sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Salada quente de lentilhas, queijo feta, rabanetes e suas folhas

A perspectiva das mudanças por vir (físicas, emocionais, de rotina, de hábitos, de casa, talvez...) me trazem ao mesmo tempo prazer e ansiedade. Meu eu-metódico fica apavorado com a possibilidade de ter de mudar o horário do treino de corrida, por exemplo, ao mesmo tempo em que meu outro eu, o com bom senso, explica que a vida é assim mesmo, e que eu vou precisar me adaptar.

Enquanto isso, para não surtar muito, para não me ver planejando uma agenda virtual do futuro baseada em variáveis imprevisíveis, atenho-me ao prazer de saber que teremos um rapazote saudável, quiçá inteligente, e bonito não dói, então, por que não bonito também?! Grandes esperanças de que puxe o cabelo do pai, que é lisinho e sem mistério, porque se o moleque inventar de usar chapinha, vai apanhar de chapinha quente. ;) Emo não!

Para trazer o conforto daquilo que não muda, ontem preparei lentilhas do meu jeito. Não importa quantas receitas teste, volto sempre para essa, a melhor, mais saborosa, favorita de todos os tempos. Para duas pessoas, refoguei meia cebola média em uma colher de manteiga, até amaciar. Juntei alguns raminhos de tomilho, uma folha de louro e 1/2 xic. de lentilhas verdes e 1 xic. de água. Deixei levantar fervura e então cozinhei semitampado, em fogo baixo, por cerca de 20 minutos. O importante é o ponto da lentilha, que deve estar macia, mas ainda mantendo sua forma. Se já estiver pronta e ainda restar líquido na panela, é só escorrer. Se a água estiver quase no fim e elas ainda estiverem duras, junte mais água quente. Quando estão prontas, tempero com sal e pimenta-do-reino moída na hora, a gosto, um fio generoso de azeite, uma colherinha de vinagre (tinto, branco, tanto faz), 1/2 colh. (sopa) de mostarda de Dijon e um belo punhado de salsinha e cebolinha picados. Tãaao bom...

E para mudar um pouquinho, misturei as lentilhas a rabanetes pequenos fatiados, queijo feta esmigalhado e um maço de folhas de rabanete picadas grosseiramente e refogadas em alho e azeite. Caso seus rabanetes venham sem as folhas, ou elas estejam muito amarelas e murchas, substitua por folhas de nabo, espinafre, ou mesmo folhas de mostarda, que são uma delícia.

15 comentários:

Luiza disse...

Adorei!!! Todo dia entro ansiosa para ver mais uma receita!!! Fiz a salada de abacate com milho organico essa semana e realmente ficou uma delicia!!! Uma outra boa combinaçao para refrescar é manga picada com ricota esfarelada, alface picada e um pouco de espinafre fressco picado! Fica deliciosa! Beijos e parabens pelo blog!

Dadi disse...

Ah!então vcs terão um rapaz!Muito mais fácil!Não tem tpm!
E a ansiedade:bem, não dá mesmo prá mudar o que será inevitável.
a não ser que vc delegue a maternidade!(ah, isso tá na moda agora...)Mas são fases, vou te ensinar logo o mantra das mães:"vai passar,vai passar,vai passar..."e passa, rápido,prácaramba!
Lentilha (gostamos de fazer com arroz) é o prato preferido aqui em casa,Isa de 5a, come desde os 7 meses,Lipe de 9 meses, só gosta mesmo de peito e banana, mas caiu de boca na quinoa com rã hoje!

Marina Reis disse...

Oi Ana Elisa,
nas minhas andanças online acabei me deparando com um site muito bacana e (acredite!) lembrei-me de vc, já que é ilustradora e tem tb esse food blog.
Vc provavelmente já o conhece: http://www.theydrawandcook.com/
se não, espero que goste!

beijos,
Marina

Dricka disse...

É menino, Ana?

dcportiz disse...

Vai ser menino? Que fofo!! Se bem que menina também seria guchuquinha! Eu moro pertinho de Paris, em Orleans, e por aqui já estamos na época das sopas. Ontem fiz a sua receita de sopa de couve de bruxelas (fresquinhas direto do produtor e BIO). Muuiittoo bbbooommm!! Vai bem também uma receitinha de salada quente. Afinal já estamos emplacando 8 graus por aqui.
PS: Meus 3 blogs adorados: la cucinetta, Technicolor Kitchen e Trem Bom.
Beijos e parabéns

Daniella

Simone Arrais disse...

Oi Ana, esta salada parece realmente deliciosa... nunca experimentei folhas de rabanete, veja só! Devido ao meu processo de reeducação alimentar, fiz seu bolo de fubá com a farinhas de trigo integral média e ficou muito bom! Beijo para você e para seu garotão! Como tenho dois cuequinhas em casa, sei o quanto é bom.

Beta, a mãe disse...

Você não faz idéia de como a sua vida vai mudar! Muda demais, e você vai se adaptar à força mesmo. Eu virei uma pessoa 1000 vezes melhor depois que minha filha nasceu e continuo mudando. Sabe que com crianças a regra é que não tem regra. E constante é uma palavra que vai sair do seu vocabulário pra sempre. Adorei a idéia da salada e calhou de eu ter comprado essa lentilha, gostei da idéia e vou fazer. Beijos, passa lá no meu blog. betabiaeleo.blogspot.com

Clau disse...

Olá Ana...

Parabéns pela gravidez... eu tb tenho um bebê de 9 meses, o Pedro...
Eu sempre passava por aqui (antes do Pedro nascer) vc até me deu dicas sobre os dois tipos de fermentos... agora o tempo é curto e dificilmente entro na net, mas fiquei muito feliz com a notícia que vai ser mamãe...
É um momento único na vida de uma mulher, curta bastante...

1 Beijão

Clau

Mamae da Zara disse...

Ola!

Acabei de achar seu blog e estou adorando!
Sou brasileira casada com um britanico, moramos na Irlanda do Norte.
Adorei ver receitas daqui no seu blog, sou apaixonada por banoffee pie e soda bread. :) Soda Bread com sunny side up egg eh a solucao para qualquer manha de chuva! :)
Tambem sou libriana e tambem estou gravida!
Parabens pelo blog!
Vou continuar acompanhando!
Um beijinho,

Marina

Denise Cardoso disse...

É um meninão????
Ebaaaaaaaaaaa....
Estou imaginando a felicidade do Papi!
Menina,tuas saladas me deixam sempre pensando o que comprar na proxima feira!
Por sinal estou indo agorinha e vou ver se acho rabanetes com folhas.
Um beijo e bom feriado
Denise

Patricia Scarpin disse...

Ana, fiz uma saladinha parecida no Ano Novo, ficou uma delícia - vou experimentar essa versão com rabanete, hum!

Ontem rolaram uns papos sobre bebês em casa, pensei tanto em ti.

xx

Anônimo disse...

Ana,
Duvidinha:só tenho aqui em Recife lentilhas de pacote, não frescas...será que fica bom?
Agradeço...

Ana E.G. Granziera disse...

Anônimo,
lentilhas "verdes" se referem ao tipo, e não ao frescor. São também chamadas de lentilhas de Puy, são lentilhas francesas que não se desmancham no cozimento. Mas são de pacotinho.

bjs

Helena Jacob disse...

Oi, Ana. Há tempos acompanho seu blog e gosto muito, adoro cozinhar e já me inspirei em várias receitas - gosto tanto de cozinhar que estudo gastronomia e comunicação no meu doutorado. Mas tenho me divertido mais ainda com seus tweets, como o de ontem, quando a vendedora ficou indignada porque vc ainda não tinha "se preocupado" com o bebê. Olha, então somos duas desnaturadas. Estou grávida de quase 19 semanas e pra não dizer que não comprei nada, comprei um body... Apenas não deu um download automático de amor eterno pelo bebê, tudo vai se construindo aos poucos. E também estou morrendo de ansiedade com as mudanças. Pior, ainda não sei o sexo! Pra uma taurina, tudo isso dói. Bem, se quiser conversar mais sobre as aventuras de mãe de primeira viagem que odeia fórmulas prontas de maternidade, pode contar comigo. Já devemos ter nos esbarrado no Santa Luzia várias vezes, moro perto e vivo indo lá. Bjs

Lara Werner disse...

Oi Ana

Experimente germinar as lentilhas - que podem ser utilizadas e ficam encantadoras com o rabinho da raiz e o primeiro broto já formados. Cozinham muito mais rápido - uns 5 minutos, são praticamente salteadas. Com o processo de germinação tornam-se muito mais nutritivas, e por ficarem tenras, caso não deseje consumi-las cruas, cozinham rapidamente (gasta pouco gás, quer coisa mais eco?). Quando germinadas e salteadas ganham ainda um sabor adocicado muito delicado, como o de mini milhos ou grãos de milho verde muito novos, por conta da glicose ativada no processo celular.

E parabéns pelo rebento, que com certeza te fará entender tratar-se de um substantivo nada abstrato. São adoráveis! Sabe, que desconfiei estar grávida quando, ao ir certa vez ao mercado para uma compra rápida, "desliguei" e fiquei horas dando voltas nos corredores, batendo o maior papo com o além, coisas do tipo "depois que você nascer, vai gostar de comer o que? ah, eu vou preparar isso e isso e isso, você vai ver que delícia". Ou estava louca, ou grávida (que é tudo muito parecido). A loucura nasceu de parto natural, mamou muito, está com 5 anos, e só fez aumentar meu talento para a bagunça... Outro fato interessante foi a redescoberta de um sabor: durante muito, muito tempo rondava em meu inconsciente gustativo um sabor adocicado e lácteo, muito peculiar (quando eu via o pacman comendo as bolinhas brancas, este sabor me vinha a memória, e eu não sabia o que era). Então certa vez, ouvindo a bebê chorar, anunciando a hora da janta, sinto o peito encher e contrair, olho por dentro da blusa e as gotas translucidas brotando dos mamilos como pérolas, um aroma muito perfumado, coloco a palma da mão amparando o líquido escorrido do meu corpo pela compaixão da fome alheia, todo perfumado, floral, levo-o à boca... era leite materno. A vida toda lembrava do gosto daquilo, sem saber exatamente o quê visto que nunca encontrava nada parecido. Fiquei muito emocionada. Valeu a pena todo o esforço e briga com sogra e com pai e com a campanha de leite NAN e com quem mais fosse para garantir um direito básico, que é a alimentação adequada dos primeiros meses de vida.

Acentuou o sentimento extraterrestre anticonsumo, que já era aguçado, a preocupação por todas as questões ambientais, o mundo que a maternidade/paternidade inaugura tem essa força das coisas feitas a mão, com carinho, cuidado e atenção, que dá significado a todos os símbolos. Parabéns, curta muito, muito mesmo - 40 semanas voam, e deixam uma saudade imensa...

Com carinho

Lara

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails