará estéril. Sempre dou risada em lanchonetes ao ver as pessoas apanhar os sanduíches com guardanapos e as batatas-fritas com os dedos. Ahn... seja consistente pelo menos!

Essa obsessão moderna com germes e bactérias nos levará à ruína. Estamos criando uma sociedade cada vez mais frágil dessa forma, pois nosso corpo não cria anticorpos sem ser primeiro exposto ao invasor. E a primeira parte de nós a sofrer com a obsessão de médicos e governos é nosso paladar. Deste a extinção de muitos queijos de leite cru até o surgimento de ovos pasteurizados para consumidor final nos supermercados. Entendo a utilização de ovos pasteurizados em processos industriais, pois seria dificílimo checar um por um e garantir a segurança do consumidor mais banana. Eles não querem ser processados. Ok. Mas eu não conheço ninguém — NINGUÉM — que tenha contraído salmonela por comer uma gemada, um mousse de chocolate ou um tiramisù. E eu comia gemada a rodo quando era criança. Era completamente viciada, e acabava com todos os ovos da casa; um dos motivos pelo qual eu era uma criança definitivamente roliça. Se alguém no mundo esgotou suas chances de pegar alguma porcaria através de ovos crus, essa pessoa sou eu. Pegar salmonela assim deve ser tão comum quanto ganhar na Mega Sena.

Acredito que a má fama dos ovos e as estranhas estatísticas usadas para embasá-la sejam pura intriga da oposição; obra de ficção, um plano maléfico da indústria da maionese industrializada, que há tempos parou de usar ovos por serem muito caros para a composição de um produto que precisa ser posicionado e precificado como "popular". Allex compra maionese Hellmann´s de vez em quando. Um potinho minúsculo, pois ele sabe que eu não chego nem perto daquilo. A mesma ojeriza que algumas pessoas têm por ovos crus, eu tenho por maionese industrializada, com seu gosto azedo e químico, seus espessantes, conservantes, aromatizantes, corantes, e todos os "antes" que não deveriam ser consumidos por um ser vivo que ama o próprio corpo. Quando quero maionese, preparo um potinho de 300ml de com apenas 1 gema de ovo e 250ml de azeite de oliva extra-virgem (mais suco de limão e um pouquinho de mostarda de Dijon), o que é mais do que suficiente para uma salada de batatas para 8 pessoas. Quem me disser que isso não é saudável toma um tapa. Quem me disser que eu vou pegar salmonela toma outro.

Além da maionese, também a salada Ceasar sofre um bocado. É servida hoje com molhos espessos de mostarda, ao invés da fina e reluzente, quase gelatinosa, camada de clara e gema de ovo cru recobrindo as folhas crocantes de alface romana. Não troco isso por nada. E se um dia pegar salmonela, terá sido por um bom motivo. Passarei um bocado mal, tomarei remédio, e estarei preparando outra salada Ceasar e outro tiramisù em dois tempos. Unam-se a mim contra a embromação da indústria e da vigilância sanitária: comam queijos de leite cru, comam maionese caseira, mousses, tiramisù, gemadas e o que for! Façam iogurtes e queijos em casa! (Ah, é, a vigilância também é contra queijo caseiro). Choque o mundo produzindo pão de massa azeda, deixando a biga uma semana com um pedaço de maçã dentro em temperatura ambiente!!!

*Inspira... Expira...*

Aparentemente, comecei o ano meio nervosa. Ok, ok, nada que o último pedaço de tiramisù molenguinha não resolva.

9 comentários:

Silvia Fochesato disse...

Ana , me desculpe se te deixei um pouquinho , assim irritada com minha questão, quanto aos ovos , também porque eu não sou lá uma pessoa muito neurotica com higiene , tenho sim minhas preocupações normais , mas nada além disso , meu problema é somente com ovo cru , eu realmente tenho esta cisma , preocupação , sei lá , toda vez que tenho que encarar mouse , tiramisu , logo penso nos ovos !!! Vou tentar me policiar , de qualquer forma vocÊ tem razão quando fala que vivemos em uma sociedade neurótica muitas vezes influênciada pela mídia.
Muito obrigada pela resposta , vou tentar fazer a sua receita de tiramisù que pela foto parece ótima , depois te conto Ok ! Bjs

Ana Elisa disse...

Hihihi... Sílvia, você não me deixou nervosa não... Eu SOU nervosa. Preciso me policiar para não sair mordendo a cabeça das pessoas fora... hehehe...
Pode usar ovo cru sem receios. Como disse, é só lavar a casca, com sabão mesmo, se ficar encanada.
Não precisa se desculpar não, mulher. Só aproveitei o tema para sair esculachando o mundo, que de vez em quando faz bem.

;)

Vou postar a receita do tiramisù para você.
Abraços!!!

Vitor Hugo disse...

Ebaaa, vou me intrometer onde não fui chamado! Fica (mais) brava não, Ana! :)

Um ponto que deve ser levado em consideração é o uso dos ovos crus para uso doméstico e uso comercial.

Dentro de casa, o consumo é mais rápido. Dura no máximo... 2 dias? Já no comercial a coisa muda... fica alguns dias a mais, e este é um dos problemas. Acredite-me, nem tudo num restaurante é fresquinho, fresquinho.. feito no dia. =X

"Acredito que a má fama dos ovos e as estranhas estatísticas usadas para embasá-la sejam pura intriga da oposição; obra de ficção, um plano maléfico da indústria da maionese industrializada" -- Lobby isso tem, igual a propaganda sobre a quantidade de calorias entre maionese light e azeite. Informa de maneira equivocada. (Em tempo, não gosto de maionese... =x)

Mas por outro lado, infecções devido a maionese caseira acontecem sim (em grandes proporções. Festa, casamento, etc.). Está certo que podem ser causadas por outras bactérias (ex.: Staphylococcus aureus), porém se tem ovos crus no meio, a provável culpada é a Salmonella.

"Passarei um bocado mal, tomarei remédio, e estarei preparando outra" -- Nem todas pessoas só passam mal, dependendo da condição física... o mal pode ser "pior", se é que me entende. Um caso extremo, sim, mas plausível.

Confesso que tenho uma certa aflição em usar ovo cru, mas uma mousse com as claras em neves é outra coisa. Só a gema que eu não coloco nem amarrado, hahahah Mas o que eu já comi de ovo quente com a gema molinha... nham! Ovo frito com a gema mole.... nham... uheuehuehe

Uma coisa é certa, galinha tem Salmonella e ponto. Do mesmo jeito que nos temos Escherichia coli (coliformes fecais). E vitamina S(ujeira) tem em todo lugar, heheh

Fica brava comigo não, tá? :) Aqueles: eu sou tão legal, hahahah

p.s.: pensei que o fantasminha fosse um saca-rolha! Nem passou pela minha cabeça que fosse um toy art, estou mais acostumado vê-los em sites de designers/publicitários (tá, eu sei que vc é), mas o blog é sobre comida... ahh, vc entendeu! :)

Ana Elisa disse...

Eba! Polêmica!!!! Hehehe...
Um blog sempre suíço não tem graça. O negócio é incitar a balbúrdia!

Vitor, concordo com você. O risco exite, a Salmonella existe, e eu não como maionese de batata em restaurante por quilo e em casamento por um simples motivo: está fora da geladeira e eu não sei quando foi feita. Mas aqui em casa, eu nunca guardo maionese caseira por mais de 1 dia na geladeira, razão pela qual faço sempre pouquinho. E eu falei: processos industriais levam ovo pasteurizado, e não tenho nada conta, contanto que seja ovo mesmo e não substitutos estranhos. Mas eu cresci me entupindo de ovo cru, então para mim é muito difícil me imaginar não comendo mais. Quanto à Salmonella, lembrei-me de um documentário que vi há muito tempo atrás que mostrava um cara infectado, sintomas, etc (aliás, ele pegava comendo frango mal passado, o que eu acho MUITO mais perigoso), e usei isso como base para minha manifestação. Eu continuarei desafiando a vigilância sanitária no que diz respeito aos "riscos modernos da alimentação antiga". Não me importa o que me digam. Mas, como sempre falo, cada um sabe o que bota na própria boca... hehehe...

Beijos, e obrigada pela contribuição!

Lílian disse...

Lá pelos meus 6 anos, era viciada em comer gema com farinha de mandioca (muito mandioca) e uma baita colher de melado. Mexia e me fartava...
hehehe
Nunca passei mal !

E. disse...

Engraçado! Cheguei no seu blog (muito interessante, por sinal) numa pesquisa do google sobre ovos moles e salmonella...
O fato é que fiz uma cirurgia (bariátrica) e estou por uns dias em dieta líquida - cuja coisa, aparentemente mais apetitosa que o médico deixa sáo justamente os ovos quentes!Quando eu pensava em me aventurar, falei com a nutricionista e ela disse que não recomenda por causa do raio da salmonella !!!!!
Puxa, com esse nome podia ser algo que desse no salmão, né?
Ó, divida cruel!!!!

Fabio disse...

Ana.

Seu post sobre os exageros da "moderna" vigilância sanitária, principalmente com realção a maionese, simplesmente "matou a pau
"
Exprimiu tudo o que penso.

E olhe que eu estava justamente procurando uma maionese industrial com um gosto menos horroroso para usar comercialmente.

Acho que não existe, né?

Sei que o post é antigo, mas não resisti.

Parabéns!

Tatoo disse...

Eu acho cômico o cara que não come se ao chegar no restaurante não lavar as mãos. Porra vc vai comer de garfo e faca...

Agora Ana maçaneta de banheiro eu tenho nojo. Sempre guardo o papel com que sequei a mão.

bjos,

Rodrigo

Anônimo disse...

Ana, depois de 5 anos, você continua com a mesma opinião? Se sim, vou fazer minha maionese em paz...

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails