quarta-feira, 22 de outubro de 2008

E o salário, ó!

Nos últimos meses tenho notado muitos blogs estrangeiros reclamando sobre o aumento nos preços da comida. Um deles chegara a comentar que estava pagando o dobro em um quilo de farinha em relação a um ano atrás. Até há pouco tempo, eu achava que essa alta não estava afetando tanto meu orçamento doméstico, até resolver comparar meus gastos com alimentação de hoje com os de 1, 2 e 3 anos atrás.

Meu
Deus
Do
Céu.

Quando meu marido e eu juntamos os trapos, tínhamos um orçamento X para supermercado, que nossos amigos ávidos consumidores de comida industrializada e conveniente achavam que era muito. Durante meses e meses (e depois, anos e anos), tentei diminuir essa cota. Mas parecia que quanto mais eu tentava economizar, mais gastava. E me sentia uma incompetente. Para amenizar minha culpa pós supermercado, comecei a dividir o valor mensal gasto pelo número de refeições feitas em casa, o que sempre me dava uma boa média por pessoa. Parecia muito barato almoçar por aquele valor, principalmente comparado ao vale-refeição dos meus amigos. Mas continuava incomodada. Tentei mudar de supermercado. Tentei comprar no atacado (grande ilusão). Tentei a feira. Tentei a cesta orgânica. E continuo gastando mais do que gostaria.

O pior é me ver parafraseando nossos pais e nossos avós: "supermercado está cada vez mais caro, mas meu salário não aumentou um centavo". Ok, hora de apertar o cinto um pouco. Senão não há santo que consiga economizar. Afinal, a prioridade é uma casinha com um quintal, onde eu possa plantar meus tomates e, assim, economizar no mercado... ; )

Certo, então qual é nossa primeira reação ao apertar o cinto? Parar de escolher tanto e comprar o mais barato. Até aí, ok. Mas como fazer isso mantendo a qualidade da sua alimentação?

Houve uma época em que se escolhia comer alimentos mais próximos de seu estado natural. Por uma vida mais saudável? Não, por um menor preço. Ainda na minha não muito distante infância, lembro-me de que era muito mais caro comprar uma refeição congelada do que os ingredientes para o preparo da mesma. Hoje, tudo mudou. Com as indústrias usando ingredientes de qualidade cada vez mais duvidosa, é possível tornar uma lata de molho de tomates mais barata que os tomates em si. Ou é isso o que parece.

Alguns cálculos eu mesma já fiz: pelo menos onde moro, sai muito mais em conta fazer meu próprio pão do que comprar um pão de mesma qualidade em alguma padaria. Mesmo usando farinhas mais caras. Sorvete, idem. Um litro de sorvete de morango feito com creme de leite fresco, morangos e açúcar orgânicos custa o mesmo ou menos que a mesma quantidade do sorvete N ou K, cheios de porcarias e que não contém morangos de verdade. Você consegue um iogurte absolutamente natural, delicioso e com um teor de gordura bem maior que os do mercado, pelo preço de 1 litro de leite premium de sua marca favorita, que é bem mais barato que 1 litro de iogurte integral, que eu, por aqui, só encontro já adoçado.

Estou aqui quebrando minha cabeça tentanto montar uma lista de compras mais barata, mas ainda deliciosa, saudável e de qualidade. Porque, ao meu ver, existem boas economias e existem economias burras. Economizar na qualidade da sua comida é pedir para ter gastos médicos no futuro.

Onde vou cortar gastos? Trocando o chocolate belga pelo chocolate tipo cobertura com gordura hidrogenada? De jeito nenhum. Trocando açúcar orgânico pelo refinado? Nem morta. Café porcaria? Não me faça rir. Queijos? Ok, queijos mais baratos pode ser. Chega dos queijos de cabra tchanchantrans e do Grana Padano, a não ser que seja comprado no mercadão, que é mais barato. Frutas e vegetais? Ok, nada de comprar aquele brócolis orgânico italiano minúsculo e carésimo só porque você gosta do gosto. Nada de frutas importadas também, só porque me deu vontade de comer amoras em junho. Está bem, está bem, tchauzinho para o grão-de-bico em lata, super prático para duas pessoas; oláaaa, planejamento e post-it cor-de-rosa que me lembrará de deixar o grão-de-bico de molho da noite anterior.

Será que só isso ajuda, ou estou me iludindo? Será que consumo exatamente a mesma coisa que há 3 anos atrás, só que a preços exorbitantes hoje?

Pessoas que fazem supermercado e também estão passadas com o preço das coisas, me acudam: até onde vocês iriam para economizar com comida? E o que vocês não deixariam de comprar de jeito nenhum? Vocês acham que estão gastando um absurdo ou são incrivelmente disciplinados ao entrar em um supermercado?

26 comentários:

Mari Azevedo disse...

Ana, aqui estamos passando exatamente pelo mesmo problema que você. Há alguns anos, um gasto que aqui em casa era x, está em 2x, e as vezes, 3x... absurdo!
Este fim de semana conversei com meu marido, e tentaremos o seguinte: comprar carnes, especiarias e essas coisinhas importadas e tals no Mercadão, e frutas e verduras no CEAGESP. Não sei se vai resolver, pois novembro será nossa primeira tentativa... de repente, vai valer a pena acordar as 6h da manhã para estar lá as 7h, em pleno sabadão!
Caso ajude, eu te conto!
Bjãoooo!!!

Carol/SP disse...

Nossa, fazer economia é duro mesmo! Eu faço o mesmo que você faz. Corto frutas fora de estação.. Outras, puro luxo... 250 g de blueberries por mais de 20? Nem morta. Mais de 60 o kg do queijo feta? Preciso arrumar outro queijo. Orgânicos com preço absurdo? Ficam de lado (li um livro sobre alimentação saudável falando que melhor é orgânico, mas que se não for também está longe de ser o fim do mundo). Vou adaptando receitas com ingredientes mais baratos e pesquisar marcas e supermercados sempre é bom. Comprei uma granola de frutas de uma marca light de um supermercado que tava muito boa, quase metade do preço e melhor até que umas marcas famosas. :-)
Bjim...

Viviane Peçanha disse...

Aqui em casa acontece a mesma coisa. São apenas duas pessoas e todo mundo acha que a gente gasta uma fortuna, mas percebi que não é apenas isso. as coisas estão sim ficando mais cara e temos que apertar os cintos. Aqui em casa só não pode faltar picanha, cerveja, vinho e danoninho, rsrsrsrs. Bjs.

caosnacozinha disse...

Eu acho que estou a gastar um absurdo. A conta do supermercado é enorme. Mas eu realmente economizo alguma coisa fazendo as compras de frutas e legumes na feira. E comprando local em vez de importado. É mais ecológico e mais barato, comprar o que é local e da época do que o que é importado e/ou fora dela.
De resto não corto muito. Carnes comem-se pouco cá em casa, mas as que se comem são de qualidade. Não compro ovos baratos de galinhas de gaiolas, prefiro comer menos mas comprar caseiros ou, mais caros, os de supermercado mas de galinhas ao ar livre.
Sinceramente não sei onde cortar. Sei que tem aumentado cada vez mais. Mas cá em casa já não entram refeições pré-prontas nem produtos muito processados. É tudo o mais fresco possível, o mais natural possível. Como cortar? Não sei. Mas é importante pensar nisso.

Beijo *
Mariana

Dani disse...

Está assustador mesmo, hoje em dia vai-se ao mercado e qualquer comprinha básica dos itens de última hora bate perto dos $100, socorro!

Aqui em casa usamos a tática dos tabloides dos mercados próximos, é mais trabalhoso, mas assim garantimos as ofertas, e quando essas são congeláveis apelamos para o estoque no freezer.

E também vamos primeiro ao mercado que eu chamo de "compacto" sabe esses novos nomes que são o braço das grandes redes? pois é, tenho conseguido bons preços nas marcas próprias.

Fazemos isso para poder gastar um pouco mais em outros luxos também comestíveis tipo "bacalhau" que nunca pode faltar em uma casa portuguesa. Outros mimos um pouco mais caros apelamos para a Região da Rua Santa Rosa que garante um preço melhor que o Mercadão.

A máquina de pão aqui em casa deixamos somente para o fds, assim tb a conta de luz não assusta como foi no começo de noss empolgação...rs

Bjs

laila disse...

ana oq percebo é q muitas vezes esquecemos de fazer a conversão do dinheiro, não percebemos q ele perde valor com o tempo...provavelmente se aplicarmos as taxas selic dos anos q estamos comaparndo a diferença nao sera tao absurda, duro é q nao aumentam os salarios na msm proporção...

enfim...há q matutar!!bjs

DRICKA disse...

É Ana lamento informar não é vc que é perdularia, o preço dos alimentos aqui no Brasil está subindo assustadoramente, faz algum tempo que isso vem me incomodando,por que por incrivel que pareça pagamos um preço absurdo em supermercado, maior do que em muitos paises europeus e até do que nos EUA, onde sabidamente o poder aquisitivo é infinitamente maior(dá uma fuçada nos supermercados da web desses paises e compare).Agora porque isso acontece, minha amiga, é que tá me deixando com a pulga atras da orelha.O assunto é tão sério pra mim que já me dispus a estuda-lo seriamente.
Eu não sei onde vamos parar.Será que teremos de viver de miojo(ARGHHH) e salsicha enlatada(ARGHHH)

Magia na Cozinha disse...

Aqui nos EUA, desde que começou esta história de guerra do Iraque os preços começaram a aumentar ostensivamente.
Eu tenho que fazer uma ginástica tremenda para gastar o mesmo valor de sempre. Vou de calculadora para o super e perco um tempão fazendo as contas antes de passar no caixa.
Não quero diminuir a qualidade do que comemos, mas estou tentando trocar os produtos por marcas mais baratas.
Em geral, corto os "porcariosídeos" da lista. Procuro fazer sobremesas mais simples e mais baratas, tentando tirar partido dos ingredientes que normalmente tenho em casa.
Qual a diferença entre o açúcar refinado e o orgânico? Eu nunca reparei se tem açúcar orgânico por aqui. Suponho que sim, mas deve ser mais caro.
Temos o "Whole Foods" aqui, que só vende produtos orgânicos, mas infelizmente não podemos nos dar ao luxo de comprar os produtos. É tudo absurdamente caro. Eu não consigo nem entender como a loja está aberta.
Talvez o jeito seja ir testando as opções, anotar tudo e fazer um balanço no final para ver oq ue vale mais a pena, mas sem comprometer a saúde.
Bjs :)

Danielle disse...

Oi Ana...

É... realmente ando vivenciando isso em casa também :( . Mas o pior é que não é somente o preço dos alimentos que está em vertiginosa subida, os produtos de limpeza e afins também estão abusivos... então, pra tentar economizar um pouco (pelo menos nessa parte, já que na alimentação tá difícil de conseguir economizar), a gente está indo em atacados que também vendem no varejo (os chamados Atacarejos) e estamos conseguindo economizar um pouco... às vezes até farinhas, fermentos, leite a gente compra nesses locais por conseguir um preço melhor (sempre das mesmas marcas que já estamos acostumados)... Vamos ver como é que meu orçamento se comportará a partir de agora...

Bjs

Dani

Leandro disse...

Ana, acho que ainda estou longe do ideal.
Mas estou tentando reduzir, cada vez mais, os gastos com comida.
Mudando algumas marcas, deixando de lado a idéia dos orgânicos (aqui está muito caro e uma cesta orgânica é uma quantidade muito grande pra mim), trocando o filé mignon pelo contra filé, a heineken pela itaipava.
Infelizmente, tem que ser assim.

Uma boa ação (até falei sobre isso hoje, lá no CP) é sempre tentar fazer a nossa própria comida. No último fim de semana, fui ao américa com alguns amigos e deixei lá 130 reais, sem a sobremesa.
Não dá.

O meu dissídio este ano não vai chegar nem à 10%. Isso porque será um bom dissídio.
Mas os meus gastos no supermercado superaram fácil os 30%. Aí não dá, né?

Linkei esse seu texto lá, tá? Beijão!

Andreia T. Farias Britez disse...

Lendo seu post percebi que a coisa só muda de endereço! Estou no mesmo dilema com meu marido!! Cotando gastos com mercado e sacolão, usando mais frutas da estação, evitando disperdício... O legal é ir mudando receitas mais eu sou péssima em substituições, não tenho a menor criatividade. às vezes acabo desistindo da receita porque não sei o que usar para substituir... Tô torcendo para vc dar umas dicas bacanas para usar!! Beijão!!

Leonor de Sousa Bastos disse...

Olá!...:)

Enviei um email, mas não percebi se chegou aí, ou não!...
Numa versão muito abreviada: Adorei o seu blog!

...só me resta fazer umas figas, para não ter que escrever tudo de novo!...ups!

Um beijinho!

Vanessa disse...

Olá!! "Descobri" seu blog através do Chocolatria e estou adorando. Já fucei posts mais antigos e fiquei encantada com as receitas.

Sobre a economia é complicado mesmo. Aqui somos 4( eu, marido e dois pipolhos de 3 e 1 aninho) e fazer economia é difícil.

Aqui tb não tenho acesso a produos orgânicos. Mas meu pai( acredite) comprou duas galinhas e colocou no quintal de casa, pros netos não comerem ovo cheio de hormônio....rs

Enfim, acho q as dicas dadas são válidas e que logo vc encontra o equilíbrio aí.

Bjos e até mais.

Leonor de Sousa Bastos disse...

Bem...estive a ler o seu texto e penso que todos passamos pelo mesmo problema!
Eu, desde que saí de casa, também tenho um valor fixo por mês para alimentação, mas quase sempre ultrapasso...então desde que tenho o blog, o dinheiro tem voado num ápice!
Na minha ex-casa, só se compram productos biológicos e mesmo não me dando a esse luxo (sim, porque as coisas bio custam 3 vezes mais), é muito complicado gerir a comida em casa, principalmente quando se quer ter uma alimentação mais variada ou saudável
(recuso-me a comer coisas com demasiados aditivos, recuso os adoçantes, o glutamato ou a gordura hidrogenada).
Sem dúvida que, confeccionar o máximo de coisas em casa torna-se mais económico do que comer fora, mas o problema continua a ser o pouco tempo...quem tem tempo?!...

Beijinho

Anônimo disse...

Olá Ana...

Realmente cada vez as alimentos estão com um preço mais alto...

Bem aqui em casa EU também tenho um valor x para fazer supermercado (eu, pois quando saio do mercado e falo para o marido, nossa como tal alimento está caro... caramba gastei tanto, ele me olha e diz: mas isso é muito ou pouco??) dãaaa!!!!

Apesar de ser ele quem paga todas as contas da casa eu me considero uma pessoa organizada com relação ao $$$$$) e assim como vc Ana, nossa prioridade é uma casa com quintal, pois se for analisar o que gastamos com aluguel+condomínio... minha nossa sem comentários...

Bem mas vamos ao que interessa... eu sou do RS, interiorzão... na casa da minha mãe tem vários alimentos que não preciso comprar ( laranja, uns 4 tipos de bergamota, abacate, caqui, chuchu, pêssego, o próprio para compota como aquele grandão... couve-verde, salsa, cebolinha...)

Hoje por exemplo passei a manhã com ela e comentei sobre o que você escreveu... minha mãe acabara de fazer uns 50 vidros de copota de pêssego, sendo que ela nem experimenta, faz por gostar mesmo e depois distribui entre os filhos e familires... tanto serviço, coitada, mas então ela disse mas eu não quero ver essas frutas indo fora... E eu também sou assim se tenho a certeza que não vou conseguir consumir algum alimento não pego mesmo que ela queira me obrigar a trazer, pois me sinto muito mal em ver aquilo indo para lixeira...

Aqui em casa não pode faltar azeite de oliva extra virgem, vinagre bâlsamico, bombom e chocolate, cerveja Heineken (p/ o marido, pois eu odeio cerveja...) vinho tinto seco... (tenho a mania de usar quase que direto na carne... mas o valor por garrafa é de R$ 10,00 a R$ 15,00...) e azeitona...

Outra coisa que eu compro da mãe de uma amiga que conheci na época de estágio é o queijo colonial... já faz dois anos que compro diretamente dela, é um queijo muito bom e por um preço honesto... uso esse queijo em pizzas... lasanhas e continuo pegando no mercado somente queijos fatiados...

Ovos, a alguns meses o marido perguntou se eu gostava daqueles ovos "DE VERDADE" da gema bem vermelhinha, eu disse que sim e ele começou a comprar direto de um funcionário... Pasmem mas no mercado eu pagava quase R$ 3,00 a dúzia e o menino vendia por R$ 2,00... mas meu maridinho como é um fofo disse para o menino que então pagaria 2,50 por ser um preço mais justo...( e assim todos saímos felizes na história dos ovinhos)...

Mais uma coisa... não somos fã de nada doce para comer no pão, mas minha mãe faz todos os anos a famosa geléia de amora, uma delícia e nunca provei uma tão deliciosa como a dela... mas aqui em casa só comemos com bolo cenoura... geléia eu NUNCA compro... graças ao estoquezinho q tenho em casa...

Em janeiro desse ano resolvi fazer meus próprios pepinos em conserva para ter durante o ano todo, do jeitinho que gostamos, ainda devo ter uns 6 vidros guardados... eu acho que vale muito à pena... sai bem barato e é fácil de fazer...

Faço supermercado uma vez por mês e compro TUDO que vou usar durante o mês e que não estraga, depois durante a semana é só pegar frutas, verduras, frios e carnes... ( na minha opinião vale muito a pena fazer assim, apesar de achar que compramos muitas coisas supérfluas, no final do mês o valor não é tão alto... como se eu comprasse por semana, que sempre acabamos pegando algo mais...)

Bem vou parando por aqui... já escrevi muito...


Ah... é tb faço meu próprio pão , lembrou Ana???


Um beijo

Clau

Flávia Uchôa disse...

Oi Ana,
Tudo bem? Faz tempo que não passo por aqui, estou às vésperas do meu casamento e a minha vida está uma loucura!
Infelizmente, nós que gostamos de comer bem,, temos que nos conformar com contas mais salgadas no supermercado...
Eu tento economizar ao máximo sem deixar de consumir com qualidade, e acho que a melhor estratégia que já utilizei foi a de fazer compras em vários supermercados, aproveitando as promoções nos ítens que já estou acostumada a comprar. Isso faz uma diferença enorme!
Tenho me preocupado em economizar na luz, na água e no telefone também... Banhos menos demorados, aquecedor à gás, nada de jogar conversa fora no celular, lâmpadas econômicas... No fim do mês faz uma boa diferença no orçamento!
Bjs,
Flávia.

Clarissa Fondevila disse...

Ana,
Aqui em casa estamos vivendo o mesmo dilema... Como é difícil economizar. Não consigo entrar no supermercado e gastar menos de R$80,00 ou R$ 100,00 (em meia dúzia de coisas...). Com a chegada do meu filho os gastos aumentaram e a gente está quebrando a cabeça para entender como economizar. A verdade é que está tudo caro demais, um absurdo. E com essa crise rolando, me preocupa muito onde vamos parar...

Andreia T. Farias Britez disse...

Oi Ana,
Sei que não tem nada a ver com o post mas a Alessandra Bianco,do Comidinhas (http://colunistas.ig.com.br/comidinhas/) postou um vídeo commo Rafael Rosa ensinando a fazer o pão integral da PÃO (Padaria Artesanal Orgânica). O dono dá algumas dicas bacanas para quem gosta de fazer pães em casa! Beijão!!

espressa-mente! disse...

quando me deparo no super com o preço absurdo de algum produto que conheço o preço e sou consumidor...eu dizia para o supermercado "nem pensar, vai chupar limão!!". Pois bem, hoje nem isso..o preço do kilo do limão tahiti chegou a R$7,00!!! a maça R$ 7,00!
a ideia aqui em casa é cortar os supérfluos como vinho, cerveja. E não mexer na qualidade dos demais.
no fundo achamos que teremos uma dieta melhor, ate porque, no verão nossa despesa com o super caia em funçao das saladas, passo a fazer yogurte caseiro e das frutas!
E o café? Bem, por incrível que pareça, não bebo café em casa!:o)

bjs,

tata disse...

Eu apenas posso concordar.e o pior tenho uma pequena loja de biscoitos caseiros em Brasília e não sei mais o que fazer.Aliás, tento pensar que estamos em uma crise é que tudo isso vai passar.
Em casa trocamos a maioria dos produtos por similares e genéricos..
A propósito, sou sua mais nova fá.
Adoro o seu blog e já estou copiando algumas de suas receitas.. se me permite.
Bjs

Carô disse...

Olás,

Concordo que os preços estão terríveis, esta quase impossível economizar. Até porque percebo muitas vezes que a qualidade dos produtos - mesmo os de 1ª linha- tem caído demais.
Mais concordo com você, que algumas economias são porcas, porque se você não tiver algo gostoso para comer no final de semana num jantar de sábado ou num almoço de domigo, acaba ficando tentada a sair de casa e gasta mais.
Já passamos por esta experiência. e trocamos 6 por 600!!! é melhor comprar no super, e gastar um pouco mais, e economizar nas saídas!
beijos a todas.
Carol

Dani disse...

Ana, eu faço peregrinação. Vou à feira e compro o que está na safra. Tomates estão baratos agora, mas o sabor... pra minha filhinha compro orgânicos vez por outra, mas não dá para comprar sempre. Produtos de limpeza e outros básicos compro nos supermercados populares. Alguns produtos de marca própria destes supermercados são fabricados por marcas conhecidas, dê uma olhada, as vezes o preço vale a pena.
No mais, concordo com alguém que disse aqui que é melhor gastar um pouco mais no supermercado com produtos de qualidade e fazer render algumas refeições, do que sair para comer fora e gastar o triplo. Mas quem resiste a uma saidinha de vez em quando?
Por aqui também fazemos nosso pão e sorvete.
Ah! A rua Santa Rosa, aqui em São Paulo, é mesmo uma ótima opção para queijos, azeites, azeitonas e etc.
Boa sorte pra gente.

Ana Elisa disse...

Gente,
como vocês podem ver, ando com dificuldade de postar regularmente, quanto mais responder comentário a comentário como eu fazia antes. Por isso as respostas "genéricas" e priorizando quem fez perguntar e afins. Então, por favor, ninguém se ofenda se eu não responder especificamente seu comentário.

Tendo dito isso, agradeço as dicas de quem deu dica e a força de quem reclamou dos preços junto comigo! É bom saber que não sou a única louca de carteira vazia. Estou fazendo vários planos para diminuir a conta do mercado comendo bem, e qualquer bom resultado que tiver certamente postarei aqui. Beijos a todos!!
;)

simone wicca disse...

entrei no seu blog procurando por cestas orgânicas em sampa. só achei um comentário de que você já tentou a cesta organica. você encomenda? como funciona?
a propósito, lindos seus pães!

Leila disse...

menina, a carestia está horrível!!!! casei há um ano, meu supermercado DOBROU e eu não estou comprando mais nem melhor. quando tento "economizar" comprando porcaria, adivinha: vai tudo pro lixo...

LH disse...

Eu tenho achado um absurdo completo. E nem é em relação ao esquema de o que comprar e afins, só preço mesmo. Explico: até um ano atrás, eu trabalhava registrado e tudo, com direito a ticket-alimentação ou coisa parecida (aquele cartão para fazer compras no supermercado). Pois bem, até mais ou menos o começo de 2007 eu conseguia ir ao supermercado duas, até três vezes em um mês - só pagando com o tal cartão.
Hoje... Da última vez que fui ao supermercado, saí com três sacolinhas na mão. E gastei mais de 50 reais. É ou não é o fim do mundo???
Beijo, parabéns pelo blog - eu leio sempre!

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails