sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Escondidinho de frango e mandioquinha e o relaxômetro

Os comentários do post anterior com certeza me encheram de alegria. É sempre bom saber da experiência de quem foi mais ou menos pelo caminho que tento trilhar  e que tem boas histórias para contar.

No mais, o "relaxômetro" anda atingindo níveis jamais vistos nessa casa nos últimos anos. Tanto, que até o pseudo-vegetarianismo anda mais "pseudo" que o normal.

Desde a gravidez da Madame Bochechas que ando encafifada com carnes, e tenho voltado a comer algumas, e com certeza tido vontade de preparar outras. No fim das contas, acho que todo mundo deveria ter uma fasesinha vegetariana na vida, por menor que seja. Mesmo que volte em definitivo a comer carne, esses últimos dez anos tornaram minha alimentação extremamente variada, leve e interessante, e certamente aprendi a cozinhar legumes direito. Mesmo que nunca mais volte a me auto-intitular "vegetariana", nunca mais conseguirei voltar ao hábito do bife no prato todo dia. Carne vira aquela coisa especial de vez em quando, ou apenas um ingrediente usado como tempero, para ressaltar o legume (caso do bacon, por exemplo).

Estranho que seja, mas uma das coisas que mais me deu vontade de voltar a comer carne foi assistir a programas de culinária em que a pessoa cria o bicho, mata ela mesma, limpa e aproveita cada pedacinho, do nariz ao rabo. Admiro isso. É o mínimo que se pode fazer, uma vez que você matou o animal: não desperdiçar absolutamente nada dele. Algumas preparações começaram a me apetecer muito, principalmente o aproveitamento das sobras, transformando em novos pratos, coisa que adoro fazer na minha cozinha com legumes e o que for. Sinto-me extremamente competente e me encho de satisfação quando consigo transformar um resto de ontem em algo mais saboroso que o prato original, sem desperdiçar coisa nenhuma.

Daí que pela primeira vez na vida, preparei um "escondidinho". Havia purê de mandioquinha do dia anterior, e um pote congelado de frango desfiado catado do frango assado que preparara há algumas semanas, e vi aquela oportunidade de um almoço gostoso para mim e para as crianças, aproveitando itens já prontos e que eu não queria simplesmente requentar.

Numa frigideira grande, refoguei em um naco de manteiga e um fio de azeite uma cebola picada, 2 dentes de alho picados, 1 cenoura pequena picada e 1 talo bem pequenininho de salsão, com as folhas também picadinhas. Quando tudo amoleceu e começou a dourar, juntei cerca de 2 xícaras de frango desfiado já descongelado, misturei, deixando cozinhar um pouco, acrescentei 2 tomates picados, um punhado de salsinha picadinha, sal e pimenta-do-reino. Deixei cozinhar um minutinho ou dois e juntei meia xícara de água. Deixei ferver, e reduzir, mexendo de vez em quando para não queimar, até que quase não houvesse nenhum líquido na panela. Provei. Faltava acidez, então acrescentei uma colher de sopa de vinagre de vinho tinto, misturei bem deixando evaporar, e transferi a mistura para uma travessa untada com azeite. Cobri com o purê de mandioquinha (cerca de 3 xic.) misturado a um pouco de creme de leite fresco até ficar com consistência boa para espalhar, um punhado de parmesão ralado, sal e pimenta-do-reino. Levei ao forno a 180ºC até dourar.

Ficou muito muito bom. Laura adorou. Thomas comeu só o purê. Marido nem soube da existência do escondidinho, uma vez que ele não come frango. Ficou bem escondido mesmo. ;) (Piada infame.)

Provavelmente aparecerão mais coisinhas carnívoras por aqui de vez em quando. Principalmente assados, coisa que sempre quis fazer. Um dado curioso, no entanto, é que de todas as carnes que provei depois de tanto tempo pseudo-vegetariana, de fato carne de boi é a que me nos gosto. Aliás, não gosto mesmo. Comi num hambúrguer e achei esquisitíssima. Engraçado perceber como eu comia dela por puro hábito quando nova. Gosto de aves. Adorei pato, que provei no meu aniversário do ano passado, pela primeira vez. Mas porco... ah, porco é a razão pela qual acho que nunca consegui ser totalmente vegetariana.

Aos vegetarianos que me leem, não se desesperem: continuo me sentindo melhor comendo uma dieta vegetariana em 90% das refeições. Carne é gostosa mas me pesa um bocado. E quero os pimpolhos com certeza crescendo sabendo que legumes bastam e que o bichinho no prato é ocasião especial.

Mas apesar de não gostar de carne bovina, tem uma coisa que eu simplesmente preciso fazer só pela técnica, e que provavelmente vou experimentar e chamar amigos carnívoros para raspar a panela por mim (já tenho gente na fila, aliás): boeuf bourguignon. Vá, vocês me entendem. Depois de tanto alarde a respeito nos últimos anos desde o fenômeno Julie & Julia, acho que só os vegetarianos mesmo é que não tentaram isso em casa. ;)

[Obs: juro que este ano vou tentar voltar a escrever mais por aqui, que sei que os últimos anos esse blog ficou às moscas.]
[Obs2: o mais engraçado de voltar a comer carne é a felicidade incontida dos seus amigos carnívoros quando você conta isso a eles.]


21 comentários:

Letícia disse...

Que legal! Fui mega-pseudo-vegetariana por 10 meses na minha adolescência!!! Foi um período legal... descobri que não precisava ter carne sempre no prato pra comida ficar gostosa... e o melhor foi q aprendi a amar abobrinha, berinjela e tds esses legumes que eu rejeitava!

Hoje eu tb não sou mega fã de carne de boi, sempre dou preferência a peixe ou frango, nessa ordem.

carol vannier disse...

Oi Ana!

acho que essa felicidade dos amigos também vai se estender a mim! =)
Eu concordo com você que carne é pra ser um enfeite de vez em quando, e que seria muito melhor para a saúde e até para a reverter as mudanças na indústria da carne, se as pessoas se empanturrassem menos de carne.

Por conta do seu blog, passei a fazer várias refeições vegetarianas, antes impensáveis devido à minha criação ultra carnívora. Mas sei que tem coisas que nunca vou conseguir abandonar, como bacon hehe. Por isso, vai ser legal ver suas experiências no lado carnívoro!

bjs.

Tertúlia da Susy disse...

Sabe tão bem!
Bom fim de semana
Bjs, Susana
Nota: Ver os passatempos a decorrer no meu blog:
http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2014/01/tronco-de-ano-novo-trunk-of-new-year.html
https://www.facebook.com/Tertuliadasusy

valeria rezende disse...

Olá Ana. Seu escondidinho me deu água na boca. Sou carnívora, mas como já disse, venho aqui mais pela conversa, então não me importo se o prato é vegetariano ou não;mas fico muito feliz com a sua decisão de publicar mais posts. É sempre um prazer ler o que vc escreve.
Abraços!

Dayanne Guerra disse...

Ana, entendo bem o que vc está falando, eu fiquei 6 anos sem comer carne. Tudo numa boa, mas de repente senti muita vontade de comer os pratos árabes de que tanto gostava... e ai me permiti ir voltando aos pouquinhos.E com certeza a carne bovina é a mais forte e até hoje quase um ano depois de ter voltado a comer carne , tem dia que ainda não desce. Mas não voltei como antes, carne não é o mais importante, mesmo. E ao longo deste tempo com o apoio do seu blog, consegui (pelo menos em casa) melhorar muito nossa alimentação, a preparação da comida é feita sem o uso de recursos artificiais e etc... Ainda não consegui tudo, mas ainda chego lá! :)

Edu Piloni disse...

Eh... eu nunca fui vegetariano, mas também não como mais carne como todo o resto da minha família. Nunca achei que precisamos de carne - tanto, sempre e em tudo! Mas confesso, que os curados e enchidos artesanais são difíceis de negar... prociutto crudo, chorizo, mortadela di bologna con pistaccios, finochionna... ai ai ai.

De qualquer maneira, estou certo que teremos de melhorar se quisermos ainda habitar este planeta. Não existe sustentabilidade se toda a base alimentar for animal. :)

E o pior... quando quero fazer algo diferente, me vejo às rascas pra encontrar carnes que sejam de animais criados e alimentados humanamente, sem contar o preço que custam no Brasil!

Sil disse...

Olá Ana!
Que bom, adorei que vc está postando com mais frequência, gosto muito de conferir as novidades por aqui!
Gostaria de te agradecer por algumas mudanças culinárias aqui em casa. Inspirada pelos seus posts, comprei uma sorveteira no meio do ano passado e, desde então, sorvete industrializado nunca mais entrou aqui na minha casa!
Quanto à carne, também diminuí (muito) o seu consumo, mas de vez em quando me rendo a um bom churrasco com os amigos. E sem culpa, depois compenso com saladas, legumes e comidinhas saudáveis! Relaxômetro ligado, e funcionando muito bem!!!
Bjs

Adriana disse...

Adoro escondidinho...prato que aqui sempre vai bem... aqui em casa não somos vegetarianos, mas passamos muito bem sem carne, obrigada! Meus filhos só comem carne de for de churrasco e ainda assim... duas tirinhas bem passada e muito queijo e milho, uma coisa gozada aliás... os pimpolhos da maioria das minhas amigas são avessos à bifão no prato. Usamos muito bacon, caldo de carne, pedacinhos de presunto e a sagrada mortadela... mas o bifão, dispenso. Ah, e já fizemos o prato da Julia.. já experimentei e pronto =D

Anônimo disse...

Olá Ana!

Lendo este teu texto, penso que vc também gostaria de um livro que eu simplesmente amei; em português o título que colocaram foi "O mundo é o que você come" e a autora é Barbara Kingsolver; talvez vc já o tenha lido, mas se ainda não o fez, acho que vale muito a pena; é claro que é a experiência de alguém que vive no hemisfério norte, com um clima bem mais complicado que o nosso, mas a leitura desse livro me abriu os olhos para uma série de questões que eu sequer pensava a respeito antes. Espero que goste.
abraços

Anita

Patricia Luck disse...

Ah, carne de porco...eu te amo!

Mari Villanueva disse...

Ana,
eu leio o seu blog ha muito tempo ,amo suas histórias e me identifico muito com você, graças aos seus toques sobre os malefícios de certos produtos industrializados eu mudei alguns hábitos que estavam enraizados e levo uma vida muito menos industrializada! hahaha

Eu tenho um blog e acabei de publicar uma receita de gelato, que é algo de outro mundo e como eu sei que você e principalmente o Allex adoram sorvete em geral (apesar da diferença entre gelato e sorvete) , resolvi compartilhar com vc a receita, por favor faça é muito bom, e se dps vc quiser me falar o que achou eu ia adorar!O link é: http://entrevestidosechocolates.blogspot.com.br/2014/01/receita-do-dia-gelato-de-chocolate-belga.html

Obs: confesso que como vegetariana eu fiquei chateada com a sua desistência, mas como eu detesto que me julguem pela minha escolha alimentar eu respeito sua opção :)

beijos

Luciana disse...

Oi Ana, que noticia surpreendente! Queria te dizer que vc tem me ajudado mto com seus posts a percorrer um caminho mais próximo dos vegetais, mais natural, tirando a carne do pedestal de vedete da refeições. Hj aqui em casa um risotto de legumes, uma sopa de abóbora com gengibre, uma quinoa com folhas refogadas tem tanto valor de prato principal qto a carne, que tem aparecido menos. Obrigada por isso! Por outro lado, confesso que estou curiosa para ver mais receitas suas de carne :) Sinto que para alguém como vc comer carne, deve ser algo que realmente valha a pena, né? No mais, no meio de um longo percurso de reeducação alimentar, vejo que o equilíbrio é a resposta para tudo! Bjs

Fernanda Amarante disse...

A espera por cada texto seu vale a pena, querida. Não se mate! Pato é incrível, rã e javali também. Beijos!

Marcia disse...

Olá Ana,
Fui pseudo-vegetariana por dois anos, láááá nos meus 20 e poucos anos... foi um ótimo período, mas voltei a ser carnívora, embora em baixa "escala"... Aqui em casa, comemos mais carne branca e bife é raridade... churrascos? só no franguinho :-), cebolas e bananas.
Adoro seus posts e já fiz algumas de suas receitas... e também quero fazer Boeuf Bourguignon, desde que assisti ao filme.Uma hora "encaro" :-)

Demais, acho que temos que pensar na saúde e consumir mais vegetais crus... isso é difícil quando as crianças chegam a uma certa idade... lá pelos 7, 8 eles dão mais trabalho... e voltam a comer bem lá pelos 10.

Abraços!

Cynthia Nogueira disse...

Engraçado Ana, há alguns meses eu vinha sentindo um desejo incontrolável de comer ossobuco.Todo mundo estranhou já que não como carne há algum tempo, mas nunca me considerei vegetariana até porque como peixe e frutos do mar.
Só sosseguei quando comi o tal ossobuco com polenta.
Nossa, foi um deleite!
Porém frango, não desce!
Mas como você disse, deixar de comer carne diariamente me fez muito bem e aprendi a fazer legumes de modo não fossem só refogados em óleo ou como sopa.

Laís de Gênova Claudino disse...

Ana, sempre acompanho seu blog e AMO suas receitas. Não como carne há desde os 14, ou sej, há quase 10 anos. Não sou vegetariana pq como peixe e frutos do mar, só desisti da carne mesmo.
Meus pais são SUPER carnívoros e sempre reclamam quando invento algo sem carne.
Achei boa a sua ideia e me inspirei: como não como o frango, fiz um escondidinho de Salmão e mandioquinha.
Ficou uma delicia e até meus pais amaram hehehehe

Bjsss!!
Laís

Anônimo disse...

Ana você é minha inspiração na cozinha.
Obrigada por compartilhar tua vida e tuas delícias.
Morando num pais onde enlatados e fast food predomina,nada como me sentir normal em preparar a refeição de minha família em casa.
Tenho assim inspirado outras amigas a fazerem o mesmo.
Que Jesus abençoe você e tua família.
Bj
Maria Victoria

Patrícia disse...

Ana Elisa, seu estilo de vida me dá uma imensa nostalgia. Ler seu blog me faz pensar em como seria minha vida se eu pudesse cozinhar todos os dias, preparando com carinho as refeições da minha família. Como atualmente minha rotina de trabalho e de vida não me permite cozinhar (chego a me sentir culpada se demoro mais de meia hora pra incrementar alguma refeição pré pronta), vou me refrescando com suas postagens, imaginando que algum dia conseguirei me organizar para cuidar da minha cozinha como você cuida da sua...! Um grande beijo!

Luciana disse...

Ana,
Eu tô fazendo o caminho inverso pois sempre fui muuuuuito carnívora e quase não comia legumes. Hoje aprendi receitas saborosas com legumes, verduras e frutas e estou comendo menos carne e preferindo carnes brancas e peixes. Também não vou conseguir se vegetariana, mas não preciso de tanta carne e me alimento melhor por explorar o fantástico mundo dos vegetais. Adoro sua cozinha! Um abraço.

Livia Luzete disse...

boeuf bourguignon ? Estás perdoada!

brincadeira à parte, relaxa,continue sendo feliz!

Karin disse...

Ai, Ana… Carne de porco. Nham nham. Minha preferida também.

Faço sempre assados de carne de porco. Um mais fácil que o outro, algumas horas de forno e várias camadas de sabor.

Se quiser sugestões, me escreva. Meu email você tem ;)

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails