terça-feira, 1 de julho de 2014

Jardineira à francesa, uma carninha de tempero e meu tempo foi pra onde?

A melhor foto que consegui tirar com 11kg de Laura no braço esquerdo e a câmera na mão direita.
Esse panelão colorido é exatamente o tipo de prato que me dava um comichão na minha época vegetariana: o tipo de prato totalmente vegetariano, NÃO FOSSE pelo pedacinho de porco no meio. E um maldito pedacinho que faz uma falta danada, que dá aquela encorpada no gosto do caldo e dos legumes. Em outra época, provavelmente teria omitido o toucinho e pronto. A gordura da manteiga TALVEZ até bastasse. Mas eu jamais faria esse prato em versão vegana, por mais que goste de legumes. Acho que realmente faltaria essa gordura doce da manteiga, que transformou essa batata e essa cenoura nas melhores batatas e cenouras cozidas que já comi na vida.

A receita aparece no livro One Good Dish, de David Tanis, mas até como ele mesmo comenta, já vi em outros livros franceses, em versões mais ou menos parecidas. No prefácio da receita, ele diz que o cozido se basta como refeição. Concordo. Mas não resisti a preparar uma porção de arroz integral para ajudar a absorver esse caldinho maravilhoso.

A receita original pedia alho-poró e nabos, que eu não tinha. Substituí por inhame e rabanetes e ficou delicioso. Aliás, esse é um prato que me parece bem permissivo em termos de substituições.

Mas calma que não abandonei a naturebice que vinha surgindo nos últimos posts. Ando num esquema "almoço vegan" e "jantar whatever". Virou desafio pessoal, sempre buscar uma refeição o mais carregada de legumes possível, e ir vendo: dá pra ser vegan? Dá, não dá. Dá pra ser vegetariano? Dá, não dá. Não sendo vegetariano, opto por esse tipo de prato, abarrotado de legumes, com uma porçãozinha pequena de carne, que na verdade é apenas tempero.

Tenho sentido nos últimos meses que nunca as refeições aqui em casa tiveram tamanha variedade de frutas e legumes. E a cozinha fica absolutamente colorida. :) Dei inclusive uma surtada no supermercado e acabei trazendo um sortimento tão variado de grãos e feijões, que quase não coube na estante da despensa. Quero aproveitar ao máximo enquanto o Matador de Dragões está comendo de tudo, pois sabe-se lá até quando isso dura. :P

No mais, ando com posts atrasadíssimos e trabalhos mais atrasados ainda. Pimpolho de férias, e mamãe freelancer pirando pra descobrir como trabalhar, se basta abrir a porta do meu estúdio para que a criançada entre correndo e comece a meter dedo em tinta com composto venenoso e tentar desenhar em cima das minhas telas. Nein, nein. Não vai rolar.

JARDINEIRA, OU COZIDO DE LEGUMES À FRANCESA
(adaptado do lindo One Good Dish, de David Tanis)
Rendimento: 4 porções como prato único

Ingredientes:

  • 150g toucinho fresco
  • 6 colh. (sopa) manteiga
  • 4 cebolas pequenas, descascadas e cortadas em quartos
  • 1 folha de louro
  • 1 ramo grande de tomilho fresco
  • 500g batatas, descascadas e cortadas em pedaços de mais ou menos 5cm
  • 250g cenouras médias, descascadas e cortadas ao meio
  • sal e pimenta-do-reino moída na hora
  • 2 inhames descascados e cortados em quatro ou seis pedaços, dependendo do tamanho
  • 4 rabanetes cortados ao meio
  • 1 xic. ervilhas congeladas


Preparo:

  1. Corte o toucinho em fatias de 0,5cm de espessura (para ficarem como pecinhas de dominó). Coloque em uma panelinha pequena, cubra com água, leve à fervura branda e cozinhe por 2 minutos. Escorra, descartando a água.
  2. Derreta a manteiga em uma panela grande, em fogo médio e junte a cebola e o toucinho escorrido. Aumente um pouco o fogo e cozinhe, mexendo com uma colher de pau, por cerca de 1 minuto ou 2. 
  3. Junte o louro, tomilho, batatas e cenouras, e misture para recobrir os legumes de tempero. 
  4. Tempere com sal e pimenta, junte 1 xic. água, abaixe o fogo e tampe. Cozinhe por 15 minutos ou até que as batatas estejam praticamente cozidas. 
  5. Retire a tampa, junte o inhame e o rabanete, coloque um pouco mais de sal e tampe novamente. (Se achar que tem pouca água, coloque mais um pouquinho.) Cozinhe por 5-8 minutos, até que os legumes estejam cozidos. 
  6. Junte as ervilhas, misture bem, cozinhe por 1 minuto ou 2 e sirva, quente, com o caldo por cima dos legumes. 




8 comentários:

Patricia Scarpin disse...

Nos meus anos vegetarianos não senti falta de carne, mas morri de saudade de bacon. Amo. E olha que nem de carne de porco eu gosto.

Amo comida colorida assim, melhora até o astral da gente. <3

CRISTIANE LARA disse...

Oi Ana, boa tarde ! As cores estão maravilhosas nesse prato ! Bem carinha de inverno ( e eu amo o inverno !). Imagino a delícia que ficou essa receita. Adoro legumes e grãos e também faço bastante aqui em casa. Não sou fã de carne bovina e de porco, mas faço por causa do marido. Em compensação, amo peixe e frango. ;)
Ana, a propósito, você conhece um iogurte da marca Delicari (por sinal uma delícia)? Lembrei de você pois eles usam o leite Leitíssimo e o iogurte é sem corantes e conservantes. Eu fui na loja do Shopping Pátio Higienópolis que é uma graça e os iogurtes e sorvetes( ahh... fazem sorvetes também !)são tudo de bom. O iogurte de Baunilha da Polinésia (baunilha trazida da Ilha de Tonga)é uma maravilha ! Acho que você vai adorar ! Um abraço

Mariana disse...

Ana, sabes porque é necessário cozinhar o toucinho em água a ser descartada? Fiquei curiosa para entender..

Gilda disse...

Eu estava na mesma dúvida da Mariana e lembrei que minha tia faz isto com a costela bovina para tirar o cheiro forte. Será? Mas quero perguntar mesmo é se você usou toucinho fresco ou defumado. Ficou lindo e eu certamente vou fazer assim que trouxer meus legumes da feira de sábado. Suas receitas e casos estão cada vez melhores.

Junji Takeda disse...

Fiz essa sopa assim que você postou a receita! Devo dizer que ficou muito gostosa, mas acho que aqui no Japão eu não ferveria o bacon antes... Esqueci que aqui, o bacon é mais magro (às vezes nem soltar gordura solta) e bem mais suave do que em outros locais do mundo :)

Mas mesmo assim curti bastante! É uma receita para se repetir, hehe.

Abraços,

Junji

Anônimo disse...

Oi Ana, amei suas canecas, estou querendo comprar aquela que tem o vampiros favoritos, gostaria de saber quais vampiros são aqueles. eu acho que identifiquei o Lestat de Anne Rice, Drácula de Bram Stoker, o Drácula de Bela Lugosi e Nosferatu, mas não reconheci os outros dois, será que vc pode me dizer quem são? Desde já agradeço a atenção.
P.s.: Desculpe estar usando este espaço culinário para fazer uma pergunta sobre a loja, mas não encontrei um lugar na loja. Abraços.

Ana Elisa Granziera disse...

Oi, Anônimo!
Vou verificar isso do canal de comunicação da loja. Mas os vampiros são Lestat, Drácula (do filme com o Gary Oldman), Drácula (com Bela Lugosi), Nosferatu,Miriam Blaylock (com a Catherine Deneuve, no The Hunger), e Eric Northman (Alexander Skarsgard, no True Blood).
:)

Abraços!

Ana Elisa Granziera disse...

Mariana e Gilda,
eu usei toucinho fresco, que comprei congelado, porque a receita original pedia "bacon" e não "smoked bacon". Fiz conforme a receita e também estranhei cozinhar primeiro, mas me lembrei de um texto da Julie Powell em que ela estranhava a Julia Child pedindo para fazer o mesmo: cozinhar o bacon antes. Então simplesmente fiz. Mas depois vou pesquisar a respeito.

bjs

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails