quarta-feira, 30 de setembro de 2020

Um muffin de peras numa manhã de escola

 

Parque Arrowhead, ao norte de Toronto. Um passeio de domingo.

Períodos de adaptação.

Ainda que esse ano inteiro pareça uma adaptação atrás da outra, o início do ano escolar é sempre uma fase instável, com ou sem pandemia. A gente espera que seja igual à última vez e tenta se preparar sempre do mesmo jeito. Material escolar em dia, roupas que cabem nos novos corpinhos espichados durante o verão, despertadores acertados, e um ar confiante de que a rotina que você lembra de meses atrás vai continuar funcionando. 

Mas as crianças não são as mesmas do ano passado. Elas cresceram. Elas são mais independentes. Elas mudaram seus padrões de sono e seus hábitos matutinos. E nós também não somos os mesmos adultos do ano passado. Também crescemos, ainda que não visivelmente, ainda que nossas calças não fiquem curtas, deixando entrever canelas. E a independência dos pequenos traz luz à nossa,ainda que a surpresa às vezes nos torne reticentes e inclinados a prosseguir com velhos hábitos sem de fato entender se somos ou não necessários.

Ano passado, fazíamos muito por eles. Agora nossas ações são restritas. Fomos promovidos na Parenting Corporation, e agora o trabalho é menos braçal: mãe e pai agora em cargo gerencial.

As crianças acordam primeiro, antes do despertador. São seis da manhã, mas ainda é noite lá fora. A natureza canadense faz questão de deixar claro, antes mesmo do fim do verão, de que o inverno está logo ali, e que é preciso começar a se preparar. Se não preparar a toca com estoque de castanhas e folhas quentinhas, ao menos preparar a mente para os longos meses de frio intenso e céu cinzento que nos esperam. E o sol já logo nos primeiros dias de outono começa a levantar mais tarde, espreguiçando embaixo das cobertas e pedindo mais um tempinho com a cara enfiada no travesseiro.

Thomas e Laura aprenderam a preparar o próprio mingau. Enquanto tomo meu cappuccino no quarto, sentada na cama, massageando o pé machucado e conversando com o marido, ouço os sons da chaleira elétrica em ebulição e do abrir e fechar de potes de aveia, maple syrup, manteiga, canela e peanut butter. 

Quando entro na sala, já vestida, as crianças estão à mesa comendo seu mingau quente, não sem distrações e discussões, e logo levantam a cabeça para me dizer bom dia e pedir para que eu coloque uma música para tocar. "Bastard Son of Odin!",pede Thomas, lembrando da música épica de metal-farofa do Battle Beast, uma banda nórdica cuja vocalista se veste de deusa viking. Metal-farofa é sempre ótimo para levantar os ânimos e fazer todo mundo se mexer. 

Allex já tirou a louça limpa da máquina e encheu os potes térmicos das crianças com água quente. Agora é minha parte:preparar os almoços dos pequenos. Esquentar pequenas porções do que sobrou do jantar do dia anterior ou preparar algo novo do zero: um sanduíche, uma omelete para completar um restinho de arroz. Pensar nos dois lanchinhos extras. Quem come o quê? Quem gosta do quê? Lembre-se que não pode colocar nada com castanhas. Nori (algas) num pote, e iogurte com compota de fruta no outro. Ou bolachas integrais salgadas e cubinhos de queijo, e uvas passas. Ou uma fruta que ambos comam e um pedaço de bolo.

Mas não tem bolo. Deixara para preparar um no fim de semana. Deixara para ir ao mercado no domingo. Mas domingo dera um siricotico na gente, e decidimos pegar o carro e dirigir duas horas até Arrowhead Park, um parque provincial perto de Muskoka, para fazer uma trilha e ver as cores de outono na floresta. É preciso aproveitar os dias de outono sem chuva. Fomos, andamos 9km, vimos a floresta colorida de cima e uma cachoeira linda, onde as crianças usavam uma formação rochosa lisa com escorregador. Passamos o dia todo do lado de fora, jantamos num pub de cidade do interior no caminho de volta e fomos todos dormir exaustos às onze da noite. 

Olhei para as peras na fruteira. Já molinhas e manchadas. Não sobreviveriam na lancheira sem virar purê. E Thomas não gosta de comer pera assim, só a pera. Na despensa havia um restinho de granola. Iogurte na geladeira. E me dei conta de que os planetas culinários se alinhavam e eu tinha exatamente os ingredientes necessários para muffins de pera de uma revistinha da Martha Stewart que guardo há muito tempo e que Laura vive dizendo que quer para ela quando sair de casa. É tua, filha. Pode levar.

Ligo o forno às seis e meia. Laura para o que está fazendo para vir distribuir as forminhas de papel nas cavidades da forma de muffin. "Uau, mamãe! Eu achei que não ia dar, mas deu certinho! Tinha exatamente as forminhas que precisava!"

Alinhamento cósmico.

A massa é simples, como de todo muffin. A farofinha crocante é gostosa de fazer, dedos esfregando granola, farinha e manteiga, feito brincadeira na areia quente da praia. Ignoro o que está acontecendo à minha volta, para não esquecer nenhum ingrediente. Ouço vozes lançadas feito dardos rentes aos meus ouvidos. Cadê minha blusa azul? Thomas, sai do banheiro! Mãe, posso comer pão com geleia depois do mingau? Mãe, manda a sopa de ontem de almoço? Laura, larga o meu robô de Lego! Manhê! A Laura pegou uma peça do meu Lego!

"Pede ajuda pro teu pai", é a resposta de praxe. Sem a correria de se arrumar para o tempo no trânsito em direção ao escritório, papai, relaxado, cuida do que está fora do meu alcance momentâneo. Pandemia teve seus benefícios. Marido trabalhando em casa é bênção. Ouço sua voz catando os dardos por aí. "Escovou os dentes? Você ainda tá de pijama? Vai pentear o cabelo. Dá o papel da escola pra assinar. A cama tá arrumada? Guarda o Lego agora, que a gente já falou que não é pra espalhar Lego de manhã senão não dá pra limpar o quarto! Você deixou o prato na mesa. Tira da mesa e bota na lava-louça. Quem vai guardar as coisas do mingau que vocês fizeram? Ótimo. E quem vai passar um pano na mesa? Obrigado."

Alguns dardos me atingem quando papai se enfia no banho. "Mamãe, olha como eu tô pulando corda!" 

"Laura, muito legal, mas são sete da manhã, os vizinhos vão reclamar dessa pulação toda, e você ainda tá de pijama."
"Tá mamãe. Mas olha só o handstand que minha amiga me ensinou a fazer!
"Laura, de novo, tô orgulhosa de você por saber fazer handstand. Mas eu te pedi pra trocar de roupa duas vezes, seu pai pediu, e você não fez ainda."
"Argh. Tá bom."

Ela pula feito sapo até a porta do quarto.

"Laura! Sem pular! Os vizinhos!"
"Tá booooooooom...! Mas mamãe...", ela volta à cozinha. "Você vai mandar os muffins de lanche?"
"Vou, Laura, agora vai tirar esse pijama e ficar pronta pra sair, por favor."
"Ai, tá bom. Mas do que é o muffin?"
"De pera, Laura. Tô perdendo a paciência. Eu sei o que você tá fazendo. Você fica arrumando uma desculpa atrás da outra pra não cumprir com suas responsabilidades."
"É nada."
"Afe.É só trocar de roupa, Laura. Ó: teu irmão acorda e troca de roupa na hora. Ele tá pronto, e é por isso que ele tá lá sossegado!", aponto para Thomas, afundado contra a almofada fofa do sofá, joelhos flexionados, lendo mais um livro do Asterix pela enésima vez.
"O Thomas não tá pronto. Ele nem escovou o dente, que eu sei."
"Afe. Thomas! Você escovou os dentes?"
"Ahn... não", ele responde, casualmente, e quase surpreso com a demanda.
"Ai, Thomas! Quiéque você tá fazendo aí, lendo? Vai escovar os dentes, menino!"
"Tá vendo?", Laura diz, orgulhosa de si mesma, enquanto observa o irmão fechando o livro bruscamente e arrastando pés aborrecidos em direção ao banheiro.
"Você também, vai lá. Termina de fazer o que você tem que fazer."
"Mas eu quero te ajudar a colocar a farofa no muffin."
"Laura, você tá fazendo de novo."

Allex sai do banho. 

"Laura, ouve tua mãe. Vai terminar de se arrumar", ele diz, num vozeirão grosso, mas paciente.
"Aaaaaaaaah... mas é que...", ela reclama.
"Laaaaaauraaaa...", ele continua, enquanto eu coloco a farofa nos muffins. "Vai escovar seus dentes."
"Mas o Thomas tá no banheiro."
"E?"
"E a gente SEMPRE briga quando nós dois estamos escovando os dentes juntos, então eu vou ser gentil e esperar ele sair."
"Você tá sendo é espertalhona, né?"
"Tô nada."
"Thomas, a Laura precisa entrar pra escovar os dentes. Você escovou os dentes?", ele bate na porta, abrindo em seguida.
"Ahn... não!", ele responde, no mesmo tom surpreso, como se o pai tivesse perguntado sobre a existência de zebras cor-de-rosa.
"Thomas! O que diabos você tá fazendo no banheiro até agora, então?"
"Ahn..."
"Thomas, você tava cantando Bastard Son of Odin no espelho de novo?"
"Ahn... tava."
"Eita, nóis."

Termino de me arrumar enquanto os muffins estão no forno, e apronto o resto do almoço enquanto eles esfriam. Ficam lindos e perfumados, dourados e macios, e deliciosamente crocantes por cima. 


"Venham guardar o almoço de vocês!", chamo.

Eles guardam os potes na lancheira, enchem as garrafas de água e guardam tudo na mala. 

"Vamolá. Quem tá pronto?"
"Eu!", diz Thomas.
"Eu não", responde Laura.
"Ai, Laura, o que é que falta fazer?"
"Pentear o cabelo."
"Mas você tava no banheiro até agora!"
"Mas eu tava escovando os dentes, ué."
"E por que não aproveitou pra pentear o cabelo?"
"Esqueci."
"Eita. Vai lá, então."

Ela vai, ela volta, penteada.

"Todo mundo arrumou a cama?"
"Sim."
"Escovou os dentes?"
"Sim."
"Penteou o cabelo?"
"Sim."
"Guardou o almoço?"
"Sim."
"Pegou água?"
"Sim."
"Tá levando agasalho?"
"Precisa?"
"Laura, tá doze graus lá fora."
"Eu tô levando um short, pra se tiver calor."
"Ótimo, Laura. Mas leva um agasalho pra se tiver frio."
"Tá bom."
"Pegaram a máscara?"
"Sim."
"Pegou o papel assinado da escola?"
"Sim."
"Falaram tchau pro papai?"
"Tchaaaaaaau, papaaaaaaai!"
"Podemos ir, então?"
"Mamãe!"
"Quê?"
"Posso ir de bicicleta?"



MUFFINS DE PERA COM FAROFA DE GRANOLA
(da revista Martha Stewart Food Everyday, edição de natal)

Ingredientes:

  • 1 xic. farinha de trigo branca
  • 3/4 xic. farinha integral
  • 2 colh. (chá) fermento químico em pó
  • 1/2 colh. (chá) canela
  • 1/2 colh.(chá) sal
  • 2 ovos grandes
  • 3/4xic. açúcar mascavo
  • 1/2 xic. iogurte natural
  • 2 colh.(sopa) manteiga, derretida
  • 3/4 xic. granola (opcional - eu não tinha o bastante para a massa e não usei)
  • 2-3 peras maduras, descascadas e cortada em cubos (2 xic.)
  • (farofa de granola)
  • 1/2 xic. granola
  • 1/4 xic. farinha de trigo
  • 1/4 xic. açúcar mascavo
  • 1/4 colh.(chá) sal
  • 3 colh.(sopa) manteiga gelada

Preparo:

  1. Aqueça o forno a 205oC. Forre uma forma de 12 muffins médios com forminhas de papel.
  2. Comece pela farofa: junte todos os ingredientes e misture, esfregando com os dedos, até obter uma farofa grosseira e a manteiga estar bem distribuída.Reserve
  3. Numa tigela grande, misture as farinhas, fermento, sal e canela. Em outra tigela, misture os ovos com o açucar, manteiga derretida e iogurte, até que fique homogêneo. 
  4. Junte a mistura líquida à seca e misture com uma espátula até não enxergar mais farinha. Não misture demais, ou o muffin fica maçudo. 
  5. Incorpore as peras de forma homogênea (e a granola extra, se estiver usando), e distribua a massa em porções iguais nas formas.
  6. Polvilhe a farofa por cima. Pode usar tudo. Vai ficar bem amontoado acima da beirada da forma, e está tudo bem. Junte de volta aos montinhos a farofa que cair para fora. 
  7. Leve ao forno por vinte minutos,até que um palito saia limpo quando espetado num muffin. Deixe esfriar por cinco minutos na forma, e então retire com cuidado para esfriar numa grade. Eles são deliciosos ainda quentes do forno. Se mantém bem por mais de um dia, mas a farofa perde a crocância.

Nenhum comentário:

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails