domingo, 15 de janeiro de 2012

Minha nova massa de pizza favorita

Desde aquele pequeno desafio de ficar um mês em gastar dinheiro (recomendo muito), tenho feito pizza toda semana. De fato, gastar quase cinquenta reais numa pizza não me parece nem um pouco justo, muito menos comer uma pizza ruim só para economizar uns trocados. Fazê-la em casa, então, tornou-se a melhor opção, pois mesmo que você não tenha o gostinho do forno à lenha, o sabor da cobertura compensa, além de toda a questão financeira.

Toda sexta faço uma pizza margherita e uma outra de minha escolha, geralmente pura invencionice advinda do espólio da geladeira. Daí veio a pizza de catupiry com alho e alecrim, a de fontina com pimentão verde e azeitonas, e a de queijo prato com alcaparras e tapenade. Ah, sim, o queijo é uma constante, pois, segundo o marido: "se aparecer pizza de espinafre, eu ligo prá pizzaria e peço uma quatro queijos!" A pizza de espinafre já apareceu (espinafre refogado com ovos quebrados em cima, uma delícia), mas apenas eu comi, deixando a margherita inteira pro enjoado.

De todas as massas que testei, as de fermentação lenta são com certeza as mais deliciosas. Mas como nunca me lembro de começar a massa na quinta-feira, tenho avaliado receitas das mais rápidas. E esta, de um dos meus novos livros favoritos, The Italian Baker, é tiro-certo, principalmente se você tem uma pedra no forno (você pode fazer numa forma, mas não vai ter o mesmo efeito). Foi a primeira pizza que assei em forno convencional que não apenas ficou macia no centro, mas também dourada nas bordas. Uma delícia, e, para a felicidade do marido, ela comporta muito mais cobertura do que as outras receitas que eu vinha fazendo, o que faz dela (ironicamente) uma pizza mais brasileira que italiana.

Recomendo fazer 2 pizzas menores (de 4 pedaços grandes) ao invés de uma pizza de tamanho convencional (8 pedaços), por uma mera questão de praticidade: é bem mais fácil transferir a massa do balcão para a pá e dela pro forno, além de demorar metade do tempo para ficar pronta. Confesso que o hábito das duas pizzas é por pura gula e vontade de ter sobras de pizza na geladeira no dia seguinte, porque para nós, uma apenas já basta. Ou bastava, agora que o pequeno matador de dragões come uma fatia inteira sozinho. Dá pra imaginar quando esse moleque tiver 14 anos?? Tô f*dida. o_O

[E antes que venham me trolando dizendo que em Nápoles é assim ou assado, vamos lembrar que a receita é uma adaptação para forno convencional. Quer fazer como no original, abre na mão, assa em forno à lenha e não me encha os pacová. Com um bambino engatinhando e subindo nos móveis enquanto faço a pizza, ando bastante Nigellesca e não pedindo desculpas por fazer minha pizza na batedeira e meu pesto no processador. Pronto, falei. Se há uma coisa que ter filho fez comigo foi me dar uma incrível sensação de liberdade com relação à minha vida e minhas escolhas. Já plantei árvore, já escrevi livro, já tive filho, pago meus impostos, gosto da minha profissão. Então às favas com quem não gostar de mim. Fué pra você. :P E sim, meu bebê de 9 meses come pizza. Live with that.]

PIZZA ALLA NAPOLETANA
Tempo de preparo: 2h
Rendimento: 1 pizza grande, 2 médias ou 5-6 individuais

Ingredientes:
  • 1 3/4 colh. (chá) fermento ativo seco (5g)
  • 1 pitada de açúcar
  • 1 1/3 xic. água morna (abaixo de 60ºC) (320g)
  • 1/4 xic. azeite de oliva (55g)
  • 3 3/4 xic. farinha de trigo (500g), de preferência orgânica
  • 1 1/2 colh. (chá) sal (7,5g)

Preparo:
  1. Para fazer à mão, misture o fermento, o açúcar e a água numa tigela grande e deixe quieto por 5 minutos, até espumar. Misture o azeite. Junte a farinha e o sal, uma xícara por vez, misturando até remover os pontos de farinha seca. Vire numa bancada levemente enfarinhada e sove até obter uma massa macia, acetinada, mas firme, cerca de 8 minutos. Para fazer na batedeira planetária, junte o fermento, o açúcar e a água na tigela e deixe por 5 minutos até espumar. Com a pá, misture o azeite, e em seguida a farinha e o sal, até a massa ficar coesa. Troque pelo gancho e sove por 3 minutos. Termine de sovar por 1 minuto na bancada levemente enfarinhada. 
  2. Forme uma bola, coloque numa tigela grande untada com óleo, cubra com filme plástico e deixe fermentar até quase dobrar de tamanho, 45 minutos a 1 hora. Enquanto isso, coloque a pedra na grade inferior do forno e ligue no máximo.
  3. Sove a massa ligeiramente por 1 minuto e abra à mão ou com um rolo, ou divida nas porções desejadas e abra em superfície enfarinhada, até que fique com cerca de 0,5cm de altura, deixando uma borda de uns 2cm. 
  4. Polvilhe uma superfície com farinha de milho, de arroz ou de trigo (as duas primeiras são melhores pois absorvem mias umidade) e coloque os discos de massa ali. Cubra com um pano de prato seco e deixe fermentar por não mais que trinta minutos. 
  5. Passe a massa para a pá de pizza (eu uso um salva-bolos grande, mas você pode usar o fundo removível de uma forma bem grande) e coloque a cobertura desejada (cerca de 1/4 xic. de molho de tomate e uns 200g de cobertura, incluindo o queijo, ou a pizza pode ficar pesada demais para deslizar da pá). Deslize a pizza cuidadosamente para a pedra. 
  6. Se a pizza for grande, coloque-a no forno sem o queijo, asse por uns 10-15 minutos, retire a pizza, distribua o queijo e volte-a por mais 10-15 minutos, para evitar que o queijo queime, assando num total de 25-30 minutos. Para pizzas médias, como a da foto, 15-20 minutos (a minha demorou 15). A pizza está pronta quando a borda está dourada e o queijo, borbulhante. (Cuidado ao comer, aliás, lembre-se de que a pizza está a 250ºC! :P )


52 comentários:

Jux disse...

Que diliciiiiiaa de pizza, Ana!
Que diliciiiiiaa imaginar o Pequeno Dragon-Killer comendo pizza :D

Marcia disse...

Adorei o post! Acho incrível como todo mundo resolve fácil a vida dos outros, e dá palpite na criação dos filhos da gente... ;)

Marina Maria disse...

Ana, tem tempos que quero testar fazer pizza em casa e seu post só me incentivou ainda mais. Duas dúvidas: tenho uma pedaço de granito dando sopa aqui em casa, ele pode servir como a pedra de pizza ou preciso fazer alguma preparação nele? E a massa pode ser congelada?

Obrigada e beijo!

Paul disse...

Hahahaha!!! Pois eu confesso que o que mais gostei nesse post foi o "desabafo" no final, tanto é que me animei a comentar pela primeira vez apesar de ser um leitor assíduo.
Às vezes pensava "até tinha vontade de fazer tal ou tal receita, mas se não for prá (por exemplo) fazer o pesto no pilão de cerâmica (sendo que nem tenho um) ou abrir a massa na mão, melhor comprar uma pizza da Sadia mesmo".
É bom ver que de vez em quando tu és uma "mortal" como todos nós, hehehe.
Um abraço!

Livia Luzete disse...

Ahhh,seria um pecado privar o pequeno matador de dragões das pizzas de sua mamã!!! #pronto também falei

D Augusto disse...

Adorei a receita, acho que vou me arriscar a fazer pizza caseira semana que vem hein rsrs Parabéns :)

D Augusto
mosaikodereceitas.blogspost.com

Lais Berriel disse...

Eba! Mais uma receita pra testar em casa!
Pena que me falta uma batedeira e tem que ser no braço mesmo por aqui hahaha

Ana E.G. Granziera disse...

Marina,
minha "pedra de forno" era uma pia de granito que ia pro lixo numa obra que minha irmã estava fazendo, e que pedimos para o pedreiro cortar do tamanho do meu forno. Então, manda bala. Só veja se a pedra não é pesada demais para a grade do forno (a minha tem cerca de 1,5cm de espessura). E dá pra congelar sim: a autora diz que você pode congelar antes da primeira fermentação, depois de fermentada, e socada pra tirar o ar (antes de abrir) ou parcialmente cozida, já com as coberturas, mas sem o queijo. Nos primeiros casos, é só descongelar e prosseguir daí, e no terceiro, botar direto no forno, por mais tempo. :)

Paul,
mortal e meia! Eu não compro massa folhada pronta, mas faço a minha massa "fajuta" no processador ou na batedeira. Meu esquema é esse. Eu prefiro o pesto feito à mão, mas quando é pequena quantidade. Como fiz pra deixar congelado, de montão, é processador mesmo.E massa de torta, só faço no processador, desde que comprei o meu. Você abre mão de alguns tradicionalismos para não abrir mão da qualidade da comida. :)

Bjs

www.leiliane.com.br disse...

Gostei muito da receita Ana. Eu não tenho costume de me arriscar com massas, mas essa é mais amigável. Abraços.

Sarah Abreu disse...

Adoro seus textos fotos e receitas! Estou morrendo de rir aqui! E fué pros malas! Pizza feita em casa é bom demais! Certamente testarei essa receita! Boa semana!

Jô Bibas disse...

Ana, o último parágrafo é uma lavagem de alma! lembro que nos tempos em que os meus filhos eram pequenos meu pavio era curtíssimo, a "boa Jô" estava submersa em maternidade e trabalho no consultório de fono.
Boa semana!

Food Around the World! disse...

Amei!!!! Odeio quando os outros vêm dar palpite ou falar mal das receitas da gente. No nosso blog e na nossa cozinha ninguém se mete!!! Vou testar a massa, e provavelmente a farei na batedeira!!!

Raquel disse...

Ana Elisa,
1. Escreveu livro? Foi publicado? risos...esclareça essa parte aí para os seus leitores! =)

2. Certos tradicionalismos tornam-se preciosismos qdo o tempo é curto, eu acho!

Patricia Scarpin disse...

Preciso testar essa massa, que pizza mais linda, Ana! Lá em casa preferimos um tiquinho mais fina, vai render bem a receita.

(morri de rir do final do post e assino embaixo!)

xx

Lívia disse...

Pizza é o que há... e realmente, se aos 9 meses teu pequeno come um pedaço de pizza, quando ele chegar a adolescência, estás f*dida mesmo... Muito obrigada por compartilhar conosco tuas experiências e teus desabafos... Um abraço...

Tamie disse...

O pouquinho que você compartilha sobre a vida, o que pensa e como faz, só me faz te admirar. Como quero viver assim um dia, de um jeito homemade, simples, perfeito em cada erro e acerto.
Espero que continue sempre com um cantinho online, é um prazer ler suas palavras e és uma inspiração enorme.
Beijo, Tamie

*desculpe o comentário duplicado, pode publicar este aqui (:

Eli disse...

Ana a pizza esta D+ e olha ter filho é isso aí, nos deixa leve e outra só a gente sabe o que é fazer comida com um bebe engatinhando dentro de casa.


www.feijaonoprato.com

Nani disse...

rsrsrs Me identifiquei!! Tem tanto tempo que não peço pizza em casa, não faço ideia de qdo foi a última vez! Por aqui as poucas pizzarias que entregam são uma total decepção,a pizza sempre era ruim (muito mesmo!). Portanto passei a fazer minha própria pizza! E caí de cara qdo vi que a sua receita é praticamente igual a minha, com apenas um porém, a minha veio direto dos cadernos de receita bem velhos da minha tia!!!
Vi que alguém perguntou se é possível congelar, bom como aqui sempre sobra massa d+ para pessoas d- eu preparo os discos, dou uma pré-assada neles e congelo, sem problemas! Claro que uma massa feita na hora é incomparavelmente mais gostosa, mas a congelada não faz feio e sinceramente? Da de 10 a zero em muita pizzaria por aí! Bjos Ana!!

Luciana disse...

Essa receita é boa pra mim! =) É claro que vai entrar pra minha lista de coisas a serem tentadas,mas vai passar na frente, que o povo aqui tem reclamado que só sei de doce... [rs]

A propósito, aquele bolo de limão & mirtilos é fabuloso!

Obrigada mais uma vez. ;-)

Lais Berriel disse...

Queria tirar uma dúvida:
Toda vez que faço pizza em casa eu acho que ela fica com gosto meio "farinhento"... Não sei se erro na receita, ou se é o tipo de farinha, pq apesar disso a massa fica boa e assa direitinho...
O que vc acha?
Ps: adorooooo o blog ;D

CRISTIANE LARA disse...

Oi Ana, tudo bem ? Adorei essa massa de pizza ! Ficou lindíssima ! E é bem fácil também. Agora gente dando palpite na vida dos outros é o fim da picada ! Bj

As 4 irmãs disse...

KKKKK! O melhor foi o desabafo lá embaixo! adorei! Vou com certeza tentar a massa! Obrigada!

kellen disse...

ana, minha pequena, de 4 meses, já anda curiosíssima quando nos vê comer. não vejo a hora de dar a ela um bom pedaço de pizza ;-)
vou testar a receita, beijo!

Catarina disse...

Desnecessário esse desabafo mal criado, vc é apenas uma pessoa ranzinza e mal humorada que tem a necessidade de dar bronca e reclamar, mas não desconte nos leitores, tá!

Flávia Junqueira disse...

Acabei de testar aqui, ficou jóia. A massa da minha mãe é mais para pizza fina e crocante e essa é aquilo q vc descreveu! Gostei muito entrou pra lista das favoritas. Ela é levemente mais salgadinha (mas no ponto certo) e me satisfez com duas fatias (mas confesso q comi mais). Olha a foto: instagr.am/p/iQsVm/
Abracos.

Ana E.G. Granziera disse...

Raquel,
escrever, escrevi. Romance de vampiros, brega pra car*lho, quando tinha 19 anos. Publicar, necas. Mas tá escrito. ;)

Laís,
meu marido reclamou da massa farinhenta com outras receitas. No meu caso, era a farinha necessária para que a massa não grudasse na pá, e o fato de não assar a ponto de dourar, para o fundo não ficar "biscoitudo". Será que não é esse seu caso? Essa massa do post não ficou anda farinhenta. :)

Flavia Junqueira,
que bom que deu certo e você gostou! :)

Catarina,
como eu avisei, FUÉ pra você. ¬_¬

bjs

Paula disse...

Nem sei se gostei mais da receita ou do texto!... beijo pra você :)

Marcelo disse...

Saudações!
Fiz a massa semana passada e fiquei na dúvida se o fermento seco a que vc se refere é o de saquinho ou o de tablete. Fiz com o segundo e demorou muito mais a crescer do que o indicado, e nem cresceu tanto assim. O sabor ficou ótimo, sem dúvida, mas por conta do "pouco" crescimento ficou um tanto pesada, até um pouco oleosa. Segui a receita à risca pesando tudo - só diminui o sal por conta de preferência pessoal mesmo.

Ana E.G. Granziera disse...

Marcelo,
o fermento ativo seco é o de envelope, granulado. O de "tablete", aquele que fica na geladeira, é fermento ativo FRESCO e deve ser usado na proporção 3-1 em relação ao seco (sempre peso, não volume). Ou seja, se a receita pedir 5g de fermento seco, você deve substituir por 15g do fresco. Então de fato faltou fermento na sua massa. Ok?

Bjs

Marcelo disse...

Foi o que eu pensei mesmo.

Obrigado pelo esclarecimento. Por aqui o fermento fresco ativo desidratado, vendido em padarias à granel e em tabletes, é conhecido como seco, e o seu seco, como instantâneo. De qualquer forma, o fermento cresce e compensa isso... mas só depois de algumas muitas horas. Essa pizza acabou assada bem antes disso.

Vou fazer novamente

CRISTIANE LARA disse...

Oi Ana, bom dia ! Fiz a massa da pizza e ficou uma delícia ! Receita testada e aprovada ! Meu noivo e meu sogro adoraram ! Só falta comprar a pedra para colocar no forno e a pizza ficar mais gostosa ainda :) Bj

Macagnan disse...

Guria, valeu, o livro da Carol Field repousava abandonado na estante desde quando chegou em casa, comprei de curioso e quando chegou não dei muita bola, folhei, vi umas fotinhos e nada mais, tinha esquecido totalmente dele até ler teu post, ah, grande e boa surpresa, fiz a massa de pizza e um pão e ambos deram super certos.
Obrigado!

Anônimo disse...

Olá,

É a primeira vez que entro em seu blog e confesso que fiquei chocada com sua falta de educação, quem tem um blog está a expor-se, portanto é natural receber comentários, críticas e não apenas elogios. Não posso deixar de pensar que quem reage assim é prepotente e arrogante, e quem perde é você mesma porque não se dispoe a escutar e enriquecer-se com os demais. Digo isso tudo a fim de que reflita, mas com certeza já está a pensar que é para ofender e insultar.

Maria Vitória - Rio Grande do Sul

BValério disse...

Um dia vou experimentar esta massa :)

Lila disse...

ADOREI! Preparei nesse fnds, e como gosto de massa bemmmm fina, rendeu um monte. Congelei quase metade.

Ana E.G. Granziera disse...

Cara Maria Vitória,
Gasto meus neurônios tentando compreender o por quê de um ser humano gastar seu tempo criticando de forma vazia um blog que NINGUÉM a obriga a ler. Da mesma forma que um autor de blog se expõe, cabe ao leitor decidir o que serve e o que não serve para si, e, decidindo, continuar ou deixar de ler. Críticas construtivas são muito benvindas, desde que fornecidas por AMIGOS PRÓXIMOS, e não por indivíduos virtuais que não apenas não me conhecem, como também proferem julgamentos de valor baseados numa PERCEPÇÃO pessoal criada a partir de UM ÚNICO POST. Se você nunca tomou uma cerveja comigo, se você não sabe quando é o meu aniversário e nem o sobrenome do meu marido, o que faz você acreditar que tem o direito de me julgar isso ou aquilo? Só posso presumir que arrogante e presunçosa é você, montada em seu cavalo branco virtual, distirbuindo lições de moral internet afora.

Ponha-se no seu lugar. A saber: longe de meu blog.

:P

Madri disse...

Comentário no post errado? Não é proposital.
Vou dizer-lhe agora o que não lhe disse no post:"Um bolo de morangos (antes que eles acabem)" Lembra?
Incrivelmente estupendo! sonhador!Inesquecível, tentador, primavera-verão... O que mais? Não Não! Não tô nem um pouco preocupada com um tal do "ego" da Ana Elisa. Este, quer dizer aquele bolo ficou ecoando na minha infame cabeça gourmet. Quer saber? foi o bolo do meu chuvoso-solitário e primúsco aniversário. E enquanto a pizza?... é... é...é... ela não é bolo. I Love cakes! Lembranças da Madri & Muita força menina! pois, seu blog é vida para mim (sou aquele "um " leitor do seu perfil) lembra?

Anônimo disse...

Ana,
Parabéns pelo post maravilhoso! Sou leitora assídua do seu blog há 2 anos, desde que meu bebê nasceu. Nessa época descobri o mundo dos blogs para enriquecer meu caderno de receitas. Mas descobri também que não teria mais o tempo para passar HORAS na cozinha preparando um prato. Deixei de lado preconceitos que tinha (máquina de pão, bolo de liquidificador, massa de torta no processador, entre outros) e descobri como podemos ser práticas, rápidas, e não perder o prazer de ter aquela comidinha fresquinha feita em casa, e aquele bolo recém-saído do forno.
Ontem fiz sua receita de pizza, a pedido do meu filho, que quando perguntado o que queria jantar, me disse, às 18:30, "piti de mamãe". Claro que tive que fazer uma pizza pra ele!!! Preparei a massa com meu bebê assistindo Backyardigans do lado(dobrada, pois achava de a receita rendia duas pizzas pequeninas, e eu e meu marido somos vorazes em matéria de pizza!)e reservei os recheios. Confesso que só deixei descansar por 30 minutos. Quando meu marido chegou, foi "pizza fest".
Além do gosto maravilhoso, o que mais gostei na massa foi o simples fato dela não ser tão elástica, e ficar no lugar enquanto abrimos com o rolo!!!
Assei na pedra de pizza e ficou uma delícia!!!
Rendeu 4 discos grandes de pizza, 2 dos quais estão pré-assados, na geladeira, esperando o próximo desejo do meu príncipe!
Um abraço,
Giselle

Karen disse...

Ana

Nem vou comentar sobre o quanto é bom saber que você, além de ser essa pessoa que faz pratos incríveis, que tem um blog incrível e que já me ensinou tanto, agora também se livrou das amarras chatas do "isso não pode, aquilo é errado" :p

...o que eu quero mesmo é saber sobre o pesto!! Você congela?? e pra descongelar? E fica bom?

Bjus, adoro esse blog.

Letícia disse...

eh claro que seu filho come pizza!

deve comer torta de palmito com catchup tb!!!

come tudo de bom e natural! :) sem conservantes, sem esse monte de tranqueira que deixam os nenéns com alergia alimentar a metade da infância! (tenho várias amigas com nenéns pequenos e muitas alergias! estou quase achando que parte dos problemas vem da alimentação da mãe... :P)

vc está de parabéns pela disposição e seu neném tem sorte de ter uma mãe q faz tanta comida gostosa e saudável! :) sem papinhas nestle com gosto de nada :P

Anônimo disse...

Fiz hoje essa massa. Foi a primeira vez que fiz em casa. Achei que ficou um pouco salgada, mesmo usando menos sal (apenas 1/2 colher). Não tenho pedra, não tenho forno a lenha... foi no forno do fogão mesmo e uma forma normal. A massa ficou muito boa apesar de crua perto do recheio. Achei que estava muito fina quando estava fazendo e acabei engrossando e acho que por isso que ficou crua. Usei farinha integral. Na hora do fermento não chegou a espumar, formou apenas uma leve camadinha branca na superfície. Achei que não ia crescer mas cresceu (não dobrou de tamanho quando estava crua mas no forno dobrou). Como era só eu que ia comer acabou sobrando massa e guardei no congelador. Não sei se pode congelar mas vou tentar fazer novamente daqui 3 dias a partir dessa massa que sobrou.

Cristiane Lara disse...

A massa é muito boa, recomendo. Mas seguem dúvidas: qual o tempo que a pedra deve ficar no forno antes de colocar a pizza e qual a temperatura do forno nesse tempo? Coloquei a pedra por 30 minutos no forno alto(250 em cima e 300 embaibaixo, só depois desses 30 minutos coloquei a pizza pra assar, e ela ficou pronta em 4 minutos. E ficou gostosa, e pronta mesmo, porém a borda não ficou colorida. Obrigada.

Aian Cotrim disse...

rescFazer pizza em casa é uma experiência libertadora. A minha família tem uma receita tradicional de pizza muito parecida com essa. Leva um pouco de manteiga e dispensa a pedra, totalmente adaptada ao fogão à gás. É uma pechincha, e o rendimento é excepcional. Para mim é sinônimo de festa, fartura e alegria. E eu posso me fartar sempre de comer com as mãos, que é o melhor modo de apreciar esse prato maravilhoso!

Paula disse...

ola, boa tarde...

estou vendo esse post um pouco atrasada acredito eu, mas se possível gostaria de tirar uma duvida sobre o tempero..

serve o famoso pó royal???

bjos obrigada e adoro seu blog

Weber Recipes disse...

Delicious recipe! I love all your recipes. I will try some recipes next weekend, i hope :)

Greice/Joinville disse...

Oi Ana, fiz essa pizza, G-ZUS não quero mais pizza pronta, não quero mais nenhuma outra, somente a caseira, a massa ficou deliciosa, crocante. Sovei a massa na maquina de fazer pão uma praticidade que nusssa.. Agora a minha duvida é queria fazer mini pizzas e congelar, pre asso a massa monto e congelo né?
Nossa obrigada por dividir essa receita maravilhosa.. ainda mais no frio do cão que faz aqui no sul, pizza no forno é sinonimo de casa quentinha e cheirosa.... :D
Beijos.

Claregina disse...

Já fiz muitas receitas de pizza toda vez que faço testo uma receita que busco no santo google, hj a sua foi a escolhida.. Logico fiz algumas mudanças por questões de despensa, usei 2 tablete de fermento fresco e azeite usei 1/4 de oleo milho e 1/4 azeite e fiz a receita dobrada...bem conclusão ficou maravilhosa.. Postarei no meu blog.
Assei no forno eletrico a 250 C pré assei por 8 minutos.

Aprovada ...!

Valeu

Claregina

Claregina disse...

Já fiz muitas receitas de pizza toda vez que faço testo uma receita que busco no santo google, hj a sua foi a escolhida.. Logico fiz algumas mudanças por questões de despensa, usei 2 tablete de fermento fresco e azeite usei 1/4 de oleo milho e 1/4 azeite e fiz a receita dobrada...bem conclusão ficou maravilhosa.. Postarei no meu blog.
Assei no forno eletrico a 250 C pré assei por 8 minutos.

Aprovada ...!

Valeu

Claregina

Alexandra disse...

Olá!
Eu gosto muito do seu blog e das receitas meu marido fez a massa de pizza e ficou uma maravilha já é a minha receita favorita. Obrigada por compartilhar. Um abraço.
ps: aprendo mais no seu blog do que nos programas famosos cheios de patrocinadores e coisa e tal.

Anônimo disse...

MARAVILHOSA essa massa. Forno a lenha será levantado em breve, marido gostou tanto que já está fazendo planos.
Obrigada por compartilhar!

Carol

Andrea disse...

Oi Ana! Fiz essa massa hj. Muito boa! Rendeu duas pizzas maravilhosas, claro que não é a mesma coisa que no forno a lenha...mas ficou beeeem gostosa! A massa ficou crocante por fora e macia por dentro! Parabéns!

espressa-mente! disse...

Ola Ana, onde na receita da massa posso "encaixar" semolina? nos ingredientes ou na hora de abrir/polvilhar a massa?
obrigaduuuuuuuuuu...

Cozinhe isso também!

Related Posts with Thumbnails